domingo, 31 de maio de 2015

Sporting conquista Taça de Portugal na final com o Sp. Braga

 Sporting, 2 - Sp. Braga, 2 (3-1 gp)
Sporting vence Taça de Portugal pela 16.ª vez e volta aos títulos sete anos depois
Leões recuperam uma desvantagem de dois golos e foram mais fortes nos penáltis.
O Sporting venceu pela 16.ª vez na sua história a Taça de Portugal ao derrotar o Sporting de Braga após um empate a 2-2 no final do prolongamento.
O triunfo leonino foi carimbado nas grandes penalidades após o Braga ter começado a vencer com golos de Éder, aos 16 minutos na conversão de uma grande penalidade, e Rafa Silva, aos 25 minutos, aproveitando duas falhas do corredor direito da defensiva leonina.
O conjunto orientado por Marco Silva chegou à igualdade na reta final do encontro, com golos de Slimani aos 84 minutos e Fredy Montero aos 93 minutos, após de ter jogado grande parte do jogo em inferioridade numérica, depois de Cédric Soares ter recebido ordem de expulsão na sequência da falta sobre Djavan que acabaria por resultar no primeiro golo do encontro.
Eder, André Pinto e Agra falharam para o Sp. Braga, enquanto Slimani, Nani e Adrien fizeram os golos do pontapé da marca dos 11 metros.
A formação de Marco Silva voltou a erguer o troféu referente à prova rainha do futebol português, colocando um ponto final num jejum que vinha desde 2007/2008.

sábado, 30 de maio de 2015

Benfica conquista a sexta Taça da Liga

SL Benfica, 2 - Marítimo, 1
Benfica conquista a sexta taça da Liga ao vencer Maritimo na final
Um golo de Jonas, aos 37 minutos, e outro de Ola John, aos 80, permitiram aos ‘encarnados’ juntar a Taça da Liga ao título de campeão nacional, enquanto, pelo meio, João Diogo ainda tinha empatado para os insulares, que tentavam conquistar pela primeira vez o troféu.
Benfica conquista 75.º troféu e deixa FC Porto para trás
O Benfica reassumiu hoje a liderança do ‘ranking’ futebolístico português no que refere ao número de troféus conquistados, ao somar o 75.º em Coimbra, com a vitória sobre o Marítimo na final da Taça da Liga.
O estatuto vale o que vale, pois coloca ao mesmo nível uma Taça dos Campeões e uma Supertaça ou um campeonato e um Taça da Liga, mas, nesta soma ‘cega’, os ‘encarnados’ voltam a ‘reinar’ com mais um título do que o FC Porto.
Para alguns, os ‘encarnados’ já estavam sozinhos na frente da ‘tabela’, face à vitória em 1949/50 na Taça Latina, prova que não é reconhecida pela FIFA, mas foi, na realidade, a primeira competição internacional conquistada por uma equipa lusa.
‘Descontando’ a Taça Latina, o Benfica soma 75 troféus, contra 74 do FC Porto, que já esteve muito atrás neste histórico, mas que também já liderou por 74-69, quando, a 10 de agosto de 2013, venceu a Supertaça referente a 2012/13.
Após essa conquista, os ‘encarnados’ têm, porém, o pleno de vitórias nas competições nacionais, na certeza de que o vão perder domingo na final da Taça de Portugal.
A recuperação dos ‘encarnados’ começou a 20 de abril de 2014, dia em que selaram, a duas jornadas do fim, a vitória na edição 2013/14 da I Liga, com um triunfo caseiro sobre o Olhanense por 2-0, com um ‘bis’ de Lima.
O triunfo 71 chegou a 07 de maio, em Leiria, onde o Benfica venceu o Rio Ave por 2-0, com tentos de Rodrigo, na primeira parte, e Luisão, na segunda, conquistando pela quinta vez, em sete edições, a Taça da Liga.
Apenas 11 dias depois, os ‘encarnados’ fecharam a época 2013/14 da melhor forma, ao vencerem novamente o Rio Ave, agora por 1-0, na final da Taça de Portugal. O argentino Nicólas Gaitán selou, aos 20 minutos, um suado triunfo.
Pelo meio, na cidade italiana de Turim, o conjunto de Jorge Jesus esteve também muito perto de vencer a Liga Europa, mas, desfalcado, caiu na final, frente aos espanhóis do Sevilha, no desempate por grandes penalidades.
A presente temporada começou com mais um troféu para os ‘encarnados’, novamente arrebatado face ao Rio Ave. Em Aveiro, o ‘nulo’ manteve-se durante 120 minutos, com Artur a virar ‘herói’ nos penáltis, com três defesas (3-2) que asseguraram a conquista de uma quinta Supertaça.
O troféu 74 chegou a 17 de maio, com o ‘patrocínio’ do FC Porto, que empatou 1-1 no Restelo, fazendo com que o 0-0 de Guimarães fosse suficiente para assegurar o 34.º título nacional, a uma jornada do final da I Liga 2014/15.
Hoje, em Coimbra, 12 dias volvidos, o Benfica venceu o Marítimo por 2-1 e festejou o 75.º troféu, contando agora duas vitórias na Taça dos Campeões, 34 no campeonato, 25 na Taça de Portugal, seis na Taça da Liga, cinco na Supertaça e três no extinto Campeonato de Portugal.
Por seu lado, o FC Porto conta os mesmos dois triunfos na principal prova europeia de clubes, mais um na Taça UEFA, outro na Liga Europa, dois na Taça Intercontinental, um na Supertaça europeia, 27 no campeonato, 16 na Taça de Portugal, 20 na supertaça e quatro no Campeonato de Portugal.
Num distante terceiro lugar, surge o Sporting, que totaliza 45 e pode alcançar domingo o 46.º, caso derrote o Sporting de Braga no Jamor, na final da Taça de Portugal.
Contando apenas competições em que é necessário derrotar mais do que um adversário, a supremacia do Benfica é ‘esmagadora’, com 70 troféus conquistados (71 com a Taça Latina), contra 51 dos portistas e 38 dos ‘leões’.
- Troféus conquistados pelos três ‘grandes’:
Benfica - FC Porto - Sporting
Taça/Liga Campeões: 2 - 2 - 0
Taça das Taças: 0 - 0 - 1
Taça UEFA/Liga Europa: 0 - 2 - 0
Taça Latina: (x) 1 - 0 - 0
Taça Intercontinental: 0 - 2 - 0
Supertaça Europeia 0 - 1 - 0
I Liga 34 - 27 - 18
Taça de Portugal: 25 - 16 - 15
Campeonato de Portugal: 3 - 4 - 4
Taça da Liga: 6 - 0 - 0
Supertaça: 5 - 20 - 7
——————————————————
Total: Benfica_ 75 - FC Porto: 74 - Sporting: 45
(x) – A Taça Latina não é reconhecida como competição oficial pela FIFA, pelo que não entra no total de títulos.

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Oakville: Festa em honra do Divino ESpirito Santo

 Tradição continua á moda da ilha do Pico em Oakville
Na cidade de Oakville, a paróquia de São José dos Portuguese na Old Bronte Road North, também festejou o Divino Espírito Santo.
Os mordomos foi o casal José Manuel Tavares e Filomena Jesus Tavares naturais da Criação Velha, conselho da Madalena do Pico, Açores.
O programa da festa começou na Sexta-feira dia 22 de maio, com reza do terço seguido-se a missa celebrada pelo Pe. Fernando Pinto e jantar.
Na sábado dia 23, houve missa e jantar convívio para todos os irmãos, cozinheiros e irmandade, oferecido pelos Mordomos.
No domingo dia 24 de maio, houve coroação até a igreja onde foi celebrada a eucaristia dominical no domingo de Pentecostes, seguido de nova coroação até ao salão paroquial, onde foram servidas as tradicionais sopas do Divino Espírito Santo, com caldo de pão, carne , massa e vinho a mais de mil pessoas ao longo da tarde.No lado de fora nas traseiras da igreja houve atuação do Grupo Folclórico Português de Oakville e concerto pela Filarmónica Lira Bom Jesus de Oakville.
Bazar, comes e bebes e leilões de ofertas e Rosquilhas foram arrematados para ajuda das despezas da festa.
Pelas 18 horas foi então realizada o cortejo das rosquilhas á moda da ilha do Pico, até ao alto da cruz, com oração do paróque local Fernando Pinto, que benzeu os alçafates de rosquilhas que foram levados na cabeça pelas senhoras com os homens a acompanharam com bordões como manda a tradição picoense. Depois o cortejo recolheu npvamente ao quadro na traseira da igreja, ao som do hino do Divino Espírito Santo tocado pela filarmonical Lira Bom Jesus.
No final foi entregue a cada pessoa as rosquilhas que foram benzidas á saída do parque em honra e louvor das promessas ao Divino E. Santo para levarem para os seus lares.
No próximo fim-de-semana, a Filarmonica Lira Bom Jesus vai celebrar a festa da Santíssima Trindade na mesma igreja como já é tradição todos os anos.
João G. Silva.

Festa em Honra do Divino Espírito Santo no Ontário

DOMINGO DE PENTECOSTES NAS COMUNIDADES LUSO-CANADIANAS:
Celebrações do Divino Espírito Santo um pouco por toda a parte
As celebrações em Honra do Divino Espírito Santo aconteceu no último domingo, dia 24 de maio, com a realização da festa da Solenidade de Pentecostes, celebrada pela igreja Católica, um pouco por toda a parte onde se encontram portugueses espalhados pelos quatro cantos do mundo, e aqui no Canadá e Estados Unidos da América sem exepeção, com milhares de açorianos nas comunidades onde estão inseridos, a celebrarem esta festa anual que está bem enraizada nos corações do povo açoriano onde  mora a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade na casa de cada um que trouxeram das suas terras esta rica tradição de partilhar com os pobres este dom de dávida.
Várias comunidades espalhadas por todo o Ontário festejaram o Divino Espírito Santo – Terceira Pessoa da Santíssima Trindade nas suas paróquias, com os seus mordomos e comissão de festas e o CMC, fez reportagem de duas comunidaes distintas a de Brampton e Oakville.
PARÓQUIA DE N.S. FÁTIMA EM BRAMPTON:
A paróquia Portuguesa de Nossa Senhora de Fátima na cidade de Brampton, celebrou a festa em Honra do Divino Espírito Santo.
O Mordomo este ano, foi Joe Ferraz (natural da Lomba de Sta. Bárbara, R. Grande) e Maria Ferraz (natural de Santa Clara, P. Delgada), naturais da ilha de São Miguel, Açores.
Na sexta-feira, dia 22 de maio após a celebração da missa das 18 horas, os irmãos desceram ao salão paroquial onde foi benzido o pão, carne, massa e vinho pelo pároco Andrzej Chilmon, e depois foi servido a todos os presentes, carne guizada com batatas, Iscas de figado, favas guisadas, massa sovada e vinho. Depois á saída todos os irmãos, alevantaram as respetivas pensões  para levar para casa.
No sábado dia 23 de maio, houve missa ás 17 horas, e depois da realização da eucaristia, todas as pessoas e irmãos desceram ao salão para saborearem as tradicionais sopas do Divino Espírito Santo, que foram servidas por três vezes, durante a noite, com o salão repleto de gente, como também houve folia e cantoria.
No domingo de Pentecostes, dia 24 de maio, a coroação saíu da casa do casal ‘‘Lima’’ da  ao som da filarmónica Lira Portuguesa de Brampton a caminho da igreja onde incorporaram toda a irmandade e suas domingas, para celebração da missa do meio-dia, onde foram coroadas todas as pessoas que fizeram parte da irmandade do Divino Espírito Santo. No final houve novo cortejo em volta da igreja onde depois desceram ao salão para o almoço.
Durante a tarde no salão de festas houve atuação de três grupos folclóricos, Transmontano, Associação Migrante de Barcelos e Nazaré, arraial pela filarmónica Lira Portuguesa de Brampton, comes e bebes, bazar e leilões de ofertas e finalmente e foi distribuido durate a tarde serviço voluntário de massa sovada para todos.
Durante a tarde foram depositados em três caixas os nomes das pessoas que quiseramconcorrer para as domingas, jovens e novos mordomos para 2016.
No encerramento da festa foi comtemplado como novo mordomo, Brian Costa que será o mordomo de 2016.
João G. Silva.

CARASSAUGA’2015 – Festival de Culturas em Mississauga

CARASSAUGA ' 2015 – Festival de Culturas
Pavilhão de Portugal foi representado no CCPM pela 30º vez com o mesmo sucesso
O Festival anual de Culturas de Mississauga ‘’CARASSAUGA ‘’, arrancou na passada sexta-feira dia 22 de maio, com  72 pavilhões espalhados por toda a cidade, na sua 30º edição do festival de culturas, gastronomia e costumes num fim-de-senama á volta do mundo em 3 dias de 22 a 24 de maio.
O Pavilhão de Portugal foi mais uma vez representado com a maior dignidade no Centro Cultural Português de Mississauga (CCPM), pela direção executiva, diretores, senhoras e senhores voluntários e pela famosa cozinha onde saíu a culinária com muitas horas de trabalho consecutivo para servir centenas de pessoas que saborearam a nossa famoso e já conhecida gastronomia.
Com muito trabalho, dedicação e amor ao nosso país de origem, o CCPM, ao longo deste 30 anos de Carrassauga, já foi comtemplado com vários prémios pela valiosa prestação a represntar  Portugal de norte a sul e ilhas dos Alores e Madeira, como este ano aconteceu novamente.
Entertenimento, Gastronomia e Cultura, nos vários anos o CCPM, soube táo bem representar com classe e amor a nossa pátria de origem, e aos luso-canadianos de Mississauga dá-se os créditos pelo feito a dar  a conhecer a   outras tantas raças e étnias que vivem no Canadá e até mesmo aos canadianos o quer Portugal tem de melhor a oferecer ao mundo.
No sexta-feira dia 22 de maio, abriu ao público pelas 18 horas, o pavilhão português de todos nós  com início do entoar dos hinos de Portugal e Canadá, onde seguiu-se a eloboração do programa estabelecido e preparado para os três dias do festival de culturas para oferecer aos visitantes. Os passaportes de entrada custaram a quantia de 10 dólares, que foram adquiridos á porta ou antes do início do Festival.
O nosso pavilhão recebeu no sábado vários representantes do governo local, tais como, Brad Butt (MP- Mississauga-Streetville) e Bob Delaney (MPP-Mississauga-Streetville).
Logo á entrada do salão, estava uma mesa a dar as boas-vindas aos visitantes, e em redor do salão vários patricionadores em exposição dos seus artigos, tais como: ‘’Sabor’’  Wines of Portugal, com amostra de vindos a provar, do empresário Raimundo Favas, Manuxa Fashions, ‘’Grillo Barristers’’, Corporação profissional de advogados.
O artesanato regional micaelense esteve mais uma vez representado por cinco artesãos da Associação de Solidariedade do Mosaico de Lagoa (o oleiro Eduardo Gouveia (cidade de Lagoa), Rui Rodrigues (Vila Franca do Campo), o cesteiro João Andrade (Vila de Água de Pau), a tecedeira Maria Zélia Raposo (Vila de Nordeste) e os artesão Eduardo Câmara (Ribeira Grande). que estiveram acompanhados pelo presidente da instituição, Roberto Medeiros. Perante muitos curiosos, puderam mostrar o seu saber e arte fazendo cestos de vime, louça em barro, rendas e tecelagem. Trouxeram dos Açores a sua arte e António Fragata, jornalista reporter do Governo Regional dos Açores, vieram até ao Canadá e Estados Unidos da América, para onde vão depois até Fall River e New Bedford amostrarem a  arte açoriana e dar noticias dos nossos eventos culturais  a conhecr nossa cultura de Portugal aos estrangeiros.
O cozinheiro Martinho Festas, do restaurante Segredos do Mar, em Castelo de Neiva, que se deslocou ao Canadá pela quinta vez, teve a seu cargo a mostra gastronómica e não desiludiu os paladares mais exigentes, tendo confecionado entre outros, polvo assado c/batatas no prato de barro regional, bacalhau à lagareiro, lulas grelhadas, carne de porco á alentejana etc..Não faltou também as pinturas de carras para crianças, a variada pastelaria de Trigo Bakery, que incluia os famosos pasteis de nata, a gastronomia portuguesa, com caldo verde, bacalhau á murro, polvo assado no prato de barro, carne do porco á alentejana, etc. entre outras tantas especialidades da nossa colinária portuguesa e a Tendinha com bifanas e camarão.
No entertenimento, apresentaram ao longo dos três dias, veio de Portugal, ‘’Baeta & companhia’’, cinco anos em festa – tilulo do ultimo CD, com a sua música tradicional portugesa com a concertina e desgarradas. Este grupo é formado por cinco elementos: Richard Baeta (vo e concertina), Paulo Marques (teclas), Domingos Maeiro (guitarra), Miguel Pinto (bateria) e Paulo Oliveira (baixo).Também houve secões de fado com Ana Maceda e Vitor Urbano (viola), que acompanhando por Hernâni Raposo (baixo),
Vários ranchos folclóricos atuaram no festival de culturas, como – os ranchos folcloricos do PCCM – Adultos e crianças, Casa dos Poveiros, Arsenal do Minho, As Tricanas, Provincias e Ilhas de Hamilton, Grupo Folclórico de Oakville, Associação Migrante de Barcelos, Associação Cultural do Minho, Amigos do Minho, Casa da Madeira de Toronto, e os Amigos do Clube Português de Vaughan.
O grupo tradicional  ‘’Searas de Portugal’’ também marcou presença neste festival de culturas de Mississauga.
No sábado dia 23, foi a maior áfama de gente que superlotou o salão, como tiveram a visita, o presidente do CARASSAUGA, Jack Prazeres, o vareador municipal, Martin Medeiros (area 3 e 4 de Brampton) a mayor de Mississauga Mayor - Bonnie Crombie  que entregou um diploma ao presidente do CCPM, Tony de Sousa. Visitaram o pavilhão de Portugal, os representas do Carassauga que vieram provar a nossa comida e avaliar em votos o nosso pavilhão, que poderá novamente vencer algum prémio por excelência.
No domingo, dia 24 maio na hora do encerramento do Festival, Olga Oliveira e o presidente Tony de Sousa, congratularam-se pelo fato do pavilhão de Portugal, mais uma vez teve recorde de visitants.
João G. Silva

Benfica: revelada nova camisola para 2015/16

Design mais classic
Benfica com nova camisola para a próxima temporada
A Adidas divulgou esta terça-feira a camisola oficial do Benfica para a temporada 2015/16.
«A nova camisola adidas é caracterizada por um design que marca o regresso do clube aos clássicos pela sobriedade e linhas clean que apresenta – totalmente vermelha, de colarinho branco e com o pormenor da idade do Clube escrita em numeração romana, na zona traseira do colarinho – CXI», informa a marca alemã numa nota informativa.
As três estrelas (uma por cada dez campeonatos conquistados pela equipa de futebol) mantêm-se por cima do símbolo do clube.
A nova camisola já tinha começado a
circular pelas redes sociais (foi inclusive tornada pública esta terça-feira de manhã na apresentação do novo parceiro oficial do Benfica), mas só agora chegou a confirmação oficial da marca que equipa os encarnados. A alternativa, que deverá ser branca, ainda não foi apresentada.
Falta ainda conhecer o equipamento completo para a próxima temporada.

I Liga - 2014/2015: Benfica bi-campeão nacional de futebol

Benfica partiu sem favoritismo, mas é bicampeão, 31 anos depois
O Benfica conseguiu, 31 anos depois, voltar a sagrar-se bicampeão nacional de futebol, ao vencer uma 81.ª edição da I Liga que liderou isolado desde a quinta jornada, depois de não partir como favorito.
A saída de muitos titulares e o forte investimento do FC Porto, na tentativa de impedir o ‘bis’ dos ‘encarnados’, fizeram temer o pior para os lados da Luz, só que Jorge Jesus voltou a ser mestre na arte de descobrir soluções.
Por seu lado, os ‘dragões’ apostaram tudo em Julen Lopetegui e falharam, ficando-se pelo segundo posto, à frente de um Sporting que se assumiu como candidato, mas nunca mostrou qualidade para acabar com uma ‘seca’ que dura desse 2002.
Sem dar luta aos ‘grandes’, o Sporting de Braga foi o melhor dos ‘pequenos’, rumando à Liga Europa, juntamente com Vitória de Guimarães e Belenenses, enquanto o Gil Vicente, cinco anos depois, e o Penafiel, que só durou um, ‘caíram’ à II Liga.
Campeão nacional folgado na época passada, com mais sete pontos do que o Sporting e 13 face ao FC Porto, o Benfica partiu a I Liga 2014/15 em dificuldades, face ao adeus de Oblak, Garay, Siqueira, Markovic, Rodrigo, André Gomes e Cardozo, sem esquecer a lesão de longa duração Fejsa.
Com a manutenção de Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Enzo Perez, Gaitán e Lima, o regresso de Pizzi e as contratações de Júlio César, Samaris, Talisca, Eliseu e – a acabar, numa aposta determinante, a custa zero – Jonas, o técnico ‘encarnado’ construiu um coletivo forte, unido e competitivo.
A equipa demorou a render, mas, curiosamente, efetuou uma primeira volta quase perfeita ao nível dos resultados, cedendo apenas um empate (1-1 com o Sporting) e uma derrota (1-2 em Braga), em dois jogos que esteve a vencer.
Entre os 15 triunfos, destaque para o 2-0 no Estádio do Dragão, com dois golos de Lima, que foi decisivo para os comandados de Jorge Jesus fecharem a primeira metade seis pontos à frente do FC Porto. O Sporting seguia a 10.
Na primeira ronda da segunda volta, os ‘encarnados’, já sem Enzo, podiam ter ‘acabado’ com o campeonato, conquistando um avanço de nove pontos, mas três bolas nos ‘ferros’, uma num penálti de Lima, custaram o desaire em Paços de Ferreira.
Ainda assim, o Benfica nunca perdeu alguma margem de conforto, conseguindo ‘arrumar’ em definitivo o Sporting – manteve-se sete pontos à maior -, à 20.ª ronda, com um golo de Jardel aos 90+4 minutos, em Alvalade (1-1).
O FC Porto passou a ser o único adversário e não soube aproveitar, na totalidade, o último desaire do Benfica, em Vila do Conde (1-2), à 26.ª ronda. Jogando logo a seguir, o ‘onze’ de Lopetegui mostrou não ter ‘estofo’ no reduto do Nacional, ao ficar-se por um empate a um.
Depois, no denominado ‘jogo do título’, à 30.ª jornada, o Benfica garantiu, praticamente, o cetro, com um pragmático empate a zero. O ‘bis’, o terceiro título em seis anos, o 34.º, foi selado à penúltima ronda, com a última ‘ajuda’ portista.
Sem nunca se conseguir aproximar ‘demasiado’ do Benfica, o FC Porto também nunca teve em perigo o segundo posto, que vale o acesso direto à ‘Champions’, tal a sua clara superioridade face ao Sporting.
Um 3-0 caseiro face aos ‘leões’, com um ‘hat-trick’ de Cristian Tello acabou bem cedo, à 23.ª ronda, com as dúvidas, com o Sporting também a selar tranquilamente o terceiro posto, face ao forte abaixamento do Sporting de Braga, que, a determinado momento, passou a pensar apenas na final da Taça.
A formação de Marco Silva apenas perdeu dois jogos, menos um do que o Benfica e os mesmos do FC Porto, mas cedeu muitos pontos frente aos ‘pequenos’ e não ganhou aos ‘grandes’.
Sob o comando de Sérgio Conceição, os ‘arsenalistas’ prometeram o ‘top 4’ e cumpriram, ao conquistarem o quarto lugar, atrás de um Sporting que vão encontrar no Jamor.
O Vitória de Guimarães, de Rui Vitória, também conseguiu regressar à Europa, tal como outro histórico, o Belenenses, apesar de ter ‘despachado’ Lito Vidigal.
Sem Europa, um claro objetivo, ficaram os insulares Nacional (sétimo) e Marítimo (nove), que tudo comprometeram na primeira volta, sendo que, pelo meio, no oitavo posto, ficou um Paços de Ferreira renascido com o regressado Paulo Fonseca.
O Rio Ave (10.º lugar) e o Moreirense (11.º) fizeram épocas tranquilas, selando bem cedo a manutenção, tal como o Estoril-Praia (12.º), sem ‘armas’ para selar uma terceira presença europeia consecutiva.
No 13.º lugar, ficou o sensacional Boavista, de Petit, que era apontado inicialmente como condenado à descida e conseguiu a manutenção, depois do regresso administrativo.
O sempre irregular Vitória de Setúbal, a Académica, com os ‘milagres’ de José Viterbo, e o Arouca também se salvaram, enquanto o Gil Vicente e o Penafiel caíram, muito cedo ‘afundados’ nos dois últimos lugares.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

II Liga: Tondela e União da Madeira sobem à I Liga

Tondela campeões da II Liga
Tondela e União da Madeira garantiram a subida à I Liga

Os nortenhos e os insulares superaram a concorrência de Desportivo de Chaves e Sp. Covilhã.
O Tondela, que empatou 1-1 em Freamunde, com um golo nos descontos, e o União da Madeira, vencedor na casa do Oriental por 3-0, conquistaram hoje a subida à I Liga portuguesa de futebol.
União da Madeira festeja subida em Marvila
A equipa de Tondela, que vai cumprir a primeira época entre os ‘grandes’, sagrou-se campeã, com 81 pontos, contra 80 de União da Madeira, que disputou a quinta e última época na I Liga em 1994/95, Desportivo de Chaves (2-0 à Oliveirense) e Sporting da Covilhã (2-0 ao Santa Clara, fora).
A formação insular subiu graças a um livre direto de André Carvalhas, aos 90+4 minutos, em Freamunde, e à vantagem no campeonato a três com flavienses e serranos – os mesmos sete pontos do Chaves, com 6-3 em golos, contra 5-4, e três do Covilhã.
RESULTADOS DA ULTIMA JORNADA:
2015-05-23
2015-05-23
2015-05-24
2015-05-24
Desp. Aves
2015-05-24
2015-05-24
2015-05-24
2015-05-24
2015-05-24
2015-05-24
2015-05-24
2015-05-24
 
CLASSIFICAÇÃO FINAL:
 
Promoção
Despromoção