segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Empresários do Canadá nos Açores

Vinhos dos Açores interessam a empresários do Canadá
David Tavares, fundador da GlobeStar Systems, também conhecida por Connexall, explicou ao Correio dos Açores, que visitou recentemente algumas ilhas da Região acompanhado pelo Presidente e CEO da LCBO (Liquor Control Board of Ontario), George Soleas, com vista a dar a conhecer os vinhos dos Açores e gerar a importação e comercialização dos mesmos no vasto mercado canadiano.
O Fundador da GlobeStar Systems falava à margem da sessão de networking e motivação intitulada “The Power of You”, que contou com uma apresentação da speaker internacional, Jane Gaynor, e teve lugar ontem, no edifício Nonagon, na Lagoa.
Segundo David Tavares, “todos os produtos alcoólicos que entram em Ontário, têm de passar pela LCBO, é a maior empresa na área e têm vendas no valor de 6 biliões de dólares por ano.”
A LCBO já importa alguns vinhos de Portugal continental, “mas não em grande quantidade, e quis dar a conhecer os vinhos e licores dos Açores à LCBO. Essencialmente, para este propósito visitamos as ilhas de São Miguel, Terceira e Pico”, deu conta.
Os resultados, acrescentou, “foram muito positivos”. Definiram-se alguns vinhos como possíveis de se lançar no Canadá. “Não têm ainda a produção necessária mas há, no mínimo, dois vinhos que julgamos que vão ter sucesso na sua exportação para o Canadá”, considerou David Tavares.
De acordo com o empresário, natural das Feteiras e radicado no Canadá, são vinhos brancos de duas empresas do Pico, “uma propriedade de um senhor alemão e outra de uma senhora. Achamos os vinhos muito interessantes, o feedback da LCBO foi muito positivo e vamos regressar, talvez ainda este ano”.
Para terem sucesso, é importante levar os vinhos para o Canadá e fazer demonstrações, e “a LCBO é a empresa mais capaz de fazer isso, não só em Ontário mas também no Quebec”, argumentou.
Para David Tavares, a qualidade dos vinhos é inegável e com a produção suficiente podem singrar no mercado. Actualmente, existem, na ilha do Pico, “duas empresas a caminho disso.”
O fundador da GlobeStar Systems referiu que a intenção é criar uma secção de produtos açorianos na LCBO.
“Inicialmente, com os vinhos e, conforme as coisas forem correndo, vamos pensar, por exemplo, em incluir licores”, concluiu.
Escrito por: Nuno Fontes Sousa/MN

Sem comentários: