sexta-feira, 14 de abril de 2017

D. João Lavrador celebrou o rito do lava-pés na catedral

Bispo de Angra afirma que o gesto do lava-pés é um ato de entrega e um exemplo de serviço ao próximo
D. João Lavrador celebrou o rito do lava-pés na catedral a 12 confrades da Confraria do Santíssimo Sacramento da Sé.
O bispo de Angra presidiu esta noite à missa da Ceia do Senhor e lavou os pés a 12 confrades da Confraria do Santíssimo Sacramento da Sé, em Angra do Heroísmo.
D.João Lavrador exortou os açorianos a serem testemunhas vivas do amor e da entrega de Jesus.
“Nós que nos reunimos para celebrar a Ceia Pascal de Jesus Cristo temos por obrigação viver permanentemente desta Vida Nova que nos é oferecida na Eucaristia e sermos dela mensageiros”, disse o prelado.
“Urge despertar as comunidades cristãs para este manancial de Vida que é colocado ao dispor dos baptizados para que façam esta experiência comunitária de modo que na nossa caminhada histórica nos sintamos já a participar da Vida do Ressuscitado”, acrescentou.
Referindo-se em particular ao gesto do lava-pés, tão importante para a igreja e para os cristãos, D. João Lavrador, que celebra a sua segunda Semana Santa como bispo residencial da diocese insular, lembrou que nele se encontra a “manifestação do amor sem limites” com que Deus “ama toda as criaturas e se dá inteiramente em serviço pela humanidade”. Por outro lado, refere, este gesto “convida a acolher os efeitos da participação na Eucaristia que, neste sinal, se destina ao serviço aos irmãos sobretudo os mais excluídos”.
E, acrescenta: “Se permanecermos nas nossas ideias e nas nossas tradições, não alcançaremos o horizonte para o qual Jesus Cristo nos convida ao tornarmo-nos seus discípulos”.
“A verdadeira experiência cristã que se fundamenta na vida em Cristo não pode partir de nós mas da iniciativa amorosa de Deus que se revela e nos introduz no caminho da salvação”, sublinha.
“Deus que acompanha o Seu Povo na sua caminhada no meio das vicissitudes da história, alimenta-nos com o Corpo de Cristo e dobra-se perante o homem para lhe oferecer o Seu amor, como Pai que serve os Seus filhos para os educar com o Seu exemplo”, conclui destacando que este amor não faz aceção de pessoas e abrange toda a humanidade.
A Missa da Ceia do Senhor é a primeira grande celebração do tríduo Pascal, o núcleo desta Semana Santa.
Esta sexta feira celebra-se a paixão do Senhor, às 15h00 na Sé e às 20h00 haverá pelas principais ruas do centro da cidade património a procissão do Senhor Morto.
No sábado, a Vigília Pascal tem lugar às 22h00, com transmissão em direto na RTP Açores.
IgrejaAçores/MN

Sem comentários: