quinta-feira, 20 de abril de 2017

Campeonato de Portugal Prio - Faltam 4 jogos

União Micaelense e Desp. S. Roque dizem obrigado... ao Sp. Ideal, ao Angrense e ao Lusitânia
A situação das três equipas açorianas na fase de manutenção/descidas do Campeonato de Portugal PRIO (CPP) começa a clarificar-se quando faltam 4 jogos para o final da prova.
A vitória do Sporting Ideal, por 4-3, em Gáfete, no Crato, sobre o Gafetense, colocou a equipa fora da descida directa e com mais 8 pontos do que o Lusitânia, que está, agora e de novo, na posição de disputa do “play off” de manutenção, em eliminatórias a duas “mãos”.
Na primeira eliminatória jogam, em sorteio puro, todas as equipas que ficarem em 6.º lugar. As 4 apuradas realizam mais duas “mãos” para permanecerem duas. Ou seja, das 8 que vão estar envolvidas, vão descer 6, a juntar às 16 que baixam diretamente por se classificarem nos dois lugares finais de cada uma das 8 séries.
Com o Angrense a 8 pontos do Gafetense e o Lusitânia a 7, com 12 pontos em disputa, não parece fácil à equipa alentejana ultrapassar qualquer um dos clubes de Angra do Heroísmo. Joga domingo em Alcobaça, recebendo depois o Sertanense, que também não está a salvo de disputar os tais jogos de permanência. Segue-se a viagem do Gafetense ao campo do Lusitânia, concluindo o campeonato com a receção ao União de Leiria.
Agora, uma das duas equipas da ilha Terceira dificilmente evitará jogar o “play-off”. Mas a suceder a descida de uma delas, não implica que baixem mais do que três clubes do Campeonato dos Açores. Se fossem duas ou mais despromovidas, o número de descidas do “regional” aumentaria. Por isso, União Micaelense e Desportivo de S. Roque  agradecem ao Sporting Ideal, ao Angrense e ao Lusitânia. Estão safos. Só se houver uma catástrofe.
O pior vem a seguir
Num cenário de não baixar nenhuma equipa do Campeonato de Portugal, que é uma hipótese real, beneficia o antepenúltimo classificado, que pode ser o Barreiro, a equipa mais sortuda deste campeonato açoriano. Anda quase sempre na corda bamba e lá vai ficando. Assim, desciam dois clubes apenas do Campeonato de Futebol dos Açores.
O pior é o que virá a seguir. Não descendo nenhuma equipa e subindo o campeão dos Açores, é atingido o limite de clubes dos Açores no CPP. Seis é o número de equipas permitido.
Recorde-se que a famigerada “liguilha”, que foi adoptada quando eram 3 as equipas dos Açores permitidas na antiga 2.ª divisão nacional, estará de volta quando nenhuma formação baixar do CPP. Será o último classificado açoriano a realizar dois jogos com o vencedor do Campeonato dos Açores.
Ainda há um cenário em aberto, mas que se refere a dinheiros. Sendo 6 os clubes dos Açores no CPP, os cerca de 90 mil euros atribuídos pela Direção Regional do Turismo apenas contemplam 4. Está assim determinado pelo Conselho do Governo dos Açores e que já penalizou o Lusitânia.
Uma coisa é certa. Se só baixar uma equipa, continuam 5 na prova, significando que Sporting de Guadalupe ou Desportivo de Rabo de Peixe apenas terão direito aos apoios da Direção Regional do Desporto para as viagens e para as estadas.
CA/MN

Sem comentários: