terça-feira, 14 de março de 2017

Gala de Abertura da 'Cidade do Vinho 2017' no Pico

Governo dos Açores disponibiliza meios para criação da Rota do Vinho, anuncia João Ponte
O Secretário Regional da Agricultura e Florestas anunciou, no Pico, que o Governo dos Açores apoia a intenção da Associação de Municípios Portugueses do Vinho de criar uma Rota do Vinho nos Açores, disponibilizando equipamentos ligados a esta temática, como o Museu do Vinho, bem como todo o apoio técnico necessário.
“Cria-se, assim, mais uma oportunidade de promoção internacional da Região na vertente enoturística, que é um segmento do mercado com grande potencial de crescimento”, afirmou João Ponte, que falava sábado, na Madalena, na Gala de Abertura da 'Cidade do Vinho 2017”'.
Na sua intervenção, João Ponte felicitou a Câmara Municipal da Madalena pela conquista deste título, que “permitirá promover o enoturismo no concelho, na ilha do Pico e na Região Autónoma dos Açores”.
“Esta distinção vai dar visibilidade ao extraordinário trabalho desenvolvido pelos produtores de vinho do Pico, em particular, comprovado pelos diversos prémios obtidos a nível nacional e internacional”, frisou.
A Região fez um trabalho notável nos últimos tempos na melhoria da qualidade do vinho e dos processos de produção, tendo João Ponte defendido a necessidade de “prosseguir este desenvolvimento no setor vitivinícola açoriano e reforçar a aposta na exportação para continuar a afirmar o vinho dos Açores como produto de excelência”.
O Governo dos Açores tem colocado à disposição dos viticultores fundos comunitários para a reconversão e reestruturação de vinhas, tendo sido possível através do programa VITIS, apenas nos últimos dois anos, recuperar 560 hectares de vinhas, num montante total de apoio de cerca de 15 milhões de euros, abrangendo mais de 300 viticultores.
João Ponte manifestou “muita satisfação" com estes dados, salientando que se inserem na politica de diversificação agrícola.
"Aquilo que está a acontecer na ilha do Pico é um bom exemplo. É preciso continuar esse esforço de modernização e de reconversão da vinha porque se trata de um potencial enorme para a economia açoriana”, afirmou.
O Governo dos Açores estima que, no final de 2018, existam cerca de 800 hectares de vinha apta a produzir vinhos DO (Denominação de Origem) e IG (Indicação Geográfica), o que significa um crescimento acentuado, atendendo a que há poucos anos eram apenas cerca de 100 hectares.
Este crescimento traduz-se também na produção de vinho, tendo sido registados no ano passado 250 mil litros de vinho certificado, dividido por cerca de 30 marcas comerciais, sendo a estimativa de atingir um milhão de litros dentro de poucos anos.
O vinho dos Açores tem ganho cada vez mais projeção e qualidade, fruto do trabalho e da capacidade de inovação dos viticultores e da ação desenvolvida por entidades como a Comissão Vitivinícola Regional ou o Laboratório Regional de Enologia
“Para melhorar a qualidade das vinhas e aumentar o conhecimento e a competitividade dos viticultores e produtores de vinho, o Governo dos Açores vai continuar a implementar medidas de apoio aos viticultores e às organizações de produtores”, assegurou o titular da pasta da Agricultura.
 
GaCS/SF/MN                        

Sem comentários: