terça-feira, 21 de março de 2017

Dia Mundial da Floresta na Praia da Vitória na Terceira

João Ponte anuncia, no Dia Mundial da Floresta, que foram plantadas três milhões de árvores nos últimos quatro anos nos Açores
O Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou hoje que os Açores registam "números impressionantes" no que diz respeito à reflorestação, adiantando que, nos últimos quatro anos, foram plantadas "cerca de três milhões de árvores" no arquipélago, a maioria criptomérias, mas também resinosas, folhosas e endémicas.
Um terço da área da Região Autónoma dos Açores é ocupada por floresta, tendo-se registado nos últimos anos um aumento de 85 hectares em termos de novas áreas plantadas, que foram conquistadas a áreas desocupadas e a outras afetas ao setor agrícola.
João Ponte falava na Praia da Vitória, palco central das comemorações do Dia Mundial da Floresta, que hoje se assinala, onde decorreu a atividade 'Conhecer e Sentir os Segredos da Floresta', organizada pela Direção Regional dos Recursos Florestais e pela Câmara Municipal, que contou com a presença de alunos das escolas do ensino básico e secundário, da escola profissional e do público em geral
O Dia Mundial da Floresta é assinalado hoje em todas as ilhas dos Açores, em parcerias da Direção Regional dos Recursos Florestais com autarquias e escolas do arquipélago.
“Os desafios que existem para o futuro são enormes, já que é preciso continuar o trabalho de reflorestação que temos vindo a fazer nos últimos anos”, frisou o Secretário Regional, salientando a importância da floresta nos Açores.
“Desde logo, do ponto de vista ambiental, pelo contributo que dá para o equilíbrio da Região, mas também do ponto de vista turístico, porque é uma das imagens de marca da Região como território verde, e do ponto de vista económico, porque hoje a floresta já tem a sua fileira bem organizada e isso deve-se muito ao trabalho que o Governo Regional tem feito, mas também ao trabalho dos privados, o que é preciso enaltecer neste dia”, frisou João Ponte.
Na sua intervenção, salientou que “o percurso feito nos últimos anos é extraordinário”, acrescentando que existe atualmente “um grande potencial do ponto de vista económico em relação à fileira da criptoméria”.
João Ponte anunciou que, muito em breve, “a Região vai lançar mais um concurso para exploração de matas públicas para consolidar aquilo que já é uma realidade na exportação de madeira dos Açores para a América do Norte e para que tal possa ser incrementado no futuro, do ponto de vista económico, de criação de emprego e de desenvolvimento”.
“Também nesta área, o Governo dos Açores tem a responsabilidade de abrir caminho, investigar, experimentar e orientar a atuação futura dos privados. E é isso que se tem estado a fazer”, disse.
Nesse sentido, apontou como exemplos o Programa de Melhoramento Florestal, que decorre há 15 anos com mais de 26 hectares de ensaios, ou, mais recentemente, a certificação das áreas públicas de floresta em São Miguel onde o eco-rótulo do FSC tem sido determinante na conquista dos mercados internacionais.
GaCS/SF/MN

Sem comentários: