segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Mar galgou a terra na Madalena do Pico nos Açores

Ondas atingiram 13 metros na Madalena
O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) informou que a ondulação que esta segunda-feira danificou várias estruturas na Madalena, ilha do Pico, Açores, atingiu os 13 metros, situação que "não estava prevista" e que foi "invulgar".    
"De acordo com a informação das boias ondógrafo, do projeto CLIMAAT, as ondas atingiram cerca de 13 metros de altura. Não estava previsto. A altura significativa da onda prevista era de 5,5 metros, mas chegou quase aos oito metros", informou o responsável da delegação regional dos Açores do IPMA, Diamantino Henriques, justificando que, por essa razão, não foi emitido qualquer aviso meteorológico para agitação marítima.
A altura significativa corresponde à média de uma parte das maiores ondas registadas durante um determinado período de tempo.
Segundo Diamantino Rodrigues, "normalmente os modelos que servem para definir os avisos sobre-estimam a altura das ondas; neste caso subestimaram".
A forte ondulação marítima provocou danos na Madalena e obrigou ao encerramento do porto, disseram à agência Lusa responsáveis das autoridades locais.
Segundo o presidente da Câmara da Madalena, José António Soares, a "ondulação fortíssima" destruiu o museu onde está a exposição de lulas de Malcolm Clarke e ainda o rés-do-chão do premiado Cella Bar.
"A exposição está inutilizada", declarou José António Soares.
O comandante do porto da Horta, na ilha do Faial, determinou o fecho a toda a navegação do porto da Madalena, devido às condições meteorológicas, sobretudo o estado do mar.
"Temos informação da existência de alguns danos na orla costeira da Madalena, pelo que vamos fazer uma ronda pelo local", adiantou Rafael da Silva, explicando que em causa não está a altura das ondas, mas a energia que transportam, conjugada com a hora da preia-mar, o que acabou por provocar estragos.
O Cella Bar foi galardoado pela plataforma digital 'Archdaily' com o Prémio Edifício do Ano 2016.
No domingo o capitão do porto de Santa Cruz das Flores e da Horta, Rafael da Silva alertou para o "provável agravamento do estado do mar", na tarde desta segunda-feira, em cinco ilhas dos Açores, com ondas que poderiam atingir seis metros.
O projeto CLIMAAT surgiu em 2004 e visa o desenvolvimento de metodologias para o estudo da meteorologia e clima nas regiões insulares atlânticas e a cooperação científica internacional.
Lusa/MN/foto: RadioPico

Sem comentários: