segunda-feira, 10 de julho de 2017

Abertura de formação dirigida a jovens da diáspora açoriana

Diretor Regional das Comunidades desafia jovens açordescendentes a mostrarem os Açores ao mundo
O Diretor Regional das Comunidades desafiou hoje, em Ponta Delgada, os jovens da diáspora a mostrarem ao mundo o que são atualmente os Acores.
Paulo Teves, que falava na abertura de uma formação dirigida a jovens da diáspora açoriana, que decorre esta semana na ilha de São Miguel, sublinhou que há novas áreas para descobrir e explorar além da vertente cultural, como é o caso da parte económica, educacional e do turismo, para que haja “mais Açores nas comunidades”.
“Estamos numa fase em que temos um associativismo integrado, que tem trabalhado muito em prol dos Açorianos emigrados, mas é necessário darmos um passo à frente”, afirmou o Diretor Regional, considerando que “o passo será feito, sem dúvida, pelos jovens”, que devem assumir o papel de “verdadeiros disseminadores dos Açores de hoje e das suas diversas oportunidades”.
“É importante mantermos a nossa presença nas associações, porque elas dão uma continuidade à nossa identidade”, afirmou Paulo Teves, defendendo, no entanto, que é necessário “fazer mais”, nomeadamente divulgar os Açores junto daqueles que, não tendo nascido na Região, partilham o mesmo espaço geográfico das comunidades na diáspora.
Na sua intervenção, o Diretor Regional salientou que os Açores são “uma região moderna, com ótimas infraestruturas sociais e culturais, que aposta nas novas tecnologias e que tem um clima muito favorável a oportunidades de investimento em variadíssimas áreas”, frisando que esses conhecimentos vão ser transmitidos durante o curso.
Desta forma, quando o curso terminar, frisou Paulo Teves, os jovens participantes estarão melhor preparados para assumir o compromisso de divulgar os Açores, porque a Região “conta com os jovens para fazerem parte deste processo de desenvolvimento” do arquipélago.
“Quanto maior for o vosso envolvimento, quanto maior for o vosso empenho e a vossa dedicação, maior será a nossa presença no mundo e o reconhecimento da nossa comunidade nessas sociedades”, afirmou.
Nesta formação, além das sessões teóricas, os participantes terão oportunidade de visitar várias instituições e empresas da ilha de São Miguel, entre as quais o Museu da Emigração Açoriana, o Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas, o NONAGON – Parque de Ciência e Tecnologia, onde será realizada uma videoconferência com o Immigrant Assistence Center, a COFACO, o Centro de Monotorização e Investigação das Furnas e a Fábrica de Chá Gorreana.
O curso, que se destina a jovens açordescendentes oriundos dos EUA, com idades entre 25 e 35 anos, pretende dar a conhecer a realidade atual da Região, incentivando-os a promover e divulgar as potencialidades dos Açores, e proporcionando-lhes um espaço de partilha de experiências e de diálogo sobre a importante influência e papel que desempenham nas suas comunidades.
Gacs/MN

Sem comentários: