segunda-feira, 31 de outubro de 2016

''Halloween Night'' no C.C.P.Mississauga

Centro Cultural Português de Mississauga
 Noite de Halloween com concurso e baile
A noite do passado sábado dia 29 de Outubro foi dedicada ao ''Halloween'' que incluiu um delicioso jantar, baile e concursos para premiar os melhors mascarados.
O Centro Cultural Português de Mississauga está sempre ao lado dos sócios e organiza ao longo do ano vários eventos culturas e recreativos todos os fins de semana.
Desta feita foi a vez de festejar o ''Halloween'' que teve este ano um grande número de participantes desde crianças aos adultos que se apresentaram no salão nobre do PCCM todos vestidos á maneira, muitos bem disfarsados com trajes bem engraçados outros um pouco mais feios paar meter medo nesta época festiva de Outono. Foram muitos os sócios e amigos que marcaram presence numa noite bem divertida com baile abrinhantado pelo conjunto ''Santa Fé'', após o jantar.
No intervalo o presidente Tony de Sousa, apresentou os juris e o desfile de crianças começou terminado com os adultos. Foram premiados os primeiros três concorrentes que receberam os respetivos trófeus entregues pela vice-presidente do PCCM, Nancy Vieira.
Este sábado sera a vez da Noite do Marisco, marque já o seu lugar nesta fabulosa noite.
JGS

Campeonato de Portugal - Série E: Operário perde em casa

Campeonato de Portugal Prio - Série E:
Operário, 0 - Sertanense, 1 
Rodrigão erra e cede liderança ao Sertanense
O jogo entre os primeiros da Série E foi condicionado pelo mau tempo. O vento forte que se fez sentir deitou por terra qualquer estratégia delineada pelos treinadores e acabou por ser um deslize do guarda-redes Rodrigão a determinar a vitória do Sertanense.
Com o jogo a ser disputado e discutido a meio campo, zona do terreno onde a equipa da Sertã ganhava algum ascendente, as situações de ataque escasseavam e daí a falta de oportunidades claras até ao final da primeira parte.
Com a melhoria das condições climatéricas também a qualidade do jogo correspondeu. O Operário, inconformado, reentrou melhor e criou duas oportunidades, primeiro por Dani, que obrigou Miguel a defesa apertada, e depois por Fábio Gomes, que fez passar a bola rente ao poste com o guarda redes fora do lance.
Não marcou o Operário, marcou a Sertanense. Tito aproveitou um deslize de Rodrigão para fazer o golo que colocou a sua equipa em vantagem, aos 66’. A equipa açoriana reagiu e, na resposta, Dani atirou ao poste da baliza com Miguel já fora do lance.
Quando a equipa da Lagoa procurava chegar à igualdade, Miguel segurou a vitória – que valeu a liderança – com duas excelentes defesas.
O que dizem os treinadores: 
André Branquinho, treinador do Operário
"A derrota é injusta e não era o que esperávamos, pese o valor do adversário. Assumo o desaire",
Gonçalo Monteiro, treinador do Sertanense
"Estivemos por cima na partida e anulámos os pontos fortes do Operário. O objetivo foi plenamente atingido"
MN/Autores: Mário Cunha | Foto: Alvaro Miranda

II LigaPro: Santa Clara sofre nova derrota em casa

Zé Tiago fez o primeiro da partida. Foto: Amândia Queirós
Santa Clara, 0 - Desp. Aves, 2
Assalto ao 2º lugar com vitória nos Açores
O Aves venceu este domingo no reduto do Santa Clara por 2-0 e ascendeu ao segundo lugar da Segunda Liga de futebol, com os mesmos pontos dos açorianos, em encontro da 13.ª jornada.
Num jogo onde o vento e a chuva marcaram presença, o Desportivo das Aves, que foi quase sempre superior ao Santa Clara, só conseguiu resolver a partida na segunda parte com golos de Zé Tiago e Pedró.
A formação da Vila das Aves começou a partida a jogar contra o vento, mas, através de um futebol mais organizado, distinguia-se em campo, perante um Santa Clara que não soube aproveitar o vento a seu favor, perdendo muitas vezes a bola.
A primeira situação de perigo chegou aos 16 minutos, num remate de Pedró, na pequena área dos encarnados de Ponta Delgada, que saiu ao lado da baliza de Serginho.
O guardião da equipa da casa foi obrigado a aplicar-se cerca de 10 minutos depois, para a defesa de um remate de fora da área de Balogun, que podia ter resultado em golo.
O Santa Clara começou a dar sinais de vida aos 31 minutos, no seguimento de um canto batido por João Dias, que Massaia, no meio da confusão, cabeceou ao primeiro poste, obrigando o veterano Quim a defesa apertada.
O Desportivo de Aves voltou a ser a equipa que melhor entrou na segunda parte e, passados escassos minutos, Pedró cabeceou para fazer a bola sair bem perto do poste de Serginho.
Aos 54 minutos, a formação nortenha aproveita um mau alívio de Accioly e chegou à vantagem, por Zé Tiago, que não deu hipóteses ao guarda-redes da casa.
Cerca de cinco minutos depois, Clemente podia ter feito golo, mas chegou atrasado a um cruzamento de João Dias, permitindo o alívio de um defesa da equipa das Aves, que cortou para canto.
Numa altura em que se fazia adivinhar o segundo golo do Desportivo das Aves, com sucessivas oportunidades embora sem concretização, aos 80 minutos, Pedró rematou uma 'bomba' do centro do campo, aproveitando a posição adiantada de Serginho.
Até ao apito final do árbitro Hugo Miguel, o Santa Clara não conseguiu mais aproximar-se da baliza adversária.
Jogo no Estádio de São Miguel, em Ponta Delgada.
Santa Clara-Aves, 0-2.
Ao intervalo: 0-0.
Marcadores:
0-1, Zé Tiago, 54 minutos.
0-2, Pedró, 80.
Equipas:
Árbitro: Hugo Miguel (Lisboa).
- Santa Clara: Serginho, João Dias, Accioly, Massaia, Igor (Berny Burke, 82), Diogo Santos, Pacheco, Ruben Saldanha (Diogo Ribeiro, 77), João Reis, Batatinha (Hugo Santos, 65) e Clemente.
(Suplentes: Pedro Soares, Felipe Barros, Telmo Castanheira, Berny Burke, Hugo Santos, Rui Silva e Diogo Ribeiro).
Treinador: Rui Amorim.
- Desportivo das Aves: Quim, Hackman (Amorim, 46), Bosson, João Pedro, Nélson, Tarcísio, Pedró, Bruno Alves (Ericson, 59), Zé Tiago, Barry (Guedes, 78) e Balogun.
Suplentes: Rafa, Valente, Guedes, Ericson, Caetano, Amorim e Mendy).
Treinador: Ivo Vieira.
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Hackman (21) e Pacheco (71).
Assistência: 1.412 espetadores.
Autor: Lusa/MN

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Basquetebol Feminino: U. Sportiva perde na Bélgica

EuroCup Feminina / Grupo F
Castors Braine, 97 - União Sportiva, 42
União Sportiva com estreia negativa na EuroCup
As Bicampeãs nacionais foram hoje derrotadas na Bélgica pelo Castors Braine por 97-42, na jornada inaugural do Grupo F da EuroCup de basquetebol feminino.    
Ao intervalo, a formação belga já vencia por 52-27. A norte-americana Jasmine Crew foi a melhor marcadora das micaelenses, com 18 pontos, com a mariense Maryam Chermiti a segunda (10 pontos).
O próximo jogo para a EuroCup joga-se a 2 de novembro, quando o União Sportiva receber no Pavilhão Sidónio Serpa em Ponta Del;gada as alemãs do Keltern.

62.ª Feira do Livro de Porto Alegre no Brasil

Açores homenageados na Feira do Livro de Porto Alegre, no Brasil
A Região Autónoma dos Açores vai ser homenageada na 62.ª Feira do Livro de Porto Alegre, que se inicia sexta-feira, 28 de outubro, nesta cidade brasileira fundada por Açorianos em meados do século XVIII.
Os Açores, a sua literatura e os seus escritores são distinguidos este ano por força da forte relação histórica e da herança cultural açoriana dos gaúchos, mas também devido aos laços institucionais e afetivos do presente entre a Região e este estado do sul do Brasil, pretendendo de igual modo a Câmara Rio Grandense do Livro assinalar o 40.º aniversário da Autonomia dos Açores.
Nesse sentido, o Governo dos Açores elaborou um vasto programa de cariz marcadamente açoriano para a Feira do Livro de Porto Alegre, que levará ao sul do Brasil o melhor da cultura e literatura do arquipélago, através de uma multiplicidade de eventos organizados em parceria com as entidades locais, honrando, deste modo, os laços afetivos e históricos entre as duas regiões, assim como a homenagem que é feita aos Açores.
Assim, o programa deste importante evento literário, na parte referente aos Açores, contará, a convite do Governo Regional, com a presença de escritores açorianos residentes na Região, em Portugal continental e nas comunidades da diáspora, nomeadamente Eduíno de Jesus, Vasco Pereira da Costa, Madalena San- Bento, Paula de Sousa Lima, Urbano Bettencourt, Nuno Costa Santos, Francisco Cota Fagundes e Joel Neto.
Ao longo das três semanas do evento, estes escritores vão participar em diversas apresentações e sessões públicas, sobre temas como “Literatura Açoriana e seu Histórico”, “Açores: guia para um movimento de aproximação” e “Nova Literatura Açoriana”, assim como em encontros com editoras locais, entre outras iniciativas.
A programação dedicada aos Açores, organizada pelas direções regional das Comunidades e da Cultura, contará também com a colaboração de académicos e escritores brasileiros com forte ligação aos Açores, como Vera Barroso e Luiz Antônio Assis Brasil, que serão oradores na conferência  “Açorianidade no Sul do Brasil : História, Literatura e Cultura”, e com a realização de uma conferência sobre genealogia, tema de grande interesse para a comunidade açoriana no sul do Brasil, pelo historiador e genealogista Jorge Forjaz.
A Casa dos Açores do Estado do Rio Grande do Sul, que marcará presença através da sua presidente, Célia Jachemet, é uma instituição parceira neste projeto através da organização de diversas atuações de artistas locais de ascendência açoriana, em especial na sessão “Homenagem aos Açorianos”, bem como no apoio ao funcionamento do stand dos Açores.
Do programa organizado pelo Governo Regional, com o apoio da organização da Feira do Livro, consta ainda a exibição da Mostra de Cinema Contemporâneo dos Açores – AMOSTRAM’ISSE e do documentário “A Viagem Autonómica” e, a preceder a abertura oficial da Feira, a inauguração da exposição de pintura “A Décima Ilha”, de Pedro Gaspar, no Centro Histórico Cultural Santa Casa de Porto Alegre.
A Região Autónoma dos Açores terá um stand próprio, disponibilizado pela organização da Feira do Livro, localizado na área internacional do certame, onde estarão em exibição e para venda diversas publicações emblemáticas da cultura e literatura dos Açores, das editoras regionais presentes ou representadas nesta feira através dos seus escritores, nomeadamente Companhia das Ilhas, Publiçor/Letras Lavadas, Turiscom e Veraçor, bem como os institutos culturais da Região: Instituto Açoriano de Cultura, Instituto Cultural de Ponta Delgada, Instituto Histórico da Ilha Terceira e Núcleo Cultural da Horta.
A Feira do Livro de Porto Alegre, considerada a mais antiga mostra literária do género realizada de forma contínua no Brasil, desde 1955, e das maiores que se realizam ao ar livre no continente americano, tem um público estimado de 1,5 milhões de pessoas, tendo por isso o stand da Região, com mais de 50 m2, uma área dedicada ao Turismo dos Açores, com a exibição de videos promocionais e a disponibilização de diversas publicações.
A cerimónia oficial de abertura da 62.ª Feira de Livro de Porto Alegre, promovida pelo Ministério da Cultura do Brasil, pela Secretaria Estadual da Cultura e pela Câmara Rio-Grandense do Livro, realiza-se sexta-feira, no Teatro Carlos Urbim, contando com a presença do Diretor Regional das Comunidades, Paulo Teves.
Este grande evento cultural é dividido em três grandes áreas - Geral, Internacional e  Infantil e Juvenil – e conta com cerca 100 stands, onde serão oferecidas obras de todos os géneros literários e uma série de atividades culturais gratuitas com escritores, ilustradores, mediadores de leitura, contadores de histórias e outros convidados, bem como sessões de autógrafos, seminários, debates e mesas redondas.
A cidade brasileira de Porto Alegre foi fundada por 60 casais açorianos que chegaram às margens do rio Guaíba em meados do século XVIII, sendo então chamada de São Francisco do Porto dos Casais.
É na capital do importante estado do Rio Grande do Sul que se encontra o “Monumento aos Açorianos de Porto Alegre”, um dos maiores monumentos da América do Sul e que tem inscrita a frase "Jamais sonhariam aqueles casais açorianos que, da semente que lançavam ao solo, nasceria o esplendor desta cidade."
GaCS/SsRPRE/MN

Basquetebol - Liga Feminina Portuguesa

 Liga Feminina de basquetebol
União Sportiva ganhou a candidatos
O União Sportiva venceu, em Ponta Delgada, o Benfica e o Santo André do Barreiro, para as jornadas 3 e 4 da Liga Feminina de basquetebol.
As marcas finais nas partidas até agora realizadas revelam que a equipa não possui os argumentos individuais da época passada, mas tem um grupo que sabe sofrer, realista, homogéneo, com o treinador Ricardo Botelho montando as estratégias que têm dados os frutos indispensáveis para arrebatarem as vitórias.
Sábado o triunfo sobre o Benfica cifrou-se em 65-57. A equipa bi campeã nacional entrou mal, saindo para o primeiro descanso a perder por 17-13. No segundo período um triunfo por 18-10 (31-27 ao intervalo) garantiu a estabilidade emocional para manter a dianteira no marcador.
17-14 no 3.º período e 17-16 no 4.º período foram os resultados na segunda parte, determinando o triunfo por 65-57.
Inês Faustino, com 18 pontos, Jasmine Crew, com 14 e Sara Djassi, com 12 pontos, foram as melhores marcadoras pelas “verde-brancas”.
No domingo, perante um dos guias e perante um dos mais sérios candidatos à vitória no campeonato, o União Sportiva entrou muito forte, alcançando um parcial de 10-3 sobre o Santo André. Foi uma margem que serviu para gerir nos 10 minutos seguintes, indo para o intervalo com 14 pontos de vantagem (29-15).
A segunda parte foi muito mais equilibrada. O União Sportiva terminou as duas partes com 11-10 e com 16-15, marcas que somadas ao que vinha do intervalo, deram o 56-40.
Jasmine Crew, com 17 pontos e 5 ressaltos, Anna Olkhovyk concretizou 12 pontos, 8 ressaltos e 4 assistências e Tifanny Jones, com 9 pontos, além de ter desempenhado uma ação fundamental na luta nos ressaltos (20 com o Santo André), foram as melhores pontuadoras.
Resultados da 3.ª Jornada:
União Sportiva-Benfica, 65-57;
Olivais-Quinta dos Lombos, 65-71;
Ass. Vagos-Lousada, 68-70;
CAB Madeira-Torres Novas, 68-64;
Boa Viagem-Santo André, 68-77
Ovarense-Ac.Porto, 64-48.
Antecipados da 4ª jornada: União Sportiva-Santo André, 56-40 e Boa Viagem-Benfica, 56-69.
Classificação: 1ºs União Sportiva e Santo André do Barreiro (ambas com mais 1 jogo), 7 pts; 3.ºs CAB, Benfica e Boa Viagem (as duas com mais 1 jogo), 6; 6.ºs Quinta dos Lombos e Lousada, 5; 8ºs Associação de Vagos, Olivais de Coimbra e Ovarense, 4; 11.ºs Torres Novas e Académico do Porto, 3 pts.
Segue-se, amanhã, a estreia na edição desta época da Eurocup, defrontando o União Sportiva, na Béligica, pelas 17h30 dos Açores, o Castors Braine. O outro jogo do grupo “F” é entre a equipa alemã do Keltern e a espanhola do Uni Girona.
MN/CA

Hóquei em Patins: Marítimo da Calheta em 1º lugar

Hóquei em Patins - 2ª Divisão Nacional
Marítimo em 1.º lugar na zona sul
Dois jogos, duas vitórias para o Marítimo na zona Sul da 2.ª divisão de hóquei em patins, colocando a equipa em 1.º lugar, em parceria com o Hóquei de Grândola, opositor na próxima jornada, e o Hóquei de Sintra.
Na partida realizada em Ponta Delgada, relativa à 2.ª jornada, vitória, por 5-3, sobre o recém promovido Parede.
O Marítimo, tal como em Almeirim, começou a perder (12m), mas ao intervalo ganhava por 2-1, com os golos de Bruno Botelho (12m) e de Pedro Soares (23m).
Numa segunda parte quezilenta, com 5 cartões azuis (originando suspensões temporárias) e um vermelho para jogadores do Parede, o Marítimo, na transformação de livres diretos, por Bruno Botelho (12m e 13m), chegou a um confortavelmente por 4-1.
Do lado dos “azuis” da Calheta também houve dois cartões azuis para os influentes Bruno Botelho e Júlio Soares, com o Parede reduzindo para 4-2 aos 20m. No minuto 22 Pedro Soares fez o 5-2 e Ricardo Lopes fixou o resultado final em 5-3.
Os árbitros açorianos José Eduardo Pereira (Pico) e Fernando Lopes (P. Delgada), foram muito contestados.
Resultados da 2.ª jornada:
Marítimo - Parede, 5-3;
Biblioteca - Tigres Almeirim, 5-4;
Marinhense - Oeiras, 7-7;
Salesiana - Física Torres Vedras, 2-4;
Alenquer - Vasco da Gama, 4-3;
Hóquei de Sintra - Hóquei de Grândola, 0-3
Benfica “B” - Campo de Ourique, 6-2.
Classificação: 1.ºs Hóquei de Grãndola, Marítimo e Física de Torres Vedras, 6 pts; 4.º Biblioteca Instrução e Recreio, 4; 5.ºs Benfica (menos 1 jogo), Juventude Salesiana, Parede e Alenquer e Benfica, 3; 9.ºs Oeiras (menos 1 jogo), Marinhense, Campo de Ourique, 1; 12.ºs Vasco da Gama de Sines, Tigres de Almeirim e Hóquei de Sintra, 0 pts.
CA/MN

Taça da Liga - 2ª eliminatória: Santa Clara fora da taça

V. Setúbal, 2 - Santa Clara, 0
Setúbal elimina Santa Clara da Taça da Liga
O Santa Clara foi eliminado da Taça da Liga, atual Taça CTT, ao perder esta tarde em Setúbal, diante do Vitória local, por 2-0. Pedro Pinto (26')e Zé Manuel (38') apontaram os golos dos 'sadinos' que ditaram o resultado final do jogo da 2.ª eliminatória.    
O Santa Clara, que tinha eliminado o Portimonense na ronda anterior, falha assim o acesso à fase de grupos. No domingo, os "encarnados" de Ponta Delgada recebem o Desportivo das Aves para a 13.ª jornada da II Liga.
O Santa Clara perdeu, na tarde de ontem, no estádio do Bonfim, em Setúbal, por 2-0, com o Vitória da cidade, ficando afastado da Taça CTT na segunda fase, ainda a eliminar.
Foi um regresso em jogos oficiais do Santa Clara ao mítico campo, o que não sucedia desde Março de 2004.
A Taça CTT, ex-Taça da Liga, é uma competição secundária. Por isso os treinadores aproveitam para colocarem em jogo atletas que habitualmente não têm jogado com tanta frequência nesta maratona de jogos.
Para o Santa Clara foi o 16.º jogo oficial e o sexto neste mês de Outubro, encerrando o ciclo Domingo, com a recepção ao Desportivo das Aves.
Em relação à equipa que o treinador Rui Amorim apresentou, Domingo, frente ao Sporting de Braga “B”, começaram o encontro de ontem somente Vitor Massaia e Diogo Santos.
Os primeiros minutos demonstram que os jogadores do Santa Clara estavam fiéis aos princípios de jogo, controlando o opositor. Se é facto que pertenceu ao Vitória, por intermédio de Zé Manuel (11m), o primeiro sinal de perigo, Diogo Ribeiro respondeu com boa ocasião, cabeceando ao lado uma bola cruzada por Hugo Santos na marcação de um pontapé de canto. Foi um período em que o Santa Clara esteve melhor, com Massaia a cabecear perto da barra aos 17m.
Até que Zé Manuel voltou a estar próximo de marcar, correspondendo Pedro Soares com boa defesa. Na sequência do pontapé de canto, Fábio Cardoso, com alguma liberdade, fez o 1-0 (26m).
O Santa Clara, 4 minutos depois, podia ter feito o empate, mas Diogo Ribeiro, a passe de Telmo Castanheira, teve de dominar com o peito e quando rematou já encontrou o obstáculo do defesa vitoriano Fábio Cardoso.
A partir daí o Vitória foi mais expedito, mais afoito, não conseguindo o Santa Clara ter a bola.
O 2-0 aconteceu numa jogada inofensiva. Cruzamento da direita de Vasco Costa. Não estava nenhum colega na área. Pedro Soares e um colega da defesa estavam perto, não falaram, com o guarda-redes a fazer um desvio...para os pés de Zé Mnauel executar um “chapéu” perfeito.
A resposta do Santa Clara na segunda parte foi mais enérgica. Teve mais tempo a posse de bola, esteve mais tempo no meio campo contrário, mas não conseguiu criar oportunidades para reduzir o marcador até às alterações na equipa.
As entradas de Batatinha e de João Reis e mais tarde de Ruben Saldanha agitaram o jogo da equipa de Ponta Delgada. Hugo Santos, aos 75m, proporcionou uma grande defesa de Trigueira e aos 82m foi João Reis a rematar ao poste, com Batatinha a não ser feliz na recarga.
Apesar de derrotado, o Santa Clara deu uma boa imagem da equipa que tem sido ao longo desta época, mesmo sujeito às alterações de treinadores que não ajudam a cimentar os princípios de jogo.
Equipas:
Árbitro: João Mendes, de Santarém, auxiliado por Paulo Soares e por Miguel Aguillar.
VITÓRIA DE SETÚBAL: Mário Trigueira; André Geraldes, Fábio Cardoso, Pedro Pinto e Nuno Santos; Mikel; Vasco Costa (Arnold, aos 78m), Ryan Gauld e Ruca (André Claro, aos 60m; Zé Manuel e Edinho (Thiago Santana, aos 60m).
Suplentes não utilizados: Diego, Vasco Fernandes, Pedrosa e Gonçalo
Treinador: José Couceiro.
Disciplina: Cartões amarelos para Fábio Cardoso (55m) e para André Geraldes (90+2m).
SANTA CLARA: Pedro Soares; Rui Silva, Vítor Massaia, Cristiano e Diogo Coelho; Diogo Santos (Ruben Saldanha, aos 82m); Telmo Castanheira, Hugo Santos e Berny Burke (João Reis, aos 70m); Dennis Pineda (Rafael Batatinha, aos 70m) e Diogo Ribeiro.
Suplente não utilizados: Serginho, João Dias, Pacheco e Clemente.
Treinador: Rui Amorim.
Disciplina: Cartões amarelos, para Cristiano (55m) e para Hugo Santos (88m).
Ao intervalo: 2-0.
Golos de Fábio Cardoso, aos 26m e de Zé Manuel, aos 37m.
MN/CA

Automobilismo: V Rali Ilha do Pico Além Mar - Moura venceu

Ricardo Moura vencedor do campeonato regional de ralis
Ricardo Moura vence Rali Ilha do Pico Além Mar
Chegou ao fim a temporada 2016 do Campeonato de Ralis dos Açores com a realização do V Rali Ilha do Pico Além Mar onde, mais uma vez, Ricardo Moura e Sancho Eiró foram os vencedores, num Campeonato que já tinha o título decidido. No segundo lugar ficaram Luís Rego e Jorge Henriques e no terceiro Hugo Mesquita e Filipe Gouveia. A prova ficou marcada pela muita chuva e mais uma vez a prova não teve história na luta pelo triunfo, com Moura a terminar com um avanço de quase quatro minutos, depois de vencer os nove troços da prova.
Ricardo Moura foi o vencedor do campeonato regional de ralis, uma prova inserida no V rali ilha do Pico Além-Mar que decorreu sexta e sábado na ilha do Pico.
O piloto em declarações à Rádio Pico fez um balanço positivo da prova e disse que a equipa está de parabéns porque venceu todas as provas do campeonato e adorou os troços da ilha pelos desafios constantes mas lamentou a falta de público a assistir ao rali no sábado.O segundo Lugar da Classificação no campeonato de ralis dos Açores foi conquistado por Luís Rego e o terceiro por Hugo Mesquita. A melhor classificação conquistada por pilotos da ilha foi o nono lugar de José Paula e o décimo quarto de Mário Jorge.José Paula, em forma de balanço, dividiu o rali em duas partes. Uma primeira parte com a super especial que não correu nada bem e a outra em que obtiveram resultados satisfatórios.No troféu de ralis do canal, o primeiro lugar foi obtido por Carlos Andrade, o segundo por José Paula e em terceiro por Marco Medeiros.Mário Jorge ficou na quinta posição. O piloto disse que o rali correu bem apesar dos pisos estarem um pouco degradados.No troféu de asfalto, subiram ao pódio Pedro Lança, Carlos Andrade e João Ávila.Rubem Macedo, Presidente do Pico Automóvel Clube, faz um balanço positivo do quinto rali e afirmou que a mudança de figurino é uma aposta ganha.Recorde-se que a Rádio Pico acompanhou o rali na sexta e sábado com duas emissões especiais em que não falaram entrevistas, comentários e análises aos resultados.
Emanuel Pereira/RP-MN
Classificação Final:
1º Ricardo Moura/Sancho Eiró (Ford Fiesta R5) 47:21,9
2º Luís Rego Jr./Jorge Henriques (Ford Fiesta R5) +03:37,5
3º Hugo Mesquita/Filipe Gouveia (Mitsubishi Lancer Evo IX) +05:15,3
4ª Pedro Vale/Rui Medeiros (Subaru Impreza STI N15) +05:49,8
5º Rafael Botelho/Nuno Rodrigues da Silva (Citroën Saxo Cup) +06:29,5
6º Henrique Moniz/Jorge Diniz (Citroën DS3 R3T) +07:06,7
7º Pedro Lança/Paulo Marques (Citroën Saxo Cup) +07:15,7
8º Bruno Tavares/André Seabra (Peugeot 205 Mi16) +08.12,3
9º José Paula/Miguel Ribeiro (Mitsubishi Lancer Evo IX) +09:32,7
10º João Ávila/Filipe Moura (Mitsubishi Lancer Evo III) +11:04,6

terça-feira, 25 de outubro de 2016

CM da Madalena homenageou Filarmónica Lira Madalense

Madalena do Pico presta homenagem à Lira Madalense
A Câmara Municipal da Madalena homenageou este domingo a Filarmónica Lira Madalense, atribuindo o nome desta que é uma das representativas instituições do concelho à rua onde a mesma está sedeada.    
Segundo nota da câmara municipal, a inscrição da Filarmónica Lira Madalense na toponímia do nosso Município visa enaltecer e imortalizar o percurso notável da banda, que comemorou a 21 de outubro o seu 119º aniversário, com um vasto programa, que se estendeu ao longo de todo o fim-de-semana e que terminou com o tradicional jantar, onde participaram as mais diversas forças vivas locais.
“Perpetuar no tempo essa identidade, imortalizar a sua história é o grande objetivo desta justa homenagem de inclusão da Filarmónica Lira Madalense na toponímia do nosso concelho, enaltecendo esta instituição, expressão artística do nosso povo, através da música”, referiu na ocasião José António Soares, Presidente da Câmara Municipal da Madalena, considerando a filarmónica “uma das mais nobres instituições desta terra, um prodígio cultural e social, um pilar fundamental da nossa comunidade”.
O autarca salientou ainda “o trajeto de sucessos erigido graças à garra, à paixão, ao esforço solidário de todos aqueles que dedicaram a sua vida, ou parte dela, a esta instituição”, considerando que foram muitos a faze-los pois “todas as famílias, todas as pessoas que vivem ou viveram nas Sete Cidades têm uma ligação a esta Filarmónica! E este património cultural, este sentido de pertença deve ser valorizado e preservado”.
MN/

Europeu de 2017: Portugal qualifica-se em futebol feminino

Portugal faz história no feminino, com golo de Andreia Norton
Portugal fez hoje história no futebol feminino, ao qualificar-se pela primeira vez para a fase final de uma grande competição, o Europeu de 2017, graças a um sofrido empate a um em Cluj, na Roménia    
Um golo de Andreia Norton, sobre o final da primeira parte do prolongamento, aos 105+1 minutos, foi determinante para o apuramento do ‘onze’ de Francisco Neto, de nada valendo às romenas o tento de Laura Rus, aos 111.
A formação das ‘quinas’ passou graças ao desempate por golos fora, após o 0-0 no Restelo, transformando ainda em mais lendário o ano de 2016 para o futebol português, depois do título da seleção masculina, no Europeu de França.
O encontro foi complicado e sofrido até final, mas Portugal criou mais e melhores oportunidades e, também pelo que fez em Lisboa, onde desperdiçou uma grande penalidade, justificou em pleno o histórico apuramento.
Além de Andreia Norton, pelo histórico golo do apuramento, destaque na formação lusa para todo o setor defensivo, em especial as centrais Sílvia Rebelo e Carole Costa, mais a guarda-redes Patrícia Morais e a ‘trinco’ Dolores Silva.
Com o mesmo ‘onze’ do jogo da primeira mão, a formação portuguesa foi a primeira a ameaçar a baliza contrária, num livre sobre a direita de Cláudia Neto, que Ficzay cortou, colocando a bola nas mãos da guarda-redes Paraluta.
Cláudia Neto voltou a tentar aos nove minutos e, aos 12, Portugal teve a primeira grande oportunidade, numa jogada na direita entre Matilde Fidalgo e Ana Leite, que centrou atrasado para o calcanhar de Carolina Mendes, à figura.
Apesar de mais perigoso, Portugal nunca dominou o encontro, mas raramente passou por grandes dificuldades na primeira parte, com exceção de uma jogada aos 21 minutos, em que Giurgiu centrou para o cabeceamento falhado de Bortan.
Para a segunda parte, Francisco Neto fez entrar Fátima Pinto para o lado esquerdo da defesa, fazendo subir Ana Borges para o lado direito do ataque e retirando Amanda da Costa.
A equipa lusa não denotou melhoras, ao contrário da Roménia, que quase marcou aos 56 minutos: Voicu isolou Lunca, a maior ‘dor de cabeça’ para a defesa lusa, valendo Patrícia Morais, que também deteve a recarga, um ‘chapéu’, de Voicu.
As romenas estavam por cima, mas, apesar dos raides de Lunca, tinham dificuldades em criar grande perigo, tal como Portugal, que só voltou a tentar aos 83 minutos, num remate de Andreia Norton, a última aposta de Francisco Neto.
Na parte final, a Roménia pressionou mais, mas Carole Costa fez um corte precioso (86 minutos), Rus cabeceou ao lado (87) e para a defesa fácil de Patrícia Morais (90+1) e um centro/remate de Lunca (90) bateu na barra.
A melhor ocasião foi, no entanto, de Portugal, na penúltima jogada do tempo regulamentar, aos 90+3 minutos: Diana Silva, a segunda jogadora a ser lançada pelo selecionador luso, furou pela esquerda e serviu Ana Borges, mas, milagrosamente, a ‘capitã’ Olar salvou as romenas, cedendo canto.
Havristiuc foi a primeira a criar perigo no prolongamento, num cabeceamento após um canto, aos 91 minutos, com Cláudia Neto a responder de livre, aos 102.
Aos 103 minutos, um novo centro/remate de Lunca assustou, caindo novamente em cima da barra, mas, na resposta, já nos descontos da primeira parte, aos 105+1, foi a formação das ‘quinas’ a chegar ao golo.
Cláudia Neto fez um passe para as costas da defesa romena, desmarcando, na direita, Ana Borges, que passou com classe por Ficzay, levantou a cabeça e tocou atrasado para Andreia Norton, cujo remate forte ainda encontrou Oprea, mas só parou no fundo das redes romenas.
Com dois tentos de vantagem, já que o empate a um servia, Portugal entrou a dominar a segunda parte do prolongamento, perante umas romenas a denotar nervosismo, mas, aos 111 minutos, Voicu colocou de cabeça a bola em Rus, que, na área, teve tempo para rodar e empatar o jogo.
A igualdade não afetou, no entanto, a seleção lusa, que até podia ter voltado ao comando do encontro, o que só não aconteceu porque Andreia Norte foi egoísta, aos 113 minutos, e falhou perante Paraluta, com Diana Silva isolada ao seu lado.
A ‘incansável’ Lunca ainda tentou um último remate, aos 118 minutos, mas Patrícia Morais encaixou a bola sem dificuldades e até final a equipa lusa já não passou por sobressaltos, com as jogadores lusas a festejarem, em lágrimas, o apuramento.
Lusa/MN

"Azores Challenge Trail Run" na Lagoa, S. Miguel

Lagoa associa-se à prova desportiva "Azores Challenge Trail Run"
A Câmara Municipal da Lagoa, ilha de São Miguel, nos Açores associa-se à prova desportiva "Azores Challenge Trail Run", no dia 12 de novembro, que contará com mais de 450 participantes, foi hoje anunciado    
Para a presidente do município, Cristina Calisto Decq Mota, o evento na Lagoa resulta de "sinergias criadas com entidades promotoras de eventos desportivos, com vista à valorização do património ambiental da ilha e do concelho”, orientando “visitantes e cidadãos para novas modalidades que contribuem para o bem-estar e para a ocupação de tempos livres”.
O “Azores Challenge Trail Run” decorre no dia 12 novembro, entre as 09:00 e as 17:00 (mais uma hora em Lisboa), uma prova que consiste em percorrer trilhos com as distâncias de 45, 23 ou 8 quilómetros, estando a chegada dos participantes prevista na zona do Tecnoparque, na cidade da Lagoa.

Campeonato de Portugal Prio: Operário novo líder da Série E

Campeonato de Portugal - Série E
Operário ascende à liderança da série E
Fabris receberam e golearam a Naval mas os golos só apareceram na segunda parte. Sporting Ideal venceu fora. Praiense não jogou devido ao mau tempo.
O Operário é o novo líder da série E do campeonato de Portugal. Os fabris confirmaram o favoritismo na receção à Naval, última classificada, vencendo por 4-1 e alojando-se no primeiro lugar por troca com o Sertanense que perdeu por 1-0 em Sernache.
Num jogo condicionado pelo mau tempo, o Operário só conseguiu marcar no segundo tempo mas ainda foi a tempo de alcançar um triunfo folgado (4-1) que lançou o coletivo de André Branquinho para o topo da classificação, totalizando 18 pontos ao cabo de sete jornadas.
Resultado positivo alcançou também o Sporting Ideal que, fora de casa, bateu o Carapinheirense por 3-0, ascendendo ao quinto lugar mas os leões da Ribeira Grande têm um jogo a menos, pelo que podem ainda subir mais uns degraus na classificação.

Série F: Praiense não jogou - Angrense e Lusitânia sofreram derrotas
 Na série F, o Praiense não jogou porque o jogo com o Mafra foi adiado devido ao mau tempo, pelo que a representação insular ficou a cargo de Lusitânia e Angrense, tendo ambos perdido os seus jogos. Os leões de Angra foram derrotados pelo Torreense por 2-0 e os encarnados da rua de São João baquearam em casa na receção ao Alcanenense, perdendo por 0-3.
MN/ Acácio Mateus

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Convívio de Ribeiragrandenses do Canadá

Ribeira Grande assina Memorando para Geminação com Brampton
A Ribeira Grande tornou-se na primeira cidade portuguesa a assinar um memorando de entendimento para geminação com o município de Brampton, no Canadá, reforçando assim a ligação à segunda cidade do Canadá que mais tem crescido a nível económico e populacional nos últimos anos.
O acordo entre os dois municípios foi assinado pelos presidentes – Alexandre Gaudêncio e Linda Jefrrey no decorrer do Convívio de Ribeiragrandenses do Canadá que teve lugar na noite do passado sábado, em Brampton.
Através deste memorando de entendimento para a geminação abrem-se as portas a parcerias futuras que vão ao encontro da projeção que a Ribeira Grande pretende alcançar além-fronteiras, como salientou Alexandre Gaudêncio.
“Este acordo pretende potenciar a Ribeira Grande do ponto de vista cultural, social e económico. Estamos a assinar um memorando com uma cidade que tem uma forte presença portuguesa na sua comunidade e a maioria é oriunda da Ribeira Grande”, disse.
Alexandre Gaudêncio acredita que, por via deste acordo “será possível colocar mais ênfase na intenção de reforçar junto das novas gerações de emigrantes a ligação à terra natal através de intercâmbios culturais.”
Para além disso, a mayor de Brampton, Linda Jeffrey, “ficou muito interessada nas potencialidades ao nível da Educação entre as duas cidades, manifestando disponibilidade na possibilidade de se realizarem estágios entre os alunos da Ribeira Grande em Brampton e vice-versa”, realçou Alexandre Gaudêncio.
O presidente da Câmara da Ribeira Grande destacou ainda o papel de Martin Medeiros, vereador da Câmara de Brampton, natural de Rabo de Peixe. “Ele foi fundamental para conseguirmos este acordo, algo que poucas cidades a nível mundial conseguiram”, vincou.
AT/MN

domingo, 23 de outubro de 2016

II LigaPro: Santa Clara vence em Braga

Encontro marcado por duas grandes penalidades - Clemente aponta golo da vitória 
Sp. Braga B, 1 - Santa Clara, 2
Açorianos aproximam-se da liderança
O Santa Clara venceu este domingo o Sp. Braga B, 2-1, na 12.ª jornada da II Liga, e aproximou-se do primeiro lugar, num jogo feio, marcado por duas grandes penalidades, uma para cada equipa.
Os açorianos puseram fim a um ciclo de três jogos sem vencer no campeonato (primeiro triunfo do novo técnico, Rui Amorim) e encurtaram para quatro pontos a distância para o líder Portimonense, que empatou em casa com o Varzim (2-2).
Já os bracarenses somaram o sétimo jogo sem vencer (duas derrotas e cinco empates), continuando sem conseguir fazer valer o fator casa: apenas uma vitória em seis jogos, duas derrotas e três empates.
O Santa Clara marcou primeiro, aos 50 minutos, por Rafael Batatinha, dando o melhor seguimento a um cruzamento da esquerda de Igor e a uma boa entrada após o reatamento.
O Sporting de Braga B chegou ao empate de grande penalidade, por Xadas (61), mas, cinco minutos depois, também de penálti, o Santa Clara voltou a colocar-se em vantagem (Clemente).
A primeira parte foi pobre, com o Braga a entrar melhor, mas com o Santa Clara a desperdiçar a melhor ocasião, com Pacheco, na cara de Tiago Sá, a atirar contra o guarda-redes (40).
Com o treinador da equipa principal, José Peseiro, a assistir ao jogo (o Santa Clara é o próximo adversário do Braga na Taça de Portugal), o Sporting de Braga B viu o adversário entrar melhor na segunda parte e já depois de uma boa oportunidade, Rafael Batatinha, à segunda, não perdoou e inaugurou o marcador com um belo remate de primeira (50).
Vieram depois as grandes penalidades no espaço de cinco minutos e, na parte final, ambas as equipas podiam ter marcado, tendo a equipa da casa feito um último esforço, debaixo de chuva intensa, que lhe podia ter dado o empate, mas os ilhéus conseguiram segurar a vantagem.
Jogo no Estádio 1º de Maio, em Braga.
Sporting de Braga B - Santa Clara, 1-2.
Ao intervalo: 0-0.
Marcadores:
0-1, Rafael Batatinha, 50 minutos.
1-1, Xadas, 61 (grande penalidade).
1-1, Clemente, 66 (grande penalidade).
Equipas:
Árbitro: Jorge Sousa (Associação de Futebol do Porto).
- Sporting de Braga B: Tiago Sá, Anthony D'Alberto, Bruno Wilson, Lucas, José Gomes, Chidi (Didi, 76), Loum, Xadas, Joca (Leandro, 57), Oti (Simão, 76) e Piqueti.
(Suplentes: Tiago Pereira, Thales, Simão, Didi, Edelino Ié, Leandro e Panyukov).
Treinador: Abel Ferreira.
- Santa Clara: Serginho, João Dias, Victor Massaia, Accioly, Igor, Diogo Santos, Pacheco, Rúben Saldanha (Hugo Santos, 89), Rafael Batatinha, João Reis (Berny Burke, 85) e Clemente (Diogo Ribeiro, 77).
(Suplentes: Pedro Soares, Telmo Castanheira, Berny Burke, Hugo Santos, Pineda, Rui Silva e Diogo Ribeiro).
Treinador: Rui Amorim.
Ação disciplinar: cartão amarelo para João Dias (59) e José Gomes (71).
Assistência: cerca de 300 espectadores.
Autor: Lusa/MN

Futebol nos Açores:

Campeonato de Futebol dos Açores
Sporting de Guadalupe isola-se no comando
3ª. jornada – Resultados:
Rabo de Peixe, 2 - Marítimo Graciosa, 0
Sp. Guadalupe, 1 – U. Micaelense, 0
Prainha FC, 1 - SC Vilanovense, 2
GD São Roque, 2 – SC Barreiro, 0
Os Maritimos, 3 – GD Cedrence, 1
CLASSIFICAÇÃO:
l  Equipas                     J   V   E   D  GM-GS     P
1º Sp. Guadalupe        3   3   0   0   6 – 2     9
 
2º Rabo de Peixe        3   2    0   1   9 – 2     6
3º U. Micaelense        3   2    0   1   4 – 1     6
4º Marítimo Graciosa 3   2   0   1   5 – 4     6
5º GD São Roque       3   2   0   1   4 – 3     6
6º Marítimos S.M.      3   1   1   1   4 – 3     4
7º Vilanovense           3   1   1   1   4 – 4     4
5º SC Barreiro            3  1   0   2    3 – 5     3
9º Prainha FC             3   0   0   3   3 – 8     0
10º GD Cedrense       3   0   0   3   1 –11    0
4ª jornada – 23-10-2016:
U. Micaelense – Prainha FC
Cedrense – Sp. Guadalupe
SC Marítimo – SC Vilanovense
SC Barreiro – Os Marítimos
Rabo de Peixe – GD São Roque
SÃO MIGUEL :
Taça Honra da AFPD - João de Brito Zeferino
Vale Formoso aumenta a liderança
SÉRIA «A»
5ª. jornada – Resultados: 
Vale Formoso, 3 - Rabo de Peixe «B», 0
Casa Povo , 1– Marítimo SC, 2
Folgou: Águia dos Arrifes.
CLASSIFICAÇÃO:

L  EQUIPAS        J  V  E  D  GM-GS   P
1º Vale Formoso    4  4  0   0    11 – 0    12
2º Águia Arrifes    4  2   1   1    11 – 5     7
3º Marítimo SC     4  2   0   2     4 – 9      6
4º Rabo Peixe B    4  1   1   2     8 – 8      4
5º C. Povo Maia   4   0  0   4      2 –13     0
6ª jornada:  23-10-2016:
Águia dos Arrifes – Rabo de Peixe ‘B’
Vale Formoso – Marítimo SC
Folga: Casa Povo da Maia.
SÉRIE «B»:
2ª jornada –  Resultados:
Santiago FC, 3 – Santo António, 1
Mira Mar, 1 – Vitória Pico Pedra, 2
CLASSIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS       J   V  E  D  GM-GS  P
1º Santiago FC     2   2   0   0     5 – 2     6
2º Vitória CPP      2   1   0   1     3 – 3     3
3º Santo António  2   1   0   1     3 – 3     3
4º Mira Mar SC    2   0   0   2     1 – 4     0
jornada – 23-10-2016:
Santiago FC – Mira Mar SC
Vitória P. Pedra – Santo António
FAIAL/PICO:
Taça A.F. Horta 2016/17:
Vitória do Pico segue isolado
Resultados da 5ª. jornada:
Vitória Pico, 2 – FC Madalena, 1
Angústias Atl, 2 – CD Lajense, 0
FC Flamengos, 2 – Fayal Sport, 1
CLASSIFICAÇÃO:

L   EQUIPAS        J  V  E   D  GM-GS     P
1º Vitória FC          5   4   1   0    13 – 3      13
2º Fayal Sport         5   3   1   1      9 – 4      10
3º FC Flamengos    4   3   0   1      6 – 4       9
4º FC Madalena     4   1   0    3      4 – 8       3
5º Ang. Atlético     4   1   0    3      3 – 7       3
6º CD Lajense       4    0   0   4       0 – 9       0
6ª jornada (23-10-2016):
CD Lajense – Fayal Sport
FC Flamengos – FC Madalena
Angústias Atlético – Vitória Pico
TERCEIRA:
TAÇA A.F. ANGRA DO HEROÍSMO
NSIT – Terauto iguala GD Fontinhas 
2ª jornada – Resultados:
SC Salão, 0 – NSIT – Terauto, 1
GD Fontinhas, 1 – JD Lajense, 2
CLASIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS        J   V   E  D  GM-GS   P
1º GD Fontinhas     3   2   0   1     5 – 2      6
2º NSIT – Terauto  3   2   0   1     3 – 4      6
3º SC Salão            3   1    0   2     2 – 3      3
4º JD Lajense         3   1    0   2     3 – 5      3
4ª jornada | 23-10-2016:
NSIT – Tarauto – GD Fontinhas
GD Salão – Juventude  Lajense
GRACIOSA:
TAÇA A.F. ANGRA DO HEROÍSMO:
Graciosa vence no regresso do M. Praiense
2ª jornada – Resultados:
Graciosa FC, 1 – Mocidade Praiense, 0
Folgou: GD Luzense.
CLASSIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS        J  V  E  D  GM-GS   P
1º GD Luzense      1    1   0   0   1 – 0      3
2º Graciosa FC     2    1   0   1   1 – 1      3
3º Moc. Praiense   1   0   0   1    0 – 1      0
3ª. jornada – 23-10-2016:
Mocidade Praiense – GD Luzense
Folga: Graciosa FC. 
Por: JGS