terça-feira, 21 de março de 2017

Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia

Trabalhamos para que o setor das pescas tenha mais
rendimentos, afirma Gui Menezes
O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia assegurou hoje, em Ponta Delgada, que “o [baixo] rendimento dos pescadores nalgumas ilhas é um problema a que o Governo dos Açores está atento”, frisando que esta questão “passa também muito pela relação armador-pescador”.
Nesta matéria, Gui Menezes salientou que “nem sempre é o Governo dos Açores que tem um papel fundamental”, mas assegurou que, no que depender do Executivo, "o trabalho no dia a dia é para que o setor das pescas tenha mais rendimentos”.
Gui Menezes falava no final de uma reunião com a Cooperativa Porto de Abrigo em que foram discutidos assuntos relacionados com a situação atual das pescas nos Açores.
Questionado sobre a reivindicação da Porto de Abrigo para que se realize uma paragem biológica na Região, o titular da pasta das Pescas afirmou que, do ponto de vista técnico, discorda dessa abordagem “porque não resultaria imediatamente no aumento dos stocks”.
“As paragens biológicas resultam para algumas espécies e em situações em que se registam abundâncias muito baixas”, afirmou, acrescentando que “quando não é esse o caso, as paragens têm pouco efeito na reparação dos stocks”.
Nesse sentido, apontou o exemplo da gestão do stock de goraz, em que o Governo dos Açores optou por “uma abordagem mais gradual de gestão das capturas”, através da imposição de quotas trimestrais para que no final do ano se registe um aumento efetivo do rendimento dos pescadores.
“Até agora os resultados estão a ser positivos e parece ser este o caminho”, frisou.
O Secretário Regional garantiu que “a sustentabilidade dos recursos [piscícolas] está na primeira linha das preocupações” do Governo, lembrando, nesse sentido, que está a ser elaborado um diagnóstico ao setor para verificar "se temos, de facto, um esforço de pesca demasiado [elevado] nalgumas ilhas ou não, e em que pescarias”.
“A sustentabilidade dos recursos é a base do nosso diálogo e do nosso trabalho”, assegurou, acrescentando que “esta questão se prende com o rendimento dos pescadores”.
Gui Menezes referiu que no final deste mês deverá ficar concluindo um relatório interno sobre a análise do setor que permitirá “iniciar um processo de reflexão sobre medidas para obviar alguns dos problemas identificados”.
"Em simultâneo, estamos a trabalhar com outros departamentos do Governo de modo a encontrar possibilidades de trabalho conjunto que possam resultar em medidas e soluções integradas e alternativas para o setor das pescas", afirmou.
O Secretário Regional do Mar frisou que, no que respeita às pescas, “a realidade entre ilhas é bastante diferente” e apontou como solução para alguns problemas a transferência de pescadores de ilhas onde existe um número excessivo de profissionais da pesca para outras ilhas onde se verifica falta de mão de obra na faina.
“O Governo dos Açores está sempre aberto e disponível para conversar com todas as associações [da pesca] e para irmos, em conjunto, resolvendo os problemas [do setor], disse.
O governante destacou ainda a formação de pescadores como uma prioridade deste Executivo para o setor, salientando, como exemplo, que será criado um programa para aumentar a formação da classe piscatória, através da dupla certificação que permita, simultaneamente, a escolarização dos pescadores e a atribuição da Cédula Marítima.
Segundo Gui Menezes, a formação descentralizada para cursos de pescador e arrais de pesca continuará também a ser uma aposta do Governo Regional.
Para além do encontro com a Porto de Abrigo, o Secretário Regional do Mar reuniu também esta tarde com a nova associação de pescas Sete Mares, num encontro onde foram igualmente debatidos alguns problemas identificados por esta associação e que pela sua pertinência merecerão a atenção da Secretaria.
 
GaCS/GM/MN                       

Sem comentários: