sexta-feira, 31 de março de 2017

Inaugurado o gabinete de representação dos Açores e Madeira

Vasco Cordeiro destaca importância do Gabinete de Representação em Bruxelas para a defesa dos interesses dos Açores
O Presidente do Governo destacou a importância do Gabinete de Representação das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira em Bruxelas, hoje inaugurado, frisando que o sucesso deste espaço depende da utilização que lhe for dada pelas forças representativas das sociedades civis das duas regiões.
“Este não é um espaço de representação do Governo, mas de representação da Região e isto não é uma questão de terminologia, porque faz recair também sobre o conjunto das forças vivas da Região a responsabilidade sobre aquilo que deve ser e que será este espaço”, afirmou Vasco Cordeiro na cerimónia de inauguração.

Para o Presidente do Governo, o gabinete de representação agora inaugurado na capital belga, localizado junto ao edifício sede da Comissão Europeia, “será aquilo que os parceiros sociais, as administrações, os governos quiserem que seja”.
Na sua intervenção nesta cerimónia, que contou com a presença da Secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Margarida Marques, além de membros do corpo diplomático, eurodeputados e representantes dos parceiros sociais, Vasco Cordeiro salientou que este gabinete de representação será “um espaço de afirmação” das duas regiões autónomas portuguesas em Bruxelas, mas garantiu que “não é concorrente, nem alternativo à REPER - Representação Permanente de Portugal junto da União Europeia”.
 “Este espaço não visa apenas ser mais um instrumento a juntar ao trabalho desenvolvimento pela REPER, ao trabalho desenvolvido pelos eurodeputados, ao trabalho desenvolvido num conjunto muito variado de instituições da União”, frisou, acrescentando que, a partir de agora, existe “mais este instrumento para ajudar a promover e a defender os interesses dos Açores e da Madeira”.
“Este é o momento de início, é o momento de construção daquela que será a função deste espaço. Esta é a casa dos Açores e a casa da Madeira em Bruxelas. Utilizem-na, recorram a ela, dêem-lhe a utilidade, realizem o potencial que esta ideia claramente tem”, afirmou Vasco Cordeiro.
GaCS/FR/MN

Vasco Cordeiro salientou em Bruxelas “interesse político”

Presidente do Governo aguarda com “expetativa” estratégia da Comissão Europeia para as RUP
O Presidente do Governo dos Açores salientou hoje, em Bruxelas, o “interesse político” manifestado pelo Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, relativamente aos desafios que se colocam às Regiões Ultraperiféricas, mas frisou que é necessário aguardar pela divulgação da estratégia que será apresentada nos próximos meses.
 “Aguardo com muita expetativa essa estratégia, que dará conta, na prática, da forma como, em termos concretos, se traduz essa prioridade politica, esse interesse político”, afirmou Vasco Cordeiro, que considerou “bastante positiva” a presença de Juncker no 4.º Fórum das RUP, “sobretudo na perspetiva de assumir como interesse da Comissão Europeia esta atenção e este cuidado na definição da estratégia”.
Vasco Cordeiro, que falava aos jornalistas depois de as nove regiões ultraperiféricas terem entregado um Memorando com as suas principais preocupações e anseios ao Presidente da Comissão Europeia, salientou que o documento “pretende cobrir praticamente todas as áreas em que se pode suscitar uma intervenção diferenciada, em que as RUP têm solicitações que querem que sejam tidas em conta”.
“Julgo que pode ser um bom contributo para a elaboração da estratégia que está em fase de preparação”, frisou, destacando o facto deste documento ser entregue numa altura em que se prepara o período de programação financeira pós 2020.
Nesse sentido, Vasco Cordeiro adiantou que o “Governo dos Açores, até ao final do ano, dará início a um processo de consultas com parceiros sociais e partidos políticos” tendo em vista a “preparação das posições negociais da Região nesse âmbito”.
Por outro lado, destacou a decisão do Tribunal de Justiça da União relativamente à força do artigo 349.º do Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia, relativo às regiões ultraperiféricas, frisando que é importante ver “que força a Comissão pretende dar, que entendimento é que tem dessa decisão”.
O Presidente do Governo destacou, também, ao nível do Memorando entregue ao Presidente da Comissão, a abertura do esforço de colaboração e de concertação entre as RUP a outros domínios, nomeadamente às universidades.
“Esse aspeto parece-me importante. Obviamente que a situação é muito diferente entre cada uma das RUP, mas o que o Memorando faz é sinalizar perante a Comissão o entendimento da parte das RUP de que essa concertação, essa colaboração deve ser reforçada, deve merecer um olhar específico por parte das instituições europeias e das RUP enquanto tal”.
Vasco Cordeiro reafirmou ainda as preocupações das RUP relativamente à Política de Coesão na sequência da saída do Reino Unido da União Europeia e das suas consequências ao nível dos recursos financeiros da União.
“A nossa grande preocupação é com a Política de Coesão, que não pode, de forma alguma, ser a sacrificada nesse processo”, afirmou Vasco Cordeiro.
GaCS/FR/MN

Marta Guerreiro afirmou em Bruxelas

A União Europeia é fundamental para garantir a identidade das Regiões Ultraperiféricas, afirma Marta Guerreiro
A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo afirmou, em Bruxelas, que a União Europeia tem um papel indispensável nas Regiões Ultraperiféricas através do apoio para a salvaguarda da identidade destes territórios, sendo esse o fator que mais enriquece a Europa em termos de diversidade.
Marta Guerreiro, que falava quinta-feira no IV Fórum das Regiões Ultraperiféricas, destacou a atuação do Governo dos Açores e o papel fundamental das políticas europeias para manter a autenticidade destas regiões de forma sustentada.
Nesse sentido, salientou que "os Açores estão a ultimar uma candidatura ao programa LIFE que prevê um vastíssimo conjunto de ações nas áreas da Rede Natura 2000, terrestres e marinhas", adiantando que se trata do "maior projeto de conservação da natureza e de valorização da biodiversidade concebido para a Região”.
Relativamente ao setor da energia, Marta Guerreiro frisou que as regiões ultraperiféricas, “dadas as suas caraterísticas geográficas e climáticas, podem ser laboratórios privilegiados de implementação de políticas ambientalmente limpas, bem como de experimentação de outras contra os efeitos das alterações climáticas e consequentes catástrofes naturais, matérias que devem ser salvaguardas nos instrumentos legais e financeiros da União Europeia, fundamentalmente naqueles que são mais direcionados às RUP”.
Na sua intervenção neste encontro, a Secretária Regional adiantou que a aposta será centrada na "utilização sustentável dos recursos, nas energias renováveis, na concretização da eficiência energética e, por via disso, na implementação dos objetivos da economia circular, correspondendo assim à tendência europeia de criação de mais emprego por via do desenvolvimento de fontes de energia renováveis e de produtos e serviços energeticamente eficientes".
"Assim, em harmonia com a natureza, este constitui o contexto de excelência que se pretende para o desenvolvimento na nossa política para o turismo", acrescentou.
Para Marta Guerreiro, é urgente fazer dos Açores uma região de referência no domínio das novas economias e do desenvolvimento sustentável, através da crescente consciencialização e envolvimento de todos os setores.
GaCS/HMB/MN                        

4.º Fórum das Regiões Ultraperiféricas em Bruxelas

Vasco Cordeiro destaca importância da diferenciação das regiões ultraperiféricas no apoio a situações de catástrofes naturais
O Presidente do Governo dos Açores afirmou hoje, em Bruxelas, que a possibilidade de a União Europeia apoiar em 90 por cento a reconstrução em caso de catástrofes naturais é “um bom passo”, salientando a importância de, também nesta área, serem consideradas as especificidades das regiões ultraperiféricas.
“Naturalmente que é um apoio significativo e que ajuda, sobretudo em situações de calamidade, mas julgo que o problema que se coloca neste domínio é o de, mais do que uma situação casuística, esporádica, haver uma abordagem global quanto, não só a taxas de comparticipação, mas também em relação à elegibilidade de determinado volume de despesas que, em regiões ultraperiféricas, poderá ser menor do que aquilo que acontece, por vezes, com calamidades no território continental”, frisou Vasco Cordeiro.
O Presidente do Governo, que falava aos jornalistas à margem dos trabalhos do 4.º Fórum das Regiões Ultraperiféricas, salientou que “é importante ter noção da diferente dimensão das Regiões Ultraperiféricas em relação a outras partes da União e a necessidade de haver politicas que, muitas vezes, têm necessariamente que ter em conta essa realidade”.
“Não estamos só a falar em questões de disponibilidade de recursos, muitas vezes trata-se de questões de elegibilidade, de permitir que sejam despesas comparticipadas”, afirmou Vasco Cordeiro, para quem “este é um bom passo”, mas é necessário aguardar pela “evolução que o assunto ainda terá”.
Vasco Cordeiro salientou que os Açores têm sentido a solidariedade europeia, considerando que “há todas as razões para estarmos orgulhosos daquele que é o trajeto que a União Europeia tem feito e da forma como tem atuado em relação às diferentes regiões”, mas frisou que é importante melhorar.
“É disso que estamos a falar, de como podemos corrigir o que eventualmente necessita de ser corrigido - e existem alguns aspetos que necessitam de ser corrigidos - e como podemos elevar a outro patamar algumas políticas que estão em curso, de forma a garantir a realização dos objetivos que a União diz que são os seus”, afirmou o Presidente do Governo.
GaCS/FR/MN

Futebol nos Açores: Campeonato da Terceira, Graciosa e S. Jorge

CAMPEONATO DA ILHA TERCEIRA:
Fontinhas perto do título de ilha
Com o empate (0-0), no domingo, no campo do vizinho Lajense, o Fontinhas ficou a um pequeno passo de festejar a conquista do Campeonato da Ilha Terceira.
No outro embate da 16.ª ronda, o Salão ganhou (1-0) na visita ao NSIT. Folgou o Porto São Mateus.
16ª. jornada - Resultados:
JD Lajense, 0 – GD Fontinhas, 0
NSIT – Narauto, 0 – SC Salão, 1
Folgou: GD Porto S. Mateus
CLASIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS              J    V    E   D   GM-GS     P
1º GD Fontinhas         13   11   1    1     40–08     34
2º JD Lajense             13    9    2    2      39–11     29
3º SC Salão                13    3    4    6      08–33     13
4º Porto S. Mateus     12    3    0    9      10–31      9
5º NSIT – Terauto     13    1    3    9      07–21      6
17ª. jornada – 01-04-2017:
GD FontinhasNSIT-Narauto
Porto S. Mateus – JD Lajense
Folga: SC Salão.
CAMPEONATO DA GRACIOSA:
Praiense tira primeiros pontos ao Graciosa FC
A equipa da Mocidade Praiense foi a primeira a tirar pontos ao Graciosa FC no campeonato de séniores. Os encarnados empataram (2-2) em jogo da 14ª jornada. 
João Natal inaugurou o marcador de grande penalidade levando o Praiense a vencer para o intervalo. 
Sandro restabeleceu a igualdade para o Graciosa no arranque da segunda parte,  tendo o Praiense voltado a marcar por Luis Carlos. 
Entretanto, Márcio Teves fixou o resultado final já nos ultimos minutos do encontro.
14ª jornada – Resultado:
Mocidade Praiense, 2 – Graciosa , 2
Folgou: GD Luzense.
CLASSIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS         J    V     D    GM-GS       P
1º Graciosa FC      10    9    1    0       24 – 7       28
2º Moc. Praiense     9    3    2    4       11 –15      11 
3º GD Luzense        9    0    1    8       06 –19       1 
15ª. jornada – 02-04-2017:
GD Luzense – Mocidade Praiense
Folga: Graciosa FC.
CAMPEONATO DE SÃO JORGE:
CD Velense já é Campeão de S. Jorge
Depois do empate a duas bolas entre o Marítimo Velense e o Urzelinense, o Grupo Desportivo Velense sagrou-se, este domingo, Campeão de Ilha a faltar a este clube ainda quatro jornadas para o final do campeonato.
No Municipal das Velas, o Desportivo Velense, entrou para o jogo a precisar de uma vitória para se sagrar campeão de ilha, acabando por vencer o Futebol Clube Calheta por 4-1.
O primeiro golo surgiu aos 20 minutos através de uma grande penalidade depois do jogador do Calheta, Manuel Enes, ter cortado a bola com a mão dentro da área, tendo sido expulso. Na conversão, Rui Diogo não falhou, inaugurando o marcador.
Numa primeira parte com poucas oportunidades para o Calheta, o Desportivo Velense voltou a marcar aos 40 minutos por Tiago Cunha.
Ao intervalo as zebras, a jogar em casa, ganhavam por dois a zero.
No regresso para a segunda parte, o Desportivo Velense marcou logo aos 46 minutos por Pedro Maciel.
Uma vantagem que voltou a aumentar aos 53 minutos, com Diogo Teixeira a marcar.
O Futebol Clube Calheta bem tentava até que ao minuto 75, Sário marcou o golo de honra, reduzindo a vantagem para 4-1.
No final a festa foi do Grupo Desportivo Velense com o treinador das zebras já a pensar no apuramento para o Campeão da Associação de Futebol de Angra do Heroísmo.
Resultados da 15ª jornada:
Urzelinense, 2 – Marítimo Velense, 2
CD Velense, 4 – FC Calheta, 1
Folgou: GD Beira.
CLASSIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS         J    V   E   D    GM-GS       P
1º CD Velense       11  10   0    1       34-08       30
2º FC Calheta        12   5    3    4       23-18       18
3º Maritimo Vel.   11   5    2    4       29-22       17
4º Urzelinense       12   2    5    5       09-14       11
5º GD Beira          10   1    0    9        07-40        3
16ª Jornada – 02-04-2017: 
GD Beira – Marítimo Velense
FC Urzelinense – FC Calheta
Folga: Clube Desportivo Velense.

Futebol nos Açores - Campeonato do Faial/Pico da AFH

Campeonato Faial/Pico (A.F.Horta) 2016/17:
Desportivo Lajense alcança primeiro ponto no campeonato
O Clube Desportivo Lajense alcançou o primeiro ponto na classificação após 16 jornadas, empatou a duas bolas com o centenário Fayal Sport Clube, golos de Bruno Xavier e Paulo Reis para a formação da casa, João Pinheiro e Tiago Teixeira para os verdes da Alagoa.
    Na ilha do Faial  o Vitória Futebol Clube venceu o Angústias Atlético Clube por 1-4, os alvinegros foram a vencer para o intervalo golo de João Dias, na segunda parte a formação de São Roque deu a volta ao resultado com golos de José Carlos, Rui Nunes por duas vezes e Luís Melo.
     No vale dos Flamengos o líder do campeonato recebeu o Futebol Clube da Madalena e venceu por 2-0 golos de Yuran Delgado.
Resultados da 16ª. jornada:
Angústias Atlético, 1 – Vitória Pico, 4
CD Lajense, 2 – Fayal Sport, 2
FC Flamengos, 2 – FC Madalena, 0
CLASSIFICAÇÃO:
L   EQUIPAS         J     V    E    D   GM-GS      P
1º FC Flamengos     16   12   4     0     31–07       40
2º Vitória FC (Pico)16   11   4     1     51–13       37
3º Fayal Sport         16     6   5     5      33–21       23
4º FC Madalena      15     7   1     7     23–25       22
5º Ang. Atlético      15     3   1   11     19–42       10
6º CD Lajense         16     0   1   15     07–54         1
17ª. jornada – 02-04-2017:
FC Madalena – CD Lajense
Fayal Sport – Angústias Atlético
Vitória FC (Pico) – FC Flamengos

Futebol nos Açores: Campeonato de S. Miguel da APPD

CAMPEONATO DE SÃO MIGUEL DA 1ª DIVISÃO:
Vale Formoso sobe ao 1º lugar
O Vale Formoso ao vencer nas Furnas o Águia dos Arrifes por 1-0, subiu ao primeiro lugar do Campeonato de São Miguel em futebol senior, ultrapassando o Marítimo que folgou nesta 14º jornada.
O Vitória do Pico da Pedra foi ganhar á Casa do Povo da Maia por 4-2, e subiu ao terceiro lugar, e está a três pontos do lider. O Mira Mar atrasou-se na corrida ao título ao empatar com o Santiago em Água de Pau a duas bolas. A equipa de Rabo de Peixe B foi até Santo António bater a equiapa da casa por 2-1.
Resultados da 14ª. jornada:
Casa Povo Maia, 2 – Vitória P. Pedra, 4
Santiago FC, 2 – Mira Mar SC, 2
Santo António, 1 – Rabo de Peixe B, 2
Vale Formoso, 1 – Águia ds Arrifes, 0
Folgou: Marítimo SC.
CLASSIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS             J    V   E  D   GM-GS     P
1º Vale Formoso        13   8   4   1    3107      28
2º Marítimo SC         12   8   2   2    20–11      26
3º Vitória CPP           13   7   4   2     22–13     25
4º Àguia Arrifes        12   7   2   3     2715      23
5º Mira Mar SC         13   6   4   3     21–12     22
6º Santiago FC          12   4   4   4     17–16     16
7º Rabo de Peixe B   12   3   0   9      14–27      9
8º Santo António      13   0   4   9      13–28      4
9º Casa Povo Maia   12   1   0  11     0946      3
15ª jornada – 02-04-2017:
Rabo de Peixe B – Vale Formoso
Vitória P. Pedra – Santiago FC
Águia Arrifes – Casa Povo Maia
Mira Mar SC – Marítimo SC
Folga: Santo António.

4.º fórum das regiões ultraperiféricas em Bruxelas

Gabinete conjunto dos Açores e da Madeira em Bruxelas permite defender interesses comuns
Os presidentes dos governos dos Açores e da Madeira consideraram que o gabinete de representação conjunta das duas regiões, que abriu em Bruxelas, vai permitir defender os interesses dos dois arquipélagos.
"Este é um espaço - na nossa perspetiva e acredito que também no caso da Madeira -- não de representação do Governo, mas da representação da região", declarou o chefe do executivo açoriano, Vasco Cordeiro, notando que isto "faz recair também" sobre as forças vivas das regiões "a responsabilidade sobre aquilo que deve ser e que será este espaço".
Segundo Vasco Cordeiro, a juntar ao trabalho desenvolvido pela Representação Permanente de Portugal junto da União Europeia (REPER), pelos eurodeputados e pelas instituições da União Europeia, passa a existir com o gabinete "mais este instrumento para ajudar a promover e a defender os interesses dos Açores e os interesses da Região Autónoma da Madeira".
Para o chefe do executivo, este gabinete de representação não é "nem concorrente, nem alternativo" à REPER.
"É mais um instrumento complementar que permitirá, pelo menos numa primeira fase, um foco mais próximo, mais acentuado em relação às questões que dizem respeito às regiões ultraperiféricas", adiantou, para acrescentar que "esta é a casa dos Açores e a casa da Madeira em Bruxelas" e desafiou a que a utilizem.
Já o presidente do Governo da Madeira, Miguel Albuquerque, salientou que o gabinete concretiza um compromisso dos executivos das regiões autónomas, no sentido da concertação das posições "no contexto nacional e europeu" e no trabalho em conjunto "na defesa dos interesses comuns".
"É importantíssimo, numa altura em que a União Europeia vive momentos de reconfiguração geopolítica, em que se acentuam as interrogações e as incógnitas relativamente ao futuro desta instituição fundamental, que a Madeira e os Açores tenham uma posição física reforçada aqui em Bruxelas", frisou Miguel Albuquerque, assinalando que este espaço, localizado na praça Schuman, junto ao edifício da Comissão Europeia, não vai fazer concorrência à REPER.
Para o presidente do executivo madeirense, o gabinete é um "complemento fundamental da representação nacional".
Referindo-se às regiões ultraperiféricas, cujo 4.º fórum a elas dedicado terminou hoje em Bruxelas, Miguel Albuquerque destacou a sua importância, considerando serem "um alicerce fundamental da União Europeia", pelo que devem ser consideradas "como base de afirmação geoestratégica" no mundo.
Já a secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Margarida Marques, referiu que "há décadas que havia a ambição de inaugurar aqui este gabinete".
"Tanto quanto sei somos as últimas regiões ultraperiféricas que aqui inauguram um gabinete", disse, realçando que ocorre num dia que tem um "valor simbólico" para as RUP, que entregaram um memorando à Comissão Europeia identificando necessidades e desafios destas regiões.
Para Margarida Marques, "não basta apresentar um memorando, é preciso um acompanhamento sistemático para que as políticas tenham efeito e o impacto pretendido", pelo que o momento é "importante" para os Açores e Madeira.
A 01 de fevereiro de 2016, os governos dos Açores e da Madeira, liderados pelo socialista Vasco Cordeiro e pelo social-democrata Miguel Albuquerque, respetivamente, subscreveram dez protocolos de cooperação, no final de um encontro entre os executivos regionais.
Os acordos abrangeram a criação do gabinete conjunto de representação e outros domínios, como a proteção civil, saúde, agricultura ou juventude.
Integram as RUP, além dos Açores e da Madeira, a comunidade autónoma espanhola Canárias, e os territórios franceses Guiana, Guadalupe, Martinica, Maiote, Reunião e Saint-Martin.
Lusa/MN

quinta-feira, 30 de março de 2017

Campeonato de Futebol dos Açores:Rabo de Peixe lidera

Campeonato de Futebol dos Açores
Rabo de Peixe goleou e volta á liderança
O Marítimo da Graciosa perdeu por 5-1 na Ribeira Grande com o Desportivo de Rabo de Peixe, em jogo da 4ª jornada do grupo de apuramento do campeão, do Campeonato de Futebol dos Açores. 
Pedro Borges ainda empatou o jogo antes do intervalo, de grande penalidade, mas a equipa micaelense construiu uma vitória robusta na segunda parte. 
Com este resultado, o Rabo de Peixe volta a ultrapassar o Guadalupe na classificação, embora com um jogo a mais. 
O Sporting de Guadalupe joga no Pico no próximo domingo com o Prainha FC.
Grupo «A» – Apuramento do Campeão:
Resultasdos da 4ª jornada:
Rabo de Peixe, 5 – Marítimo Graciosa, 1
SC Vilanovense, 1 – Prainha FC, 0
Folgou: Sporting de Guadalupe.
CLASSIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS               J   V   E    D   GM-GS      P
1º Rabo de Peixe          4    3    0    1    10 – 4       48
2º Sp. Guadalupe          3   2    0    1       5 – 4       46
3º Prainha FC               3    1    0    2      2 – 3       38
4º Vilanovense             3    1    0    2      2 – 4       33
5º Marítimo Graciosa   3    1    0    2      3 – 7       28
5ª jornada – 2 abril de 2017:
Marítimo Graciosa – Vilanovense
Prainha FC – Sp. Guadalupe
Folga: CD Rabo de Peixe.
Grupo «B» – Manutenção/Despromoção:
Primeiros classificados venceram
O União Micaelense goleou em casa os Marítimos de S. Mateus por 6-1, e continua a três pontos do primeiro classificado , Desportivo de São Roque que foi ao Faial vencer o Cedrense por uma bola a zero e manteve o primeiro lugar no grupo de despromoção.
Resultados da 4ª jornada:
GD Cedrense, 0 – GD São Roque, 1
U. Micaelense, 6 – Os Marítimos, 1
Folgou: SC Barreiro.
CLASSIFICAÇÃO:
L   EQUIPAS            J   V   E   D    GM-GS      P
1º GD São Roque       3    3    0    0      4 – 1       33
2º U. Micaelense        3    2    0    1      4 2       30
3º SC Barreiro            3    2    0    1      4 – 2       20
4º Marítimos S.M.      3    1    0    2      5 – 9       17
5º GD Cedrense         4    0    0    4       2 –14       5
5ª jornada – 2 abril de 2017:
GD São Roque – U. Micaelense
Os Maritimos S.M. – SC Barreiro
Folga: GD Cedrense.

Campeonato de Portugal Prio: Praiense continua na luta

ZONA SUL - SUBIDA:
Operário ficou mais distante
Com a terceira derrota na fase de subida, zona Sul, do Campeonato de Portugal PRIO, o Operário ficou a 8 pontos do 1.º classificado, agora o Torreense, e a 7 do dueto de segundos, o Desportivo de Fátima e o Praiense.
O golo do brasileiro Alef, aos 9 minutos, permitiu a segunda vitória do Real, que tem mais 5 pontos do que a equipa lagoense.
O treinador André Branquinho surpreendeu em Massamá dando a titularidade ao jovem Álvaro Ponte, que saiu ao intervalo para dar lugar ao regressado Gonçalo Reyes, após lesão. Outro jovem em campo foi Diogo Félix, que rendeu (76m) outro regressado, o central Paulo Renato. Quem também voltou à equipa foi Ruizinho.
Depois de uma primeira parte em que o Real poderia ter marcado mais do que um golo, o Operário esteve mehor na segunda parte, já com outro jovem em campo (Patrício Coelho), que substituiu nos 20 minutos finais Bata. O empate esteve perto quando Igor Cartaxo rematou ao poste direito e o guarda-redes fez uma boa defesa a seguir.
O Praiense perdeu pela segunda vez e baixou para segundo. Marcou o golo de honra em Fátima o pauense Hélder Arruda (89m). Apesar de estar em 2.º, o Praiense tem um saldo negativo de golos (5-6).

Resultados da 6.ª jornada:
Real Massamá, 1 - Operário, 0
Desp. Fátima, 2 - Praiense, 1
Farense, 0 - Sacavenense, 0
Torreense, 3 - Louletano, 0
Classificação:
1.º Torreense, 11 pontos
2.º Desp. Fátima, 10
3.º Praiense, 10
4.º Sacavenense, 9
5.º Real Massamá, 8
6.º Farense, 8
7.º Louletano, 5 
8.º Operário, 3 pts.
SÉRIE E - MANUTENÇÃO/DESCIDAS:
Sporting Ideal mais tranquilo 
Com a vitória, por 3-2, sobre o Benfica de Castelo Branco, na Ribeira Grande, o Sporting Ideal ficou com mais 8 pontos do que o 6.º, o Gafetense, o tal lugar do “play off” que conduzirá 6 das 8 equipas participantes a descerem.
Num jogo muito interessante, André Oliveira (27m) deu vantagem ao Sporting Ideal numa das raras vezes que rematou à baliza na 1.ª parte. No segundo tempo Adriano (55m) empatou, a passe do micaelense João Ventura, mas Amaral (66m) e Ivan Reis (85m) deram dois golos de vantagem à equipa da Ribeira Grande. Adriano ainda reduziu (87m), de grande penalidade.
O Lusitânia ainda não perdeu nesta fase. A segunda vitória foi no campo do Gafetense (3-0), repetindo o triunfo da primeira fase, mas por 3-1. Está a 3 pontos do 6.º e deu boas notícias ao Desportivo de S. Roque e ao União Micaelense.
Mais complicada a tarefa do Angrense, que perdeu pela terceira vez e está a 4 do rival de Angra.

Resultados da 6.ª jornada da série “E”, fase de manutenção/descidas:
Sporting Ideal, 3 - Benf. Castelo Branco, 2
Gafetense, 0 - Lusitânia, 3
Angrense, 1 - U. Leiria, 2
Alcobaça, 0 - Sertanense, 1
Classificação:
1.º União de Leiria, 23 pontos
2.º Sporting Ideal, 18
3.º Sertanense, 17
4.º Benfica Castelo Branco, 15
5.º Lusitânia, 13
6.º Gafetense, 10
7.º Angrense, 9
 8.º Alcobaça, 5 pts.
A conhecida Naval, que na primeira fase esteve na série “E” com as equipas micaelenses, bateu o recorde da prova ao perder por 14-1 no campo do Mafra, com 9-0 ao intervalo. O golo que apontou foi na própria baliza. Com 79 golos sofridos nos 18 jogos da 1.ª fase e os 27 na série “F” da manutenção, são 106 os golos consentidos em 24 jogos.
CA/MN

II LigaPro: Santa Clara derrotado em Viseu

                “Trinta minutos num “filme” de pesadelo”                          
A derrota do Santa Clara, em Viseu, com o Académico, por 2-1, teve um final complicado, com a expulsão de 4 jogadores e dos treinador e treinador adjunto do clube açoriano.
A pressão acumulada pelos erros do jovem árbitro de Lisboa, Manuel Libório, de 28 anos de idade, explodiu aos 89 minutos. Foram expulsos Carlos Pinto e o adjunto Mário Louçano. Três minutos para além dos 90 foi o “capitão” Pedro Pacheco expulso, por alegadamente ter pisado o adversário Sandro Lima, que também viu o cartão vermelho. Na confusão, o defesa Vitor Alves também foi expulso.
Foram mostrados 13 cartões amarelos e cinco vermelhos. Igor, João Reis, Clemente e Vitor Alves também viram o cartão, mas amarelo.
Na altura das expulsões o resultado estava feito, já que o Santa Clara, que apenas pecou na finalização, inaugurou o marcador, aos 57m, por Diogo Santos. Empatou o Académico de Viseu, de grande penalidade duvidosa, por Sandro Lima, aos 72m, aparecendo o 2-1, aos 81m, por Bruno Loureiro, quando a equipa treinada por Francisco Xaló jogava com 10 elementos, pela expulsão, aos 64m, de Carlos Eduardo.
A SAD do clube de Ponta Delgada, no site oficial, classificou de “pesadelo” o que se passou nos 30 minutos finais, dizendo ter sido “um filme quase inexplicavelmente real”, afirmando na grande penalidade que ditou o empate “não existe” falta.
“Após o golo, os jogadores do Santa Clara foram constantemente condicionados na sua acção, uma atitude que se estendeu ao nosso banco, com decisões do árbitro constantemente contrárias ao que decorria no jogo”, escreveu a SAD.
“Como que fazendo parte de um guião prévio bem trabalhado, foram expulsos o treinador e treinador adjunto do Santa Clara... mais dois dos nossos atletas, e pior só não aconteceu pelo grande carácter do todo o grupo, unindo-se e não deixando que fizessem efeito as provocações que ainda se fizeram sentir após todas essas situações”, conclui a nota da administração do clube de Ponta Delgada.
Não é a primeira vez que um jogo com o Académico de Viseu acaba em confusão. A 6 de Setembro de 2015, no estádio de S. Miguel, uma grande penalidade a favor do Académico, marcada pelo árbitro João Matos, aos 88m, provocou problemas que culminaram com a entrada em campo de poucos adeptos e de distúrbios envolvendo atletas e diretores. A equipa de Viseu venceu por 2-1.
Com esta derrota no jogo em atraso da 32.ª jornada, o Santa Clara manteve o 4.º lugar, a 10 pontos do 2.º, o Desportivo das Aves, sendo alcançado pela Académica (51 pontos), que foi à Póvoa derrotar o Varzim, por 2-0. A equipa varzinista é 3.ª com mais 3 pontos do que a equipa açoriana.
Em jogo antecipado da 37.ª jornada, o União da Madeira recebeu e empatou a 1 golo com o Vizela. O União é 6.º a 1 ponto do Santa Clara e da Académica.
Escrito por CA/MN