sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

O ano de 2016 revisitado na sua dimensão açoriana

Vasco Cordeiro foi reeleito para o Governo dos Açores
Nos Açores, o ano começou com o furação Alex a ameaçar, transformando-se no Arquipélago em tempestade tropical, mas isso não impediu que causasse enormes estragos nos locais por onde passou.
Os avisos de meteorologia ajudaram a minorar o impacto do furacão, mas ainda assim provocou quedas de árvores, derrocadas, levantamento de telhas e desvios de ribeiras que saltaram fora dos leitos.
Apesar do aparato, não se registaram vítimas durante este fenómeno climático que não acontecia, em Janeiro, desde 1978.
Num encontro em Lisboa entre o Presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, e o Primeiro-ministro, António Costa, é alcançado o acordo de “complementaridade” entre os serviços de saúde dos Açores e Portugal continental.
Em Janeiro, a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima chega a São Miguel, onde permanece até ao dia 7 de Fevereiro.
O pároco das Sete Cidades, Bruno Spínola, natural da Graciosa, oferece a bandeira do “Espírito Santo” a Papa Francisco, numa audiência em Roma.
Centro de Radioncologia e Centro de Saúde inaugurados
Em São Miguel é inaugurado o Centro de Radioncologia “Madalena Paiva”, uma unidade que tem capacidade para tratar cerca de 500 novos doentes por ano.
Localizada nas imediações do Hospital do Divino Espírito Santo, a clínica Madalena Paiva é um projecto privado considerado de interesse regional e que contou com um apoio público de cerca de 2,7 milhões de euros.
A Administradora Cristina Tomé anuncia que a RTP vai investir no Centro Regional dos Açores 2,5 milhões de Euros, dois milhões dos quais na modernização nas instalações de Ponta Delgada que vão passar para o edifício onde funciona a RDP/A.
Em Ponta Delgada é inaugurado o novo Centro de Saúde com uma área de construção de cerca de 10 mil metros quadrados. O novo edifício, a funcionar junto ao Hospital do Divino Espírito Santo é um empreendimento que custou 16,5 milhões de Euros, servindo cerca de 50 mil utentes.
É anunciado um parque temático com aquário projectado para o fundo do saco do porto de Ponta Delgada, num investimento que ascende a 15 milhões de Euros. A pretensão surge da parte da empresa de animação turística Picos de Aventura. O parque terá a forma de um vulcão e a presença de basalto, como elementos de identidade açoriana. A perspectiva é que possa ser inaugurado no segundo semestre de 2018. O Azores Aquarium estima receber 200 mil visitantes por ano.
O 39.º Bispo de Angra entrou em funções em Março, sucedendo a D. António de Sousa Braga, no dia em que completou 75 anos de idade e viu promulgada pelo Papa Francisco a aceitação da sua resignação.
D. João Evangelista Lavrador é natural de Mira, distrito de Coimbra e chegou à diocese no dia 29 de Novembro, depois de ter sido nomeado Bispo Coadjutor de Angra pelo Papa Francisco a 29 de Setembro de 2015.
SATA com nova frota e imagem
Chega a Ponta Delgada o primeiro dos dois aviões Airbus A330-200 CS-TRY para a nova frota da SATA.
Com este A330-200, a SATA Internacional muda a sua imagem que, em vez de um açor, passa a ser representada pela cauda de um cachalote.
A Azores Airlines, empresa da SATA, anuncia ainda que vai aumentar a sua frota até 2020 com quatro novos aviões A321neo, o primeiro dos quais chega já em 2017. “Em 2020, o Grupo SATA espera vir a ter mais 5.000 voos do que tem”, segundo disse o Presidente do Conselho de Administração da SATA, Paulo Menezes.
Em 2016 continuaram os casos de pedofilia com várias detenções na Região, relevando-se aqui também a detenção do advogado António Raposo que tinha sido condenado em 2014 pelo Tribunal a uma pena única de seis anos de prisão, pela prática de um crime de abuso de confiança agravado, burla qualificada e falsificação de documento, praticados no exercício da profissão. A sua detenção foi confirmada pelo Tribunal da Relação de Lisboa.
Ricardo Moura, 40 anos de autonomia e eleições regionais
O ano também ficou marcado pela vitória do piloto açoriano Ricardo Moura no Azores Airlines Rallye. O feito mereceu destaque em toda a imprensa, não só regional e foi vivido com muita emoção por todo o Arquipélago.
A Assembleia Legislativa dos Açores assinalou o 40.º Aniversário da Autonomia da Região com uma sessão solene na Horta, na qual esteve presente o Presidente da Assembleia da República Ferro Rodrigues.
Na sessão, no dia 4 de Setembro, discursaram, ainda, o Presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro e a Presidente da Assembleia Legislativa, Ana Luís.
Nas eleições regionais, concretizadas a 16 de Outubro, o Partido Socialista confirmou nova maioria absoluta, apesar de ter perdido um deputado. Os socialistas venceram as eleições com 46,43% dos votos, contra os 30,89% do PSD/Açores, 7,16% do CDS-PP, 3,66% do BE, 2,61% do PCP-PEV e 0,93% do PPM. A abstenção manteve-se elevada, situando-se nos 59,16%.
Ainda no campo da política, Duarte Freitas foi reeleito líder do PSD nos Açores, contra o candidato Paulo Silva.
Os Açores continuam a ser uma Região de eleição para o turismo mundial e não foi por acaso que a “National Geographic Traveler” elegeu o Arquipélago como o melhor destino do Mundo, numa lista de 20 locais mais belos do mundo de visita obrigatória. Aquela publicação sugere uma visita às 9 ilhas açorianas, onde a biodiversidade é enorme e onde há tanto para fazer e conhecer.
A integração do BANIF no Santander Totta prosseguiu em 2016, concluindo-se no final de Outubro o processo de migração tecnológica e operacional do antigo banco, menos de um ano após a aquisição da parte do Santander Totta. Foram mantidos a totalidade dos trabalhadores nos Açores.
Ryanair inicia operação para a ilha Terceira
Ainda este ano, mais concretamente em Dezembro, a Ryanair iniciou a operação para a ilha Terceira, com um voo quase cheio e com expectativas de bons resultados nos próximos meses.
Já nas Lajes, o Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, reforçou que “os Açores foram a Região do país onde o turismo mais cresceu e que está a ter um impulso muito grande no desenvolvimento. O que queremos é que os Açores beneficiem deste potencial de desenvolvimento”, complementou aos jornalistas.
Nos Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada, o ex-comandante Emanuel Sousa, despedido em Novembro de 2014, é reintegrado na corporação, num processo que está longe ainda de terminar, e num ano em que Alberto Leça foi eleito o novo presidente da Direcção.
O final do ano fica ainda marcado pela morte do monsenhor Augusto Cabral, antigo reitor do Santuário do Senhor Santo Cristo dos Milagres. O sacerdote açoriano, de 79 anos, foi ainda vigário-geral da Diocese de Angra, reitor do Seminário Episcopal de Angra e director do Secretariado Nacional de Educação Cristã.
Mas nem tudo foram más notícias, e como prenda de Natal antecipada, os açorianos ficaram a saber que o salário mínimo regional nos Açores aumenta para 584,85 Euros a partir de 1 de Janeiro de 2017, o que representa mais 28,35 Euros por mês.
CA-MN

Passagem de Ano com animação musical e fogo-de-artifício.

Festejos da Passagem de Ano concentrados em Ponta Delgada e na Ribeira Grande em São Miguel
As cidades de Ponta Delgada e da Ribeira Grande serão palco da grande maioria dos eventos de celebração da Passagem de Ano que se vão realizar na ilha de São Miguel, com uma forte aposta nas componentes da animação musical e dos espectáculos de fogo-de-artifício.
Em Ponta Delgada, a artista nacional April Ivy será cabeça-de-cartaz nas Portas da Cidade e um espectáculo de fogo-de-artifício assinalará a entrada no ano de 2017.
A animação musical tem início, no local, às 22h00, com a actuação da Banda Stereo Mode, seguindo-se a cabeça de cartaz April Ivy, a partir das 23h00.
April Ivy é uma artista que se tem vindo a revelar a nível nacional e internacional, tendo sido descrita como a nova sensação “electro pop” do país. Com apenas 17 anos, está já a gravar o seu primeiro álbum, que terá edição internacional. Um dos seus sucessos, intitulado “Shut up”, está em voga e passa numa das telenovelas de projecção nacional, conforme explicou o director do Coliseu Micaelense, Miguel Brilhante, aquando da apresentação do programa.
A dois minutos do final de 2016, dá-se o “countdown” para o Ano Novo, cuja entrada se assinala à meia-noite com um espectáculo de fogo-de-artifício que pretende ser, “caso as condições meteorológicas permitam, melhor do que foi no ano transacto”.
Pelas 00h15, April Ivy voltará ao palco e seguem-se, a partir das 0h35 e até às 2h00, as performances dos dj’s regionais André N e AZ Kicker.
Concluídos os festejos nas Portas da Cidade, a comemoração vai prosseguir, a partir das 2h00, no tradicional Baile de Réveillon, no Coliseu Micaelense, evento para o qual os 2500 lugares disponíveis esgotaram em 4 dias apenas.
O Baile de Réveillon será animado por duas bandas regionais, nomeadamente a Banda Oceanus e a Banda 8.
Na apresentação do programa para a Passagem de Ano, o Presidente da Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada, Mário Fortuna afirmou que a cidade passou a ser “anfitriã” do turismo na época de Inverno.
“Ponta Delgada passou a ser anfitriã de muita gente que vem de fora e vai encher quase na totalidade os hotéis da cidade, um dos objectivos fundamentais em que apostamos quando começamos esta parceria, pensando no comércio que podia advir daqui”, frisou na altura.
A festa da Passagem de Ano em Ponta Delgada será, inclusive, transmitida pela RTP/Açores, com a emissão a começar uma hora antes da meia-noite e privilegiando o que estiver a acontecer nas Porta da Cidade.
Quando faltarem 6 ou 7 minutos para a meia-noite, a emissão mundial vai centrar-se em Ponta Delgada, incluindo o espectáculo de fogo-de-artifício na totalidade da sua duração.
O esforço para levar a cabo o evento rondará os 100 mil euros, considerando os contributos dos vários parceiros envolvidos.
Por seu turno, na cidade da Ribeira Grande, a última noite do ano vai ser celebrada no Largo Hintze Ribeiro, contando com animação musical a cargo de vários grupos locais e com um espectáculo de fogo-de-artifício a assinalar o início de 2017.
O programa comemorativo inicia-se pelas 22h00, com a actuação da banda Recover.
Depois, haverá a presença em palco da banda NFG, a que caberá garantir a animação até bem perto da meia-noite, altura em que as doze badaladas assinalarão a entrada no novo ano.
O ponto alto do programa é o espectáculo de fogo-de-artifício que será lançado da ponte dos Oito Arcos à meia-noite.
Com o espectáculo pirotécnico o Município pretende oferecer um colorido diferente na entrada no ano de 2017. Finalizado o fogo-de-artifício, segue-se, pela noite dentro, a actuação do DJ TóJó.
Se uns municípios apostam na comemoração da chegada de um novo ano, outros viram agulhas para o assinalar da despedida de 2016.
Para o efeito, em Vila Franca do Campo, vai realizar-se hoje, a partir das 21h00, um Concerto de Fim de Ano, da Orquestra Quadrivium, no Convento de São Francisco.
Também no concelho da Povoação haverá animação musical. Junto ao Presépio das Caldeiras das Furnas, pelas 19h30, há a actuação da banda “Jack of Clubs”, enquanto no Jardim Municipal da Povoação, com início pelas 20h30, actua Cheila Teixeira, seguido pela banda Delay.

Nuno Fontes Sousa/CA/MN

Ricardo Moura termina o ano de 2016 com um feito único

 Ricardo Moura foi o vencedor do Azores Airlines Rallye 2016
“Prioridade é participar em algumas provas do Campeonato da Europa”
Ricardo Moura termina o ano de 2016 com um feito único no panorama do automobilismo dos Açores. Ganhou o Azores Airlines Rallye, que desde 2008 conta para o principal campeonato europeu, e foi pelo nono ano consecutivo campeão dos Açores, com a particularidade única de ter vencido as sete provas que constaram no campeonato.Mas o que tem programado o campeoníssimo de ralis dos Açores para 2017? Foi atrás desta pergunta e de outras questões do momento que dialogamos com Ricardo Moura. 
Receber da Federação o prémio Carreira pelo conjunto de resultados alcançados, significa que o ciclo de vitórias está a fechar-se?
Não, não estou a pensar em acabar minha carreira nem tão cedo. Sou bastante novo.  Ainda estou na casa dos trinta anos de idade. Se Deus quiser e se me derem esta oportunidade, ainda tenho muitos anos para continuar a praticar esta modalidade com a mesma vontade. O próximo objectivo, já em 2017, é o de obter um conjunto de melhores resultados possíveis nas provas e nos campeonatos em que estivermos envolvidos. 
Vai voltar ao Campeonato Nacional a tempo inteiro em 2017?
De momento não temos um conjunto de apoios que nos permita voltar a tempo inteiro ao Campeonato Nacional de Ralis (CNR). Estamos a tentar que isso aconteça. Só voltaremos a tempo inteiro com um orçamento que nos permita discutir as vitórias e disputar o campeonato com a mesma postura do ano de 2015.
A conquista do décimo título açoriano será mais complicada com a evolução do Luís Miguel Rego como condutor e com o Ford Fiesta?
Muito sinceramente, o que fazem ou que deixam de fazer os outros concorrentes, que tenham ou que não tenham equipamento, nunca foram o motor da minha motivação. A minha motivação é comigo próprio, com a minha equipa, com os meus patrocinadores, com os  meus mecânicos, com o meu navegador, com o team Além-Mar. Essa que é a minha grande motivação, corresponder com trabalho àquilo que investem em nós. Portanto, é com este lema que vamos continuar e dar seguimento àquilo que fizemos nos últimos nove anos.  
E realizar uma competição no estrangeiro em 2017 teve algum avanço?
Nós estamos à espera de algumas respostas. Entregamos projectos desportivos a empresas com interesses no estrangeiro, mas estamos a aguardar. É óbvio que cada vez é mais difícil por de pé um projecto com esta natureza, mas esse seria, sem dúvida, a nossa prioridade em relação às provas fora dos Açores. É a nossa prioridade fora o Campeonato dos Açores. Fazer algumas provas do Campeonato da Europa, conhecer outras realidades, promover os Açores em destinos diferentes e com isso evoluir e ser um piloto mais completo, aprendendo com novas classificativas, novas realidades, é esta a nossa ambição.”
“OBJECTIVO É VENCER O AZORES RALLYE”
Não estando ainda divulgados os regulamentos dos campeonatos de Portugal e dos Açores e estando apenas definidas as datas para a inclusão das provas do “Nacional” é um atraso que não cai bem à direção da Federação?
Penso que eles têm os seus “timings” e, com certeza, que terão as suas justificações. Não me cabe responder enquanto piloto. O que sei é que quanto mais cedo tivermos a possibilidade de definir a nossa agenda e definir o que é que podemos fazer, melhor. Reconheço que toda gente está a tentar fazer o melhor e o seu trabalho. Deduzo que seja uma tarefa complexa fazer um grande conjunto de campeonatos e não coincidirem, com datas que agradem a todos os clubes. Daí estarem a demorar o tempo que acham necessário.
Repetir a vitória no Azores Airlines Rallye é um desejo difícil de alcançar?
É o principal objectivo para 2017.
O Azores Airlines Rallye a abrir o Europeu é melhor ou não?
É difícil de perceber. Eu, em tempos, achava que nunca era melhor porque, pelo menos na realidade açoriana e portuguesa, a maior parte dos pilotos, numa fase muita prematura dos campeonatos, não têm os seus projectos definidos sendo mais difícil estarem nas primeiras provas. No entanto, o Campeonato da Europa é uma realidade diferente e eu espero sinceramente que seja uma grande mais-valia.
Em relação às condições atmosféricas nos Açores, nunca sabemos o que iremos ter. Podemos ter uma semana de Março fabulosa, com Sol todos os dias e com pouca chuva, ou ter uma semana em Julho ou em Agosto com chuva, com nevoeiro e com muita dificuldade de visibilidade. Vamos esperar que os “anjinhos” estejam connosco e que seja mais uma grande edição do Azores Airlines Rallye.

Escrito por João Patrício /CA/MN

Sinaga regularizou situação financeira aos produtores

Açucareira dos Açores regulariza situação com 80 produtores de beterraba
A açucareira Sinaga regularizou os pagamentos em falta a 80 produtores de beterraba da ilha de São Miguel, no valor de 170 mil euros, disse à agência Lusa o seu presidente.
“Confirmo que procedemos ao pagamento, há cerca de uma semana, e temos todos os produtores de beterraba da ilha de São Miguel com a situação em dia”, declarou Paulo Neves.
Há cerca de um mês que os produtores de beterraba aguardam a regularização financeira com a indústria transformadora de açúcar, única nos Açores, o que gerou o descontentamento da Federação Agrícola dos Açores, que representa os agricultores.
O responsável pela Sociedade Indústrias Agrícolas Açoreanas declarou que as perspetivas de crescimento do número dos produtores de beterraba “são interessantes”, mas os contratos só começarão a ser regularizados em janeiro.
“Temos sido abordados por alguns produtores e, neste momento, o número de cultivadores que contactou a Sinaga (60) é superior a igual período de 2015 (40)”, disse.
Paulo Neves está otimista em relação ao aumento da área de cultivo da beterraba, mas prefere falar num ”crescimento consistente”, face à “expetativa dos cultivadores” com a empresa, que afirmou que “irá cumprir com as suas obrigações com os produtores.
A empresa, adquirida pelo Governo Regional há seis anos, possui um passivo de 22 milhões de euros, sendo que os ativos atingem cerca de 20 milhões de euros.
A 18 de novembro, o secretário regional da Agricultura e Florestas dos Açores, João Ponte, afirmou que uma solução para a empresa Sinaga seria conhecida dentro de seis meses.
“O Governo dos Açores está determinado em, num prazo razoável - e estimo que em seis meses -, ter definida uma solução para a Sinaga, uma solução que deverá ser devidamente trabalhada com os parceiros neste processo”, afirmou João Ponte, no parlamento regional, na Horta, ilha do Faial.
Já a 27 de dezembro, João Ponte reiterou que a viabilização da Sinaga passa pelo envolvimento dos privados, sem esclarecer quem suportará o passivo superior a 20 milhões de euros.
“A solução do futuro na Sinaga, de viabilização da empresa, há de passar, naturalmente, por uma solução em que estejam envolvidos também os parceiros privados”, afirmou João Ponte, após uma reunião com a Direção do Sindicato das Indústrias Transformadoras, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.
Uma das hipóteses apontadas para a Sinaga passa pela construção de uma nova unidade fabril, num processo em que Direção do Sindicato das Indústrias Transformadoras aponta a necessidade de serem salvaguardados os postos de trabalho.
Lusa/MN

Rodonorte - Transportes Portugueses, vence concurso

Rodonorte vence concurso de transporte urbano de passageiros em Ponta Delgada
A Câmara Municipal de Ponta Delgada vai atribuir à Rodonorte o transporte coletivo urbano de passageiros na cidade para o período 2017/2020, por um valor de 476 mil euros.    
A empresa do sector dos transportes, de Vila Real, foi a única que se apresentou ao concurso internacional para o transporte coletivo urbano de passageiros em Ponta Delgada na ilha de São Miguel.
"Apenas foi presente uma proposta do concorrente Rodonorte (...). A proposta da empresa Rodonorte para a prestação de serviço importa no valor de 476 mil euros, à qual acresce o IVA à taxa legal", disse Margarida Vieiros Brito, na abertura de propostas que decorreu hoje em Ponta Delgada.
A diretora do departamento de obras, mobilidade e equipamentos da autarquia de Ponta Delgada adiantou que a Rodonorte - Transportes Portugueses, SA, apresentou uma proposta mais baixa 10 mil euros do que "o valor máximo estabelecido para o concurso", que foi estipulado em 486 mil euros.
Em abril deste ano, o município estabeleceu, por um ano, um contrato de prestação de serviço de transporte coletivo urbano regular de passageiros de Ponta Delgada com a empresa Varela, por um valor de 150 mil euros.
O contrato em vigor termina a 29 de abril de 2017 e, por isso, houve necessidade de proceder a um novo concurso público internacional, que foi publicado em jornal oficial dos Açores no passado dia 09 de novembro.
O serviço de 'minibus' na cidade de Ponta Delgada teve início em 2002, sendo assegurado por operadores privados, mas, ao longo dos anos, tem sido controverso.
No início de 2012, devido à recusa de visto do Tribunal de Contas, que alegou "restrição do universo concorrencial", a Câmara anulou o concurso que tinha conduzido à adjudicação do serviço em agosto de 2011.
Na sequência dessa decisão, o município recorreu ao ajuste direto para assegurar a concretização do serviço até abril de 2013.
Já em 2015, o presidente da Câmara de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, anunciou um acordo com a União de Transportes dos Carvalhos (UTC) na sequência de um contencioso, por causa de uma exclusão do concurso público de transporte em 'minibus' na cidade, que prevê uma indemnização de 340 mil euros.
Lusa/MN

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Professor Félix Rodrigues revelou poeiras do Saara nos Açores

Poeiras do Saara estão a afectar os Açores com concentrações elevadas
A situação de poeiras do Saara vai manter-se até Sábado e afectará mais os grupos central e oriental do arquipélago.
O Professor Félix Rodrigues revelou ontem que as poeiras do Saara estão sobre os Açores, e à superfície, afectando especialmente o Grupo Oriental e Central do Arquipélago, uma situação que vai manter-se até sábado.
Na sua página do Facebook, o especialista em “Ciências do Ambiente - Ramo Poluição” sublinha que os níveis de partículas finas (PM2,5) têm concentrações que podem afectar a saúde das pessoas especialmente aquelas com problemas respiratórios. As poeiras podem inflamar ou infectar os olhos e provocar alergias ou até mesmo bacterioses. Há que ter especial cuidado e expor-se pouco ao ambiente exterior.
Sempre que existe este tipo de situações os especialistas lembram que os grupos mais vulneráveis — crianças, idosos, doentes com problemas respiratórios crónicos, principalmente asma, e doentes do foro cardiovascular, são recomendados cuidados acrescidos, devendo, “se possível, permanecer no interior dos edifícios com as janelas fechadas”.
O académico regista ainda que os níveis de PM2,5 estão muito acima do normal (3 a 5 microgramas por metro cúbico) com cerca de 50 microgramas por metro cúbico, e as PM10 também, com cerca de 70 microgramas por metro cúbico. É muito provável que os níveis elevados dessas partículas se mantenham até à passagem de ano.
As concentrações médias diárias de partículas inaláveis (PM10 – partículas com diâmetro inferior a 10 um), diz Félix Rodrigues, podem ser influenciadas por fenómenos naturais, tais como o transporte de longa distância de ar proveniente de regiões áridas, o que é manifestamente este caso, remata o professor do Departamento de Ciências Agrárias da Universidade dos Açores.
Escrito por N.C./CA/MN

João Ponte anunciou hoje na Agrocapelense

Ajudas e prémios do POSEI no valor de 20 ME são pagos a 30 de dezembro, anuncia João Ponte
O Secretário Regional da Agricultura e Florestas anunciou hoje que os agricultores açorianos que se candidataram às ajudas e prémios do POSEI vão receber sexta-feira, 30 de dezembro, um valor global de cerca de 20 milhões de euros, referentes a pagamentos no âmbito daquele programa.
Trata-se, por um lado, do pagamento dos Prémios às Produções Animais, no valor de 14,5 milhões de euros, que incluem os 30% do financiamento complementar regional de 3,25 milhões de euros ao Prémio à Vaca Leiteira, e das Ajudas às Produções Vegetais, no valor de 5,4 milhões de euros.
O Programa POSEI tem trazido uma grande ajuda para os produtores açorianos, contribuindo para desenvolvimento de uma agricultura sustentável de qualidade, que proteja a viabilidade a longo prazo das suas explorações, das comunidades rurais e do património natural da Região.
O relatório sobre a avaliação do POSEI, recentemente divulgado pela Comissão Europeia, reconhece a mais-valia deste programa para as Regiões Ultraperiféricas, como os Açores, para o setor produtivo e para a geração de emprego.
Os valores que serão pagos a 30 de dezembro foram anunciados por João Ponte no final de uma visita à Cooperativa Agrocapelense, em S. Miguel, durante a qual foram analisados com a Direção os principais desafios para os agricultores e para as cooperativas da Região
Entre os desafios gerais do setor encontra-se o preço do leite pago ao produtor, existindo uma forte expetativa para que a indústria, de uma forma global, faça um esforço para acompanhar a recuperação dos preços que já há algum tempo se faz sentir nos mercados.
“Neste sentido, algumas indústrias na ilha de São Miguel já anunciaram o aumento do preço do leite em um cêntimo por litro a partir de 1 de janeiro", salientou João Ponte, acrescentando que se "aguarda agora que esta medida por ser acompanhada por outras indústrias".
No final da visita à Cooperativa Agrocapelense, situada na Vila das Capelas, e que atua sobretudo nas áreas da promoção e colocação nos mercados de consumo dos produtos provenientes das explorações agrícolas dos associados, mas também no facilitar da aquisição de sementes, plantas, animais e produtos necessários às explorações agrícolas dos seus associados, João Ponte considerou que “cooperativas como esta prestam um serviço muito relevante ao setor”.
O Secretário Regional salientou que tal se concretiza, desde logo, pelos serviços que prestam e também na disponibilização de fatores de produção.
Para o titular da pasta da Agricultura. “grande parte da estrutura de custos do setor provêm da aquisição dos fatores de produção e as cooperativas, com uma politica de preços mais competitivos do ponto de vista comercial, por via dos contratos que conseguem com os fornecedores, podem dar um bom contributo para a redução dos custos de produção para o agricultor e desta forma para a melhoria do seu rendimento”.
GaCS/SF/MN

Solução para a Sinaga com componente privada

Solução para a Sinaga terá de contar com componente privada e envolver parceiros sociais e trabalhadores, afirma João Ponte
O Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou hoje que o Conselho de Administração da Sinaga "está a trabalhar" na orientação que foi dada pelo Governo dos Açores para "desenvolver um plano estratégico", que deverá estar concluído até final do primeiro semestre de 2017, que permita ao Executivo "tomar uma decisão quanto ao futuro da empresa, que não ficará só na componente pública”.
João Ponte, que falava em Ponta Delgada, no final de uma reunião com o Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras em que esteve em análise a situação da empresa, salientou que processo de decisão “envolverá também os parceiros sociais, os sindicatos e os trabalhadores”.
O Secretário Regional assegurou que “a situação dos trabalhadores da empresa será sempre acautelada”.
Para o titular da pasta da Agricultura, “a decisão não cabe apenas e só ao Governo Regional", acrescentando que a situação da Sinaga terá de passar por "uma solução onde estejam os parceiros privados que, no fundo, garantam a sustentabilidade da empresa, pela importância que tem na diversificação agrícola, na rotação dos solos e também na componente exportadora para a Região".
João Ponte afirmou que o futuro da empresa “não será com o atual modelo de fábrica, mas com um novo modelo tecnologicamente mais avançado, em que se terá de garantir financiamento de fundos comunitários para o novo investimento".
"Um novo modelo em que a participação pública entre numa fase inicial, mas sempre envolvendo a participação privada”, acrescentou.
Para o Secretário Regional, “aquilo que a Sinaga está a preparar é um documento técnico e financeiro que aponte o investimento que será necessário fazer, que tipo de tecnologia vai utilizar, que tipo de transformação irá fazer, que quantidade de áreas de terrenos de produção serão necessárias para viabilizar o negócio e depois, com esse dossier, encontrarmos parceiros estratégicos para assegurar a viabilidade que terá de assentar, também, numa componente não pública”.
GaCS/SF/MN                       

Portaria fixa repartição da quota de goraz nos Açores


Quota de goraz será repartida por ilha em 2017 e 2018
A Portaria que fixa a repartição da quota de goraz destinada aos Açores por cada ilha do arquipélago, respeitando o historial de captura de cada uma delas, foi hoje publicada em Jornal Oficial.
O diploma, segundo a Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, pretende garantir uma repartição “justa e equitativa” da quota destinada aos Açores e permitir a cada ilha gerir “de forma racional” este recurso.
O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia pretende que os pescadores de cada uma das ilhas do arquipélago estejam habilitados a gerir a quota que lhes é atribuída, “de forma a concentrarem o esforço de pesca nos meses em que a espécie atinge valores mais elevados em lota”.
“As 507 toneladas de quota de captura de goraz anual que a Região dispõe para 2017 e 2018 são repartidas pelo conjunto da frota do arquipélago, ilha por ilha”, com base no seu historial de capturas, permitindo a cada ilha gerir “de forma racional este importante recurso”, frisou Gui Menezes.
Com vista a garantir o uso pleno da quota da Região em 2017, o volume máximo de capturas autorizado para cada uma das ilhas dos Açores poderá ser alterado na sequência de acordos entre as associações representativas da frota de pesca de cada uma das ilhas e do registo de capturas efetivamente realizadas ao longo desse ano.
A Região conseguiu manter a quota de goraz nas 507 toneladas para o próximo biénio, após o sucesso na ronda negocial do Conselho de Ministros das Pescas da União Europeia que decorreu, em Bruxelas, no mês de novembro.
Foi hoje também publicada em Jornal Oficial uma Portaria que estabelece um novo tamanho mínimo de captura para o goraz, que passa a ser de 33 centímetros ou 550 gramas, conforme foi estipulado no Conselho de Ministros das Pescas da União Europeia.
Em agosto deste ano, após discussão em Conselho Regional das Pescas, o Governo dos Açores já havia procedido ao aumento do tamanho mínimo do goraz de 30 centímetros ou 400 gramas para 32 centímetros ou 500 gramas.
“A fixação de um tamanho mínimo é uma medida importante de gestão dos recursos”, salientou o Secretário Regional, na medida em que “permite assegurar a diminuição da captura de juvenis, potenciando a capacidade reprodutiva da espécie, para além de promover a captura de exemplares maiores, cujo preço em lota é mais elevado”.
GaCS/GM/MN

Jogador do Operário convocado para o ''CAN' 2017''

Abudu convocado para representar a Guiné-Bissau na CAN2017
O médio guineense do Operário, de 21 anos, foi chamado pelo selecionador de futebol da Guiné-Bissau para representar aquele país na CAN2017, prova que vai ter lugar no Gabão.    
Sené Dabá, popularmente conhecido no meio futebolístico como Abudu, é um dos 26 jogadores escolhidos pelo selecionador de futebol da Guiné-Bissau para a CAN2017, competição que vai decorrer entre janeiro e fevereiro no Gabão.
O médio que finalizou a sua formação no Sporting de Braga e representa o Operário desde a época 2014/2015 vai, aos 21 anos, ter a oportunidade de poder participar na maior competição de seleções do continente africano.
A Guiné-Bissau está integrada no Grupo A da CAN2017 juntamente com Camarões, Burkina Faso e Gabão.
A estreia está marcada para 14 de janeiro justamente com a seleção anfitriã da competição.
Lista de convocados
Guarda-redes: Jonas Mendes (Salgueiros, Port), Rui Dabo (Cova da Piedade, Port) e Papa Mbaye (Agua Dulce, Espanha).
Defesas: Emanuel Mendy (Ceahul, Roménia), Rudinilson Brito e Silva (Lechia Gdansk, Polonia), Juary Soares (Mafra, Port), Agostinho Soares (Sporting Covilhã, Port), Mamadu Candé (Tondela, Port), Eridson Umpeça (Freamunde, Port), Tomás Dabó (Arouca, Port).
Médios: Nanísio Soares (Felgueiras, Port), José Lopes (Levadiakos, Grécia), Boucundji Cá (Stade Reims, França), Tony Brito e Silva (Levadiakos, Grécia), Piqueti Brito (Braga B, Port), Idrissa Camará (Avelino, Itália), Jean Paul Mendy (Quevily-Roun, França), Francisco Santos Júnior (Stomgodset, Noruega), Sene Dabó (Operário Lagoa, Port) e Sana Camará (Académico Viseu, Port).
Avançados: João Mário Fernandes (Desportivo de Chaves), Abel Camará (Belenenses), Aldair Baldé (Olhanense) e José "Turbo" Correia (Tondela), Frederic Mendy (Ulsan Hyundai, Coreia do Sul) e Leocísio Júlio Sami (AAkhisar, Turquia).
Lusa/AO/MN

Desporto: Açores com 52 equipas nos ''Nacionais''

Cinquenta e duas equipas dos Açores nos “Nacionais”
A Região Autónoma dos Açores está representada nos Campeonatos Nacionais de Ténis de Mesa, de Andebol, de Futebol, de Basquetebol, de Hóquei em Patins, de Voleibol e de Futsal por cinquenta e duas equipas.
No vasto lote de equipas participantes incluem-se as 12 que estão inseridas na série Açores da 2.ª divisão de voleibol (6 masculinas e 6 femininas) e as 8 que disputam a série Açores da 2.ª divisão de futsal.
O Voleibol é a modalidade com o maior número de equipas. São 15, seguida pelo Ténis de Mesa, com 11 clubes distribuídos pelas 1.ª e 2.ª divisões masculinas e femininas. Esta modalidade teve um grande salto participativo em poucos anos. São equipas das ilhas Terceira, Pico e Flores.
O Futsal é a terceira modalidade com maior número de participações. São 9 equipas, mas apenas uma na 1.ª divisão. Trata-se do Posto Santo, que disputa o campeonato feminino.
Segue-se o Basquetebol e o Futebol com 6 equipas cada, o Hóquei em Patins com 3 e o Andebol com dois clubes.
O Basquetebol e o Hóquei em Patins são as únicas com três divisões, embora na modalidade da bola ao cesto o terceiro escalão masculino tenha a designação de 1.ª divisão.
Recorde-se que no último nível competitivo só há apoios da Direção Regional do Desporto (DRD) para as viagens e para os chamados apoios complementares para uma equipa.
UNIÃO SPORTIVA COM MAIS 21 MIL EUROS
Ao longo do último mês apresentámos os orçamentos dos clubes com equipas envolvidas nos campeonatos de seniores dos desportos coletivos e os apoios que receberam da DRD.
Hoje damos conta dos clubes que competem em Basquetebol, em Hóquei em Patins, em Andebol e em Ténis de Mesa. Curioso que destas 22 equipas que competem nas 4 modalidades só há três da ilha de S. Miguel. São o União Sportiva em masculinos e em femininos, no basquetebol, e o Marítimo no hóquei em patins.
O único termo de comparação quanto ao custo previsto de participação para as equipas da ilha de S. Miguel é no basquetebol feminino. A diferença entre o União Sportiva e o Boa Viagem é de 21.122 euros, atendendo à presença do bi campeão nacional na Taça da Europa.
União Sportiva que, como anunciámos na edição de 3 de Dezembro, concretiza, agora, a substituição de duas atletas do plantel. Até sexta-feira serão anunciadas as jogadores que vêm para o lugar da norte americana Tifanny Jonas e da ucraniana Anna Olkhovyk.
CA/MN

Santa Clara de regresso ao trabalho

Sábado há jogo com o Sporting Ideal
Os jogadores do Santa Clara regressaram ontem, à tarde, ao trabalho, depois de um curto período de férias.
O treino teve lugar no campo do Lajedo e sem Rafael Batatinha, a caminho do Desportivo de Chaves, da Liga NOS. Os trabalhos prosseguem hoje pelas 10h00, horário dos aprontos até sexta-feira, a serem alternados nas Laranjeiras e no Lajedo.
Sábado, igualmente pelas 10h00, está agendado no estádio de S. Miguel um jogo treino com o Sporting Ideal, a equipa sensação da série “E” do Campeonato de Portugal PRIO de futebol.
A próxima partida do campeonato é a 8 de Janeiro em Portimão, com o líder Portimonense.
Noutro âmbito, uma comitiva do Santa Clara, encabeçada pelo Diretor Geral, Hugo Pacheco de Melo, e incluindo os atletas Pacheco, Igor e Rodolfo, foram entregar os bens recolhidos no jogo com o Penafiel a uma das valências do Lar da Mãe de Deus.  Ficou para recordar uma manhã  de um convívio fantástico, onde foram contadas histórias pessoais e partilhadas várias alegrias... Exemplos de vida.
A SAD do Santa Clara aproveitou para agradecer a todos os que contribuíram para que aquela acção fosse tão bem sucedida.
CA/MN

Associação de Futebol de Ponta Delgada premiada pela FPF

Robert Câmara aborda três temas da ordem do dia do futebol micaelense
A Associação de Futebol de Ponta Delgada foi recentemente premiada pela Federação Portuguesa de Futebol pelo projecto implementado na época passada sobre o Mérito Desportivo Escolar dos jovens atletas de vários clubes.
Robert Câmara, presidente da direção daquele organismo que superintende o futebol e o futsal das ilhas de S. Miguel e de Santa Maria, anunciou a continuação de prémios para os jogadores que mais se distinguirem no âmbito escolar nesta temporada.
Mas não foi este o único tema da conversa. Robert Câmara justificou a razão de só duas equipas das provas de ilha atingirem os quartos-de-final da Taça de S. Miguel de futebol e o porquê de não ter sido posta em prática uma prova organizada de futebol de praia como havia sido anunciado.
Como encarou a distinção da Federação ao projecto que a Associação pôs em prática na época passada, de premiar os jovens jogadores com o Mérito Desportivo Escolar?
Foi com imensa satisfação que a Associação de Futebol de Ponta Delgada (AFPD) viu reconhecido um projecto muito especial para si - uma verdadeira “menina dos seus olhos”!
Sendo o incentivo ao desempenho escolar uma das pedras basilares da acção da AFPD no âmbito da formação desportiva, ficamos muito felizes com o reconhecimento da Federação Portuguesa de Futebol.
É um programa que volta a ser posto em prática nesta temporada?
Ao reconhecer o desempenho escolar dos nossos atletas, a Associação de Futebol de Ponta Delgada pretende desencadear uma série de estímulos que contribua para o gosto pelos estudos e potencie a capacidade dos nossos atletas conciliarem a vida académica com a vida desportiva.
Estando plenamente convencidos das virtudes deste nosso projecto e porque o “feedback” de pais e de dirigentes tem sido excelente, o programa, tal como foi já afirmado, é para continuar. Estamos neste momento num processo de análise e aperfeiçoamento dalguns detalhes do regulamento vigente, por forma a tornar o projecto mais justo e abrangente.”
Por que foi alterado o figurino da Taça de S. Miguel, com as equipas que estão nas provas nacionais e regional só entrando nos quartos-de-final e não na 2.ª eliminatória como na época passada?
A alteração aplicada no modelo competitivo da Taça de São Miguel de Futebol, seniores masculinos de 2016/2017, deve-se ao número de equipas participantes na prova e o nível competitivo das restantes provas em que participam.
Enquanto que, em 2015/2016 tínhamos 18 equipas participantes, nesta época desportiva temos 15 equipas a participar na Taça o que implica, naturalmente, uma alteração ao esquema de eliminatórias. Saliento que esta competição integra equipas que participam em 4 competições distintas, sendo necessária a conjugação das 4 diferentes calendarizações.
Julgo oportuno salientar que todos os modelos adoptados para as nossas provas foram analisados e debatidos com os nossos clubes filiados na habitual reunião de início de época desportiva.
Não acha que retirou interesse para as equipas que estão nas provas de ilha?
De modo algum. Pelo contrário, constatamos bastante entusiasmo por parte dos agentes desportivos relativamente a esta competição.
“Falta de material adiou futebol de praia”
Anunciou quer no seu programa eleitoral e publicamente, que o futebol de praia arrancaria no Verão passado. Não aconteceu por que motivo?
A atividade competitiva regular de Futebol de Praia, em formato de torneio, não aconteceu no passado Verão devido a um atraso imprevisto na entrega do material específico desta modalidade que só recebemos no final de Agosto.
No entanto, foi realizado um trabalho prévio de sensibilização dos nossos clubes e promoveram-se reuniões de trabalho com todas as Câmaras Municipais da Ilha de São Miguel e com a Capitania do Porto de Ponta Delgada.
Não obstante o atraso já referido na recepção de equipamento, instalamos, no decurso da primeira quinzena de Setembro, campos nas praias de Água D’Alto e de Santa Bárbara para a prática livre da modalidade, realizando-se um jogo de demonstração.
Já estão definidos os locais das fases de apuramento dos torneios de juniores B e C com a participação dos campeões dos Açores e da Madeira e com duas equipas do Continente para a qualificação à fase de apuramento do campeão?
Não tenho presente se já existe alguma informação oficial sobre este assunto.
Escrito por João Patrício/CA/MN

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

O melhor selecionador do ano é português

Fernando Santos selecionador do ano para Federação Internacional de Estatística
O treinador Fernando Santos, que levou Portugal à conquista do Europeu de futebol de 2016, foi hoje eleito o melhor selecionador do ano pela Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS).    
Fernando Santos, que em setembro de 2014 substituiu Paulo Bento no comando da seleção das ‘quinas’, obteve 199 pontos, superando o sueco Lars Lagerbeck, que lidera a seleção da Islândia, que ocupa a segunda posição, com 71 pontos.
Na terceira posição, com 61 pontos, ficou o alemão Joachim Löw, que foi eleito o melhor selecionador em 2014, ano no qual levou a seleção germânica à conquista do título mundial.
Didier Deschamps, que comandou a seleção francesa derrotada por Portugal na final do Euro2016 (1-0, após prolongamento), terminou na quinta posição, com 52 pontos, atrás do galês Chris Coleman.
Fernando Santos, de 62 anos, sucede no palmarés de melhor selecionador do ano da IFFHS ao argentino Jorge Sampaoli, atual treinador do Sevilha, que em 2015 levou a seleção chilena à conquista da Copa América.
O selecionador português está entre os três finalistas ao título de treinador do ano da FIFA - que será anunciado a 09 de janeiro -, ao lado do italiano Claudio Ranieiri, que se sagrou campeão inglês com o Leicester, e do francês Zinedine Zidane, que levou ao real Madrid à conquista da 11.ª Liga dos Campeões Europeus.
Lusa/MN

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Cristiano Ronaldo foi o desportista do ano

Cristiano Ronaldo foi o desportista europeu do ano para agências de notícias
O português Cristiano Ronaldo tornou-se hoje no primeiro futebolista a ser eleito desportista europeu do ano pelas 27 agências de notícias da Europa que participaram na eleição promovida pela polaca PAP, sucedendo ao sérvio Novak Djokovic.
Em 2016, o avançado do Real Madrid e 'capitão' da seleção portuguesa conquistou o título de campeão europeu, a Liga dos Campeões, a Supertaça Europeia e o Mundial de Clubes, assim como a sua quarta Bola de Ouro.
Além de ser o primeiro futebolista, Ronaldo é também o primeiro português a vencer esta eleição, na qual participou a agência Lusa.
Na votação, Ronaldo, que já tinha sido quarto, em 2013 e 2014, e quinto, em 2015, impôs-se ao tenista britânico Andy Murray, bicampeão olímpico e líder do 'ranking' mundial, à nadadora húngara Katinka Hosszu, que arrebatou três medalhas de ouro e uma de prata nos Jogos Olímpicos Rio2016, e ao piloto alemão Nico Rosberg, campeão do mundo de Fórmula 1.
Ronaldo sucedeu no historial desta distinção, atribuída desde 1958, ao tenista sérvio Novak Djokovic, vencedor em 2015 e 2011.
Lusa/AO/MN

Museu Militar dos Açores vai ser ampliado em 2017

Museu Militar dos Açores vai ampliar espaço em 2017
O Museu Militar dos Açores, que este ano comemora uma década, vai ampliar o seu espaço dentro do Forte de São Brás em 2017 e continuar o seu esforço de aproximação ao público local.    
“O projeto tem em vista conquistar mais áreas, para ter outro tipo de salas, podendo até mesmo ter salas que permitam atividades não só militares, como exposições de pintura e escultura, que permitam à sociedade civil usar este espaço”, afirmou, em declarações à agência Lusa, o diretor do museu, Manuel Marcha, precisando que será criada uma sala multiusos.
Inaugurado em 2006, o Museu Militar dos Açores, sediado no Forte de São Brás, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, tem patente ao público várias peças de artilharia, fardamento e viaturas, entre outras, algumas das quais doadas pelo fundador, o coronel Salgado Martins.
Para a direção do museu, é importante que esta infraestrutura ligada à memória militar se afirme “enquanto continuação do espaço público, dispondo sempre de melhores condições”, apesar de estar dentro de uma fortificação militar, considerada “um baluarte da arquitetura militar em Portugal”.
Para 2017, referiu o diretor do Museu Militar dos Açores, há o objetivo de iniciar um programa de rádio e escrever um livro para “dar a conhecer às novas gerações as façanhas dos militares que usaram os objetos expostos”, assim como prosseguir o esforço de aproximação do público local.
Segundo Manuel Martins, é necessário “quebrar uma certa barreira psicológica das pessoas relativamente às instituições militares”.
Este museu destina-se a todos os públicos, embora sejam maioritariamente turistas que o visitam, atraídos pela arquitetura do forte.
“É um museu não só para militares, que aqui deixam a sua memória, mas para todas as pessoas”, considerou o diretor da instituição, que este ano já registou a entrada de 34 mil visitantes, garantindo-lhe a autossustentabilidade financeira.
A entrada no museu, localizado junto à avenida marginal de Ponta Delgada, custa três euros por pessoa, mas há várias isenções em vigor, à semelhança do que ocorre nos restantes museus nacionais.
“Independentemente do valor criterioso que temos aqui de algumas peças, para mim a verdadeira joia é a arquitetura do forte, o que ele representa na cidade. É quase um ícone da cidade”, salientou o responsável, acrescentando tratar-se de uma construção de 1562, que se tem adaptado ao tempo e às funções que lhe têm sido atribuídas.
Além do Museu Militar dos Açores, o Forte de São Brás acolhe, atualmente, o gabinete do comandante da Zona Militar dos Acores.
Lusa/AO/MN

Faleceu o guitarrista micaelense José Pracana

Guitarrista açoriano José Pracana morreu hoje vítima de doença
O guitarrista açoriano José Pracana, que tocou vários anos com fadistas como Amália Rodrigues e Alfredo Marceneiro, morreu hoje aos 70 anos, na ilha de São Miguel, nos Açores, vítima de doença prolongada, informou um amigo da família.    
“Antes do Natal estive com ele em sua casa e mantivemos uma conversa absolutamente fascinante, pois ele era uma pessoa muito culta”, afirmou à agência Lusa Carlos Melo Bento, acrescentando que o amigo morreu "esta madrugada em casa".
José Pracana nasceu a 18 de março de 1946 em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.
Segundo a página online do Museu do Fado, José Pracana iniciou, em 1964, a sua carreira como guitarrista amador, tendo acompanhado assiduamente os fadistas Alfredo Marceneiro, Vicente da Câmara, Carlos Zel, entre outros.
Carlos Melo Bento, que se mostrou surpreendido com a morte do amigo, confessou que José Pracana já estava debilitado há algum tempo, mas mantinha-se “uma pessoa muito interessada, culta e atenta”.
“O Pracana era um grande admirador de Amália Rodrigues, com quem tocou, e parece-me que ela também gostava muito dele”, referiu Carlos Melo Bento, lamentando que o país tenha perdido um homem com uma “enorme cultura sobre o fado”.
Entre 1969 e 1972, José Pracana dirigiu o “Arreda”, em Cascais, um projeto que abandonou para ingressar na TAP.
Atuou dentro e fora do país inúmeras vezes e participou em vários programas televisivos.
José Pracana foi autor de programas alusivos ao fado para a RTP, entre eles “Vamos aos Fados”, em 1976, e “Silêncio que se vai contar o Fado”, em 1992.
Em 2005 recebeu o prémio Amália Rodrigues na categoria de Fado Amador.
Lusa/AO/MN

Presépio tradicional dos Açores nos EUA

Ex vereador da Câmara da Lagoa leva artesanato à diáspora
Colecionador promove presépio tradicional dos Açores nos EUA há 17 anos
O colecionador Roberto Medeiros, que já levou por duas vezes à Casa Branca o tradicional presépio da Lagoa, nos Açores, promove há 17 anos nos Estados Unidos a arte bonecreira, tendo realizado este ano cinco exposições naquele país.
“Depois da inauguração do Museu do Presépio da Lagoa, em 1996, pelo então primeiro-ministro António Guterres, decidimos levar os presépios para as comunidades de emigrantes. A primeira vez que uma exposição do presépio da Lagoa saiu foi para a cidade de Toronto [Canadá]”, declarou o empresário e antigo vereador da Cultura da Câmara Municipal da Lagoa.
A tradição do fabrico de bonecos na Lagoa teve o seu início com a ida de oleiros de Vila Nova de Gaia para o concelho (na ilha de São Miguel), em 1872, tendo os locais aprendido a arte.
Após o horário de trabalho, os locais produziam os bonecos em barro para venderem pelas ruas da Lagoa, para ajudar no orçamento familiar, sedimentando-se assim a tradição.
Roberto Medeiros – que possui cerca de 500 presépios de todo o mundo e é membro da organização Friends of the Crèche (Amigos do Presépio) desde 2013 – começou por realizar uma primeira exposição nos Estados Unidos da América (EUA) na cidade de New Bedford, em 1999.
Ficou “muito entusiasmado”, uma vez que estiveram na abertura cerca de 600 pessoas.
Em New Bedford, e noutras cidades dos EUA na costa leste, como Fall River, existe uma expressiva comunidade de emigrantes portugueses, de origem açoriana, de onde partem todos os anos convites para que se instalem presépios da Lagoa em galerias de arte, museus, universidades e santuários, segundo o colecionador.
Roberto Medeiros referiu que 54 instituições assinaram um protocolo de colaboração para que se continue a realizar exposições do presépio da Lagoa, que já foi adquirido por alguns grandes colecionadores.
Por exemplo, Jim Govan, da organização Friends of the Crèche, possui cerca de seis mil presépios e é responsável por exposições na Casa Branca.
“Para nós é um feito ter levado um presépio da Lagoa à Casa Branca, da responsabilidade do bonecreiro António Morais, já por duas vezes, estando este bem representado em várias partes do mundo”, disse Roberto Medeiros, acrescentando que este está presente no Museu de Antropologia da Universidade de Berkeley, na Califórnia, e na Universidade de São José, onde já promoveu conferências sobre a arte bonecreira.
O concelho da Lagoa possui vários artistas que trabalham bonecos para os tradicionais presépios.
Lusa/MN

Celebração de Natal na igreja Matriz da Horta

O sinal de Deus “é a simplicidade” e não o consumismo, diz bispo de Angra e dos Açores
D.João Lavrador presidiu à missa da solenidade do Senhor no último sábado na Igreja Matriz da Horta.
O bispo de Angra, que presidiu pela primeira vez a uma celebração de Natal como bispo residencial, na Igreja Matriz da Horta, afirmou este sábado que o sinal de Deus “é a simplicidade”.
“É na pobreza, no desprendimento e na humildade que  se revela Jesus de Nazaré, o Messias esperado. O caminho para chegar até Ele é indicado por S. Paulo com as palavras que dizem: «Ele nos ensina a renunciar à impiedade e aos desejos mundanos e a viver com ponderação, justiça e piedade, no mundo presente»” sublinha D. João Lavrador.
“A sobriedade e a ascese são a resposta a uma sociedade que frequentemente se manifesta embriagada pelo consumo e prazer, de abundância e luxo, de aparência e narcisismo, e faz voltar o olhar para aqueles que são os mais pobres e excluídos!” referiu o prelado.
Apresentando o nascimento de Jesus como uma verdadeira luz, o bispo de Angra afirma que toda a pessoa humana “é, efetivamente Filho de Deus”.
“A partir deste acontecimento todos os homens são convidados a deslocarem-se até à gruta de Belém e deixarem-se iluminar pela luz que brota desta criança, o Menino Deus. A inteligência humana sempre ávida de busca da verdade, do bem e do belo, é interpelada a contemplar a Jesus de Nazaré na fragilidade de um recém-nascido e reconhecê-lo como o Filho de Deus que ilumina todo o homem que vem a este mundo”, referiu.
Eis o convite que nos é dirigido também hoje e que se destina a toda a  pessoa qualquer que seja a sua condição: “deixemo-nos iluminar por esta luz que nos vem de Jesus de Nazaré, o Filho de Deus que nasce na nossa humanidade”.
Referindo-se, por seu lado, à necessidade de encarnação da palavra para que ela seja profética, D. João Lavrador questionou o modelo de cultura atual “que foi obscurecendo a presença de Deus na sociedade e no mundo foi desmoronando a dignidade pessoa humana”.
Aliás, o prelado destaca “a esperança que se estende a todos os homens e mulheres de hoje”.
“Todo aquele que se aproxima, aprende e se configura a este Menino Conselheiro admirável, sente-se empenhado numa nova ordem social e na construção de um novo mundo. Sonhará com o poder que se converterá em serviço à pessoa e à sociedade; promoverá a relação entre os homens assente na verdadeira fraternidade, na partilha e na entreajuda; edificará uma comunidade humana e cristã que viva da misericórdia e que acolha todo o homem com ternura e com amor”, referiu.
“Os pobres, os excluídos, os marginalizados, os doentes e os que vivem exilados ou desesperados na sua existência têm agora uma nova esperança porque através da comunidade cristã que vive de Jesus Cristo e que encarna os seus gestos em seu favor voltam a readquirir a esperança”, conclui.
“Porque Jesus nasceu, tudo muda. A sociedade e o próprio homem já não podem continuar a ser os mesmos porque uma luz veio ao encontro do homem e o amor de Deus foi derramado na história dos homens”, adiantou ainda.
“A luz do presépio convida-nos e guia-nos até à manjedoura para nos iluminar com a beleza do recém-nascido. Não podemos ficar parados. Há um esforço a fazer caminhando até onde nos conduz esta luz”, referiu.
A Missa da Solenidade do Senhor na Noite de Natal é a primeira de uma série de celebrações a que o bispo de Angra presidirá de hoje até ao ano novo.
Amanhã o bispo de Angra preside à eucaristia de Natal, ás 18h00, altura em inaugurarará a Sala do Tesouro da Igreja Matriz da Horta.
Igreja Acores/MN

Museu Municipal da Cidade da Ribeira Grande

Presépio do prior Evaristo Gouveia abriu ao público no dia 25 de dezembro
Cumprindo a tradição que se repete ano após ano, o presépio do prior Evaristo Gouveia, instalado no Museu Municipal da Ribeira Grande, pode ser visitado na quadra natalícia, em especial no dia 25 de dezembro, dia em que muitas famílias do concelho da Ribeira Grande e da ilha de São Miguel aproveitam para ir ver o presépio movimentado.
Segundo a autarquia, o presépio apresenta-se renovado com novos elementos e também será possível aos visitantes, à semelhança do verificado no ano passado, verem a parte de baixo do mesmo onde funciona toda a mecânica que coloca as peças em funcionamento.
Para além disso, os visitantes poderão ver um vídeo que explica o restauro e conservação das figuras que compõem o presépio, podendo aproveitar a visita ao Museu Municipal da Ribeira Grande para conhecer as duas novas salas dedicadas aos azulejos e provar licores e biscoitos caseiros que nesta quadra são presença obrigatória em todas as casas.
O presépio do prior Evaristo Gouveia pode ser visitado nos dias úteis entre as 9.00 e as 17.00 horas e nos dias 25 e 26 de dezembro, 1, 7 e 8 de janeiro das 15.00 às 20.00 horas. As crianças até aos 12 anos têm entrada gratuita.
O tradicional presépio movimentado do prior Evaristo Carreiro Gouveia constitui uma das grandes atrações natalícias da ilha de São Miguel. É uma criação de arte popular que terá tido o seu embrião com a chegada do prior à Ribeira Grande.
CMRG/MN 

2ª Edição do Azores Trail Run - Columbus Trial em Santa Maria

Foto de: Paulo Gabriel (direitos reservados)
757 454 (Mário Leal; Diretor ATR) comunicacaoatr@gmail.com www.facebook.com/columbusgrandtrail
Horta l 26/12/2016 - NOTA DE IMPRENSA
Inscrições já Disponíveis para a Segunda Edição do Azores Train Run - Columbus Trail
Prova acontece na ilha de Santa Maria, a 25 de fevereiro de 2017

Já estão disponíveis online as inscrições para o Azores Trail Run® – Columbus Trail, prova que acontece na ilha açoriana de Santa Maria, no dia 25 de fevereiro de 2017. As inscrições estão disponíveis no site oficial da prova, em columbusgrandtrail.com/pt/inscricoes.
O Columbus Trail é composto por 3 provas: uma meia maratona (21k) maratona (42k) e uma ultra (77 k).
A data do Columbus não foi escolhida ao acaso. A prova mariense tem este nome por evocar a passagem do navegador Cristovão Colombo pela ilha de Santa Maria, nos últimos dias do mês fevereiro de 1493, como documentado no diário de bordo do responsável pela descoberta da América do Norte.
A primeira edição da prova aconteceu em 2016, e contou com cerca de 80 participantes.O grande vencedor da prova de 77 km foi o austríaco Tom Wagner, enquanto que na prova de 42 km foi o inglês Tom Owens a vencer, ambos atletas da Salomon.
Esta prova conta com a chancela Azores Trail Run® e é apoiada pelo Governo Regional dos Açores.
Azores Trail Run - Comunicação

domingo, 25 de dezembro de 2016

sábado, 24 de dezembro de 2016

Mensagem de Natal do Presidente dos Açores

Vasco Cordeiro deseja “uma Região cada vez mais desenvolvida, cada vez mais unida e cada vez mais solidária”
O Presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, deixa uma mensagem de Natal a todos os açorianos, relembrando que o “ano de 2016, apesar de ter sido ainda exigente para muitas famílias açorianas, empresas e trabalhadores, ficou também marcado por vários sinais que dão conta do início de um período de recuperação económica, após a turbulência que todos sentimos e vivemos”.
Apesar dos desafios que “ainda temos de vencer”, o futuro será sinónimo de esperança numa “recuperação que já se faz sentir em vários setores da nossa vida coletiva” e isso em prol de “uma Região cada vez mais desenvolvida, cada vez mais unida e cada vez mais solidária”.
Para Vasco Cordeiro, uma Região cada vez mais desenvolvida, depende principalmente da criação de emprego e sobretudo, de um “emprego melhor remunerado”.
“Os sinais positivos que nos chegam de uma retoma gradual, mas consistente, apresentam-nos resultados concretos na recuperação dos rendimentos das famílias, na geração de riqueza, mas, sobretudo, ao nível da criação de mais emprego, com a consequente redução progressiva do desemprego”, referiu Vasco Cordeiro.
Por outro lado, o Presidente da Governo Regional dos Açores, salientou a importância da “consolidação do programa de promoção do sucesso escolar das nossas crianças”, mas também o combate à pobreza e à exclusão social, não se esquecendo dos pescadores e agricultores, para um melhor desenvolvimento dos Açores.
“Este é um caminho que queremos fazer alicerçados na Esperança, na Confiança e na Solidariedade”, são os votos de Vasco Cordeiro para esta quadra festiva.
Para 2017, o desafio “convoca o contributo de todos – entidades públicas e privadas”, para a construção de um futuro “cada vez mais próspero para as novas gerações de Açorianos”.
Vasco Cordeiro, não se esqueceu das comunidades emigradas, reafirmando “o orgulho que temos no vosso percurso e no contributo que deram e dão para o desenvolvimento dos vossos países de acolhimento”.
“A todas as Açorianas e Açorianos, onde quer que estejam – nas nossas ilhas, no continente português ou na nossa Diáspora, e a todos os que, não sendo Açorianos de nascimento, escolheram os Açores para viver e sentem esta como a sua terra – desejo, em meu nome, em nome da minha família e em nome do Governo dos Açores, um Santo e Feliz Natal e um Ano Novo pleno de realizações e sucessos”, desejou Vasco Cordeiro.
Gacs/MN