quinta-feira, 20 de abril de 2017

Encerramento da loja da TAP na Terceira e da delegação da companhia aérea nos Açores

Governo dos Açores coloca em primeiro lugar a “defesa intransigente do interesse dos Açorianos”, assegura Vítor Fraga
O Secretário Regional dos Transportes e Obras Públicas assegurou hoje, na Horta, que o Governo dos Açores pauta a sua atuação pela “defesa intransigente do interesse dos Açorianos”.
Vítor Fraga, que falava na Assembleia Legislativa, no debate sobre o encerramento da loja da TAP na Terceira e da delegação da companhia aérea nos Açores, revelou que, no dia seguinte a ser tornado público o comunicado da TAP dando conta dessa intenção, enviou “uma carta ao Ministro Pedro Marques a indicar a indignação" do Executivo regional, pelo facto de o Governo da República e a TAP "não terem comunicado aos órgãos de governo próprio da Região que tinha essa intenção”.
A carta, segundo Vítor Fraga, solicitava também ao ministro que "faça tudo o que estiver ao seu alcance, não só para reverter a situação de encerramento da loja da TAP e da delegação da TAP nos Açores, mas também para assegurar que a TAP irá manter um serviço para os Açores, no mínimo, igual aquilo que foi a oferta no último inverno IATA e naquilo que tem proposto para o próximo verão IATA”.
Nessa comunicação, Vítor Fraga referia ainda que “o encerramento de uma loja comercial, mas sobretudo de uma delegação regional de uma companhia aérea de que o Estado é o maior acionista, não pode ser encarado de ânimo leve e muito menos ser decido sem o prévio conhecimento e o adequado esclarecimento dos órgãos de governo próprio, designadamente do Governo Regional”.
“Uma decisão desta natureza e alcance, para além de criar natural apreensão nos agentes económicos em geral, revela desconsideração para com a Região, ignorando, desde logo, a ligação histórica que se iniciou nos anos 70”, frisou o Secretário Regional.
“Não estamos perante o fecho de uma simples loja comercial da TAP nos Açores, concretamente em Angra do Heroísmo, mas também do encerramento de uma delegação de representação institucional da companhia na Região”, acrescentou.
O titular da pasta dos Transportes solicitou, por isso, que o ministro “se digne promover as diligências necessárias para que esta decisão de encerramento da delegação regional e loja comercial da TAP em Angra do Heroísmo seja revertida”, aproveitando ainda para solicitar a Pedro Marques que “se digne assegurar o necessário para que a TAP mantenha a sua presença na Região, garantindo, no mínimo, o mesmo número de ligações de e para os Açores realizadas na anterior estação e aquelas que se propõe realizar na presente estação IATA”.
O Governo dos Açores aguarda agora resposta da parte do Governo da República a esta comunicação.
GaCS/HB/MN

Sem comentários: