sábado, 17 de junho de 2017

Inauguração de requalificação do Largo do Colégio

Requalificação do Largo do Colégio valoriza património do século XVI da cidade de Ponta Delgada
A requalificação do Largo do Colégio, em Ponta Delgada, cujo projeto foi o mais votado no Orçamento Participativo 2016, foi inaugura ao final do dia desta sexta-feira, perante a presença de várias pessoas, entre as quais os proponentes.
Após o descerramento da bandeira, o Presidente da Câmara de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, fez questão de afirmar que a obra em questão vem regenerar urbanisticamente uma das zonas mais emblemáticas do centro histórico e que passará a ser mais um palco privilegiado para eventos culturais, além do que “é o primeiro passo para prosseguirmos a valorização do nosso património edificado”.
Para José Manuel Bolieiro, a requalificação do Largo do Colégio “é uma obra que nasce do povo, para o povo e pelo povo, porque está inserida no âmbito do Orçamento Participativo. Houve, assim, um impulso dos próprios cidadãos que consideraram esta alteração urbanística essencial para uma fruição mais cultural e menos rodoviária”.
Com o projeto arquitetónico da autoria de Luís Francisco Gomes de Menezes, a obra agora inaugurada, segundo o Presidente da Câmara, é um orgulho para o executivo, para a cidade e para a ilha de São Miguel.
“Estamos a começar um processo de valorização do nosso património edificado. Este foi apenas o primeiro, que se tornou possível através do Orçamento Participativo de Ponta Delgada, que tem caráter deliberativo. Tenho a consciência do dever cumprido. Todos podemos ter orgulho na cidade que temos. Estamos a tornar novas todas as coisas. A regeneração é, e sempre foi, um dos grandes objetivos do nosso executivo”.
O Presidente da Câmara fez questão de agradecer aos funcionários da Câmara que, com brio e profissionalismo conseguiram requalificar o Largo do Colégio. Agradecimento que estendeu a todos os que estiveram envolvidos neste projeto, desde a primeira hora, ao Diretor do Museu Carlos Machado (Duarte Melo) por não ajudar a que a obra avançasse o mais rapidamente possível, e ao Secretário das Obras Públicas, Vítor Fraga, presente na inauguração, por ter acedido, de imediato, à realização da obra.
“Era um parque de estacionamento, perturbou e está a perturbar e vai perturbar os que estavam habituados a encontrar um lugar de estacionamento, mas a intervenção valorizou muito o aspeto da fruição cultural e urbanística e o respeito regenerador do próprio espaço, que estava degradado e este vale mais do que a comodidade do estacionamento”, salientou o autarca, destacando o trabalho dos funcionários da autarquia que realizaram a intervenção.
José Manuel Bolieiro disse que a igreja e a sua fachada “estavam absolutamente desvalorizadas devido ao estacionamento de viaturas no Largo do Colégio, sublinhando que a obra agora inaugurada “distingue o património edificado” e “regenera urbanisticamente um quarteirão, que “passa a ter uma outra dinamização cultural”.
Ainda segundo o Presidente da Câmara de Ponta Delgada, “os agentes culturais locais passam a ter aqui um privilegiado palco para ‘perfomances’ e atuações que depois podem ajudar a desenvolver uma ideia de fruição cultural, recreativa e artística no quarteirão”, destacando, neste caso concreto os concertos do Coral de São José que, anualmente, ali se realizam.
Entretanto, um cinco  dos proponentes, João Carlos Nóbrega, afirmou que, “com esta obra, a cidade de Ponta Delgada ficou mais valorizada e este novo espaço vai permitir a realização de várias atividades culturais ao logo de todo o ano”.
O Presidente da Junta de Freguesia de São Sebastião, José Maria Rego, disse que, em boa hora, a Câmara de Ponta Delgada avançou com o Orçamento Participativo, por que “sensibiliza, credibiliza e valoriza a opinião do povo”.
Recorde-se que a proposta para retirar o estacionamento do largo do Colégio foi a mais votada no Orçamento Participativo 2016. Obteve um total de 994 votos. No entanto, a Câmara Municipal, presidida por José Manuel Bolieiro, acabou por fazer uma intervenção ainda mais abrangente, nomeadamente, a requalificação do espaço público envolvente e a colocação de mais iluminação, o que permite realçar, durante a noite a Igreja do Colégio dos Jesuítas. Neste local, que antes servia de parque de estacionamento e impedia visualizar a grandeza da Igreja do Colégio dos Jesuítas, agora se encontra um espaço que vai permitir a realizar de vários eventos culturais.
A requalificação do Largo do Colégio, obra que custou 75 mil euros e foi no âmbito do Orçamento Participativo de Ponta Delgada, incluiu várias intervenções, entre as quais a criação de uma praça, substituindo o piso por outro de lajetas de basalto à cota do passeio existente. Optou-se, ainda, pelo embelezamento natural da zona com a plantação de árvores, tendo sido criado um acesso direto à Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada.
Os proponentes do projeto de requalificação do Largo do Colégio foram Mário Moniz, João Carlos Nóbrega, Fernando Dias Pereira, Ana Fernandes e Eduardo Fernandes.
CMPD/MN

Ecologic Trail Run Azores: Mário Fonseca foi o vencedor

Mário Fonseca corta isolado Ecologic Trail Run Azores
O atleta da equipa Dr. Merino/4Moove precisou de 5:44:06 horas para concluir os 50 quilómetros de prova que ligou a Maia às Caldeiras da Ribeira Grande, vencendo a segunda edição da prova de corridas na natureza.

Automobilismo - 28º Rali Ilha Azul-Além Mar na ilha do Faial

Ricardo Moura vence 28º Rali Ilha Azul-Além Mar e passa a liderar Campeonato de Ralis dos Açores
Ricardo Moura é o novo líder do Campeonato de Ralis dos Açores, depois de ter vencido hoje o 28º Rali Ilha Azul – Além Mar, prova que decorreu ontem e hoje na ilha do Faial, numa organização do CAF – Clube Automóvel do Faial.
Ricardo Moura e Sancho Eiró, aos comandos de um Ford Fiesta R5, venceram oito das nove provas especiais que compunham o Ilha Azul, a terceira prova do Campeonato de Ralis dos Açores, realizando um tempo total de 57 minutos, 25 segundos e 2 décimas.
A dupla micaelense chegou ao Faial no terceiro lugar do Campeonato, devido à desistência no Azores Airlines Rallye, somando um total de 32,57 pontos, resultante da vitória no Rali Sical (25 pontos) e da soma dos pontos das vitórias em várias PEC’s.
Com a vitória no Ilha Azul, Moura ascende ao primeiro lugar, com um total de 62,05 pontos, relegando a dupla Rúben Rodrigues/Estevão Rodrigues, em Citroen DS3 R3, para o segundo lugar do Campeonato regional, com um total de 59,59 pontos.
Os irmãos Rodrigues ainda ameaçaram a liderança da prova faialense, ao vencerem na sexta-feira a super-especial da Praia do Almoxarife, mas durante as oito provas especiais de sábado, todas em pisos de terra, não conseguiram acompanhar o andamento do campeão em título.
Rúben e Estevão Rodrigues andaram sempre em segundo lugar da geral, na 28ª edição do Rali Ilha Azul, mas uma saída de estrada, durante a tarde, fê-los atrasar na classificação, caindo para o terceiro lugar, a quase 2 minutos do líder.
Quem se aproveitou do deslize foi Luís Miguel Rego e Jorge Henriques, em Ford Fiesta R5, que terminaram o rali na segunda posição, somando agora 59 pontos nas contas do Campeonato, o que os fez cair para a terceira posição da geral, numa altura em que ainda falta realizar quatro provas.
Entre as viaturas com apenas duas rodas motrizes, o mais rápido foi Rafael Botelho e Nuno Silva, em Citroen DS3 R3, com um tempo total de 1 hora, 6 minutos, 50 segundos e 8 décimas, vencendo também a classe RC3.

Os segundos mais rápidos foram Bruno Tavares e Rui Ávila, em Peugeot 205 MI 16, vencedores da classe VSH, ao passo que João Faria e António Olas, em
Peugeot 206 RC, foram os terceiros entre as viaturas com apenas duas rodas motrizes, vencendo a classe RC4.
Nas contas do Troféu de Ralis dos Canal e do Troféu de Ralis do Faial, Luís Fialho e Marco Azevedo, em Toyota Yaris, foram os mais rápidos.
A dupla faialense completou os cinco primeiros troços do Rali em 31 minutos, 52 segundos e 9 décimas, mas contou com uma avaria mecânica no Suzuki Swift dos irmãos Miguel (Carlos e João), que lideravam a prova dos troféus, e que acabaram por ficar em segundo lugar.
Azarada foi também a participação de Carlos Oliveira e Flávio Mota, em Citroen Saxo, líderes destacados dos troféus deste a primeira etapa, que acabaram por desistir a meio da manhã com uma avaria mecânica.
Em terceiro lugar, nas contas dos troféus, ficaram José Salgado e Emanuel Silva, em Suzuki Swift.
 

Hóquei em Patins: Benfica empata com Sporting e perde titulo

FC Porto, 11 - Riba d'Ave, 4
FC Porto vence campeonato nacional de hóquei em patins pela 22.ª vez
O FC Porto sagrou-se hoje campeão nacional de hóquei em patins pela 22.ª vez, ao vencer em casa o Riba d’Ave por 11-4 e beneficiar do empate (5-5) do Benfica no reduto do Sporting, na 26.ª e última jornada.
A formação ‘azul e branca’ terminou a prova com 68 pontos, contra 66 dos ‘encarnados’, que entraram para a última ronda na frente, com os mesmos pontos dos portistas e vantagem no confronto direto.
Com este cetro, o primeiro desde 2012/13, o FC Porto passou a somar menos um do que o Benfica, que totaliza 23 e procurava o ‘tri’.

24ª edição ''World Travel Awards 2017 (WTA)''

Açores nomeados para Melhor Destino Insular da Europa 2017
O arquipélago dos Açores está nomeado para melhor destino insular da Europa nos World Travel Awards 2017 (WTA), galardão criado em 1993 para estimular a competitividade e a qualidade do turismo, os mais prestigiados prémios da indústria das viagens e turismo, e que este ano celebram a sua 24ª edição.
Numa lista de 11 nomeados na categoria de melhor Destino Insular da Europa, os Açores estão a par de reconhecidos e prestigiados destinos insulares como as ilhas Baleares, Canárias, Creta, Chipre, Guernsey, Jersey, Madeira, Malta, Sardenha e Sicília.
Para os Açores, e por ser o segundo ano consecutivo desta nomeação, é o reconhecimento de um destino sustentável, autêntico com importante património cultural do destino, incluindo a sua beleza natural e qualidade ambiental.
Os Açores também estão representados nos prémios WTA 2017 através do Hotel Terra Nostra nas categorias de melhor boutique Hotel da Europa e de Portugal.
A votação está aberta até 6 de Agosto de 2017 e pode ser efetuada em https://www.worldtravelawards.com/vote .

Embaixador de Itália em Portugal de visita os Açores

Vasco Cordeiro recebeu Embaixador de Itália em Portugal
O Presidente do Governo recebeu hoje o Embaixador de Itália em Portugal, uma audiência que serviu para uma “troca de impressões muito útil” sobre as oportunidades de investimento externo na Região e sobre a importância do mercado italiano para o sector turístico regional.
Este encontro permitiu “uma troca de impressões muito útil e muito produtiva sobre as oportunidades que os Açores apresentam, do ponto de vista de investimento externo, mas também sobre a importância que o mercado de Itália tem para o nosso Turismo e a nossa intenção de o reforçar cada vez mais, porque ainda há potencial para isso”, afirmou Vasco Cordeiro.
Após a audiência com Giuseppe Morabito, Vasco Cordeiro adiantou aos jornalistas que, ao nível da componente do investimento externo, constitui “motivo satisfação quando há manifestações de interesse em conhecer mais a nossa Região e, em concreto, a avaliação destas oportunidades”.
GaCS/PC/MN

Novas instalações da Adega Cooperativa da Ilha Graciosa

Vasco Cordeiro destaca estratégia regional para reforçar criação de emprego e riqueza nas ilhas
O Presidente do Governo afirmou hoje, em Santa Cruz, que investimentos como as novas instalações da Adega Cooperativa da Ilha Graciosa integram-se na estratégia regional de dotar as ilhas do arquipélago com as condições necessárias para que possam criar cada vez mais emprego e gerar mais riqueza.
Vasco Cordeiro falava aos jornalistas após ter visitado as obras de remodelação e ampliação, que estão já na sua fase final, num investimento global de cerca de 1,4 milhões de euros apoiado pelo ProRural.
Estas novas instalações incluem áreas específicas para a produção de vinho, mas também para o tratamento de meloa, mel e alho.
Vasco Cordeiro salientou que a estratégia do Governo dos Açores prevê, assim, a criação e o apoio a infraestruturas que podem, “não apenas rentabilizar a produção endógena da ilha, mas também a capacidade de transformação para a criação de valor acrescentado e de emprego”.
Nesse sentido, o Presidente do Governo apontou a construção em curso do novo Matadouro da Graciosa e o protocolo assinado terça-feira com o Instituto Português de Reumatologia para a inclusão da componente medicinal nas Termas do Carapacho como exemplos que, entre outros, se enquadram nesta estratégia.
“É por aí que passa, também, esta estratégia de criação de condições, desde logo ao nível económico, para a criação de riqueza e de emprego na ilha”, destacou Vasco Cordeiro, ao anunciar que o Conselho do Governo, que se reuniu na terça-feira à noite em Santa Cruz, tomou deliberações relativamente ao apoio técnico a conceder à Adega e à Cooperativa.
“Não será por falta de apoio do Governo que deixará de haver um quadro técnico aqui na Cooperativa da Graciosa”, assegurou Vasco Cordeiro.
GaCS/PC/MN

Marta Guerreiro declarou em visita à Furna do Enxofre na Graciosa

Centros Ambientais dos Açores registam aumento de visitantes, revela Marta Guerreiro
A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo salientou hoje, na Graciosa, que os turistas e os residentes nos Açores procuram cada vez mais os Centros Ambientais, o que se traduz num aumento de 10% de visitantes até maio deste ano, em comparação com o período homólogo de 2016.
“É com muita satisfação que encaramos o facto de os Centros Ambientais registarem uma procura cada vez mais elevada, pois é a prova de que, quer os Açorianos, quer os turistas que vêm aos Açores, têm motivações de consciência ambiental, procurando saber sempre mais deste legado e deste património que nos torna autênticos”, afirma Marta Guerreiro, em declarações no final de uma visita à Furna do Enxofre.
A Secretária Regional adiantou que a Furna do Enxofre "acompanha esse nível de crescimento", tendo recebido 2.033 visitantes entre 1 de janeiro e 11 de junho deste ano, dos quais 1.591 efetuaram a descida, o que representa uma evolução positiva de 28% face ao período homólogo do ano passado.
Localizado no Monumento Natural da Caldeira da Graciosa, o Centro de Visitantes da Furna do Enxofre é o núcleo da Reserva da Biosfera e do Parque Natural da Ilha Graciosa, funcionando desde 2010 como porta de entrada para a Furna do Enxofre.
“Este é um Centro que salvaguarda a qualidade ambiental, o estrito respeito pelos valores da geodiversidade e do equilíbrio paisagístico, sendo o ponto de partida para a divulgação e sensibilização para a observação da paisagem”, frisou Marta Guerreiro.
A titular da pasta do Ambiente destacou ainda “a intervenção efetuada recentemente no piso do percurso de visitação, que incluiu a construção de um passadiço e guardas em madeira, possibilitando melhores condições de conforto e segurança aos visitantes e de preservação dos elementos mais sensíveis desta área protegida”.
“É importante lembrar que, desde 2007, a Graciosa passou a fazer parte da Rede Mundial das Reservas da Biosfera da UNESCO, sendo este um reconhecimento pelas suas caraterísticas ambientais, patrimoniais e culturais que este Governo está empenhado em salvaguardar”, garantiu a Secretária Regional.
GaCS/HMB/MN

Cerimónia de inauguração da Feiras Agrícola dos Açores

Governo vai antecipar ajudas comunitárias aos agricultores num valor superior a 40 milhões de euros
O Secretário Regional da Agricultura e Florestas, João Ponte anunciou hoje vão ser antecipados os pagamentos das ajudas comunitárias aos agricultores, no âmbito do POSEI e ProRural +, num montante de 41 milhões de euros para introduzir liquidez nas explorações agrícolas.
“Tal como aconteceu em 2015 e 2016, o Governo dos Açores pretende, novamente este ano, proceder à antecipação do pagamento das ajudas comunitárias”, afirmou João Ponte, na cerimónia de inauguração da Feiras Agrícola dos Açores, que decorre até domingo no Parque de Exposições de São Miguel, em Santana.
O governante, com a pasta da Agricultura, adiantou, ainda, que será solicitado à Comissão Europeia, através do Conselho de Ministros da Agricultura, que terá lugar em julho, a majoração do adiantamento do POSEI e das medidas de apoio do ProRural +, o que permitirá aumentar os montantes globais dos adiantamentos em causa para mais 9 milhões de euros.
“Esta é uma medida que reputamos de grande importância para permitir introduzir liquidez nas explorações agrícolas açorianas”, considerou João Ponte, destacando a “enorme capacidade de resistência e vontade de ultrapassar as dificuldades” demonstrada pelos agricultores açorianos ao longo dos tempos.
Também para melhorar a liquidez dos agricultores, o governante referiu que este ano já foi pago pelo Governo mais de 600 mil euros referentes a apoios aprovados ao abrigo do Programa de Apoio à Modernização da Agricultura (PROAMAF) e que em Julho será aberta mais uma fase de candidaturas para projetos de investimento relativos à modernização das explorações agrícolas, com uma dotação superior a 3 milhões de euros.
João Ponte revelou que, brevemente, irá reunir o Conselho Regional da Agricultura para receber contributos dos parceiros do setor em relação à proposta de região para o futuro da Política Agrícola Comum (PAC) pós 2020 e que ainda este mês estará presente, em Lisboa, na primeira reunião de trabalho do grupo criado pelo Ministério da Agricultura para acompanhar e definir a posição portuguesa neste dossiê.
“Por diversas vezes já defendemos o reforço de verbas para as ajudas diretas para a região, baseado nas condicionantes a que está sujeita a nossa agricultura, quer de natureza climática e geográfica, mas também de escala e distância dos mercados”, alegou o governante.
Na sua intervenção o Secretário Regional da Agricultura e Florestas alegou que a Feira Açores é uma “excelente montra” do setor, que mobiliza profissionais, organizações representativas e restante população, para um evento que conjuga “o saber fazer, a formação, a aprendizagem e a sã disputa pelas melhores classificações”.
Apesar dos desafios que o setor agrícola enfrenta, João Ponte destacou o caminho já feito, nas últimas décadas, de modernização, de rejuvenescimento e de criação de mais valor, em conjugação e diálogo com as associações do setor, algo que deve orgulhar e transmitir confiança no future.
GaCS/RM/MN

“Gestão e Administração em Saúde: que futuro?”

Rui Luís propõe plano de formação descentralizado para profissionais de saúde da região
O Secretário Regional da Saúde propôs hoje, a criação de um plano de formação a partir de 2018, com oferta descentralizada e acessível a todas as ilhas, devidamente articulado com todas as entidades públicas e privadas com competências nesta área.
“Vou propor que na próxima reunião do Conselho Regional de Saúde o tema da formação seja um dos pontos da agenda, para que possamos em conjunto pensar de forma articulada na formação que podemos oferecer aos profissionais de saúde nos próximos anos” salientou.
Rui Luís desafia este órgão consultivo, composto por 23 conselheiros e que reúne duas vezes por ano, a dar parecer sobre esta matéria, já no próximo encontro que decorre em setembro.
O Secretário Regional, que falava no Seminário “Gestão e Administração em Saúde: que futuro?”, a decorrer em Ponta Delgada, deixou claro que o tema da formação preocupa também a tutela, à semelhança das ordens profissionais e dos sindicatos.
Neste seminário, no âmbito de um Master em Gestão e Administração em Saúde, ministrado pela Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário do Porto, que decorreu em Ponta Delgada, foi anunciado a extensão desta formação à Horta.
Na sua intervenção, o titular da pasta da saúde referiu que é necessário combater a cultura do desperdício e daí a importância, de todos os profissionais ligados à saúde terem noções de gestão e administração.
“É fundamental começar a pensar na gestão por objetivos e por resultados, de forma a podermos avaliar aquilo que fazemos no dia a dia”, sublinhou.
O Secretário Regional destacou ainda, como exemplo de poupança a introdução dos medicamentos biossimilares.
“Os biossimilares têm a mesma função terapêutica, com custos mais reduzidos. A abertura dos profissionais de saúde à sua introdução, faria com que a indústria baixasse o preço dos fármacos” referiu.
Por outro lado, Rui Luís frisou que a avaliação dos “custos em saúde” não deve ser feita de forma “cega” e lembrou a importância da relação custo/eficácia.
GaCS/MS/MN

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Festa da Santissima Trindade em Oakville, Ontario

Filarmónica Lira Bom Jesus de Oakville
Festa da Santíssima Trindade
A Filarmónica Lira Bom Jesus de Oakville celebrou no passado domingo dia 11 de junho na igreja de São José dos Portugueses na cidade de Oakville, a Festa em honra da Santíssima Trindade.
Depois da missa houve coroação da coroa,  seguida das famosas sopas do Divino Espírito Santo, massa sovada e vinho para todos os presentes e convidados. Ao longo da tarde houve  bazar ao ar livre comes e bebes e atuação do cantaor Kit Carlos que veio de Aveiro, Portugal, e também concerto pela filarmónica em festa.
Os Mordomos foram José e Ana Pereira, que desfilaram no final da tarde na procissão das Rosquilhas que foram levadas á cabeça por senhoras e homens, e foram benzidas pelo padre Fernando Pinto  em frente do côreto ao som do hino do Divino Espírito Santo.  Seguiu-se  a passagem da Côroa e estandarte para os novos mordomos para 2018 que vieram de Hamilton. O som esteve a cargo do DJ Elite Entertainment.
JGS

sábado, 10 de junho de 2017

No Dia de Portugal - 10 de junho

Marcelo Rebelo de Sousa promulga diploma que regula acesso à nacionalidade de netos de portugueses
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou simbolicamente hoje, Dia de Portugal, o diploma do Governo que regula o acesso à nacionalidade portuguesa por parte de netos de portugueses nascidos no estrangeiro.    
Numa nota enviada pela Presidência da República à agência Lusa, lê-se que, "por ocasião do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas", o chefe de Estado, promulgou, no Porto, este diploma do Governo que "vem clarificar e facilitar o acesso à nacionalidade de descendentes de portugueses".
Esta promulgação aconteceu antes de o Presidente da República viajar para o Brasil, onde irá prosseguir, com o primeiro-ministro, António Costa, as celebrações do 10 de Junho iniciadas no Porto, junto da comunidade emigrante e lusodescendente residente em São Paulo e no Rio de Janeiro.
A nota enviada à agência Lusa refere que "o diploma foi igualmente referendado no Porto pelo primeiro-ministro e segue para publicação no Diário da República".
Este decreto-lei foi aprovado em Conselho de Ministros no dia 20 de abril, e, quanto aos netos de portugueses nascidos no estrangeiro, prevê que lhes possa ser atribuída nacionalidade se, entre outras condições, tiverem "laços de efetiva ligação à comunidade nacional" e declararem que "querem ser portugueses".
Outros requisitos são que "inscrevam o seu nascimento no registo civil português" e que "não tenham sido condenados, com trânsito em julgado da sentença, pela prática de crime punível com pena de prisão de máximo igual ou superior a três anos", segundo a legislação portuguesa.
Lusa/MN

"reforçar a transparência do seu funcionamento"

Representante da República para os Açores defende transparência da administração pública
O Representante da República para os Açores, Pedro Catarino, defendeu hoje que a administração pública deve estar aberta ao escrutínio público, como forma de "reforçar a transparência do seu funcionamento".    
“É uma responsabilidade coletiva que começa nos escalões mais elevados da administração pública, que deve dar o exemplo de integridade e dedicação ao bem comum, aberta às regras de transparência e ao escrutínio público. Dar poderes aos outros só pode fortalecer os próprios, aumentando a força do todo a que pertencem. Reconhecer e aceitar os limites do seu poder só pode dar legitimidade e aceitação ao exercício do mesmo”, salientou.
Pedro Catarino falava nas cerimónias do 10 de Junho, no Solar da Madre de Deus, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.
O presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, que há vários anos não participava nas comemorações do Dia de Portugal na região, assistiu, este ano, à cerimónia.
Na passada segunda-feira, nas comemorações do Dia da Região Autónoma dos Açores, Vasco Cordeiro voltou a defender a extinção do cargo do Representante da República, à semelhança do que já tinha feito em 2015.
Segundo o Representante da República para os Açores, o progresso científico e tecnológico contribuiu para uma sociedade “em que muitos dos laços comunitários vão dando progressivamente lugar a um individualismo reinante, no qual todas as pretensões tendem a transformar-se em direitos”.
“Incerteza, individualismo, desigualdade, são, pois, alguns dos fatores que, associados à crise que afeta a representação política, são explorados para sustentar visões dicotómicas que dividem o mundo”, frisou.
Nesse sentido, defendeu que é urgente refletir sobre os instrumentos políticos e jurídicos que a comunidade pode desenvolver para “fazer frente à onda de populismo que assoma nas democracias ocidentais”.
Para Pedro Catarino, Portugal e as suas regiões autónomas devem, por isso, procurar consolidar as suas instituições políticas e a dinâmica dos múltiplos agentes da sociedade civil.
“No caso das instituições políticas é fundamental reforçar a transparência do seu funcionamento e os mecanismos de responsabilização na sua relação com os eleitores e os administrados. Ao passo que, no tocante aos principais atores da sociedade civil, importa sobretudo estimular a consciência social das empresas, incentivar tecnicamente e apoiar financeiramente o empreendedorismo económico e sobretudo o empreendedorismo social, que a cada dia que passa nos surpreende com novas ideias e projetos inovadores”, apontou.
Pedro Catarino recordou também, no seu discurso, a recente visita aos Açores do Presidente da República (entre 01 e 06 de junho), salientando que Marcelo Rebelo de Sousa foi recebido “calorosa e festivamente pelos açorianos”.
“Trouxe-nos, com o seu calor humano e a bondade do seu caráter, uma mensagem de união e de confiança que nos fortalece a todos e nos inspira para enfrentarmos o futuro com esperança e otimismo, mas também com determinação e empenhamento e sobretudo com muito trabalho”, frisou.
Este ano, foram condecoradas, no Dia de Portugal, quatro personalidades açorianas, os médicos José Rocha Lourenço e Álvaro Gregório, com o grau de comendador da Ordem de Mérito, e os investigadores António Frias Martins e Eduardo Brito de Azevedo, com insígnias de comendador da Ordem da Instrução Pública.
Lusa/MN

Criação do Conselho Económico e Social dos Açores

Governo dos Açores acorda com parceiros criação de Conselho Económico e Social
O Governo Regional dos Açores vai aprovar na próxima semana uma proposta para a criação do Conselho Económico e Social dos Açores, presidido por uma personalidade independente, eleita por maioria de dois terços na Assembleia Legislativa.
“O Governo dos Açores já concluiu com os parceiros sociais o trabalho de criação do Conselho Económico e Social dos Açores e prepara-se para fazer aprovar a proposta de decreto no próximo Conselho do Governo na Ilha Graciosa, para posterior envio à Assembleia Legislativa”, adiantou à Lusa fonte do executivo açoriano.
A visita estatutária do Governo Regional à ilha Graciosa realiza-se de segunda a quarta-feira.
Em fevereiro, numa conferência de imprensa conjunta, os representantes da Câmara de Comércio e Indústria dos Açores (CCIA), da Federação Agrícola e da União Geral de Trabalhadores (UGT) defenderam a desgovernamentalização do Conselho Regional de Concertação Estratégica e a criação do Conselho Económico e Social.
Segundo fonte do Governo Regional, a proposta de Decreto Legislativo Regional com vista à criação do Conselho Económico e Social resulta de um processo de diálogo e concertação, tendo sido possível obter consenso na maioria das propostas defendidas por estes três parceiros sociais.
“O resultado desse processo é uma proposta que reforça as condições de independência do Conselho Económico e Social e da sua estrutura orgânica e funcional, ao mesmo tempo que garante uma representação alargada da sociedade açoriana e das suas diversas instituições”, salientou a mesma fonte.
A proposta prevê que o novo órgão seja presidido por uma personalidade independente, eleita por maioria de dois terços na Assembleia Legislativa dos Açores.
Deverão integrar ainda o conselho membros do Governo Regional e representantes das organizações empresariais, das estruturas sindicais, das autarquias, de instituições particulares de solidariedade social, da Universidade dos Açores, do Conselho de Juventude dos Açores e de várias associações, bem como os representantes da região no Conselho Económico Social nacional e três personalidades de reconhecido mérito a designar próprio órgão.
Segundo fonte do executivo, o Governo Regional e os parceiros sociais não chegaram a acordo quanto à representatividade das estruturas sindicais, uma vez que os passeiros defendiam a participação exclusiva de centrais sindicais, mas o executivo entendeu manter a representatividade dos sindicatos não filiados e das organizações sindicais das pescas.
A proposta prevê ainda que o órgão colegial independente de caráter consultivo e de acompanhamento junto dos órgãos de governo próprio para matérias de caráter económico, laboral, social e ambiental tenha uma Comissão Permanente de Concertação Social presidida pelo presidente do Governo Regional.
 Lusa/MN

Cerimónia de atribuição dos galardões de Mérito Autárquico

Arrifes é bom exemplo da cooperação entre Governo, autarquias e outras entidades, afirma Vítor Fraga
O Secretário Regional dos Transportes e Obras Públicas afirmou hoje que a freguesia dos Arrifes, em S. Miguel, é um "bom exemplo” da cooperação entre o Governo dos Açores, as autarquias e outras entidades.
Vítor Fraga, que falava na cerimónia de atribuição dos galardões de Mérito Autárquico e de Mérito Cívico, no âmbito das comemorações do Dia da Freguesia, salientou que a cooperação entre as diversas entidades “é um bom investimento, que tem permitido a concretização de muitos projetos nas freguesias que cada entidade, por si só, não conseguiria executar”.
O Secretário Regional destacou o enorme potencial de desenvolvimento das freguesias, acrescentando que os presidentes de Junta de Freguesia são "elementos essenciais para o cumprimento da participação democrática”.
“Numa freguesia como os Arrifes, não é preciso muito para chamar a atenção para a sua importância na economia de S. Miguel, em particular e nos Açores, em geral”, afirmou Vítor Fraga.
“Basta lembrar que é a maior freguesia do concelho de Ponta Delgada, assim como a maior bacia leiteira dos Açores”, acrescentou, frisando que "logo se percebe o que é possível uma Junta de Freguesia fazer para criar mais-valias para a sua população, em cooperação com as mais diversas entidades”.
Na sua intervenção, Vítor Fraga afirmou que esse sentido de cooperação, “do qual o Governo dos Açores comunga, é um veículo de excelência para assegurarmos uma permanente proximidade com as pessoas, para as conhecermos melhor e satisfazermos as suas necessidades”.
“É nosso entendimento que a cooperação com as autarquias e demais entidades, quer a nível financeiro, quer noutras formas, tem dados excelentes resultados”, frisou, salientando que esses resultados estão à vista “na aquisição de equipamentos, no combate ao desemprego, no turismo, no apoio à agricultura, na melhoria da qualidade de vida das populações ou ainda na dinamização das economias locais”.
“Pela parte do Governo dos Açores, podem continuar a contar com a nossa cooperação”, assegurou.
O Secretário Regional deixou um reconhecimento público aos homenageados nesta cerimónia, “por tudo o que fizeram pelos Arrifes, por tudo o que deram aos Arrifes, cada um da sua forma”.
“Em boa hora, a Junta de Freguesia dos Arrifes tomou a decisão de vos homenagear, lembrando assim o vosso contributo de anos de trabalho e dedicação à vida e ao desenvolvimento da vossa freguesia. Esta é uma justa homenagem, pois foram, cada um de vós, parte ativa desta freguesia, defendendo as vossas convicções, ajudando ou aconselhando quem precisava, decidindo o futuro da freguesia”, sublinhou Vítor Fraga.
“O vosso trabalho, a vossa entrega, a vossa abnegação não foi em vão, os Arrifes são hoje uma freguesia melhor,e a vós deve este reconhecimento que hoje é aqui prestado pela Junta de Freguesia dos Arrifes”, afirmou o Secretário Regional.
GaCS/HB/MN

João Ponte relevou o compromisso assumido

Governo dos Açores melhora comunicação com parceiros do setor sobre abates de bovinos
O Secretário Regional da Agricultura e Florestas, através do seu gabinete, remeteu esta sexta-feira aos parceiros do setor os dados referentes aos abates de bovinos realizados nos matadouros da Região no primeiro quadrimestre deste ano.
João Ponte relevou o compromisso assumido com os parceiros sociais do setor da carne, dando nota do empenhamento do Governo em promover a transparência nesta atividade.
“Estes dados, que passarão a ser enviados mensalmente, permitem aos produtores fazer uma antevisão da evolução dos abates por categoria e, assim, antever eventuais rateios nas ajudas a que se candidatam”, afirmou o titular da pasta da Agricultura.
Os dados referentes aos primeiros quatro meses do ano revelam uma quebra na ordem dos 10,8% no número total de animais aprovados para consumo, comparativamente com o período homólogo de 2016, que é o reflexo da elevada procura de carne da Região que se verificou em 2016 e que culminou na escassez atual de animais nos mercados.
Pelos mesmos motivos, na exportação de carcaças, depois de um crescimento acentuado entre 2015 e 2016, verifica-se nos primeiros quatro meses do ano um decréscimo de cerca de 21%.
Contudo, comparando a evolução entre 2017 e 2015, em ambas as situações se registam crescimentos na ordem dos 13%.
Os dados revelam também a evolução muito positiva do número de animais abatidos para consumo local, que representa 46% dos animais aprovados para consumo.
Para este fator tem contribuído fortemente o crescimento regional ao nível do turismo, um fator positivo destacado por João Ponte, salientando que o consumo de carne açoriana na restauração regional representa mais-valias acrescidas para a Região.
Para João Ponte, as alterações introduzidas nas ajudas animais ao abrigo do POSEI, foram muito positivas, tendo os produtores respondido com um aumento da produção, contudo as verbas atuais disponíveis mostram que já não são suficientes, o que levou à aplicação de rateios.
O Secretário Regional recordou que este é um processo contínuo de melhoria, adiantando que já está a trabalhar em novas alterações a apresentar a Bruxelas.
João Ponte reafirmou ser fundamental para as Regiões Ultraperiféricas, como os Açores, a manutenção e o reforço do regime POSEI, enquanto instrumento financeiro para compensar os elevados custos de produção da agricultura na Região em comparação com o que se regista na União Europeia.
Por outro lado, decorre um processo negocial com a Federação Agrícola dos Açores, com vista a identificar no plano verbas que não comprometem investimentos com recursos a fundos comunitários, e que possam ser afetas ao reforço do prémio ao abate, minimizando assim o rateio verificado.
A publicação destes dados de forma periódica permite antever mais cedo o comportamento e evolução do setor e dos abates, frisando João Ponte que se trata de mais uma ferramenta de trabalho colocada a dispor dos agricultores.
GaCS/RM/MN

Abertura do 3.º Festival 'Sentir o Pico'.

“Devemos fazer mais do que falar em turismo sustentável, devemos agir em conjunto”, afirma Marta Guerreiro
A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo afirmou que não basta falar em turismo sustentável, apelando a práticas e ações que sejam um caminho concertado entre todos os agentes do setor para um desenvolvimento responsável dos Açores.
“Falar em crescimento implica termos presente todas as questões que permitem a sustentabilidade dos Açores, enquanto local único e estratégico, permanentemente com uma visão local a uma escala global”, salientou Marta Guerreiro, que falava sexta-feira na abertura do 3.º Festival 'Sentir o Pico'.
Numa altura em que se assinala o Ano Mundial do Turismo Sustentável, Marta Guerreiro participou também numa tertúlia sobre este tema, frisando que “estreitar a barreira entre o local e o global deve ser sempre uma prioridade, não só do Governo Regional, mas de todos os agentes, sejam públicos ou privados, que possam contribuir para colocar o nome dos Açores num contexto sempre mais amplo”.
Na sua intervenção, a Secretária Regional afirmou que “a diversificação dos produtos turísticos é fundamental para um destino cada vez mais sustentável”.
“Temos uma panóplia de atividades em terra e no mar que se coadunam com a 'certificação pela natureza' pela qual já somos reconhecidos, mas é prioritária para nós a construção de rotas específicas para cada ilha, que envolvam todos os setores de atividade”, frisou.
“No caso concreto do Pico, podemos realçar como produtos primários, nos quais temos vindo a desenvolver as nossas linhas estratégicas, as atividades como o whale watching, o mergulho, a pesca desportiva, os passeios de barco, o birdwatching, o geoturismo e os passeios pedestres, que assumem aqui um controlo fortíssimo por esta poderosa montanha”, salientou a titular da pasta do Turismo, para quem estes produtos relacionados com a natureza devem fazer parte de um pacote mais complexo de experiências a serem vividas pelos turistas.
Marta Guerreiro referiu ainda “a importância que os eventos culturais e a gastronomia, neste ímpar conceito de adega, onde mais importante que fazer vinho, é a arte de bem receber, representam para a dinâmica desta ilha, bem como a possibilidade de um 'touring' cultural à paisagem protegida da cultura da vinha do Pico, com elevada importância, já que foi classificada como Património Mundial pela UNESCO”.
GaCS/HMB/MN

Na State House de Rhode Island, em Providence, EUA

Rui Bettencourt sublinha o orgulho açoriano na diáspora
O Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas afirmou, nos Estados Unidos da América, que os Açorianos da diáspora têm razões para ter orgulho nos Açores e os Açores devem mostrar o orgulho que têm na sua diáspora, destacando o exemplo do trabalho e das atividades desenvolvidas pelos Açorianos em Rhode Island.
Rui Bettencourt, que falava sexta-feira na State House de Rhode Island, em Providence, na cerimónia oficial das comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades, salientou a missão e a ação coletiva das organizações açorianas existentes nos Estados Unidos da América, reafirmando a importância dos jovens para a afirmação da diáspora açoriana.
“Sem os jovens das novas gerações, a diáspora não se perpetuará. Olhemos para eles, deixemos entrar estes jovens na 'Grande Casa Açoriana', façamos com que eles se sintam aquilo que devem ser de facto, construtores dos Açores”, afirmou.
Rui Bettencourt salientou que “a missão de promoção dos Açores e de Portugal no exterior do arquipélago, inerente à condição de Açoriano, é de uma enorme atualidade” e deve "nortear-se por todo o potencial que os Açorianos representam no mundo".
Na sua intervenção, defendeu que cada Açoriano da primeira geração, “que viveu os Açores no arquipélago", tenha como missão "transmitir aos Açorianos da segunda e terceira geração os valores, o legado, a cultura, a maneira de viver, o desejo de progresso que os Açores comportam em si”.
Para o Secretário Regional, só assim será possível “perpetuar quem somos e quem queremos ser, ao mesmo tempo que se age para uma eficaz integração do nosso povo nas sociedades onde reside”, enriquecendo cada vez mais as comunidades e prestigiando os Açores e Portugal.
O titular da pasta das Relações Externas considerou que a atenção, o investimento e o cuidado com os jovens "devem ser centrais na nossa ação”, para que a diáspora açoriana continue "ativa e dinâmica".
Nesse sentido, frisou a necessidade de dar a conhecer à juventude que vive fora do arquipélago "a história e as potencialidades da Região e do Povo Açoriano", para que os jovens se sintam orgulhosos das suas raízes.
Rui Bettencourt apelou, por isso, ao "empenho e participação" de todos no processo de desenvolvimento do arquipélago e do país, mantendo sempre viva "a nossa herança cultural e as nossas tradições", como tem acontecido ao longo dos anos, mas também olhando para o futuro.
Nesta deslocação aos Estados Unidos da América, o Secretário Regional também esteve presente sexta-feira na sessão comemorativa do Dia dos Açores, na Casa dos Açores da Nova Inglaterra.
Na sua intervenção nesta cerimónia, frisou que, "neste novo mundo cada vez mais global, os Açores têm trunfos, sendo o maior deles o seu Povo, presente em todo o mundo, dando assim uma dimensão mundial à Região“.
O programa da deslocação de Rui Bettencourt aos Estados Unidos da América, que está acompanhado pelo Diretor Regional das Comunidades, Paulo Teves, inclui ainda a participação no 'Waterfire Providence' e na Parada do Dia de Portugal, no âmbito das celebrações do 10 de junho em Rhode Island, e um encontro com a Direção da Casa dos Açores da Nova Inglaterra.
GaCS/SN/MN

III Comité de Acompanhamento do PRORURAL+

Comité de Acompanhamento do PRORURAL+ faz “balanço positivo” da aplicação do programa nos Açores
O Diretor Regional do Desenvolvimento Rural afirmou hoje que o balanço do III Comité de Acompanhamento do PRORURAL+, que decorreu no Faial, é “bastante positivo”, tendo em conta “a boa apreciação” feita pelo responsável na Comissão Europeia deste fundo.
“Da reunião fica realmente o registo de que estamos no bom caminho”, salientou Fernando Sousa, destacando que a taxa de execução e compromisso do PRORURAL+ nos Açores “é superior à media europeia”.
Neste encontro, estiveram presentes vários parceiros, entre os quais o representante do Fundo Europeu para a Agricultura e Desenvolvimento Rural - FEADER em Espanha e Portugal, Efthimios Bokias, que é Diretor Geral da Agricultura e Desenvolvimento Rural na Comissão Europeia.
O FEADER nos Açores é aplicado através do programa PRORURAL+.
Os participantes neste encontro tiveram ainda a oportunidade de visitar alguns dos projetos financiados na ilha do Faial, como as obras do Matadouro, uma queijaria, uma exploração de floricultura e um projeto de empreendimento turístico na freguesia do Capelo.
GaCS/RM/MN

Secretária Regional da Solidariedade Social, Andreia Cardoso

Governo dos Açores apoia 24 famílias da Terceira para recuperação de habitações
A Secretária Regional da Solidariedade Social assinou hoje, em Angra do Heroísmo, as autorizações para apoio à recuperação das habitações de 24 famílias, num investimento de 300 mil euros que vai beneficiar cerca de sete dezenas de pessoas em 13 freguesias dos dois concelhos da ilha Terceira.
Andreia Cardoso salientou que este apoio direto do Governo dos Açores, assegurado integralmente pelo Orçamento da Região, já ascende este ano a cerca de 1,3 milhões de euros, beneficiando uma centena de famílias em todo o arquipélago.
Na sua intervenção, frisou que esta aposta justifica-se pelo impacto que tem na “melhoria das condições de segurança e salubridade das habitações”, sendo, ao mesmo tempo, “um importante contributo para as empresas de construção civil locais”.
Andreia Cardoso sublinhou a necessidade de estes apoios serem efetivamente aplicados para os fins a que se destinam, exigindo-se de cada um dos beneficiários e também de quem os atribui “uma enorme responsabilidade”.
GaCS/FA/MN

Centro Regional de Apoio ao Artesanato (CRAA).

Museu do Pico promove exposição dos trabalhos da Residência Criativa 2016 do CRAA
A Direção Regional da Cultura, através do Museu do Pico, inaugura, a 14 de junho, no Museu dos Baleeiros, nas Lajes do Pico, pelas 21h30, uma exposição dos trabalhos resultantes da Residência Criativa 2016, promovida pelo Centro Regional de Apoio ao Artesanato (CRAA).
A mostra inclui os trabalhos da quarta edição desta iniciativa, que decorreu no Faial e no Pico com o objetivo de criar uma linha de produtos com visibilidade no mercado nacional e internacional, através da valorização da renda tradicional destas ilhas.
Para o desenvolvimento desta atividade foi convidada a designer de moda Sílvia Teixeira, que, através do recurso a uma nova linguagem, conseguiu criar uma produção mais atual e com potencial para captar novos nichos de mercado.
A pequena coleção que será apresentada envolve 12 coordenados de peças de pronto-a-vestir, femininas e masculinas, e reflete a inspiração da designer nos anos 30, mostrando agregar de uma forma subtil a tradição e a inovação.  
Esta iniciativa tem como objetivo lançar no mercado produtos em que a componente artesanal seja significativa e, através da integração dos produtos numa marca, criar sustentabilidade para o trabalho dos artesãos e atingir novos mercados para além dos tradicionais.
Para além disso, o Centro Regional de Apoio ao Artesanato pretendeu valorizar uma produção artesanal de qualidade e origem certificada desde o ano 2000 e, como tal, parte integrante de um património cultural a preservar.
O projeto envolveu a participação de artesãos e unidades produtivas artesanais, nomeadamente Ana Baptista, do Faial, e Alzira Neves, Conceição Neves e Arménio Goulart, da ilha do Pico.
Esta exposição estará patente ao público até 12 de agosto, podendo ser visitada de terça a domingo, das 10h00 às 17h30.
A Direção Regional da Cultura informa que este e outros eventos estão disponíveis para consulta na Agenda Cultural do Portal CulturAçores, no endereço eletrónico www.culturacores.azores.gov.pt.
GaCS/DRC/MN

Manutenção do património ambiental dos Açores

Proteção da margem direita da Ribeira dos Flamengos, no Faial, é ação de gestão do território, afirma Marta Guerreiro
A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo afirmou hoje que todas as ações de gestão do território e de proteção dos recursos naturais assumem importância acrescida na manutenção do património ambiental dos Açores, destacando a intervenção desenvolvida na Ribeira dos Flamengos, no Faial.
Marta Guerreiro, que falava à margem de uma visita às obras de consolidação da margem direita daquela ribeira, manifestou satisfação com os trabalhos em curso.
“Esta empreitada vem permitir a proteção da margem do curso de água, na sequência de um deslizamento de terras que afetou a estabilidade da Rua do Cantinho, representando uma medida fundamental para a salvaguarda da segurança nesta zona”, frisou a titular da pasta do Ambiente.
Marta Guerreiro referiu ainda que “a intervenção contempla a construção de muros de contenção da ribeira e de suporte ao arruamento, bem como um conjunto de obras hidráulicas para a recolha de água e prevenção da instabilidade do talude adjacente à ribeira”.
No âmbito destas obras, será também efetuada a repavimentação da Rua do Cantinho, corrigindo as falhas verificadas ao nível do pavimento.
“Esta intervenção vem consolidar os taludes da ribeira, que mostravam problemas de instabilidade, permitindo, assim, conferir maior segurança à circulação dos utilizadores desta rua”, afirmou a Secretária Regional.
“Porque o trabalho deve ser contínuo e de constante vigilância, a visita de hoje enfoca a importância da manutenção da rede hidrográfica da Região, neste caso com a necessidade de promover as intervenções que garantam também a segurança das populações”, acrescentou Marta Guerreiro.
A governante destacou ainda o papel da monitorização regular da Rede Hidrográfica dos Açores, que é acompanhada pela elaboração anual do Relatório do Estado das Ribeiras dos Acores.
GaCS/HMB/MN

Participação dos Açores no programa Eurodisseia

Açores acolhem cerca de quatro dezenas de jovens ao abrigo do programa Eurodisseia
A Diretora Regional do Emprego e Qualificação Profissional destacou hoje, em Ponta Delgada, a importância da participação dos Açores no programa Eurodisseia, salientando que possibilita aos jovens Açorianos e aos que se candidatam a um estágio no arquipélago a mais-valia de um contacto com outras realidades profissionais e socioculturais.
Paula Andrade, que falava na receção a um grupo de 39 jovens de vários países europeus, salientou que, “de acordo com o último estudo efetuado aos jovens Açorianos que terminaram o estágio Eurodisseia, 72% estão empregados”.
Desde 2013, mais de 130 jovens Açorianos realizaram um estágio ao abrigo deste programa em diversas regiões europeias, enquanto 274 jovens de outros países da Europa, dentro e fora do espaço comunitário, escolheram os Açores para o seu estágio.
Ao longo dos próximos cinco meses, o Governo dos Açores, através da Vice-Presidência, proporciona a estes 39 jovens uma bolsa de estágio mensal, um curso de Língua e Cultura Portuguesa, bem como a realização de um estágio prático numa entidade regional.
Os estágios práticos vão realizar-se em áreas como audiovisual e design, biologia e conservação da natureza, cultura e educação de infância, direito, comunicação, publicidade e relações públicas, hotelaria e restauração.
Segundo a Diretora Regional, estes estágios, que terão lugar em 26 entidades de S. Miguel, Terceira, Graciosa, Faial e Corvo, constituem também uma “mais-valia para o desenvolvimento do tecido empresarial local”.
Ao nível das habilitações e formação, 24 dos estagiários têm mestrado, 14 possuem licenciatura e um tem um curso profissional.
Os jovens, com idades compreendidas entre 18 e 30 anos, são oriundos das regiões da Cantábria, Catalunha, Comunidade Valenciana, em Espanha, de Île-de-France, Rhône-Alpes, Bourgogne e Picardie, em França, de Bruxelas-Capital, na Bélgica, da Ístria, na Croácia, e de Úmbria, na Itália.
O Programa Eurodisseia proporciona a participação de jovens, com formação profissional ou superior e idades entre 18 e 30 anos, em estágios profissionais nos países representados na Assembleia das Regiões da Europa (ARE).
GaCS/OG/MN

Encontro do Mundo Rural na ilha do Faial

Governo dos Açores vai reabilitar Solar, Ermida e Pavilhão de Exposições da Quinta de S. Lourenço, no Faial
O Secretário Regional da Agricultura e Florestas anunciou que o Governo dos Açores vai avançar com a recuperação do Solar, da Ermida e do Pavilhão de Exposições da Quinta de São Lourenço, no Faial, onde está a decorrer mais uma edição do Encontro do Mundo Rural.
João Ponte salientou que o Solar e a Ermida são dois edifícios do século XVIII de "grande beleza arquitetónica", adiantando que já foi adjudicada a elaboração dos projetos a um gabinete de arquitetura local, tendo em vista uma intervenção que, além de preservar o património, vai criar um espaço multiusos.
Relativamente à reabilitação do pavilhão existente no recinto do Parque de Exposições do Faial, afirmou que se pretende dotar este equipamento de melhores condições, acrescentando que será totalmente fechado e criado um sistema de segurança contra incêndios, entre outras intervenções.
“Trata-se de concretizar uma pretensão antiga dos Faialenses e prosseguir o esforço do Executivo em bem cuidar do património regional distribuído pelas nove ilhas”, afirmou João Ponte, que falava quinta-feira na abertura do Encontro do Mundo Rural.
Na sua intervenção, considerou que este evento serve de montra à “dinâmica económica e comercial de uma ilha em crescimento e que dá gosto ver”.
O titular da pasta da Agricultura salientou a importância de todos estarem focados no “trabalho conjunto, para que seja possível aumentar a competitividade do setor agrícola e, de forma justa e equilibrada, o rendimento de todas as partes envolvidas, desde a produção até à distribuição”.
João Ponte, que felicitou os agricultores, os comerciantes e os expositores em geral, frisou que a sua presença neste certame é bem demonstrativa da importância e do contributo que todos dão para a economia regional.
“Este local tem um potencial enorme para a realização deste tipo de eventos. Estou certo que a Câmara da Horta, com a colaboração do Governo, terá todas as condições para que se realize anualmente um evento desta dimensão, independentemente da realização da Feira Açores”, disse João Ponte.
O Encontro do Mundo Rural consiste numa exposição de atividades agrícolas que pretende promover o setor primário e reforçar a importância que a agricultura tem na economia da ilha, resultando de uma organização da Câmara Municipal da Horta em parceria com diversas entidades do Faial, entre as quais a Câmara do Comércio e Indústria da Horta, a Escola Profissional da Horta, o Serviço de Desenvolvimento Agrário, os Serviços Florestais, a Associação de Agricultores e de Jovens Agricultores do Faial, a AFAMA, a Adeliaçor, o Geoparque Açores e a Azorina, através do Parque Natural do Faial.
GaCS/RM/MN