quarta-feira, 31 de maio de 2017

Comemorações do Dia Nacional do Pescador nas Flores

Gui Menezes afirma que não é aceitável continuar a alimentar uma imagem negativa dos pescadores
O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia afirmou hoje, nas Lajes das Flores, que “não é aceitável" continuar a alimentar uma imagem negativa da pesca e dos pescadores açorianos, "como muitos estão permanentemente a fazer”.
“Não contem com este Secretário para apoiar o discurso permanente da miséria e dos coitadinhos”, frisou Gui Menezes, acrescentando que os profissionais do setor podem contar, da sua parte, “com um discurso positivo, que dignifique e promova uma pesca próspera, sustentável e virada para o futuro”.
Gui Menezes, que falava no porto de pescas das Lajes, no âmbito das comemorações do Dia Nacional do Pescador, reconheceu que “a realidade do setor é muito diferente de ilha para a ilha”, mas frisou que, “no cômputo geral, os números são animadores”, adiantando que o preço médio do pescado na primeira venda na Região passou de 4,65 euros em 2016 para 6,05 euros.

O Secretário Regional apontou as Flores como a ilha “onde o preço médio do peixe na primeira venda aumentou significativamente em relação ao ano passado”, sendo que o preço médio relativamente a 2016 aumentou dois euros, situando-se agora nos 11 euros.
Por outro lado, comparativamente ao restante arquipélago, Gui Menezes salientou que o preço médio na primeira venda nas Flores regista um valor superior em quase cinco euros, salientando que está em causa o facto de os pescadores florentinos não dependerem tanto de peixes migratórios, como o chicharro ou o atum, como acontece noutras ilhas.
Na sua intervenção, o titular da pasta das Pescas afirmou que “um dos grandes desafios” do setor será o de “promover a competitividade e a sustentabilidade nas empresas da pesca, com uma aposta na inovação e na qualidade dos produtos”.
Neste âmbito, destacou o incentivo a novas soluções para a valorização dos produtos da pesca e para a criação de novas unidades de processamento de pescado, através de dois regimes de apoio à comercialização e à transformação dos produtos da pesca e da aquacultura, publicados este ano e cofinanciados pelo Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas (FEAMP), no âmbito do Programa Operacional MAR 2020, disponíveis desde fevereiro.
Gui Menezes salientou também o novo regime de apoio a investimentos a bordo das embarcações de pesca, considerando que “podem contribuir para a valorização do pescado, na medida em que visam criar melhores condições em termos de frio e de tratamento do peixe”.
O Secretário Regional assegurou ainda que o pagamento do POSEI Pescas, no valor de cerca de 3,4 milhões de euros, deverá realizar-se no final de junho, considerando que representa “um forte contributo para o rendimento e a sustentabilidade” do setor.
Gui Menezes aproveitou o Dia Nacional do Pescador para deixar “uma palavra de alento e de esperança aos armadores e pescadores açorianos para que acreditem no futuro do setor”, referindo que esta data serve para homenagear “os que arriscam a vida para trazer o sustento às famílias e que, na dureza de uma profissão, contribuem para a economia regional, para a indústria transformadora e para a capacidade exportadora” dos Açores.
No quadro das comemorações do Dia Nacional do Pescador, o Secretário Regional, além de ter estado presente num almoço-convívio promovido pelos pescadores florentinos, participou também na faina com alguns pescadores, ao largo da ilha das Flores.
GaCS/GM /MN

Beneficiação do Caminho Rural da Queimada, nas Furnas

Governo dos Açores vai lançar concurso para beneficiação do Caminho Rural da Queimada, nas Furnas
O Secretário Regional da Agricultura e Florestas revelou que vai ser publicado na próxima semana o anúncio para lançamento do concurso público da obra de beneficiação do Caminho Rural da Queimada, nas Furnas, em São Miguel, num investimento superior a 600 mil euros.
João Ponte, que esteve presente terça-feira na apresentação do projeto, na Junta de Freguesia das Furnas, salientou que se trata de cumprir um compromisso assumido em março, mas também de resolver “uma questão relevante do ponto de vista de drenagem das águas pluviais”, que atualmente afetam esta freguesia do concelho da Povoação em caso de intempéries.
Esta obra prevê a pavimentação em betão e a implementação de um sistema de drenagem, numa extensão de cerca de 1.200 metros.
João Ponte prevê que a empreitada tenha início até ao final do ano, tendo um prazo de execução estimado entre seis a sete meses.
Esta intervenção assume uma significativa importância para a atividade agropecuária da ilha de São Miguel, beneficiando as acessibilidades a cerca de duas dezenas de explorações agropecuárias, numa área de 80 hectares, dos quais 10 são de área florestal e 70 de área agrícola.
GaCS/RM /MN

Apoio a 45 famílias totaliza mais de 540 mil euros

Governo dos Açores atribui 540 mil euros para recuperação de habitação degradada em São Miguel
A Secretária Regional da Solidariedade Social formalizou hoje, numa cerimónia realizada em Ponta Delgada, a atribuição de 45 apoios à recuperação de habitação degradada e imóveis afetados por térmitas, num investimento do Governo dos Açores superior a meio milhão de euros.
“O apoio a estas 45 famílias totaliza mais de 540 mil euros e resulta de um investimento direto do Governo Regional”, afirmou Andreia Cardoso, salientando que se trata de recursos exclusivos do Governo dos Açores, nomeadamente dos impostos de todos os Açorianos, que conferem ao Executivo "a responsabilidade de redistribuir os recursos em função daquelas que são as necessidades”.
Na sua intervenção, salientou que estes apoios abrangem famílias de quase 30 freguesias da ilha de São Miguel, frisando que o principal objetivo é "conferir às pessoas uma habitação digna, que reúna condições de segurança e salubridade para os agregados que as habitam”.
Andreia Cardoso afirmou que esta política de apoio à habitação degradada, além da mais-valia que resulta da melhoria das condições de habitabilidade para as famílias, é igualmente relevante para a preservação e recuperação do património edificado e, por conseguinte, para a criação de condições para a fixação das pessoas nos seus locais de origem.
Os apoios concedidos pelo Governo dos Açores em matéria de habitação não se esgotam, no entanto, na recuperação de habitação degradada, tendo a Secretária Regional apontado como exemplo o programa de Incentivo ao Arrendamento, que apoia atualmente cerca de 1.500 famílias e representa um montante de investimento público de quase três milhões de euros.
Os apoios autorizados na cerimónia hoje realizada abrangem habitações dos cinco concelhos de São Miguel, nomeadamente Ponta Delgada, Lagoa, Vila Franca do Campo, Povoação, Ribeira Grande e Nordeste.
GaCS/SC

Paulo Teves visita comunidades nos EUA e Canadá

Diretor Regional das Comunidades participa nas Festas do Divino Espírito Santo em San Diego, na Califórnia
O Diretor Regional das Comunidades inicia sexta-feira uma deslocação aos Estados Unidos da América e Canadá para participar nas Festas do Divino Espírito Santo de San Diego, na Califórnia, e nas comemorações do Dia da Região, em Montreal, no Quebeque.
Em San Diego, cidade com uma significativa presença de açorianos, Paulo Teves vai participar, a convite da United Portuguese Sociedade do Espirito Santo, nas Festas do Divino Espírito Santo, uma das mais antigas celebrações deste culto que se realiza no estado norte-americano da Califórnia.
Na sexta-feira, 2 de junho, o Diretor Regional das Comunidades estará presente na cerimónia do hastear da Bandeira do Divino Espírito Santo e, no dia seguinte, participa na Missa e Coroação, integrando depois a procissão, na Igreja de Saint Agnes.
A 4 de junho, Paulo Teves participa no cortejo das Festas do Divino Espírito Santo de San Diego, que este ano assinalam a 107.ª edição.
As Festas do Divino Espírito Santo de San Diego são um momento de devoção, de celebração de rituais e de convívio da comunidade açoriana radicada nessa cidade, contando este ano com a atuação de grupos folclóricos e de artistas locais, bem como da Filarmónica União Portuguesa de San Diego.
No Canadá, a 5 de junho, Paulo Teves participa nas comemorações do Dia da Região, que decorrem em Montreal, promovidas pela Casa dos Açores do Quebeque, entidade representativa da Região e da comunidade de açorianos e seus descendentes radicados nesta província canadiana.
No último dia da visita, em Toronto, o Diretor Regional das Comunidades reúne-se com Ana Bailão, vereadora da Câmara Municipal, e com a Direção da Casa dos Açores do Ontário e, em Brampton, com a Direção do Clube Vasco da Gama.
GaCS/DRCom/MN- foto:  JGS

V edição do “Pauleta- Azores Soccer Cup U13

Torneio vai decorrer de 10 a 11 de junho
Autarquia está consciente do grande retorno que o “Pauleta – Azores Soccer Cup U13” traz a Ponta Delgada
O Vereador Pedro Furtado, que tutela a área do desporto na Câmara Municipal, durante a conferência de imprensa de apresentação da V edição do “Pauleta- Azores Soccer Cup U13” exprimiu “o imenso orgulho da Autarquia em apoiar este torneio que dá a Ponta Delgada e aos Açores uma grande projeção mediática”.
“Estamos conscientes do grande retorno, que este prestigioso torneio, traz.
Com apenas 5 anos de existência, já atingiu uma grande maturidade, sendo um evento com cada vez mais qualidade a nível organizacional e de competição” referiu o vereador do desporto.
O Torneio Internacional “Pauleta- Azores Soccer Cup U13” vai decorrer de 10 a 11 de junho, no Complexo Desportivo do seu fundador e, este ano, conta com a participação de mais de 200 atletas de 12 equipas: Borussia Mönchengladbach (Alemanha), Club Sport Marítimo (Madeira), Real Bétis de Sevilha (Espanha), SL Benfica, FCPorto, Sporting CP, Paris Saint Germain (França), Clube de Futebol Pauleta (com duas equipas), Santa Clara, União Micaelense e Desportivo de S. Roque.
CMPD/MN

XVI Gala do Desporto Açoriano em São Miguel

Avelino Meneses destaca papel dos dirigentes associativos no desporto dos Açores
O Secretário Regional da Educação e Cultura destacou, no Nordeste, o papel “de relevo” que cabe aos dirigentes associativos no desenvolvimento do desporto nos Açores.
“No progresso do desporto nos Açores cabe um papel de relevo aos dirigentes, sobretudo àqueles que primam no exercício de uma gestão com profissionalismo, sem hipotecar o futuro às contingências do presente, por mais tentadoras que elas sejam”, afirmou Avelino Meneses, que falava na XVI Gala do Desporto Açoriano em São Miguel.
Avelino Meneses frisou que os dirigentes, com o seu exemplo, são os que melhor transmitem a mensagem de que “a essência do desporto são os valores da convivência, da tolerância e de entreajuda”.
Na sua intervenção, salientou que, em contraciclo com a União Europeia, o investimento da Região previsto para 2017 comprova que o desporto “é uma prioridade verdadeira” para o Governo dos Açores, acrescentando que os diferentes indicadores disponíveis para o setor reforçam a posição açoriana de “melhor exemplo nacional”.
Nesta cerimónia, em que foram atribuídos 57 troféus a atletas, dirigentes e clubes da ilha de S. Miguel, Avelino Meneses entregou os prémios 'Prestígio Desportivo', ao antigo futebolista Pedro Pauleta, e 'Desportista do Ano', ao piloto de ralis Ricardo Moura.
Na categoria 'Personalidades' foram distinguidos Ana Maria Fraga (20 anos como dirigente do Clube de Patinagem de São Vicente Ferreira), António Pimentel (25 anos como dirigente da Associação de Voleibol de São Miguel), António Brilhante (30 anos como treinador de Voleibol em vários clubes), Arsénio Furtado (25 anos como dirigente do Clube União Micaelense) e Aurino Sousa (20 anos como dirigente de Patinagem em várias entidades).
Ainda nesta categoria, foram galardoados David Vieira (25 anos como dirigente do Marítimo Sport Clube), Emanuel Carreiro (20 anos como árbitro de Tiro Desportivo), Gilberto Borges (25 anos como treinador de Basquetebol do Clube Operário Desportivo), Hélder Goulart (25 anos como árbitro de Voleibol) e Hélio Ormonde  (15 anos como árbitro internacional de Voleibol).
João Reis (20 anos como árbitro de Tiro Desportivo), Luís Magalhães (20 anos como treinador de Voleibol em vários clubes), Paulo Furtado (20 anos como treinador do Volei Clube de São Miguel), Rui Gomes (25 anos como dirigente da Associação de Tiro de Ponta Delgada) e Sandro Ferreira (20 anos como dirigente do Futebol Clube Vale Formoso) foram também distinguidos nesta categoria.
Na categoria 'Resultados e Classificações Nacionais e Participações Internacionais', no âmbito dos desportos individuais, foram distinguidos, em Atletismo, Reinaldo Moniz (1.º classificado no Campeonato de Portugal de Pista Coberta, em 60m Barreiras, no escalão de Juniores Masculinos, atleta do Clube Desportivo e Cultural Juventude Ilha Verde), em Automobilismo, Ricardo Moura (1.º classificado no prova Azores Airlines Rallye 2016), em Badminton, Alexandre Cabral (1.º classificado no Campeonato Nacional de Badminton, Categoria C, singulares homens, no escalão de Seniores Masculinos, atleta do Clube Atlético de Rabo de Peixe), e, em Ginástica Aeróbica, os atletas do Clube de Atividades Gímnicas de Ponta Delgada Maria Correia (1.ª classificada no Torneio José António Marques de Ginástica Aeróbica, no escalão de Juvenis Femininos), Matilde Aguiar (1.ª classificada no Torneio José António Marques de Ginástica Aeróbica, no escalão de Juniores Femininos), Rafaela Damásio (1.ª classificada no Campeonato Nacional de Ginástica Aeróbica, no escalão de Juniores Femininos – Elite), Rui Ribeiro (1.º classificado nos Opens Internacionais de França e de Cantanhede s/Juvenis Masculinos) e Tomás Amaral (1.º classificado no Campeonato Nacional de Ginástica Aeróbica, no escalão de Iniciados Masculinos).
Foram ainda galardoados nesta categoria, em Golfe, Tiago Nunes (1.º classificado na Taça de Portugal Drive, no escalão de Sub 16 Masculinos, atleta do Clube Verdegolf Country Club), e, em Judo, Duarte Canto (1.º classificado no Campeonato Nacional de Veteranos, na categoria de -81Kg, no escalão de Veteranos Masculinos, atleta do Judo Clube de Ponta Delgada - São Miguel).
Ainda nesta categoria, em Kickboxing, foram galardoados André Pereira (1.º classificado no Campeonato Nacional de Kickboxing, na disciplina de Light-Contact, na categoria de menos 63Kg, no escalão de Juniores Masculinos), e Gonçalo Silva (1.º classificado no Campeonato Nacional de Kickboxing, na disciplina de Light-Contact, na categoria de menos 63Kg, no escalão de Juvenis Masculinos), ambos atletas do Arrifes Kickboxing Clube, e Miguel Sardinha (1.º classificado no Campeonato Nacional de Kickboxing, na disciplina de Kick-Light, na categoria de menos 79Kg, no escalão de Juniores Masculinos, atleta do Kickboxing Clube de Vila Franca do Campo).
Na mesma categoria, na vertente dos desportos coletivos, o Clube de Actividades Gímnicas de Ponta Delgada conquistou seis troféus (1.º classificado no Open Internacional de Cantanhede, em Pares Mistos, no Torneio José António Marques, em Trio Juvenis, no Campeonato Nacional de Ginástica Aeróbica, Grupo Juvenis e Trio Juniores, na Taça de Portugal - Absoluta, em vários escalões e na Taça de Portugal - Jovem, em vários escalões).
Ainda na área dos desportos coletivos, foram também distinguidos o Clube de Patinagem da Vila de Capelas com um troféu (1.º classificado no Campeonato Nacional de Patinagem de Pares Artísticos, no escalão de Juniores), o Clube Desportivo e Cultural Juventude Ilha Verde com dois troféus (1.º classificado no Campeonato Nacional de Clubes em Pista - III Divisão de Atletismo e 3.º classificado no Campeonato de Portugal em Pista Coberta, Estafeta 4x200m, no escalão de Esperanças Masculinos), o Clube Kairós com dois troféus (2.º classificado no Campeonato Nacional de Voleibol da II Divisão, no escalão de Seniores Masculinos e 1.º classificado no Campeonato Nacional de Voleibol da II Divisão, no escalão de Seniores Femininos) e o Clube União Sportiva com seis troféus (1.º classificado no Campeonato Nacional da Liga Feminina de Basquetebol, 1.º classificado na Taça de Portugal Feminina, na Super Taça Feminina, na Taça Vitor Hugo Liga Feminina, na Taça Nacional de Sub-19 Femininos e participação na Eurocup Women de Basquetebol, no escalão de Seniores Femininos - São Miguel).
Relativamente à categoria 'Seleções Nacionais', foram galardoados, em Atletismo, Marco Câmara (representou a Seleção Nacional de Atletismo nos X Jogos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, na ilha do Sal, no escalão de Juvenis Masculinos, atleta do Clube Desportivo e Cultural Juventude Ilha Verde), e, em Basquetebol, Maryam Chemiti (representou a Seleção Nacional de Basquetebol no Campeonato do Mundo de Sub-17 e no Campeonato Europeu de Sub-18, atleta de Alto Rendimento de Nível C, atleta do Clube União Sportiva).
Em Ginástica Aeróbica, receberam galardões nesta categoria as atletas do Clube de Atividades Gímnicas de Ponta Delgada, Ana Janeiro (representou a Seleção Nacional de Ginástica Aeróbica na Taça do Mundo de Cantanhede, no escalão de Seniores Femininos), Fábio Lima (representou a Seleção Nacional de Ginástica Aeróbica na Taça do Mundo de Cantanhede, no escalão de Seniores Masculinos), Inês Botelho (representou a Seleção Nacional de Ginástica Aeróbica na Taça do Mundo de Cantanhede, no escalão de Seniores Femininos) e Sara Silva (representou a Seleção Nacional de Ginástica Aeróbica nas Taças do Mundo do Japão e de França e no Campeonato do Mundo da Coreia do Sul, foi ainda 1.ª classificada no Campeonato Nacional Individual Sénior/Elite, no escalão de Seniores Femininos).
Em Judo, foram galardoados os atletas do Judo Clube de Ponta Delgada, João Marchã (representou a Seleção Nacional de Judo na Taça da Europa de Juniores, na categoria de menos 81Kg, no escalão de Juniores Masculinos) e Nuno Carvalho (representou a Seleção Nacional de Judo na Taça da Europa de Seniores e no Grand Prix Dusseldorf, na categoria de menos 60Kg, no escalão de Seniores Masculinos, atleta de Alto Rendimento de Nível A), e, em Surf, Jácome Correia (representou a Seleção Nacional de Surf no Open Isa World Surfing Games e no ESF Eurosurf Junior, no escalão de Juniores Masculinos, é Atleta de Alto Rendimento de Nível B, atleta do Azores Surf Club).
Na mesma categoria, mas no Desporto Adaptado, foi distinguido André Ponte (representou a Seleção Nacional no Campeonato da Europa de Natação INAS, em Itália, e foi ainda 1.º classificado no Campeonato Nacional de Verão de Natação Adaptada em 50m e 200m Costas, e 100m livres, e no Campeonato Nacional de Inverno de Natação Adaptada em 50m e 200m Costas, no escalão de Seniores Masculinos, atleta do Clube Naval de Ponta Delgada).
GaCS/PB/MN

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Vasco Cordeiro esperançado em encontrar "ponto de encontro" para maior tranquilidade na SATA

Vasco Cordeiro recebeu Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil
O Presidente do Governo afirmou hoje, em Ponta Delgada, que a reunião com o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) permitiu transmitir, com “absoluta clareza”, a posição do acionista sobre questões centrais do processo negocial no Grupo SATA.
“Esta reunião foi útil, sobretudo, porque permitiu muita clareza em relação à apresentação das posições do sindicato, mas também clareza em relação à apresentação daquilo que o Governo, como representante do acionista, considera serem aspetos nucleares que devem enquadrar este trabalho que já tem decorrido e que continuará a decorrer”, afirmou Vasco Cordeiro.
O Presidente do Governo referiu que “esta não foi uma reunião para negociar com o sindicato”, adiantando que teve oportunidade de transmitir ao SNPVAC, de forma clara, que, neste momento, “não é possível abrir a discussão” sobre a massa salarial.
“Tive oportunidade, de forma clara, de transmitir ao sindicato que, em toda esta perspetiva de abordagem ao Acordo de Empresa, não é possível avançarmos nesta componente salarial”, frisou Vasco Cordeiro, adiantando esperar que “seja possível um ponto de encontro entre posições, de forma a retomar o clima de maior tranquilidade” na transportadora aérea regional.
Questionado sobre os efeitos para a empresa e para os Açorianos das greves no Grupo SATA, o Presidente do Governo manifestou-se convicto que o sindicato também não quererá ver cumprido o provérbio que diz “tantas vezes vai o cântaro à fonte…”.
Vasco Cordeiro, nas declarações que prestou no final da audiência, em que esteve acompanhado pelo Secretário Regional dos Transportes e Obras Públicas, adiantou que teve ainda oportunidade de dar conta “daquele que é o nosso entendimento em relação a algumas das matérias” que dizem respeito à SATA Internacional e à SATA Air Açores, nomeadamente ao nível do reforço de pessoal e questões operacionais.
“Neste conjunto de aspetos operacionais, há trabalho que já tem sido feito pelo Conselho de Administração do Grupo SATA”, afirmou Vasco Cordeiro.
GaCS/PC/MN

II Simpósio de Saúde Mental Infantojuvenil

Governo Regional empenhado em promover a literacia em saúde
O Secretário Regional da Saúde apelou hoje, em Ponta Delgada, à sensibilização dos Açorianos para a prevenção eficaz de doenças, destacando a importância de promover a literacia em saúde.
Rui Luís, que falava na abertura do II Simpósio de Saúde Mental Infantojuvenil, dedicado às perturbações do sono na infância e na adolescência, salientou algumas ações desenvolvidas com este objetivo, nomeadamente aproveitando algumas datas comemorativas para esse efeito.
“A 17 de maio comemorou-se o Dia Mundial da Internet, tendo-se iniciado um conjunto de ações que vão ser levadas a cabo ao longo do ano, como formação aos jovens, pais e professores, sobre o impacto do uso nocivo das novas tecnologias na saúde individual”, frisou Rui Luís.
Por outro lado, a Secretaria Regional da Saúde promove quarta-feira, 31 de maio, Dia Mundial Sem Tabaco, a realização de atividades em todas as Unidades de Saúde de Ilha para sensibilizar a população para os malefícios do tabaco.
Na sua intervenção, Rui Luís afirmou, numa referência ao tema deste encontro, que “a problemática das perturbações do sono é muito profunda e cruza-se com uma mudança de estilos de vida das sociedades contemporâneas”.
O Secretário Regional alertou para a dependência das tecnologias e a sua interferência no sono, frisando que “na era global do domínio do digital, é urgente refletir sobre a perda de rotinas saudáveis e há um novo desafio premente assente na educação e prevenção”.
Rui Luís reafirmou, por isso, o compromisso assumido pelo Governo dos Açores no sentido da realização de ações de prevenção e de promoção de estilos de vida saudável nas escolas.
Nesse sentido, apontou os programas de intervenção em curso, destinados a crianças e jovens do 1.º, 2.º e 3.º ciclo e do ensino secundário.
O II Simpósio de Saúde Mental Infantojuvenil é promovido pelo Centro de Desenvolvimento Infantojuvenil dos Açores e conta com a presença do pedopsiquiatra Pedro Strecht.
GaCS/MS /MN                       

III Corrida pela Interculturalidade, em Angra do Heroísmo

Governo dos Açores promove III Corrida pela Interculturalidade
O Governo dos Açores, através das direções regionais das Comunidades e do Desporto, promove, a 11 de junho, pelas 10h00, a realização da III Corrida pela Interculturalidade, em Angra do Heroísmo.
A iniciativa, organizada em parceria com a Câmara Municipal, a Associação de Atletismo da Ilha Terceira e a AIPA - Associação dos Imigrantes nos Açores, pretende promover a diversidade cultural, proporcionando momentos de convívio e de diálogo entre várias culturas, além de incentivar os participantes e a sociedade para a prática do desporto.
A corrida deste ano está dividida em sete escalões de competição, masculinos e femininos, nomeadamente benjamins, infantis, iniciados, juvenis, juniores, seniores e veteranos (maiores de 35 anos).
O evento inclui uma Caminhada para Todos, que visa celebrar a diversidade cultural e sensibilizar os participantes para esta temática.
A prova é aberta a todos os interessados e a concentração dos participantes está marcada para as 09h00, na Praça Velha, em Angra do Heroísmo.
As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas até às 09h30 do dia da prova, no secretariado da iniciativa ou através do preenchimento da ficha de inscrição, junto da Direção Regional das Comunidades ou da Associação de Atletismo da Ilha Terceira.
Para obter mais informações, consultar o Regulamento e obter a Ficha de Inscrição, os interessados podem visitar a página da Direção Regional das Comunidades no Portal do Governo dos Açores (http://www.azores.gov.pt).
GaCS/DRCom/MN                        

IV Biofeira de 2 a 4 de junho na Praia da Vitória

Governo dos Açores apoia realização de feira dedicada à agricultura biológica na Terceira
A Secretaria Regional da Agricultura e Florestas apoia a realização da IV Biofeira, que decorre de 2 a 4 de junho na Praia da Vitória, na ilha Terceira, tendo como objetivo promover e dinamizar a agricultura biológica nos Açores.
O evento inclui um mercado de produtos agrícolas, uma quinta pedagógica e espaços de restauração, além workshops, palestras, espaço para a realização de atividades físicas e rastreios.
A produção biológica assume-se, cada vez mais, como uma oportunidade para a agricultura açoriana e para a diversificação agrícola que se pretende que ocorra no arquipélago.
Este método de produção faz uso de práticas respeitadoras do ambiente e da saúde, contribuindo para um desenvolvimento sustentável num horizonte temporal supra geracional.
A área total em conversão ou já em modo de produção biológica nos Açores passou 68 hectares em 2005 para mais de 660 hectares em 2016.
A IV Biofeira, organizada pela cooperativa BioAzórica, tem como parceiros, entre outros, além do Governo Regional, a Sociedade para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores (SDEA).
GaCS/RM/MN

Campeonato de Portugal Prio / Play-off - manutenção:

Noventa passaram falta 270 minutos Angrense marcou por Tiago Macedo
Angrense, 1 – Bragança, 0
Angrense consegue vantagem mínima na primeira mão do playoff
O Angrense venceu o Bragança por 1-0, no jogo da primeira mão do playoff de manutenção no Campeonato de Portugal.
O golo que dá à equipa da ilha Terceira uma vantagem preciosa foi apontado por Tiago Macedo.
A segunda e decisiva partida realiza-se no próximo domingo.
Campo Municipal de Angra do Heroísmo.
Árbitro: Diniz Gorjão (AF Setúbal).
Assistentes: Hugo Conceição e Mauro Santos.
Ao intervalo: 0-0
ANGRENSE 1 - Filipe Soares, João Borges, Ivan Santos, Miguel Oliveira, Vítor, Ruben Miranda, Seidi e Jordanes.
Suplentes: (Rui Silveira, 63m), Pedro Aguiar (cap.), Tiago Macedo, (Wilson Dias, 90m), Marco Auréli, (Graxinha, 84m).
Não utilizados: Rui Santos, Gustavo Mendonça, Pedro Ferreira e Gonçalo Valadão.
Treinador: Eduardo Almeida.
BRAGANÇA 0 - Nelson, Serginho, Danilo, TuréLio, Adão, (Zola, 63m), Capelo, Zé Carlos, Gonçalo, (Ká, 82m), Lemos, (Nuno, 88m) eTiago.
Não utilizados: Ximena, Lisboa e Moreira.
Treinador: André David.
Disciplina: amarelos Jordanes (31m), Miguel Oliveira (66m), Seidi (75m), Rui Silveira (90m+2) e Filipe Soares (90m+4); Serginho (56m) e Zola (77m).
Marcador: Tiago Macedo (78m).
CI/RTP-A/MN

domingo, 28 de maio de 2017

Liga dos Campeões edição 2017/2018:

Besiktas, que revalidou o título turco
Já são conhecidas todas as equipas com entrada direta na Champions League
Besiktas, que revalidou o título turco, e o Roma, vice-campeão italiano, completaram o grupo de 22 equipas com entrada direta na edição 2017/18 da Liga dos Campeões.
O Besiktas, que revalidou o título turco, e o Roma, vice-campeão italiano, completaram o grupo de 22 equipas com entrada direta na edição 2017/18 da Liga dos Campeões em futebol.
Entre as formações com lugar garantido, estão duas portuguesas, o tetracampeão Benfica, que este domingo venceu a Taça de Portugal e já havia arrebatado a Supertaça, e o FC Porto, na qualidade de vice-campeão nacional.
O Benfica vai estar no Pote 1, junto aos outros campeões dos principais países, casos de Real Madrid (Espanha), Bayern Munique (Alemanha), Chelsea (Inglaterra), Juventus (Itália), Mónaco (França), Spartak Moscovo (Rússia) e Shakhtar Donetsk (Ucrânia).
Por seu lado, o FC Porto estará no segundo lote, de certeza com Barcelona e Atlético de Madrid (Espanha), Paris Saint-Germain (França), Borussia Dortmund (Alemanha), Manchester City e Manchester United (Inglaterra).
Na fase se grupos, também já estão certos o Tottenham (Inglaterra), Basileia (Suíça), Anderlecht (Bélgica), Roma (Itália), Feyenoord (Holanda), Leipzig (Alemanha) e Besiktas (Turquia).
As restantes 10 formações, que se juntarão às 22 apuradas para formarem oito grupos de quatro, sairão das pré-eliminatórias, sendo que o Sporting, terceiro da I Liga, entrará no play-off, na rota dos não campeões.
Os leões ainda podem ser cabeças de série, dependendo dos resultados das pré-eliminatórias: para já, perdem para Sevilha (Espanha), Liverpool (Inglaterra) e Nápoles (Itália), sendo que só podem 'ceder' para mais um conjunto.
OJ/MN

Nuno Quental (U. Micaelense) despediu-se dos relvados

“Foi uma sensação agridoce”
Nuno Quental despediu-se por duas vezes de uma competição federada que insere outras exigências.
Fê-lo há um ano, após sagrar-se campeão de S. Miguel pelo União Micaelense e após ter completado 40 anos de idade.
Porém, em Novembro do ano passado, não ficou insensível ao apelo dos dirigentes do clube de Ponta Delgada para dar uma ajuda na equipa de futebol. A experiência, a forma séria como treina e joga, o modo como lida com todos, eram mais valias para um plantel com alguns jovens.
No último jogo do Campeonato de Futebol dos Açores, a 14 de Maio, Nuno Quental disse de novo adeus aos campos de futebol como atleta federado. Uma despedida mais marcante, porque saiu antes do final da partida, permitindo que os companheiros e os atletas do Desportivo de S. Roque fizessem alas e o aplaudissem insistentemente, além das pessoas que estavam no campo “Jácome Correia”. Um recinto mítico para muitos atletas. Para Nuno Quental também.
Fica um percurso recheado de êxitos individuais e colectivos, um percurso de um grande desportista e de um grande homem, disciplinado, apaziguador, conselheiro. Foram cerca de 30 anos divididos pelo Santa Clara, onde começou a ser jogador, pelo Operário (6 anos), pelo Santo António (4 anos), pelo Capelense (5 anos) e pelo União Micaelense (6 anos).
Por isso, falamos com Quental para saber se haveria ou não mais um regresso ou se, aos 41 anos de idade, era mesmo a despedida definitiva.
A despedida no último jogo do campeonato foi mesmo despedida como jogador de futebol federado?
Sim, terá mesmo de ser porque foi o que ficou acordado com a família, à qual agradeço, mais uma vez, por me terem dado o aval e terem apoiado o meu regresso. Certo é que não irei jogar mais a este nível. A disponibilidade também vai ser muito reduzida.
O que sentiu quando lhe fizeram alas, incluindo jogadores do Desportivo de S. Roque, onde estava outros dos veteranos do campeonato, o Luís Soares e o Pedro Martins?
Foi um momento marcante com a particularidade de estarem presentes, no mesmo jogo, como adversários, entre outros, dois colegas e amigos “veteranos”, o Luís e o Pedro. Penso que foi o jogo onde esteve o maior número de atletas veteranos.
A sensação foi “agridoce”: “Agrí”, por saber que nunca mais irei jogar a este nível e estar envolvido nas dinâmicas de uma equipa de futebol, como o balneário, a exigência do treino, as concentrações, as viagens, o convívio com os colegas/amigos, a adrenalina do jogo, a competição, a alegria das vitórias, entre outras.
“Doce”, por sentir que saio ainda em perfeitas condições físicas, pois não acabei, felizmente, devido a lesão; pelo dever cumprido; pela minha maneira de estar, positiva e séria no futebol; por tentar ser sempre um exemplo e referência para os mais novos.
Na atitude dos colegas e adversários ao criarem aquela ala, senti um reconhecimento por aquilo que dei e fui para o futebol, não só pelo aspecto técnico mas também pelo aspecto humano.
Foi uma maneira engraçada de me despedir, já que no ano passado não tinha tido essa oportunidade de despedida em pleno jogo e a fazer o que mais gosto.
“Este ciclo infelizmente já acabou”
Em Novembro passado, quando regressou após ter anunciado que terminara a carreira 5 meses antes, disse que “a consciência dizia que não, mas a vontade de jogar dizia que sim…”
E agora o que diz a consciência?
A consciência continua a dizer que não, apesar de sentir que ainda tenho condições para jogar mais um ano a este nível. No entanto, tenho de perceber que a vida não é só futebol e que este ciclo desportivo, a este nível, infelizmente já acabou. É verdade que é por opção, mas tive de perceber que agora tenho mais deveres e responsabilidades noutros “campos”.
Um dos motivos do convite dos dirigentes do União Micaelense para regressar foi de ajudar numa equipa jovem. Deixou a mensagem em Novembro para que os mais novos “vivessem intensamente esse período com alegria, prazer, compromisso, ambição e respeito pelo que fazem, que é jogar futebol.”
Cumpriram ou nem por isso?
A mensagem que deixei foi para todos os jovens jogadores e não especificamente para os do União Micaelense.
Mas em relação aos do União, é uma análise e uma introspecção que cada um terá de fazer. Penso que a maioria cumpriu. Outros, quiçá, daqui a uns anos vão perceber que o tempo não volta para trás e que desperdiçaram a oportunidade e o prazer de jogarem futebol neste grande clube.
- Sente que deu uma contribuição positiva à equipa no âmbito desportivo e como mais velho perante alguns jovens?Eu penso que sim. O meu regresso só fazia sentido se fosse para ajudar. Eu fui apenas mais um para ajudar que, juntamente com os outros, uns mais novos e outros já na “meia-idade”, tiveram um papel fundamental para que conseguíssemos atingir o grande objectivo que era a manutenção. Por isso o objectivo foi cumprido.
Quantos jogos fez e quantos golos marcou?Já comecei tarde esta época, mas penso que a minha prestação foi positiva. Dos 10 jogos da 1.ª fase, joguei 5 a titular, 4 entrei como suplente utilizado e 1 fui suplente não utilizado.
Na 2.ª fase, dos 7 jogos em que pude estar presente, 5 joguei a titular, 1 fui suplente utilizado e 1 não utilizado.
Ao todo fiz 2 golos. Parece-me pouco para um ponta de lança, que foi a minha posição, mas também tenho a consciência que num jogo há o “trabalho invisível” que contribui igualmente para os bons resultados da equipa. O mais importante é a equipa ganhar, independentemente de quem marca.
“Qualidade do jogo é mediana”
- Acabou onde começou há 21 anos, numa série só com clubes dos Açores. Com que opinião ficou do nível deste Campeonato dos Açores?Comecei até na antiga 3.ª divisão, série E, mas acabei onde havia começado. Antes era a série Açores da 3.ª divisão nacional e agora o Campeonato de Futebol dos Açores. Penso que este ano o campeonato foi equilibrado, mas a qualidade do jogo foi mediana. A equipa vencedora, o Sporting Clube Guadalupe, a quem felicito, ganhou por mérito, pois foi a mais consistente ao longo do campeonato.
Quanto ao nível deste campeonato, equivale à realidade atual do futebol regional. É um campeonato onde o futebol praticado não é muito bem jogado por vezes, não é muito exigente, nem muito forte como há anos. No entanto, é bom para que jovens jogadores possam aparecer e para que outros, mais velhos, mas em boas condições, possam jogar, situação que noutras alturas não seria de todo possível de acontecer.
- A carreira do União ficou aquém das expectativas ao não se ter qualificado para o grupo dos primeiros?O objectivo principal foi atingido, que passava pela manutenção. Agora, pelo plantel que existia quando regressei, pela qualidade dos jogadores e pela qualidade dos treinos que fazíamos, podíamos claramente ter garantido, logo na primeira fase, a manutenção. 
“Treinador inteligente e humilde”
- O treinador José Armando Sá tem métodos diferentes de treino, especialmente no foro psíquico dos atletas. Ficou surpreendido?O mister José Armando foi muito inteligente e humilde como conduziu o grupo até ao final da época. Para qualquer treinador que entre a meio de uma época não é fácil. Tem de se identificar com os jogadores, com o próprio clube e com um grupo que estava com algumas carências, em virtude de algumas saídas de atletas e de haver uma ou outra lesão.
 Neste cenário, o trabalho dele incidiu muito na moralização e em dar confiança aqueles que queriam levar o clube a concretizar o grande objetivo. Foi realmente esse caráter que ele incutiu, juntamente com um grupo unido que do pouco fez muito, culminando no primeiro lugar do grupo da manutenção.
- Quental, o treinador, está adiado?Primeiro preciso de ter o curso, mas de momento não faz parte dos meus objectivos, até porque a disponibilidade não será muita de momento. Mais facilmente irei regressar aos jogos dos veteranos, com menos exigência horária, e à prática de outras actividades físicas.
Escrito por João Patrício /CA/MN

Muito mal anda o futebol portugues com as arbitragens

O árbitro, o Praiense e a imprudência
1 - Era domingo do Senhor e fui ao jogo no estádio de S. Miguel. Eu e mais 578 pessoas que foram para a bancada. Jogou o Santa Clara com o Portimonense. Um jogo que interrompeu a série vitoriosa do Santa Clara sobre os “alvi negros” algarvios em desafios caseiros. Por isso, valeu o triunfo e o título de campeão ao Portimonense.
Não via o Santa Clara ao vivo desde o final de Janeiro, ainda sem alguns dos atletas chegados no segundo período de inscrições para jogadores profissionais. Confirmei porque teve vários dissabores. A saída de Vitor Massaia para o Chaves é uma das razões para alguns dos desaires. Como o de domingo.
2 - Não vou falar do jogo, nem da equipa. Está feita a época. Melhor no aspeto dos apertos sentidos nos anos anteriores com o espectro da descida a pairar. Nesse campo foi de tranquilidade absoluta. O povo, que não estava habituado, gostou ao ponto de terem ido ao estádio quase 9 mil espectadores a mais do que na época anterior. E com menos dois jogos.
Os mais desatentos nestas coisas do futebol da 2.ª Liga começaram a pensar em subidas quando a procissão mal tinha abandonado o adro da igreja. Esqueceram-se que este campeonato é uma maratona onde, salvo raríssimas exceções, os mais e melhor apetrechados ficam em primeiro. Como o Portimonense e o Desportivo das Aves foram desde o início os mais apetrechados, subiram. Outros recompuseram-se em Janeiro, mas não foram a tempo, como o União da Madeira. Outros desiludiram, como a Académica, onde os problemas internos tiveram efeito.
3 - Vou falar do árbitro do jogo Santa Clara-Portimonense. O sr. Tiago Martins teve uma daquelas manhãs evidenciando que lhe apetecia ficar na caminha. Pareceu estar a fazer um frete. Um trabalho deprimente para todos os que sentem o fervor do futebol. Especialmente para os micaelenses.
Ele, que é preparador físico, andou muitas vezes a passo. Vários erros, muita imprecisão, alguns dislates, pouca concentração. Teve uma daquelas arbitragens que na gíria do futebol se chama de “campo inclinado”. No capítulo disciplinar foi demais.
Como prémio pela “boa” classificação do observador Luís Ferreira, Tiago Martins voltou uma semana depois aos Açores, para dirigir o jogo de ontem entre o Praiense e o Leixões.
Sinceramente!!! Andam a brincar com tudo isso, independentemente da qualidade do trabalho efetuado na Praia da Vitória.

Ora sabe-se que Tiago Martins teve uma ascensão meteórica que deixou muita gente com a boca aberta de espanto. Foi um tal subir...até internacional. Para o sr. Tiago Martins ser árbitro de 1.ª categoria e internacional, a arbitragem portuguesa não passa pelo melhor momento. Decididamente!!!
4 - Agora percebe-se porque será muito difícil ao Santa Clara subir de divisão se não formar uma equipa tipo daquela que ganhou o campeonato da 2.ª Liga em 2000/01. Que não permita que os erros dos árbitros coloquem o campo inclinado.
Agora percebe-se porque o Praiense dificilmente subiria na fase que acabou em segundo e dificilmente subirá nos jogos com o Leixões.

Se será ou não o melhor para o clube e para a autarquia da Praia da Vitória? É uma pergunta que deixo.
A 2.ª Liga é um “inferno” para os clubes, mesmo que os apoios financeiros, provenientes da Liga, pelos contratos firmados, sejam melhores do que no ano passado. O jogo de apostas Placard tem dado uma boa ajuda. Em boa hora. Com a TV subindo a parada, vai melhorar também, mas para quem tiver juízo. Se gastarem mais, os problemas financeiros surgem.
Agora o Praiense que conhecemos não ser(á)ia o mesmo. Desde a constituição de uma SAD, com uma cota mínima de 200 mil euros para a 2.ª Liga, permitindo a entrada de capital do exterior através de acionistas e com o clube fundador tendo um mínimo de 10% de capital social, sendo a sociedade desportiva gerida por administradores/gestores;
Ou a constituição de uma Sociedade Desportiva Unipessoal por Quotas (SDUQ), onde apenas o clube pode ser o único sócio.
Estas são umas das muitas situações que envolvem as sociedades desportivas, que são acompanhadas por muitas outras exigências, cada vez mais apertadas. Só quem se mete nelas fica a conhecer quão complicado é andar nestes patamares.
Não é que não haja capacidade no Praiense para tal, mas as dores de cabeça e a reformulação total de toda a estrutura estarão presentes. Até no campo para jogar...
5 - Li que o treinador Francisco Agatão disse “terem atirado areia para os olhos” sobre a questão dos jogos do “play off” dos segundos do Campeonato de Portugal com os 17.º e 18.º classificados da 2.ª Liga. Que a informação inicial não era assim.
Não. Desde 28 de Junho do ano passado que foi aprovado este regulamento. Mais: esta possibilidade de subirem 4 clubes do Campeonato de Portugal à 2.ª Liga apenas acontece nesta temporada. Segundo a norma transitória aprovada na mesma data pelos clubes da Liga e que consta no regulamento da FPF saído a 29 de Abril passado, no final da época de 2017/18 só sobem dois clubes do Campeonato de Portugal. Os finalistas do “play off”.
Que é uma injustiça! É. Que as equipas do Campeonato de Portugal estão em desvantagem! É. Que é uma injustiça só subirem dois clubes da 2.ª à 1.ª Liga e não 3 como aconteceu ao Santa Clara em 1998/99! É.Que as equipas classificadas em segundo lugar no Campeonato de Portugal também deveriam subir, é uma questão diferente. Os clubes que formam a Liga de Clubes em Portugal é que decidem os regulamentos, que têm ou não a concordância da Federação. Como é o caso do “play-off”; como é o caso da descida de 4 equipas para a redução da 2.ª Liga para 20 clubes agora e nova descida de 4 clubes no final da época de 2107/18.
6 - Voltando ao jogo de domingo no estádio de S. Miguel, chamo a atenção para a organização de um futuro jogo do Santa Clara não cometer o mesmo erro.
Classifico de imprudência colocar a claque do Portimonense junto dos adeptos do Santa Clara e de não ter ido para o local habitual dos adeptos forasteiros. Eram cerca de 10 os ruidosos, já que os outros, casais maduros, a maioria estrangeiros residindo em Portimão, tiveram um comportamento exemplar.
Vale que os adeptos do Santa Clara são pacíficos. Vale que toleraram os frequentes palavrões. Vale que os piropos trocados foram ténues e não ferveram.
Que houve um ou outro momento de tensão, houve. Se fosse há uns anos, com os mesmos intérpretes, seria um sarilho, seria...
Mas houve pais com crianças incomodados com o turbilhão de palavras que eram dirigidas ao árbitro, em primeiro lugar, e aos atletas do Santa Clara. A paixão pura tolda o cérebro.
Não se percebe porque a mini claque do Santa Clara, “Bruma Vermelha”, foi para o lado oposto e a do adversário ficou junto dos adeptos da equipa visitada.
Afinal, era dia do Senhor Santo Cristo. Todos queriam paz.
Escrito por. José Silva /CA/MN

'Educação Empreendedora - o Caminho do Sucesso'

Educação empreendedora vai chegar a 12 mil jovens Açorianos, anuncia Berto Messias
O Secretário Regional Adjunto da Presidência para os Assuntos Parlamentares destacou a aposta do Governo dos Açores em medidas que promovam uma cultura empreendedora e proativa, anunciando, nesse âmbito, que "o programa 'Educação Empreendedora - o Caminho do Sucesso' chegará a cerca de 12 mil jovens Açorianos".
"A 'Educação Empreendedora' é um programa desenvolvido nas escolas dos Açores, que visa não apenas promover a cultura empreendedora orientada para a vertente empresarial, mas, sobretudo, uma cultura empreendedora perante a vida e perante a comunidade", afirmou Berto Messias, que falava sábado, na Praia da Vitória, na abertura da conferência 'Faz Acontecer Talks', organizada por André Leonardo com a parceria da Direção Regional da Juventude. 
"A criação de empresas e consequente criação de emprego é fundamental, mas queremos sobretudo uma abordagem proativa perante a vida, que se manifesta das mais variadas formas, nas organizações partidárias, nas organizações sociais, desportivas, culturais ou religiosas", frisou o Secretário Regional.
Na sua intervenção, salientou que, "quanto mais participativa for uma comunidade, maior será o desenvolvimento económico e social".
Berto Messias referiu-se ainda à pertinência da escolha do local do evento, considerando que "a realização de um evento deste tipo, que visa gerar debates e ideias para o futuro, com personalidades marcantes e inspiradoras, na Praia da Vitória, faz todo o sentido, tendo em conta os desafios com que este concelho está confrontado".
"O Governo dos Açores continuará na linha da frente da defesa dos nossos interesses sobre os impactos das reduções na Base das Lajes. A forma como conseguimos resolver as questões laborais diretas e o conjunto de medidas que já implementámos e que contribuem para mais dinâmicas económicas, como a vinda das companhias 'low cost' para a Terceira ou os incentivos à atividade empresarial que disponibilizamos, são a prova disso mesmo", assegurou.
"Mas, se há muito trabalho feito, há ainda muito para fazer no aproveitamento e valorização das infraestruturas existentes e continuaremos esse trabalho com muito empenho e com a defesa intransigente dos nossos interesses, quer junto do Governo da República, quer junto do governo norte-americano", afirmou Berto Messias.
"Os desafios são grandes, quer aqui na Praia da Vitória, quer nos Açores, mas não tenham dúvidas que o Governo dos Açores faz acontecer todos os dias, trabalhando, inovando, criando e continuando um caminho de crescimento e evolução económica e social e para isso precisamos de todos e contamos com todos", frisou o Secretário Regional.
GaCS/TM/MN
 
 
   
 
  

José Medeiros Ferreira foi um “grande Açoriano”

José Medeiros Ferreira “nunca prescindiu de pensar os Açores”, afirma Vasco Cordeiro
O Presidente do Governo afirmou, em Ponta Delgada, que José Medeiros Ferreira foi um “grande Açoriano” dos tempos recentes que, nas várias facetas da sua vida, “nunca prescindiu de pensar os Açores”.
“José Medeiros Ferreira foi um grande Açoriano dos tempos recentes, não apenas pelo percurso académico e político que teve, mas também porque, em qualquer uma destas vertentes, nunca esqueceu os Açores e nunca prescindiu de pensar os Açores”, salientou Vasco Cordeiro.
O Presidente do Governo, que falava sexta-feira, no Palácio de Santana, na sessão de apresentação do livro 'Memórias Anotadas', recordou, por exemplo, o contributo de José Medeiros Ferreira para a reflexão de temas açorianos, no âmbito do Fórum Açoriano.
Vasco Cordeiro destacou ainda, ao nível da carreira académica, as suas reflexões sobre a temática dos Açores nas relações internacionais, assim como, na vertente política, o papel relevante que desempenhou, desde logo, como Deputado à Assembleia da República, em “momentos marcantes da evolução da Autonomia” Regional.
Neste caso, lembrou o contributo de Medeiros Ferreira para revisões da Constituição da República Portuguesa e do Estatuto Político-Administrativo da Região, assim como no âmbito da aprovação da Lei de Finanças das Regiões Autónomas.
GaCS/PC/MN

Estatuto de Apoio ao Cuidador Informal nos Açores

Presidente do Governo anuncia Estatuto para apoiar cuidadores informais de idosos
O Presidente do Governo dos Açores anunciou hoje a criação, durante este ano, do Estatuto de Apoio ao Cuidador Informal, uma medida de “grande importância” para reforçar a qualidade do apoio prestado aos idosos de toda a Região.
“Esta componente da atenção e do cuidado com este elemento fundamental desta cadeia de apoio aos nossos idosos é algo que o Governo tem desenvolvido e que pretendemos que, já neste ano de 2017, possa ser concretizado em termos de serviço disponibilizado ao cuidador informal”, afirmou Vasco Cordeiro.
O Presidente do Governo falava, nos Mosteiros, concelho de Ponta Delgada, na assinatura do protocolo com a Cruz Vermelha Portuguesa para a implementação nos Açores do serviço de teleassistência para apoio aos idosos e pessoas dependentes, disponível 24 horas por dia, todos os dias do ano.
Durante o próximo mês será aberto o período de candidaturas a este novo serviço, com os primeiros equipamentos de teleassistência a serem disponibilizados no mês de julho.
Na sua intervenção, Vasco Cordeiro salientou que o Estatuto do Cuidador Informal, destinado a apoiar aqueles que cuidam dos idosos e de quem se encontra em situação de maior fragilidade, integra-se na política social do Governo dos Açores de garantir as melhores respostas possíveis.
Segundo disse, este estatuto pretende, assim, assegurar aos cuidadores apoio diverso ao nível da formação e informação, mas também no âmbito psicossocial e de infraestruturas que permitam garantir os necessários períodos de descanso.
“A definição deste Estatuto de Apoio ao Cuidador Informal é uma medida que consideramos de grande importância”, salientou Vasco Cordeiro, ao adiantar que, por essa via, se criam as condições para que, mantendo as raízes e a ligação dos idosos às suas comunidades de origem, seja possível garantir-lhes o serviço adequado.
Relativamente ao serviço de teleassistência, uma medida do Programa do Governo agora formalizada, tem o objetivo de proporcionar o maior nível de conforto, de segurança e de tranquilidade a cada um dos seus utilizadores, destacou o Presidente do Governo.
Este serviço telefónico de apoio visa garantir o auxilio imediato em situações de risco ou emergência, contribuindo para uma maior segurança dos seus utilizadores.
GaCS/PC/MN

Comemorações do 45.º aniversário da cooperativa Profrutos

João Ponte desafia proprietários de estufas de ananás a aproveitarem fundos comunitários
O Secretário Regional da Agricultura e Florestas desafiou hoje os proprietários de estufas de ananás a aproveitarem os fundos comunitários para recuperar as estruturas abandonadas, aumentando assim a área de cultivo.
“Só tendo mais área de cultivo e mais toneladas de produção o ananás dos Açores poderá ter mais força e potencial económico”, afirmou João Ponte, que falava, em Ponta Delgada, nas comemorações do 45.º aniversário da cooperativa Profrutos.
O titular da pasta da Agricultura assegurou que o Governo dos Açores vai continuar a apoiar a produção desta importante cultura, quer no investimento, mantendo a diferenciação positiva das ajudas no setor frutícola, quer através das verbas atribuídas ao abrigo do POSEI.
João Ponte salientou que, em 2016, foram cultivados cerca de 60 hectares de ananás, o que representa um crescimento de 5,5% comparativamente ao ano anterior.
Para o governante, nesta e noutras culturas, cabe aos produtores e às suas organizações continuar a efetuar um esforço com o objetivo de facilitar o escoamento e valorizar cada vez mais as suas produções.
“A Profrutos é um bom exemplo desse esforço, aventurou-se recentemente nos mercados de quarta gama e lançará, em breve, outros produtos, como os sumos”, frisou.
João Ponte considerou ainda ser fundamental que se continue a estudar esta cultura, tal como tem feito o INOVA, “com o objetivo de produzir com o máximo de qualidade e introduzir novas técnicas produtivas, que façam diminuir custos de produção, mas sem desrespeitar o caderno de especificações de Denominação de Origem Protegida (DOP)”.
GaCS/RM/MN

Visita do Secretário Regional da Saúde da Madeira aos Açores

Rui Luís faz balanço positivo da visita do Secretário Regional da Saúde da Madeira aos Açores
O Secretário Regional da Saúde afirmou hoje, na Terceira, que é possível potenciar e fomentar ainda mais a troca de experiências entre os Açores e a Madeira a partir dos acordos celebrados entre as duas Regiões Autónomas.
Rui Luís falava aos jornalistas no final de uma visita de dois dias do seu homólogo madeirense aos Açores, durante a qual o titular da pasta da Saúde no Governo da Madeira ficou a conhecer o funcionamento do centro de atendimento da linha Saúde Açores e do 112, no Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, bem como o âmbito de aplicação dos núcleos de saúde familiar.
“Visitámos serviços que são reconhecidos como estando a funcionar muito bem, como é o caso do Núcleo de Saúde Familiar da Agualva, a par de outros núcleos, onde os cuidados de proximidade se têm vindo a destacar e a demonstrar a eficiência deste modelo” frisou Rui Luís.
O titular da pasta da Saúde, destacou ainda, na área da Proteção Civil, o modelo centralizado de chamadas de emergência médica.
“Nós temos centralizados num só espaço toda a parte de atendimento da linha 112, mas também a linha Saúde Açores, com a vantagem de o atendimento ser feito por enfermeiros, com o apoio de médicos reguladores", salientou.
“Este serviço tem sido fundamental em determinados picos de acesso aos hospitais, por exemplo, com a gripe sazonal, onde a linha acaba por fazer alguma triagem no encaminhamento para os serviços de saúde”, afirmou o Secretário Regional.
Em abril, o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores foi distinguido, na Hungria, com o prémio '112 Awards 2017', que distingue os melhores sistemas do número de emergência europeu.
A maioria das chamadas realizadas pelos utilizadores da linha referem-se à assistência em saúde.
Entre as 35 mil chamadas realizadas no ano passado, 93% foram encaminhadas para a área da saúde.
No âmbito desta visita aos Açores do Secretário Regional da Saúde do Governo da Madeira ficou estabelecido o princípio da reciprocidade na prestação de cuidados de saúde entre as duas Regiões Autónomas, além do reforço de acordos nas áreas da investigação e formação, dos comportamentos aditivos, dos rastreios oncológicos e da Inspeção Regional de Saúde.
GaCS/MS/MN