quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Restauração da Independência de 1640 - (1 Dez. feriado)

Restauração da Independência de 1640 volta a ser celebrada com feriado nacional quatro anos depois
A 1 de Dezembro de 1640 Portugal recuperou a soberania que havia perdido para Espanha 60 anos antes. O feriado foi instituído em 1910, uma das primeiras medidas aprovadas na Primeira República, em função do seu grande simbolismo.
Restauração da Independência é a designação dada ao golpe de estado revolucionário ocorrido a 1 de Dezembro de 1640, chefiado por um grupo designado de Os Quarenta Conjurados e que se alastrou por todo o Reino, pela revolta dos portugueses contra a tentativa da anulação da independência do Reino de Portugal pela governação da Dinastia filipina castelhana, e que vem a culminar com a instauração da 4.ª Dinastia Portuguesa - a casa de Bragança - com a aclamação de D. João IV.
Esse dia, designado como Primeiro de Dezembro ou Dia da Restauração, foi sempre comemorado em Portugal com muita pompa e circunstância desde o tempo da monarquia constitucional. Uma das primeiras decisões da República Portuguesa, em 1910, foi passá-lo a feriado nacional como medida popular e patriótica. No entanto, essa decisão foi revogada pelo XIX Governo Constitucional, passando o feriado a comemorar-se em dia não útil a partir de 2012.
Porém, já a partir deste ano, as comemorações do 1º de Dezembro voltaram a realizar-se no dia 1 de Dezembro, voltando, por isso, a ser Feriado Nacional, de acordo com o XXI Governo Constitucional.
Em Portugal, a primeira comemoração oficial da Restauração da Independência deu-se em 1823, no recinto do Picadeiro Real do Palácio de Belém (hoje Museu Nacional dos Coches), com a presença de D. João VI. O acontecimento deu-se não a 1 de Dezembro mas no dia 3, por “dificuldades grandes”, segundo a Gazeta de Lisboa. Foram convidados embaixadores estrangeiros, oficiais da Marinha e do Exército, “as pessoas mais conspícuas da Capital, de todas as hierarquias”, decorrendo um baile que durou até de madrugada enquanto uma sumptuosa ceia era servida no Palácio. Houve um evidente aproveitamento político das celebrações pela facção afecta ao Infante D. Miguel e ao regresso do absolutismo real.
O feriado civil mais antigo que agora voltou
O dia 1 de Dezembro é feriado desde a segunda metade do século XIX, sendo o feriado civil mais antigo, tendo sobrevivido à Primeira República, ao Estado Novo e à chegada da democracia.
Menos de uma semana após a revolução republicana de 1910, um decreto acabou com os feriados religiosos e instituiu apenas cinco dias de “folga nacional”. Os republicanos aceitaram apenas uma celebração civil vinda da monarquia: o feriado que marca a Restauração da Independência, em relação a Espanha.
É costume comemorar-se este feriado na Praça dos Restauradores, em Lisboa com honras de Estado onde também se comemora o Dia da Bandeira. Em 2012, o XIX Governo Constitucional, apoiado por uma maioria PSD-CDS e liderado por Passos Coelho, suspendeu o feriado em dia da semana a partir de 2013. Esta medida, inicialmente anunciada como abolição, foi posteriormente redesignada de suspensão. O objectivo da medida, conforme declaração do Governo, era o de “acompanhar, por esta via, os esforços de Portugal e dos portugueses para superar a crise económica e financeira que o País atravessa”.
O feriado foi reposto em Janeiro de 2016, com os votos do XXI Governo Constitucional liderado por António Costa e com o apoio parlamentar dos partidos de esquerda.
A restauração da independência sentida e vivida nos Açores
Nos Açores, mais precisamente a Praia da Vitória (ilha Terceira), e os Fenais da Luz, local onde actualmente se situa o Campo de Golfe da Batalha concelho de Ponta Delgada, também se sentiram os ventos que antecederam e deram força à restauração da independência nacional.
No tempo da Dinastia Filipina, foi na Praia da Vitória que se travou a batalha da Salga (1581) e ali, foi Portugal. Foi na então vila terceirense que o pretendente ao trono de Portugal, D. António Prior do Crato, foi aclamado rei aquando do seu desembarque nesta localidade em 1582.
Posteriormente, no contexto da Restauração da Independência Portuguesa, foi na Praia que se deu a aclamação de João IV de Portugal, quando da chegada de Francisco Ornelas da Câmara à Terceira.
Já no local histórico da Batalha, em São Miguel e hoje freguesia dos Fenais da Luz, junto à entrada do actual Campo de Golfe, ou seja a sul da freguesia, morreram 75 soldados e um oficial, das tropas de D. António Prior do Crato e das tropas Filipinas, no ano de 1582.
No azulejo, hoje existente no referido local, lê-se o seguinte:
“ Neste lugar, chamado Batalha, se travou em 17 de Julho de 1582 um combate entre as tropas de D. António Prior do Crato e de Filipe II de Espanha, morrendo setenta e cinco soldados e um oficial.”
Ana Coelho /MN

Campeonato de Futebol dos Açores: Guadalupe mais líder

Das três equipas de S. Miguel nenhuma ganhou
A derrota do Desportivo de São Roque e um empate no União Micaelense-Desportivo de Rabo de Peixe inviabilizaram que uma equipa da ilha de S. Miguel vencesse na 9.ª e última jornada da primeira volta do Campeonato de Futebol dos Açores (CFA).
No jogo entre o União Micaelense e o Desportivo de Rabo de Peixe, depois de uma primeira parte equilibrada, apenas com duas situações de golo, na mesma jogada, para o Rabo de Peixe, a segunda metade foi muito mais produtiva.
A equipa do Desportivo não quebrou com a falta de alguns jogadores, criando ocasiões para sair à frente do marcador sem sofrimentos. Cannigia e Valtinha remataram ao poste, com Nelson a opor-se bem a duas outras jogadas.
A velha máxima de “quem não marca sofre” surgiu aos 52m, com Aurino a ser oportuno na recarga à defesa incompleta de Rodrigo ao remate de Emanuel, colocando o União Micaelense em vantagem.
Oito minutos depois Aurino derrubou Canigia na área, convertendo Valtinha a grande penalidade.
Com a entrada de Luís Filipe o União começou por surgir mais vezes na área, tendo duas situações, mas São Pedro e Nani também tiveram hipóteses de marcar para os visitantes, num jogo típico desta competição, de grande aplicação dos elementos em campo.
Com o equilíbrio existente, com 2 pontos a separarem o 2.º (Marítimo da Graciosa) do 6.º (Rabo de Peixe), se a equipa da vila dos pescadores ganhar o jogo que não realizou com o Maritimos de São Mateus, fica em 2.º lugar.
O Sporting de Guadalupe já tem 7 pontos de avanço sobre o segundo. No “derby” da ilha branca, Diogo Fraga (53m) e João Silva (65m), o melhor marcador do campeonato com 8 golos, deram o triunfo do Guadalupe sobre o Marítimo.
O Desportivo de S. Roque averbou a quinta derrota, a segunda consecutiva, tendo apenas uma vitória nos últimos 6 encontros. Perdeu, por 3-1, com o Vilanovense. Evandro (21m) Márcio Fagundes (77m e 90+1m) marcaram para a equipa da Terceira. O golo do Desportivo de S. Roque foi na própria baliza, por Milton (32m).
Com 4 vitórias e com dois empates nos mais recentes 6 jogos, o Prainha está no grupo dos terceiros.
Ao nono jogo, a primeira vitória do Cedrense.

Resultados da 9.ª jornada:
Vilanovense, 1 - Desp. São Roque, 1
U. Micaelense, 1 - Desp. Rabo de Peixe, 1
Sp. Guadalupe, 2 - Marítimo da Graciosa, 0
GD Cedrense, 2 - SC Barreiro, 1 
Prainha FC, 1 - Marítimos de S. Mateus,. 0
CLASSIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS              J   V  E   D  GM-GS     P

1º Sp. Guadalupe         8   7   1   0     18 – 9      22

2º Marítimo Graciosa  8   5   0   3     14 – 8      15

3º Prainha FC              9   4   2   3     18 –12     14

4º Vilanovense            8   4   2    2    14 – 9      14

5º U. Micaelense         9   4   2   3     14 –10     14

6º Rabo de Peixe         8   4   1   3     17 –10     13

7º GD São Roque        9   3   1   5     11 –16     10

8º Marítimos S.M.       8   2   1   5       8 –10       7

9º SC Barreiro             9   2   1   6       7 –16       7

10º GD Cedrense        7   1   1   6       5 –26       4

10ª jornada – 03-12-2016:

Marítimo – SC Barreiro

Vilanovense – Os Marítimos

Prainha FC – Sp. Guadalupe

GD Cedrense – Rabo de Peixe

U. Micaelense – GD São Roque

CA/MN

Campeonato de Portugal PRIO: Praiense líder isolado

CPP / Série ''F'' : Praiense, 3 - Vilafranquese, 1
Sporting Ideal pode sonhar
Com três vitórias seguidas, duas delas frente aos guias Desportivo de Fátima e Sertanense, o Sporting Ideal pode sonhar com um dos dois primeiros lugares da série “E” do Campeonato de Portugal PRIO.
Num equilíbrio acentuado, com 6 equipas aspirando as posições que dão acesso à fase da subida de divisão, o Sporting Ideal está a 1 ponto dos dois primeiros. Mérito dos atletas e dos técnicos que ganharam, na Ribeira Grande, ao Sertanense por 1-0, com o golo a ser obtido numa grande penalidade apontada por André Oliveira (41m), desperdiçando Paulo César outra penalidade quando se estava a 10m do final.
A equipa da Sertã foi alcançada no 1.º lugar pelo Desportivo de Fátima, mas se o Benfica de Castelo Branco vencer no campo do último, a Naval, a partida em atraso, isola-se no comando da classificação, com mais 2 pontos.
Este jogo assinalou a despedida do árbitro Cosme Machado, 40 anos de idade, filiado na Associação de Futebol de Braga. Esteve 23 anos ligado à arbitragem. Despromovido no final da época à 2.ª categoria, Cosme Machado vai ser conselheiro da SAD do Sporting de Braga para a área da arbitragem.
O Operário, muito desfalcado, principalmente no setor defensivo (Paulo Renato e Hugo Simões, por castigo), apenas com 3 suplentes (Ruizinho e Caloura, lesionados), voltou a perder na Lagoa. A terceira derrota caseira foi imposta pelo União de Leiria, que marcou aos 55m, de grande penalidade, transformada por Serge Kevyn.
Num jogo dominado pela equipa de Leiria, o 2-0 não surgiu porque houve a falha de uma grande penalidade. Foi a 5.ª vitória seguida dos leirienses.
O Operário, mesmo limitado no plantel, permanece na luta...

Série “E”
Resultados da 11.ª jornada:
Operário, 0 - União de Leiria, 1
Sporting Idea, 1-  Sertanense, 0 
Carapinheirense, 0 - Benf. C. Branco, 3
Naval, 1 - Vitória de Sernarche, 1 
Ass. Oleiros, 0 - Desp. Fátima, 2
Classificação: 1.ºs Desportivo de Fátima e Sertanense, 22 pts; 3.ºs Benfica de Castelo Branco (menos 1 jogo), Operário e Sporting Ideal, 21; 6.º União de Leiria, 19; 7.º Vitória de Sernarche, 12; 8.º Carapinheirense, 9; 9.º Ass. Oleiros, 6 e 10.º Naval (menos 1 jogo), 2 pts.
Série “F”:
Resultados da 11.ª jornada:
Lusitânia, 1- Caldas, 0
Torreense, 4 - Angrense, 1
Praiense, 3 - Vilafranquense, 1
Mafra, 3 - Gafetense, 0 
 Alcobaça, 2 - Alcanenense, 4
Classificação: 1.º Praiense, 29 pts; 2.º Torreense, 26; 3.º Mafra, 25; 4.º Alcanenense, 17; 5.º Caldas, 16; 6.ºs Lusitânia e Gafetense, 13; 8.º Vilafranquense, 11; 9.º Angrense, 4 e 10.º Alcobaça, 3 pts.
CA/MN

Presidente do Governo dos Açores em Sintra defende as Lajes

Vasco Cordeiro defende abordagem mais eficaz e rápida na componente ambiental do processo das Lajes
O Presidente do Governo participou hoje, em Sintra, na reunião da Comissão Bilateral Permanente do Acordo de Cooperação e Defesa entre Portugal e os EUA, onde defendeu a necessidade de uma ação mais eficaz e mais célere na componente ambiental, em particular na sequência da decisão norte-americana de reduzir a presença na Base das Lajes.
“Nesta reunião houve alguns assuntos que, na parte específica do processo da Base das Lajes, nos mereceram uma referência especial”, caso da questão dos impactos ambientais resultantes da presença militar dos EUA nas Lajes, afirmou Vasco Cordeiro.
“Foi salientada a necessidade de uma abordagem mais eficaz e mais rápida relativamente às questões que, nesse âmbito, se colocam”, salientou o Presidente do Governo, acrescentando que outro dos assuntos analisados tem a ver com as infraestruturas utilizadas pelas forças dos EUA e que estão num processo de determinação da sua posse, após o redimensionamento da presença militar e civil na base aérea da ilha Terceira.
Vasco Cordeiro frisou, por outro lado, que, ao nível laboral, foi feito um ponto de situação deste processo, considerando um “aspeto positivo” o facto de não se terem verificado despedimentos puros e simples de trabalhadores portugueses, mas sim rescisões por mútuo acordo.
“De destacar, também, o projeto do Azores International Research Centre - AIR Centre, que alarga a importância dos Açores no âmbito, não apenas desta relação bilateral, mas da projeção externa do nosso país nos domínios da ciência e do conhecimento”, realçou o Presidente do Governo.
Segundo disse, isso é particularmente relevante com a perspetiva da realização, no início do próximo ano, de uma grande conferência internacional sobre este “projeto de tornar a Região num pólo aglutinador de competências e difusor de conhecimento sobre diversas áreas”, como as ciências atmosféricas e espaciais, as mudanças climáticas, a energia e as ciências do mar.
De acordo com Vasco Cordeiro, esta reunião da Comissão Permanente decorreu num momento muito particular, a meio de um processo de transição entre as Administrações Obama e Trump, um assunto que não esteve, porém, em discussão neste encontro bilateral de Sintra.
“Mas esta é uma matéria que acompanhámos, desde já, relativamente aos impactos que poderá ter nesta relação entre Portugal e os Estados Unidos, que tem na Base das Lajes um dos seus pilares essenciais”, assegurou o Presidente do Governo.
A Comissão Bilateral Permanente é organismo instituído pelo Acordo de Cooperação e Defesa entre Portugal e os EUA, de 1995, encarregue de promover e acompanhar a execução deste acordo firmado entre os dois países.
GaCS/PC /MN

“Altarinho do Menino Jesus” na Igreja do Colégio

Museu Carlos Machado promove atelier pedagógico "Altarinho do Menino Jesus"
A Direção Regional da Cultura, através do Museu Carlos Machado, promove domingo, 4 de dezembro, entre as 15h00 e as 17h00, no Núcleo de Arte Sacra, na Igreja do Colégio, em Ponta Delgada, a realização do atelier pedagógico “Altarinho do Menino Jesus”.
Este atelier, que se integra na nova edição da iniciativa “Domingo em Família no Museu”, visa a construção pelos participantes do seu próprio altarinho, descobrindo a sua história e simbologias, designadamente armar o presépio, a lapinha ou, em alternativa a estes, o altarinho do Menino Jesus, uma tradição muito antiga, enraizada nos costumes populares.
Esta atividade, orientada pela equipa do Serviço Educativo e pela coordenadora da Coleção de Etnografia Regional do Museu Carlos Machado, conta ainda com a colaboração da artesã Filomena Fragoso Rebelo e dos alunos do 6.º 3 e do 6.º 5, da Escola Básica Integrada Canto da Maia, orientados pelos professores Alberto Dutra, Ana Andrade, Ana Rita Afonso e Maria do Carmo Gomes.
A frequência deste atelier é gratuita, mas está sujeita a marcação prévia, que deve ser feita através do telefone 296 20 29 30.
A Direção Regional da Cultura informa que este e outros eventos estão disponíveis para consulta na Agenda Cultural do Portal CulturAçores, no endereço eletrónico www.culturacores.azores.gov.pt.
GaCS/DRC /MN

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Vitivinicultura dos Açores vai quadruplicar na produção

Área de produção de vinho no Pico vai quadruplicar nos próximos anos, afirma João Ponte
O Secretário Regional da Agricultura e Florestas, que hoje se reuniu com as organizações do setor na ilha do Pico, afirmou que, nos próximos anos, a área de produção de vinho nesta ilha "vai quadruplicar”, mas frisou que os desafios na área da vitivinicultura “são enormes”.
“Foi feito um excelente trabalho nos últimos tempos na melhoria da qualidade do vinho e dos processos de produção. Além disso, houve aqui uma oportunidade que foi aproveitar os fundos comunitários e esperamos que, nos próximos anos, a presença do vinho dos Açores ainda seja mais importante nos mercados exteriores”, salientou João Ponte.
O vinho dos Açores ganhou projeção e qualidade, fruto também do trabalho da Comissão Vitivinícola Regional, com quem o Secretário Regional também se reuniu hoje, assim como com a Adega Cooperativa da Ilha do Pico, considerando que fez um “bom trabalho no âmbito da certificação do vinho".
"Agora, o importante é que continue a haver uma aposta dos produtores e do Governo Regional para que a produção do vinho tenha um peso ainda mais importante na economia do Pico”, afirmou.
João Ponte sublinhou que “continua a haver uma margem muito grande para a diversificação agrícola, nomeadamente na área da hortifruticultura e do vinho, mas por crescimento dessas fileiras, não por redução das fileiras do leite e da carne”.
Nesta deslocação ao Pico, o Secretário Regional reuniu-se ainda com as associações de Agricultores e de Jovens Agricultores.
A fileira da carne, salientou João Ponte, “está numa situação que diria confortável", acrescentando que, atualmente, se está "a exportar muito para o continente".
"Há uma necessidade de aumentar a capacidade de frio e são necessários alguns investimentos no matadouro da ilha do Pico, mas o Governo Regional conta dar resposta positiva nos próximos tempos em relação a essa situação", afirmou.
Quanto à situação do leite, João Ponte considerou que “é quase transversal em toda a Região”, reafirmando que “tem a ver com o preço à produção, que é baixo em relação àquilo que são neste momento as necessidades dos produtores, mas aí a resposta principal virá dos mercados".
O Governo dos Açores, assegurou João Ponte, está a acompanhar essa situação com toda a atenção, mas espera que a indústria, "tão rapidamente quanto possível, dê um sinal no ajustamento dos preços, porque seria importante para o setor e para estímulo dos produtores, que têm atravessado uma situação muito complexa em termos de gestão das suas explorações agrícolas”.
João Ponte reafirmou que “já há indícios importantes que vêm da Europa com a subida do preço do leite ao produtor", acrescentando ser "natural que, mais tarde ou mais cedo, essa situação venha a acontecer nos Açores”.
GaCS/SF

Filipe Macedo destaca promoção do Turismo nos Açores

Diretor Regional do Turismo destaca importância dos desportos de mar na promoção turística dos Açores
O Diretor Regional do Turismo destacou hoje a importância que o sucesso das provas internacionais de surf e bodyboard que se realizam no arquipélago tem para a promoção dos Açores enquanto destino turístico aliado à prática de um turismo ativo, nomeadamente no que diz respeito aos desportos de mar e aventura.
Filipe Macedo, que falava na Praia de Santa Bárbara, em S. Miguel, na entrega de prémios do Azores Bodyboard Fest 2016, salientou o “sucesso organizativo e desportivo” deste evento, que contou com atletas que competem pelos lugares cimeiros do circuito europeu, além de Pierre-Louis Costes, multicampeão mundial desta modalidade.
“Estamos certos que o destino Açores será amplamente divulgado como um ótimo local para a prática desta modalidade e, quem diz esta modalidade, diz outras modalidades ligadas ao mar, como, por exemplo, o surf e o paddle”, afirmou o Diretor Regional, frisando a importância da presença dos Açores em “órgãos de comunicação social especializados”, mas também da “partilha de imagens, vídeos e comentários nas várias redes sociais”.
Na sua intervenção, salientou também que o apoio que tem sido dado “de uma forma constante, há alguns anos” à realização de eventos de surf e bodyboard nos Açores está a ter um “efeito muito positivo na criação de empresas que se dedicam à prestação de serviços nesta área”.
“Este efeito é ainda mais importante porque contribui de forma decisiva para a consolidação da oferta de animação turística na Região”, afirmou, acrescentando que “hoje em dia, já não é estranho verificarmos, durante quase todo o ano, a presença de visitantes que usufruem de uma sessão de paddle numa lagoa ou que aproveitam a estadia nos Açores para se iniciarem no surf ou no bodyboard através das várias escolas que já existem na Região”.
GaCS/DRTu /MN

Azores Trail Run 2017- Trail das Baías no Faial é novidade

NOTA DE IMPRENSA
Horta l 15/11/2016
 
 
INSCRIÇÕES PARA O AZORES TRAIL RUN 2017 JÁ DISPONÍVEl
Trail das Baías é a grande novidade desta edição.

Já se encontram disponíveis inscrições para as várias provas do Azores Trail Run, que se realiza na ilha do Faial, em maio de 2017.
Nesta edição, a novidade é a introdução de um novo percurso de 25 km, o Trilho das Baías, com partida do Forte de São Sebastião e chegada à Ribeirinha e que pode ser feito a correr ou a caminhar e ainda em modo Nordic Walking. A Caminhada Nórdica utiliza técnica e bastões especialmente concebidos para melhorar a experiência de caminhada natural e acessível mesmo a quem tem pequenas limitações físicas. O Nordic Walking é um treino mental e físico, de corpo inteiro, apreciado por todos, em vários níveis. O Trail das Baías/MMBW – Most Beutiful Bays in the World pretende proporcionar aos participantes a atmosfera vivida numa corrida noturna, partindo de um antigo Forte de defesa da cidade da Horta dos ataques de piratas, numa das Mais Belas Baías do Mundo, em que o espírito de aventura e descoberta são as palavras de ordem, num percurso que permite desfrutar do nascer do sol na montanha do Pico, iluminandoa cidade da Horta e a sua baía.
A este junta-se a 6ª edição do Trilho dos 10 Vulcões (22km), a 4ª edição do Faial Costa a Costa (48 km) e a 2ª edição do Endurance Trail Ilha Azul (70 km). Recorde-se que, em 2016, o grande vencedor do Trail Ilha Azul foi o polaco da Salomon Kamil Lesniak, que percorreu os 70 km em 07h06m52s.
Em 2017 repete-se também o Family Trail, prova de 10 km que se estreou em 2016, com o objetivo de integrar e dar oportunidade de participar, a andar ou a correr, a um maior número de pessoas na grande festa do trail running que acontece nessa altura no Faial, abrindo-a não apenas aos atletas mais experientes, mas a todas as pessoas que queiram fazer parte.
Para além de incluir os circuitos oficiais da Associação de Trail Running de Portugal em 2017, as provas do Azores Trail Runpermitem, como já vem sendo habitual, pontuar para o Ultra Trail do Monte Branco.
As inscrições estão disponíveis através do site oficial da prova, em www.azorestrailrun.com, sendo que, até ao final de fevereiro próximo, não haverá agravamento dos preços. O limite máximo para inscrições é o dia 30 de abril de 2017.
Nesta edição, e tendo em atenção o aumento da procura a que esta prova tem assistido de ano para ano, a organização estabeleceu um limite de inscritos, que no total das provas é de 750 atletas.
Em 2017 decorrerá também a segunda edição do Km Vertical da Ilha do Pico, prova que decorrerá a 26 de maio, um dia antes das provas realizadas no Faial. A primeira edição desta prova aconteceu em 2016 e foi ganha pelo austríaco Andreas Tomann.
 
962 757 454 (Mário Leal; Diretor ATR) comunicacaoatr@gmail.com

A edição de 2016 do Azores Trail Runcontou com cerca de 750 atletas inscritos, de 35 nacionalidades. Um dos objetivos principais para 2017 é continuar a internacionalização do evento.
O Azores Trail Runé organizado pelo Clube Independente de Atletismo Ilha Azul, e conta com o apoio do Governo Regional dos Açores.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Livro ''E da Lava Brotou o Pão'' apresentado nas Lajes

Obra é da autoria de João Ávila
Museu dos Baleeiros acolhe lançamento de livro de João Madruga Ávila
O Museu dos Baleeiros, nas Lajes do Pico, é palco, na sexta-feira, pelas 21:00, da apresentação do livro "... E da Lava Brotou o Pão", da autoria de João Madruga Ávila.    
"A obra, composta por 18 capítulos, aborda vários temas, desde o Espírito Santo, o Entrudo e o Natal, mas também a festa da matança, as vindimas, o cultivo e a apanha do milho", informa o Governo dos Açores.
João Madruga Ávila, natural das Lajes do Pico, foi um dos fundadores e diretor do jornal ''O Estímulo'', do Externato Particular das Lajes do Pico, e correspondente, em São Jorge e do Faial do jornal ''O Dever'', colaborando ainda em jornais do continente e dos Estados Unidos da América.
Em 2005 publicou o seu primeiro livro – ''Vivências da minha Infância'' e em 2006 o livro ''Estórias contadas e vividas''.

Língua portuguesa é uma vantagem para lusodescendentes

Saber falar português favorece lusodescendentes no mercado laboral canadiano
A língua portuguesa é uma vantagem para muitos lusodescendentes quando tentam entrar no mercado laboral do Canadá, admitem muitos jovens, filhos de emigrantes portugueses.    
"Saber falar português foi uma vantagem, porque além do inglês e francês (línguas oficiais do Canadá), falar português permitiu-me arranjar trabalho como hospedeira numa companhia de aviação em Toronto", afirmou Laura Esmerado, de 27 anos.
A lusodescendente, filha de emigrantes de Águeda (distrito de Aveiro) e de São Miguel (Açores), é licenciada em Representação para Cinema e Televisão.
A língua portuguesa aprendeu "em casa, com a família, pois muitos não falavam inglês, melhorando também através da leitura de jornais comunitários".
A cantora Nelly Furtado é a sua grande referência luso-canadiana, até porque singrou também na vertente das artes, área que Laura Esmerado optou por seguir na universidade.
Por "laços familiares cresci junto a um Orfeão (Stella Maris), o que me ajudou a desenvolver o vocabulário no português. Depois apaixonei-me pela música portuguesa, além da gastronomia", acrescentou.
Há um ano Paulo Pereira, de 21 anos, começou a trabalhar no Banco e Montreal (BMO), no balcão do Centro Comercial 'Dufferin Mall', numa área onde reside uma grande comunidade portuguesa.
"O trabalho que tenho hoje no Banco de Montreal é porque sei falar a língua de Camões", afirmou o filho de emigrantes de Arcos de Valdevez (Viana do Castelo).
Aprendeu a língua materna a em casa, por influência dos pais. Depois, durante três anos frequentou a escola de português 'Caminho do Saber' e manteve-se envolvido com a comunidade portuguesa no Canadá.
"Numa reunião recente com elementos do Governo do Ontário, abordamos algumas das dificuldades que a nossa comunidade atravessa. Uma delas é a importância da transição de certos serviços de inglês para português para que a nossa comunidade possa estar mais informada dos seus direitos", frisou.
Mais a oeste de Toronto, em Kitchener, a lusodescendente Michelle Ramos, de 24 anos, filha de emigrantes da Ilha Terceira (Açores), enalteceu a importância de saber falar o português como segunda língua, por motivos profissionais.
"Quando pretendes candidatar-te a um trabalho, os empregadores perguntam-te sempre por uma segunda língua", sublinhou a luso-canadiana, sublinhando que às vezes no seu local de trabalho, uma instituição financeira, "aparecem clientes portugueses que não falam inglês, ou que falam espanhol", que é percetível.
Michelle Ramos, que é licenciada em jornalismo de rádio e televisão, contou que aprendeu português em casa pois a sua avó "não falava inglês", e para falar com ela "tinha de saber o português".
Sem nunca visitar Portugal, Amanda Resendes, de 28 anos, também conseguiu emprego de assistente administrativa numa clínica dentária graças à língua portuguesa.
"Cerca de 75 por cento dos utentes da clínica são portugueses. Trabalho na área da ortodontia numa clínica. Saber falar português contribuiu bastante para conseguir este trabalho, até porque mais ninguém aqui fala português", frisou.
Filha de emigrantes de Santa Maria e do Faial (Açores), Amanda Resendes tem um "grande orgulho em ser lusodescendente", e espera "um dia visitar Portugal, na companhia da filha".
Oficialmente, há 429 mil portugueses e lusodescendentes no Canadá (censos 2011), mas calcula-se que existam cerca de 550 mil, estando a grande maioria localizada na província do Ontário. Estima-se que entre 60% a 70% sejam de origem açoriana.

II Liga: Santa Clara deixa fugir a vitória em cima do minuto 90

Açorianos marcaram 10 minutos antes
Leixões, 1 - Santa Clara, 1
 Penálti aos 90 minutos 'safa' equipa da casa
Leixões e Santa Clara empataram este domingo 1-1 em jogo da 16.ª jornada da 2.ª Liga, com a equipa de Matosinhos a assegurar a igualdade de grande penalidade, aos 90 minutos.
Telmo Castanheira, de cabeça, abriu o marcador aos 80 minutos, respondendo Belly, de grande penalidade, no minuto 90, um resultado que deixou os açorianos no quarto posto, mas já a sete pontos dos lugares de promoção, e os matosinhenses na 20.ª posição, a cinco pontos dos postos de manutenção.
Num duelo entre equipas à procura do regresso às vitórias, o Leixões surgiu em campo a dominar, criando várias oportunidades na fase inicial da partida para chegar à vantagem.
O chinês Shiao Wei (9'), num lance precedido de falta, teve a melhor ocasião dos locais na primeira parte, rematando a cerca de 30 metros da baliza, com a bola embater no poste direito.
Com o Santa Clara em busca dos lugares de promoção, a partida ganhou um novo equilíbrio, acabando Ricardo Moura, na baliza do clube de Matosinhos, por fazer prevalecer o empate ao intervalo, com defesas a remates de João Reis (34') e Telmo Castanheira (45').
Na segunda parte, o Leixões manteve o controlo do jogo, teve através de Ludovic (51' e 62') duas ocasiões soberanas para marcar, a primeira deles deu a ilusão de golo, de tão junto ao poste direito a bola passou.
Telmo Castanheira, a unidade de maior qualidade nos açorianos, começou então a mudar o cariz da partida, primeiro num remate em arco (68') que passou sobre a barra e depois com o golo (80'), numa oportuna finalização na área a cruzamento da esquerda de Igor.
O empate surgiu de grande penalidade, apontada por Belly, a castigar derruba na área de Serginho sobre Malele.
Jogo no Estádio do Mar, em Matosinhos.
Leixões - Santa Clara, 1-1.
Ao intervalo: 0-0.
Marcadores:
0-1, Telmo Castanheira, 80 minutos.
1-1, Belly, 90 (grande penalidade).
Equipas:
Árbitro: Bruno Paixão (AF Setúbal).
Leixões: Ricardo Moura, André Teixeira, Freitas, Wellington, Belly, Bruno China, Salvador (Gonçalo Gregório, 81), Bruno Lamas (Chiquinho, 70), Ludovic (Malele, 77), Fatai e Shiao Wei.
(Suplentes: Assis, Rui Cardoso. Chiquinho, Lucas, Silvério, Malele e Gonçalo Gregório).
Treinador: Daniel Kenedy.
Santa Clara: Serginho, João Dias, Victor Massaia, Accioly, Igor, Diogo Santos, Pacheco, Telmo Castanheira (Hugo Santos, 85), João Reis (Rúben Saldanha, 67), Berny Burke (Batatinha, 45) e Clemente.
(Suplentes: Pedro Soares, Hugo Santos, Pineda, Rui Silva, Batatinha, Rúben Saldanha e Diogo Ribeiro).
Treinador: Rui Amorim.
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Bruno China (07), Victor Massaia (33), Igor (36), Chiquinho (79), Serginho (88) e Batatinha (90+4).
Assistência: cerca de mil espectadores.
Autor: Lusa

domingo, 27 de novembro de 2016

Futebol nos Açores - Taça da A.F.Horta:

FAIAL/PICO:
Taça A.F. Horta 2016/17:
Vitória FC do Pico vence a taça da AFH
Terminou a Taça AF Horta, com o vencedor o Vitória Futebol Clube de São Roque do Pico a empatar na Madalena a uma bola.
O Fayal Sport  ficou na terceira posição, isto após mais um empate, desta feita perante ao Segundo classificado o Flamengos a dois golos.
Em jeito de balanço desta Taça, referir que o Vitória FC foi o vencedor, garantido desde logo presença na Supertaça Dr. Manuel Faria de Castro, prova essa a ser realizada no mês de Maio de 2017 em local a definir.
As atenções estarão agora viradas para o campeonato, sendo que o mesmo terá início no próximo fim de semana, com o Fayal Sport a estrear-se em casa diante do Lajense, Madalena recebe o Flamengos e o Vitória o Atlético.
Resultados da 10ª. jornada:
CD Lajense, 0 – Angústias Atlético, 2
Fayal Sport, 2 – FC Flamengos, 2
FC Madalena, 1 – Vitória do Pico, 1
CLASSIFICAÇÃO:
L   EQUIPAS         J   V  E   D    GM-GS      P
Vitória FC         10  8   2   0      28 – 7       26
2º FC Flamengos    10  6   1   3      19 –13      19
3º Fayal Sport         10  4   3   3      16 –15      15
4º FC Madalena      10  4   2   4      13 –14      14
5º Ang. Atlético      10  3   0   7      10 –18        9
6º CD Lajense         10  1   0   9        6 –25        3
Vencedor: Vitória Futebol Clube do Pico

Futebol nos Açores: Ilhas Terceira e Graciosa

TERCEIRA:
CAMPEONATO DA ILHA TERCEIRA:
GD Fontinhas segue isolado na campeonato
3ª. jornada - Resultados:
GD Fontinhas, 3 – SC Salão, 1
Porto S. Mateus, 2 NSIT- Terauto, 1
Folgou: JD Lajense.
CLASIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS              J   V   E  D  GM-GS    P
1º GD Fontinhas          3   3   0   0    11 – 2      9
2º JD Lajense               2   2   0   0     6 – 1       6
5º GD BR S. Mateus    3  1   0    2     3 – 7       3
3º NSIT – Terauto       2   0   0   2      1 – 7       0
4º SC Salão                 2   0   0   2      2 – 6       0
4ª. joranda – 27-11-16:
JD Lajense - GD Fontinhas
GD BR S. Mateus - NSIT- Terauto
Folga: SC Salão .
GRACIOSA:
CAMPEONATO DA ILHA GRACIOSA:
Goleada de abertura
Campeonato de séniores começa com 2-5 na Luz
Ao contrário da primeira prova de séniores, o Campeonato da Graciosa abriu este domingo com muitos golos. 
O Graciosa FC foi à Luz na ronda inaugural bater o Luzense por 2-5. 
A equipa de Pedro Gil entra de pé direito na principal prova da temporada, com golos de Márcio Teves, Kevin Cunha, Pedro Andrade, André Arruda e Duarte Silva.
Os golos da equipa da casa tiveram a assinatura de George Ortins e de José Élio.
No próximo sábado o Graciosa recebe o Mocidade Praiense.
1ª jornada – Resultado:
GD Luzense, 2  - Graciosa FC, 5
Folgou: Mocidade Praiense
CLASSIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS         J    V  E  D   GM-GS    P
1º Graciosa FC       1    1   0   0      5 – 2      3   
2º GD Luzense       1    0   0   1      2 – 5      0     
3º Moc. Praiense    0    0   0   0      0 – 0      0 
2ª. jornada – 27-11-16:
Graciosa FC – Mocidade Praiense
Folga: GD Luzense.

Futebol em São Miguel - Taça de Honra da AFPD

SÃO MIGUEL:
Taça Honra da AFPD - João de Brito Zeferino
SÉRIA «A»
10ª jornada – Resultados: 
Rabo de Peixe B, 1 – Vale Formoso, 2
Marítimo SC, 1 – Casa Povo Maia, 0
Folga: Águia dos Arrifes.
CLASSIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS            J  V  E  D   GM-GS      P
Vale Formoso       8   8  0   0     26 – 1      24
2º Águia Arrifes        8   4   2   2     19 –11     14
3º Marítimo SC         8   4   1   3      8 –11      13
4º Rabo Peixe «B»    8   2   1   5     14 – 8        7
5º Casa Povo Maia    8   0   0   8       5 –30       0
Vencedor-Finalista: FC Vale Formoso.
SÉRIE «B»:
6ª jornada –  Resultados:
Mira Mar, 3 – Santiago FC, 0
Santo António, 2 – Vitória P.Pedra, 0
CLASSIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS        J   V  E  D  GM-GS     P
Santiago FC     6   4   0   2      9 – 7     12
2º Mira Mar SC     6   3   0   3      9 – 8       9
3º Vitória CPP       6   3   0   3      7 – 8       9
4º Santo António   6   2   0   4      7 – 8       6
Vencedor-Finalista: Santiago Futebol Clube.
PS: FC Vale Formoso e Santigo FC vão disputar a final da Taça de Honra da AFPD para apurar o vencedor do primeiro troféu da época.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

42º Aniversário do Centro Cultural Português de Mississauga

 42º Aniversário com Jantar do Gala e ilustres convidados
O Centro Cultural Português de Mississauga celebrou no passado sábado dia 19 de Novembro a passagem do seu 42º Aniversário, com um jantar de Gala no salão nobre das suas magnificas instalações  da coletividade na cidade de Mississauga.
Em Fevereiro de 1974, um grupo de 10 portugueses visionários radicados no Canadá uniram esforços e procederam à abertura da primeira agremiação portuguesa na cidade de Mississauga.
Deste modo nascia o Clube Português de Mississauga que desde a sua génese prima por representar a diversidade cultural de Portugal no seu todo, sem se restringir a nenhuma região, e cuja denominação viria a alterar-se para o actual e mais abrangente nome de Centro Cultural Português de Mississauga (CCPM), no ano 2000 portanto há 16 anos  ao ver alargada a sua influência e actividade nas novas instalações em Streetsville.
O  jantar de Gala contou com alguns convidados especiais como a antiga presidente da Câmara Municipal de Mississauga, Hazel Mc.Callian que foi acompanhada pelo seu filho Peter Mc.Callian  e o Monsenhor Eduardo Resendes que estiveram na mesa de honra.
Gigan Sikand – MP Mississauga Streetsville por não poder comparecer nesta noite, foi representado por Laura da Silva e Lindsey Reese, que enviou cumprimentos ao presidente do CCPM que recebeu  a entrega um diploma de congratulações pelo aniversário do Centro Cultural.
Lena Barreto foi a MC que conduziu ao longo da noite as cerimónias e apresentou vários convidados a dirigirem os parabéns e darem uma palavra de incentivo  a toda a direção administrativa que faz deste Centro Cultural o sucesso de continuar a evoluir ao longo dos anos.
No incio foi distribuido champanhe por todas as mesas para brindarem e cantarem os parabéns a esta grandiosa instituição da comunidade portuguesa de Mississauga.
Depois foi chamado o Monsenhor Eduardo Resendes que dirigiu grandes elogios e disse foi um dos primeiros sócios do clube desde a sua fundação. ‘’O CCPM é o orgulho da comunidade portuguesa em Mississauga e no Canadá’’.
O presidente Tony de Sousa, também referiu que todo o seu trabalho não seria possivél com a ajuda de toda a direção e voluntários que dão muitas horas do seu tempo ao clube em especial a sua esposa Luísa de Sousa que é o seu braço direito, agradecendo no final ao chamar todos os elementos da direção a receberam uma oferta e tirarem uma foto.
De realçar a presença das duas netas do presidente, alunas da escola de português do CCPM, que apresentarem os parabéns ao  av|ô, Tony de Sousa, com cartaz com as cores da bandeira de Portugal com os dizeres: ''Parabéns CCPM''. 
Também Gilberto Moniz agora presidente da Assembleia geral e ex- presidente, dirigiu algumas palvavras e disse que actual presidente Tony de Sousa está a fazer um exelente trabalho o que não é nada fácil. No final frizou ‘’ Que o CCPM é a segunda casa dos luso-canadianos de Mississauga e arredores é o espelho desta comunidade portuguesa’’.
O comendador, Jack Prazeres, também  ex. presidente do CCPM também dirigiu grandes elogios enquanto pertenceu ao CCPM como também deu os parabéns pelo exelente trabalho realizado até hoje e que é para continuar para a grandeza da comunidade.
Alfredo Pita – Presidente do Conselho Fiscal, também lembrou que o projeto foi realizado com o retorno da escola de português para crianças ao Centro e o grupo de jovens entre outras atividades.
No final das cerimónias foi cortado o majestoso bolo de aniversário, e entregue aos membros da direção as respetivas ofertas.
O Conjunto ‘’Tabú’’ animou o resto da noite após o jantar, com o baile e música variada para dançar até madrugada.
JGS
Nesta noite de aniversário foram destacados pela apresentadora Lena Barreto os seguintes membros:
Sócios Honorários:
  • Horácio Domingos
  • Angie Câmara
  • Comendador Jack Prazeres
  • Vitor Vieira
  • Alberto Rocha
  • Alberto Teixeira
  • Armindo Silva
Sócio de Mérito:
  • Albertino Domingues
O Executivo:
Tony De Sousa – Presidente do Excecutivo
Manuel Gilberto Moniz – Presidente da Assembleia Geral
Alfredo Pita – Presidente do Conselho Fiscal
Ricardo Costa - Presidente da Juventude

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Basquetebol Masculino: U. Sportiva segue no 3º lugr

IV CAMPEONATO NACIONAL 1.ª DIVISÃO MASCULINA
União Sportiva é terceiro classificado
A equipa masculina do União Sportiva está no lote dos terceiros classificados no Grupo Centro/Sul-Sub Grupo 1 da 1.ª divisão masculina de basquetebol.
Domingo, a formação de Ponta Delgada venceu, em Queluz, por 72-64, o Basket de Queluz, que só ganhou um desafio dos 4 que disputou.
O União Sportiva somou a terceira vitória, mas já perdeu um encontro. Tem menos dois jogos do que os líderes Algés e Núcleo de Basket de Queluz.
Resultados da 6.ª jornada:
Basket Queluz-União Sportiva, 64-72;
Desp. Escola Alberta Menéres-Algés, 26-76;
Cruz Quebradense-Núcleo Basket de Queluz, 56-61
Salesianos do Estoril-Salesianos de Lisboa, 40-57.
Classificação:
1.º Algés, 12 pontos 
2.º Núcleo Basket de Queluz, 12
3.º Cruz Quebradense (menos 2 jogos), 7
4.º União Sportiva (menos 2 jogos), 7 
5.º Salesianos do Estoril, 7;
6.º Salesianos de Lisboa (menos 2 jogos), 6;
7.º Basket de Queluz (menos 2 jogos), 5;
8.º Estoril Praia (menos 1 jogo) 5
9.º Desportivo Escola Alberta Menéres (menos 1 jogo), 5 pts.
CA/MN

FUTSAL - Taça de Portugal - 2ª Eliminatória:

Taça de Portugal de futsal - S. Miguel continua representada
Norte Crescente e Atlético dos Ginetes estão pela primeira vez na 3.ª eliminatória da Taça de Portugal de futsal masculino.
O Norte Crescente foi a Vila Pouca de Aguiar eliminar a Casa do Benfica local, classificada em 9.º e penúltimo lugar na série “A” da 2.ª divisão, ganhando por 4-1.
Na época passada o Norte Crescente, atual 2.º classificado da série Açores da 2.ª divisão nacional, não passou da 2.ª eliminatória. Perdeu, em Lisboa, por 7-5, com o Atlético, depois de ter eliminado a Casa da Ribeira, por 4-0.
Na 1.ª fase desta competição, o Norte Crescente eliminou o Sporting de Sabugal.
O Atlético dos Ginetes, incorporado na zona Sul, jogou em Ferreira do Alentejo com o Sporting Ferreirense. No final do tempo regulamentar registava-se um empate a 3 golos, resultado que se manteve no prolongamento. No desempate por pontapés desferidos da marca de grande penalidade, o Atlético dos Ginetes converteu duas contra nenhuma do Ferreirense. O guarda -redes dos Ginetes voltou a estar em excelente plano.
A equipa alentejana ocupa o 8.º e antepenúltimo lugar na série “F” da 2.ª divisão, com duas vitórias, 2 empates, 4 derrotas e 21-24 nos golos.
O Atlético dos Ginetes,  penúltimo da série Açores, afastou na ronda anterior, em Chaves, a Associação Cimo da Castanheira (2-2 no tempo regulamentar e 2-4 nas penalidades).
Pelo caminho ficou o Matraquilhos. Foi goleado pela Associação Cultural e Recreativa de Lordelo, por 8-1. A equipa da freguesia de Guimarães é 4.ª classificada da 1.ª divisão do campeonato de futsal da Associação de Futebol de Braga.
SANTA CLARA DE FORA
O Santa Clara não repetiu a boa prestação da época passada na Taça de Portugal feminina.
Perdeu, sábado, em Torres Vedras, por 4-3, com a Associação Recreativa e Cultural de Arneiros, dando uma excelente luta à equipa que lidera o principal campeonato da Associação de Futebol de Lisboa, com 8 vitórias e 1 empate.
O Arneiros, com 46-12 em golos nos 9 jogos do campeonato, sentiu imensas dificuldades para afastar a formação de Ponta Delgada.
Na época passada o Santa Clara atingiu a 4.ª eliminatória, baqueando, em S. Miguel, em Janeiro deste ano, por 4-3, com o Clube Desportivo da Ourenta, que militava no campeonato nacional.
CA/MN