quinta-feira, 4 de maio de 2017

Campeonato de São Miguel - Crónica da última jornada:

Casa do Povo da Maia, 3 - FC Vale Formoso, 3
CAMPEONATO DE SÃO MIGUEL DA 1ª DIVISÃO:
Marítimo com queixas
O Marítimo, que andou durante várias jornadas na liderança, não conseguiu terminar o Campeonato no 2.º lugar. Tinha tudo ao seu alcance para acabar nessa posição, não fosse um surpreendente e imponderável empate (1-1) caseiro consentido perante o Desportivo de Rabo Peixe “B”. Um desfecho que fez baixar o Marítimo ao último lugar do pódio, deixando o técnico “azul e branco” Vítor Medeiros à beira de um ataque de nervos devido ao trabalho do árbitro da partida, que, segundo ele, foi de má qualidade. O treinador do Marítimo não compreende como é que o árbitro principal Marco Carvalho participou nesse jogo como auxiliar e quem apitou foi Diogo Cordeiro, seu habitual árbitro assistente. Isso é brincar com as equipas, nomeando árbitros novos e sem experiência para jogos com algum grau de responsabilidade e em que estava em luta a posse pelo 2.º lugar.
Vitinha, como é mais conhecido no meio futebolístico, não esconde o seu desalento e diz que já no jogo da Povoação, com o Mira Mar, a equipa foi nitidamente prejudicada pelo trio de arbitragem chefiado por Pedro Amaral, que, para além de o ter expulsado do banco (apanhou 15 dias de suspensão e 10€ de multa), viu ainda dois dos seus jogadores serem expulsos, nomeadamente Carlos Pacheco e Miguel Silva. Ambos apanharam dois jogos cada. O jogo foi da 15ª jornada e terminou com a derrota do Marítimo por 2-1.
Mira Mar vice-campeão
O Mira Mar recebeu e venceu o Águia dos Arrifes por tangencial 3-2, resultado que permitiu à equipa “azul” povoacense terminar o Campeonato no lugar de vice-campeão. O maior número de golos marcados deu essa vantagem à equipa comandada por Ricardo Miranda. As duas equipas do concelho da Povoação terminam a competição na mó de cima.
O Águia dos Arrifes desceu à 5.ª posição, ficando à frente do Vitória do Pico da Pedra, que, por sua vez, acabou na 6.ª posição.
O Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Ponta Delgada, liderado por Luís Silva, destacou para esse jogo da Povoação o jovem árbitro Bruno Costa para apitar um encontro de seniores pela primeira vez. Cedo demais para lançar um jovem promitente árbitro ainda sem qualquer prática para apitar jogos deste calibre. Não há necessidade de lançar demasiado cedo jovens árbitros inexperientes às “feras”! Há que dar tempo ao tempo!
Quem recuperou imenso foi o Santiago, depois de um início de Campeonato bastante comprometedor. Os pauenses conseguiram ultrapassar na classificação as equipas do Vitória e do Águia, terminando na 4.ª posição. Os comandados de Pedro Costa acolheram e golearam facilmente a equipa do Santo António (6-0).
No total das 18 jornadas, foram apontados 245 golos, contando com os 3 golos atribuídos à equipa do Santo António, por falta de comparência da Casa Povo Maia no jogo da 17.ª jornada nas Figueiras.
Final da Taça a 10 de Maio
A final da 44.ª edição da Taça de S. Miguel de futebol é na quarta-feira, dia 10 de Maio, no estádio de S. Miguel, e não na quinta-feira, dia 18 de Maio, como noticiamos.
O jogo opõe o Santa Clara ao Operário, as duas equipas da ilha de S. Miguel com melhor currículo.
Como os dois finalistas participam na Taça de Portugal da época de 2017/18 pela condição de participantes na 2.ª Liga (Santa Clara) e no Campeonato de Portugal (Operário) e como um dos semi-finalistas, o Desportivo de Rabo de Peixe, tem a presença na prova assegurada por ter sido 2.º classificado no campeonato açoriano, a representatividade da Associação de Futebol de Ponta Delgada ficará a cargo do Vale Formoso.
A equipa das Furnas foi afastada ao perder, por 3-2, com o Santa Clara. O Desportivo de Rabo de Peixe foi eliminado da Taça de S. Miguel ao sair derrotado, por 1-0, pelo Operário.
Por José Luis Tavares CA/MN

Sem comentários: