sexta-feira, 31 de maio de 2013

II Liga: Santa Clara adia ato eleitoral e opera revolução

Foto: Acácio Mateus: Presidente poderá ter de mexer na composição da lista
Santa Clara adia ato eleitoral
Eleições estavam marcadas para o dia 31 mas já foram adiadas para data a marcar oportunamente. Mário Batista era o único candidato a sufrágio.
O Santa Clara anunciou através de comunicado divulgado no site do clube que as eleições agendadas para esta sexta-feira, dia 31, foram adiadas devido à «não receção de qualquer candidatura aos órgãos sociais do clube», pode ler-se no documento tornado público ao início da tarde desta quarta-feira.
A mesma missiva explica que «perante esta situação (…) todos os órgãos do clube mantêm-se em funções», adiantando também que «será convocada nova assembleia geral com a brevidade possível» sem, contudo, anunciar qualquer data para a realização do ato eleitoral que iria reeleger Mário Batista presidente do Santa Clara.
Contudo, o presidente em funções já tinha lista formada e era, de resto, o único candidato a sufrágio, tudo apontando para que a composição da nova equipa diretiva tenha sido travada por uma questão estatutária que poderá estar relacionada com a limitação de mandatos.
Acácio Mateus
Santa Clara opera revolução
O presidente do Santa Clara, Mário Baptista, admite que muitos jogadores não vão continuar porque "não quer ninguém contrariado no plantel".
Sobre o novo treinador, Carlos Condeço, o presidente do clube, que milita na Liga de Honra do futebol português, diz que é uma boa escolha.
A equipa regressa ao trabalho em julho e, este ano, por condicionalismos financeiros, vai fazer a pré-época nos açores, jogando com o Operário e o Sporting Ideal.
RTP/Açores

Campeonato dos Açores: Angrense reforça plantel

Foto: Diário Insular: Roldão Duarte começa a compor o plantel
Angrense reforça plantel para a nova época
São quatro os reforços já assegurados pelo Angrense tendo em vista a época 2013/14. Nove elementos acertaram a renovação de contrato com o emblema que será orientado por Roldão Duarte.
Depois de um final de época atribulado que culminou com a perda do segundo lugar na série Açores de futebol para o Sporting Ideal, o Angrense já prepara a temporada 2013/14 novamente com o propósito de subir à II divisão. Nesse sentido estão a ser efetuadas algumas alterações no plantel que têm como propósito maior fortalecer o grupo de trabalho que será orientado por Roldão Duarte.
O Angrense já garantiu quatro reforços para a primeira edição do campeonato de futebol dos Açores, nomeadamente o experiente guarda-redes David (Lusitânia), Quintério (Boavista) e os avançados Lhuka (Barreiro) e Valério (Boavista). A estes juntam-se os juniores Diogo e Miguel Ficher que vão integrar a equipa sénior encarnada.
Para além das aquisições o emblema da rua de São João já acertou as renovações de contrato com Délcio, Flor, Ruben Azevedo, Ivan, Márcio, Pedro, Rui, Magina, Vítor, Ruben Brito, Eugénio, Gonçalo, Vitória e Graxinha. O Angrense deverá iniciar os trabalhos de pré-temporada na primeira semana de agosto. O campeonato de futebol dos Açores arranca em setembro e sucede à extinta série Açores da III divisão nacional.
Acácio Mateus

Marítimo prepara regresso ao futebol sénior de S. Miguel

Foto: Acácio Mateus: Pedro Zeferino será o treinador dos azuis da Calheta
Marítimo de Ponta Delgada volta a competir nas provas AFPD
Emblema da Calheta vai voltar as competir nas provas associativas na época 2013/14. Pedro Zeferino regressa ao clube para ocupar o lugar de treinador.
Três anos volvidos sobre a última presença nas provas de âmbito regional o Marítimo prepara-se para voltar a competir. O emblema da Calheta, Ponta Delgada, está a construir um plantel que visa disputar as provas organizadas pela Associação de Futebol de Ponta Delgada na época 2013/14.
A equipa técnica será liderada por Pedro Zeferino que continuará a ter Marco Alves como adjunto e o grupo de trabalho que iniciará os treinos em Agosto próximo começa a ganhar forma. Os azuis da Calheta já garantiram oito reforços, cinco deles provenientes do Águia, nomeadamente Rui Vieira, Manuel Marques, Pereira, Rui Lima e Paulo Massa.
O Marítimo contratou ainda o lateral direito Bruno Alves (Santiago) e o lateral esquerdo Catorze (Santiago). O jovem Tércio Moniz, formado no clube, também faz parte do grupo que contará ainda com uma base importante de atletas que sobem dos juniores aos seniores. Ao longo dos próximos dias deverão surgir mais novidades no que respeita à composição do plantel.
Acácio Mateus
FUTEBOL EM S. MIGUEL
Marítimo continua a preparar plantel

O Marítimo continua a preparar o plantel para a época 2013/14, temporada que assinala o regresso dos azuis da Calheta ao futebol regional. Lelé (Águia), Simão (São Roque), Ricardo (Mira Mar) e Valério (Santiago) são os mais recentes reforços assegurados pelo colectivo que será orientado por Pedro Zeferino.

II LIGA: Santa Clara já tem novo treinador

 
Foto: Acácio Mateus: Condeço inicia os treinos no dia 1 de julho
II LIGA PORTUGUESA DE FUTEBOL
Carlos Condeço, 43 anos, é o novo treinador do Santa Clara
O técnico que estava há três anos sem clube (o último foi o Fafe entre 2008 e 2010) reúne o perfil definido pela administração da SAD tendo em vista nova presença na II Liga na época 2013/14. Na apresentação oficial Carlos Condeço salientou que pretende tornar o Santa Clara «mais forte» mas não assumiu desde já um projecto de subida.
Sucessor de Luís Miguel no comando técnico do Santa Clara está encontrado. SAD aposta em Carlos Condeço, treinador de 43 anos que estava sem clube. Estágio será em São Miguel.
Carlos Condeço é o sucessor de Luís Miguel no comando técnico do Santa Clara. O treinador de 43 anos – completa 44 no próximo dia 4 – é a aposta da SAD encarnada para a época 2013/14 tendo em vista mais uma participação no campeonato da II Liga. Condeço estava sem treinar desde 2010 quando cessou a ligação ao Fafe, apostando a partir daí nos estudos (está a concluir um mestrado).
Na apresentação oficial do novo treinador, o presidente da SAD, Mário Batista, salientou tratar-se de uma escolha que se «enquadra no perfil definido», confirmando também que o contrato entre as partes é válido por um ano e que o habitual estágio de pré-temporada será realizado nos Açores devido à contenção de despesas.
É, portanto, num cenário de maior constrangimento financeiro que Carlos Condeço abraça um novo desafio, mas nem por isso menos entusiasmado, sustentando que não foi difícil optar pelo Santa Clara. «É um clube muito apetecível e com uma estrutura de visão de futuro», apontou.
Em termos de objetivos, esses passam por «tornar o Santa Clara mais forte e se possível com jogadores açorianos que vivam mais o emblema», sem descurar a vertente desportiva. «Queremos ganhar o primeiro jogo, depois o segundo e aí por diante. Pensaremos na subida mais tarde».
Acácio Mateus

Troféu Pauleta só com equipas açorianas

Falta de dinheiro condiciona Troféu Pauleta
Apenas equipas açorianas participam este ano no Troféu Pauleta, organizado pela Associação de Futebol de Ponta Delgada.
Apesar dos cortes do governo regional no apoio ao torneio, Auditon Moniz,presidente da associação, garante a realização do troféu nos dias 19, 20 e 21 de Julho.

Será a quarta edição desta competição que já trouxe até São Miguel o Benfica em 2010, o

Guimarães e a Académica, em 2011, e o Porto em 2012.

Agora para 2013, o presidente da associação de futebol de Ponta Delgada, apesar dos cortes, confirma a realização do torneio com 3 equipas. St Clara, Operário e Sporting Ideal.

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Capelense prepara a estreia no campeonato dos Açores

Equipa do Capelense vencedor do campeonato e taça de S. Miguel
Capelense contrata e renova
Formação das Capelas já prepara a estreia no campeonato de futebol dos Açores. Quatro reforços estão assegurados e a base do plantel campeão é para renovar. Equipa técnica incluída.
O Capelense não perdeu tempo na preparação da época 2013/14 e dois dias depois de ter conquistado a Taça de São Miguel e alcançado a dobradinha nas provas sob a égide da Associação de Futebol de Ponta Delgada, a Direção presidida por Domingos Pereira já começou a preparar a estreia no campeonato de futebol dos Açores.
O futuro passa pela continuidade do plantel campeão, a começar pela equipa técnica liderada por Sidónio Ferreira que vai manter-se em funções no emblema das Capelas. Os jogadores Tiago Pedro, B10 e Hugo Lima também já acertaram a prorrogação do contrato e no decorrer desta semana outros lhes seguirão as pisadas
Em matéria de reforços o Capelense já assegurou as contratações de Paulo Freitas, lateral direito contratado ao Sporting Ideal, bem como os ex-juniores Lucas (São Roque), Chico e Chiada (Santa Clara), todos eles naturais da vila de Capelas e que vão envergar a camisola do clube da terra na prova que sucede à série Açores da III divisão nacional.
Paulo César regressa às Capelas.
O jovem avançado é o primeiro reforço do Capelense para a época 2013/14.
O clube que recentemente sagrou-se campeão de iha e conquistou a Taça de São Miguel também já renovou contrato com Pedro Martins, João Pereira, Rodrigo Pacheco e Iuri.
Avançado deixa o Sporting Ideal para ingressar no Capelense. Campeão de São Miguel renovou com mais três elementos do plantel que conquistou a subida ao campeonato de futebol dos Açores.
O Capelense não tem perdido tempo no que respeita à estreia no novo campeonato de futebol dos Açores e poucos dias após o final da época 2012/13 o clube da vila de Capelas tem vindo a arrumar a casa no que se relaciona com a constituição do novo plantel.
As novidades mais recentes prendem-se com a contratação de Paulo César, avançado que o Capelense foi recrutar ao Sporting Ideal. Trata-se de um regresso a casa, tal como o lateral Paulo Freitas, numa aposta clara na valorização do jogador das Capelas.
Para além das duas caras novas já asseguradas, a Direção presidida por Domingos Pereira chegou a acordo com Pedro Martins, João Pereira, Rodrigo Pacheco e Iuri Medeiros tendo em vista a renovação dos respetivos contratos, juntando-se a Tiago Pedro, B10 e Hugo Lima, o mesmo é dizer que o Capelense está apostado em manter a espinha dorsal da equipa que se sagrou campeã de São Miguel.

II Divisão Nacional de Futebol 2013/14

II DIVISÃO NACIONAL DE FUTEBOL
Operário prepara nova Época
O Operário acertou a renovação de contrato com a maioria dos jogadores para a época 2013/14.
Depois dos guarda-redes João Botelho e Vítor Vieira, agora foi a vez de Nelo, Pedro Tavares, Tó Miguel, Bruno Ribeiro, Lino, Tiago Resendes, Carlos Mota, João Peixoto, Daniel, Hélder Arruda, Forbes e Evandro prorrogarem os respectivos vínculos laborais. No entanto, Pedro Tavares, Daniel e Hélder Arruda são jovens com mercado que poderão sair sem entraves desde que para campeonatos superiores.

Governo concede luz verde ao Campeonato dos Açores

Novo Campeonato dos Açores
580 mil euros de apoio!
O governo regional vai apoiar o novo campeonato de futebol dos Açores, prova que sucede à série Açores da III divisão, com 580 mil euros. A competição arranca em Setembro e termina em Maio e será organizada pelas associações regionais. O vencedor sobe ao novo campeonato de Portugal que substituirá a actual II divisão. Os prémios de classificação sofreram uma redução de 10% e a compensação pela aposta no jogador açoriano sofreu uma quebra de 15%. Também ao nível das passagens aéreas verifica-se uma diminuição de 19 para 18. Somente os apoios complementares não foram afectados.
Governo Regional concede luz verde ao Campeonato dos Açores
O Governo Regional dos Açores aprovou o denominado Campeonato de Futebol dos Açores, quadro competitivo de âmbito regional que, a partir da temporada vindoura, 2013/14, substitui o Campeonato Nacional da Terceira Divisão - Série Açores.
A competição, que arranca em setembro e termina em maio, terá o mesmo formato do que a sua antecessora, sendo, como tal, disputada por dez equipas, em duas fases. O vencedor sobe ao novo Campeonato Nacional de Seniores (que congrega as extintas segunda e terceira divisões), ao passo que os três últimos colocados descem às provas associativas de ilha.
Lusitânia, Angrense, Barreiro, Marítimo da Graciosa, Sporting de Guadalupe (Associação de Futebol de Angra do Heroísmo); Rabo de Peixe, Santiago, Capelense (Associação de Futebol de Ponta Delgada); Prainha e Lajense do Pico (Associação de Futebol da Horta) são, na circunstância, as equipas que dão corpo ao futuro Campeonato de Futebol dos Açores.
O executivo liderado por Vasco Cordeiro contemplou 580 mil euros para o novel quadro competitivo. Foi ainda deliberado o valor nos cortes governamentais nos apoios à atividade desportiva. Assim, teremos menos 10% em prémios de classificação e menos 15% no apoio aos atletas formados no arquipélago, enquanto as passagens aéreas passam de 19 para 18.
RESOLUÇÃO
O Governo Regional dos Açores decidiu, ainda, "aprovar uma resolução que procede à definição do valor base unitário dos apoios à atividade de treino e competição nos escalões de formação, dos apoios complementares, dos prémios de classificação, subida de divisão e manutenção e do apoio à utilização de atletas formados nos Açores, bem como do número de elementos das comitivas oficiais de cada modalidade e nível competitivo e o número máximo de equipas por divisão ou nível competitivo a serem apoiadas nas épocas desportivas de 2013/2014 e 2014".
Esta resolução mantém o valor base unitário dos apoios à atividade de treino e competição na formação, mas reduz o número de elementos que integram as comitivas.

1ª Edição do Campeonato de Futebol dos Açores 2013/14:

1ª Edição do Campeonato de Futebol dos Açores
Quadro competitivo 2013/14 está definido
Já está definido o quadro de equipas que vai participar na primeira edição do Campeonato de Futebol dos Açores, prova disputada sob a égide das associações de futebol da Região, agendada para a temporada desportiva 2013/14.
Assim, Lusitânia, Angrense, Barreiro, Sporting de Guadalupe, Marítimo da Graciosa (Associação de Futebol de Angra do Heroísmo); Rabo de Peixe, Santiago, Capelense (Associação de Futebol de Ponta Delgada); Prainha FC e Desportivo Lajense do Pico (Associação de Futebol da Horta) são, na circunstância, as equipas contempladas.
Estão representadas na grande montra do futebol açoriano quatro ilhas: Terceira (três equipas), São Miguel (três), Graciosa (duas) e Pico (duas). Realce para o facto inédito de a ilha branca apresentar dois emblemas, ao passo que, com a descida do Flamengos, o Faial volta a não ter equipas a este nível, uma tendência que se acentua.
Sendo, claro, ainda muito cedo para qualquer tipo de antevisão, por razões históricas, Lusitânia, Angrense, Rabo de Peixe e Santiago surgem como os grandes candidatos, embora a crise vigente possa condicionar os objetivos de alguns clubes.
Relembre-se que cabe à Associação de Futebol de Angra do Heroísmo a organização logística da primeira edição da prova.
NACIONAL DE SENIORES
Por outro lado, o Campeonato Nacional de Seniores, prova que na época desportiva 2013/14 sucederá à atual Segunda Divisão, tem início marcado para 25 de agosto próximo, revelou a Federação Portuguesa de Futebol em comunicado. Será o pontapé de saída numa competição profundamente remodelada.
O novo campeonato será composto por oito séries de dez equipas e dos Açores vão competir três emblemas: o Operário, que se manteve, bem como o Sport Praiense e o Sporting Ideal que subiram da Série Açores da Terceira Divisão, escalão que, como sublinhámos, deixará de existir no final da campanha em curso.
O que ainda não está definido é em que séries vão competir as equipas açorianas, tudo levando a crer que serão posicionadas mais a sul depois de dois anos consecutivos a competir na zona centro do país, o que de alguma forma facilita em termos de deslocações, tornando-as menos dispendiosas.
OUTRAS PROVAS
Operário, Praiense, Sporting Ideal e Santiago (vencedor do grupo da manutenção da Série Açores) serão os representantes das ilhas de bruma na primeira eliminatória da Taça de Portugal que será efetuada a um de setembro. Antes, a 10 de agosto, concretiza-se a final da supertaça Cândido de Oliveira, ao passo que o Campeonato da Primeira Liga arranca no dia 18.
A Federação Portuguesa de Futebol só não indicou as datas para o início do Campeonato da Segunda Liga e da Taça da Liga, provas onde vai competir o Santa Clara, mas, em consonância com o calendário relativo à temporada 2012/13, a Taça da Liga deverá arrancar a 28 de julho e o campeonato a 11 de agosto. Tudo, com certeza, para confirmar nos próximos dias.

Futsal: 1ª Divisão - Play-out: Operário venceram o Fabril

Lagoenses estão mais próximos da manutenção
1ª DIVISÃO DE FUTSAL – PLAY-OUT
Vitória do Operário renova esperança
Operário recebeu e derrotou o Fabril do Barreiro e está a dois pontos dos lugares que conferem a manutenção na I divisão de futsal. Os suplentes decidiram uma emocionante partida.
O Operário alcançou uma importante vitória na segunda jornada do play-out da I divisão de futsal que mantém a formação açoriana na luta pela manutenção.
Os pupilos de José Carlos Feijão receberam e derrotaram o Fabril do Barreiro por 6-4, resultado que lhes permitiu diminuir para dois pontos a diferença em relação aos dois lugares que conferem a permanência no escalão maior da modalidade.
Sabendo da importância do encontro o Operário entrou bem e chegou ao intervalo a vencer por 3-2 com golos de Paulo Roxo (3), Minhoca (13) e Leonardo Moraes (17). Os forasteiros ainda responderam com o empate aos dois primeiros golos sofridos – Mamede Adil (5) e Jorge Barroso (14) marcaram para os forasteiros – mas os lagoenses não mais deixariam fugir a vantagem construída.
O triunfo foi confirmado no segundo tempo. Paulo Roxo bisou e ofereceu maior tranquilidade aos locais e João Carvalho fez o 5-2 a nove minutos do final da contenda. Quando a vitória parecia selada o Fabril ameaçou com o 5-4 com golos de João Neves e Bruno Constantino mas no último minuto do desafio sobressaíram mais dois suplentes: o guarda-redes André Lopes que defendeu um livre direto e o jovem Bruno Arruda que sentenciou o resultado na jogada seguinte sobre o sinal sonoro indicador do final do jogo.

Automobilismo: 32ª edição do Rali Sical na ilha Terceira

Ricardo Moura vence 32ª edição do Rali Sical
O Bi-campeão nacional e campeão regional de ralis venceu , com alguma facilidade, o 32ª. edição do Rali Sical na ilha Terceira.
O Rali Sical na ilha Terceira é a segunda prova do campeonato regional de ralis. Á partida estiveram 24 as equipas inscritas representando seis ilhas acorianas, assim divididas: Terceira (14), São Miguel (6), Santa Maria (1), Faial (1), Pico (1) e Graciosa (1). Realce para algumas equipas com dupla de ilhas diferentes e para as duas senhoras que pontuarão para o Troféu Regional Feminino de Ralis dos Açores, Sónia Alves (com Herberto Alves) e Susana Baltazar (com Magno Luis) ambas no banco do lado direito dos Toyota Yaris. Ricardo Moura venceu as nove provas especiais de classificação, ficando na segunda posição o jovem piloto Luís Miguel Rego.
CLASSIFICAÇÃO FINAL:
Clf.CondutoresTempoDif. Prim.Dif. Ant.Vel. Média
1 1 Ricardo Moura
Sancho Eiró
00:07:32,7 - - 99,09 km/h
2 3 Luis Miguel Rego
José Pedro Silva
00:07:42,8 10,1 10,1 96,92 km/h
3 2 Henrique Moniz
Jorge Diniz
00:08:02,2 29,5 19,4 93,02 km/h
4 6 José Paula
Miguel Ribeiro
00:08:09,7 37,0 07,5 91,60 km/h
5 16 César Silva
Manuel Lemos
00:08:20,9 48,2 11,2 89,55 km/h
6 14 Artur Silva
Paulo Jesus
00:08:22,3 49,6 01,4 89,30 km/h
7 20 Fábio Fontes
Jorge Pereira
00:08:45,8 1:13,1 23,5 85,31 km/h
8 19 Tiago Mota
José Pimentel
00:08:46,7 1:14,0 00,9 85,16 km/h
9 15 Jorge Sousa
Adriano Rosa
00:08:51,7 1:19,0 05,0 84,36 km/h
10 17 Nuno Cintra
Miguel Soares
00:08:54,8 1:22,1 03,1 83,87 km/h
11 5 João Silva
Rita Silva
00:09:05,2 1:32,5 10,4 82,27 km/h
12 12 Teófilo Pires
Artur Dias
00:09:16,0 1:43,3 10,8 80,68 km/h
13 8 António Ortins
Pedro Santos
00:09:20,4 1:47,7 04,4 80,04 km/h
14 21 Manuel Pontes
António Lemos
00:09:24,7 1:52,0 04,3 79,43 km/h
15 18 Herberto Alves
Sónia Alves
00:09:30,6 1:57,9 05,9 78,61 km/h
16 25 Diogo Pereira
Francisco Misturada
00:09:33,3 2:00,6 02,7 78,24 km/h
17 22 Augusto Ferreira
Roberto Pires
00:09:36,4 2:03,7 03,1 77,82 km/h
18 24 Ruben Fita
Miguel Azevedo
00:09:43,3 2:10,6 06,9 76,90 km/h

terça-feira, 28 de maio de 2013

Futebol: Clemente anunciou que vai deixar o Arouca

Clemente não continua no Arouca
Avançado lagoense comunicou no Facebook que terminou a sua ligação ao clube aveirense.
Clemente não vai continuar no Arouca na época de estreia do clube aveirense na I Liga de futebol.
"Termina aqui mais um ciclo na minha carreira desportiva" - escreveu o jogador natural da cidade da Lagoa, na sua página do Facebook, na tarde desta terça-feira, anunciando desta forma o fim da ligação de uma época com o clube aveirense, segundo classificado da Segunda Liga e que na próxima temporada vai jogar, pela primeira vez, na I Liga.
Clemente chegou ao Arouca no início da temporada 2012/2013, pela mão do treinador Vítor Oliveira (técnico que entretanto se transferiu para o Moreirense) e ajudou o clube aveirense a conquistar a inédita subida de divisão.
Na hora da despedida, o jogador deixou público reconhecimento ao clube, ao qual desejou felicidades para a estreia no principal escalão do futebol português.
"No Futebol Clube de Arouca passei um ano de grandes glórias e consegui mais um objetivo na minha carreira. Agradeço à direçao que nunca me faltou com nada. Desejo o melhor para o Arouca!".
Clemente, 29 anos, formou-se no Operário, clube no qual se estreou, pela mão de Filipe Moreira, na equipa sénior onde veio a conseguir o título de campeão da Série Açores da III Divisão na época 2003/2004.
O avançado representou também o Louletano, Gondomar, Desportivo de Chaves (clube no qual conquistou a subida à Segunda Liga e com o qual atingiu, em 2010, a final da Taça de Portugal), Oliveirense e Arouca.
Em recente entrevista ao jornal Açoriano Oriental, o jogador afirmou que tinha alguns contactos de clubes interessados nos seus serviços, pelo que Clemente não deverá ficar sem clube durante muito tempo.
AO

Morreu o escritor açoriano Daniel de Sá

Morreu Daniel de Sá
O escrito açoriano Daniel de Sá faleceu esta segunda-feira ao final da manhã na sua residência, na freguesia da Maia em São Miguel, Açores.
Daniel de Sá faleceu vítima de doença aos 69 anos com várias obras publicadas.
Morreu Daniel de Sá. A notícia caiu ontem de manhã e espalhou-se rapidamente pela comunicação social e pelas redes sociais, com milhares de reacções de vários pontos do mundo onde existem açorianos que conhecem a pessoa e a obra de ...um dos maiores escritores de sempre da açorianidade.
Daniel de Sá é uma figura imortal das letras e da cultura dos Açores, mas a sua memória fica, acima de tudo, pela profundidade da mensagem que deixa, numa simplicidade e humildade difíceis de atingir e impossíveis de aquilatar.
Nascido na Maia (de São Miguel, como fazia questão de sublinhar), a 2 de Março de 1944, fez a sua infância em Santa Maria, de 1946 até final dos anos cinquenta. Na Ilha de Gonçalo Velho faria parte dos seus estudos que completou no Externato Ribeiragrandense. Depois de frequentar o Magistério Primário de Ponta Delgada, chegou a leccionar na Maia, seguindo depois para Espanha onde tirou Filosofia e Teologia em Valência e Granada. Regressado de um tempo de aprendizagem onde bebeu uma cultura de que nunca mais se desviaria, no humanismo e na concepção filosófica da vida, fixou-se na Maia onde foi professor primário até à aposentação.
Dotado de grande capacidade de comunicação e de serviço, esteve sempre disponível para a causa pública. Intensifica a sua produção de artigos jornalísticos e é neste “Correio dos Açores” que se faz colaborador no início dos anos setenta, com especial incidência após a revolução do 25 de Abril de 1974. Após o 6 de Junho de 1975, e logo que é criada a Junta Governativa Regional, Daniel de Sá é nomeado responsável pela área da comunicação social. Já depois de instaurada a Autonomia Constitucional, em 1976, cumpre dois mandatos como deputado regional, pelo Partido Socialista e ao nível autárquico distingue-se como Vereador da Câmara e Membro da Assembleia Municipal da Ribeira Grande. Foi condecorado como Oficial da Ordem do Infante D. Henrique e foi-lhe atribuída também uma Insígnia Autonómica.
A obra de Daniel de Sá constitui, para os Açores, um acervo imorredouro, que só um génio poderia conceber. Desde o seu livro mais conhecido “Ilha Grande Fechada”, até ao “Deus dos Últimos”, uma colectânea de Contos de Natal que foi publicando ao longo dos anos, mais de uma dezena de outros títulos imortalizam o escritor que agora passa para a outra dimensão da vida. Com “Um Deus à beira da Loucura” ganha o Prémio Nunes da Rosa. “Crónica do Despovoamento da Ilhas” e “A Terra Permitida” granjearam-lhe, repetidamente, o prémio Gaspar Fructuoso, da cidade da Ribeira Grande.
Uma das obras mais belas mais intimistas de Daniel de Sá é “E Deus teve medo de ser Homem” que transmite a imagem plena dos dramas internos da pessoa humana em diálogo com vinte séculos após a crucifixão de Deus.
Não é este o lugar nem o tempo para mencionar todas as obras de Daniel de Sá. Mas deve salientar-se que se multiplicou em prefácios para obras de muitos e grandes autores, dos Açores e da diáspora. Muitas das obras de Daniel de Sá deram origem a teses de doutoramento e muito lhe ficam a dever os Açores, na sua divulgação, com textos memoráveis em guias e resenhas histórias em que colaborou, com inimitável categoria e magistral precisão histórica, já que era um estudioso sempre insatisfeito e sempre sedento de mais conhecimentos.
Daniel de Sá, no meio de toda a sua vida de trabalho, de estudo e produção literária, sempre teve uma relação muito especial com o Correio dos Açores, desde há mais de 40 anos. Para além de colaboração assídua, era uma presença de honra nos Suplementos de Natal e Páscoa deste jornal, ao ponto de ele próprio afirmar que “ para mim não é Natal completo, se não tiver o meu conto no Correio dos Açores”, contos estes que, como já referimos, foram reunidos em livro “O Deus dos Últimos”, editado pela Ver Açor.
Ao fazer este registo, não se pode olvidar a qualidade de ensino que ministrou a várias gerações de alunos que hoje se sentem marcados pela pedagogia ao mesmo tempo exigente e humana que conferia ás suas aulas. Nem se pode esquecer o papel que desempenhou na sua terra, a Maia, participando em todas as iniciativas a que era chamado, em vários domínios de que se destacam obras sociais e culturais, com especial destaque para os encontros de escritores açorianos em cuja génese esteve.
Homem de Fé e profunda vivência cristã, toda a sua obra respira a sede do Infinito que o norteava e que transparecia de toda a sua vida, gestos e palavras.
Não vamos dizer que os Açores estão mais pobres com a partida de Daniel de Sá. De facto, se ele e a sua obra estavam até agora ao nosso lado, passaram, agora, para dentro de nós, como testamento de açorianidade que o tempo não diluirá.
CA 

Festa da Santíssima Trindade em Oakville, Ontário

Mordomos: Egídio da Silva  e esposa Hortense da Silva 

FILARMÓNICA LIRA DO BOM JESUS DE OAKVILLE
Realiza Festa da Santíssima Trindade  
A Filarmónica Lira Bom Jesus de Oakville realizou no passado fim-de-semana a festa da Santíssima Trindade em honra e louvor ao Divino Espírito Santo uma semana após aoa domingo de Pentecostes, que teve lugar na paróquia de São José dos Portugueses naquela cidade.
No sábado, dia 25 de Maio, foram distribuidas as pensões durante o dia a todos os irmãos, e no fim da tarde houve missa e jantar para todos os músicos e familiares em festa e entertenimento com música a cargo do T&M – DJ Mix 2000.
No último domingo, dia 26 de Maio, realizou-se a coroação até á igreja seguindo-se pelas 11h00 a missa da Solenidade da Santíssima Trindade, celebrada pelo Pe. Fernando Pinto, onde foram coroados os Mordomos que foram, o Sro. Egídio da Silva (natural de São Mateus do Pico) e esposa Hortense da Silva (natural da Ribeirinha na ilha do Faial).
Após o acto solena saíu em coroação até ao salão paroquial o cortejo em honra da Santissima Trindade, onde foram servidas aos irmãos e convidados e público em geral as tradicionais sopas do Divino Espírito Santo confecionadas á moda do Pico, incluíndo a carne, o vinho e a massa sovada (mais conhecida na ilha montanha pelo pão doce).
No decorrer da tarde ao ar livre, houve arrematações de ofertas, e actuação do Grupo Folclórico Português de Oakville e concerto pela filarmónica Lira Bom Jesusde Oakville.
Depois do arraial, as pessoas foram chamadas a integrar na procissão das Rosquilhas que seguiu para o alto da Cruzo onde as alçafates de rosquilhas que na maioria as senhoras levaram á cabeça foram benzidas pelo Pe. Fernando Pinto.
No entanto o presidente da filarmónica, chamou uma criança para tirar o novo do mordomo para 2014, que saíu ao casal Tony e Fátima Gomes, one foi entregue da coroa do DES e estandarte pelos mordomos Egídio e Hortense da Silva que entregaram o testemunho para os novos mordomos.
A procissão seguiu em redor da igreja até á porta da traseira do edificio, onde novamente foram depositadas as alçafates das rosquilhas no quarto donde saíram.
Na despedida a filarmónica tocou mais uma vez o hino do Divino Espírito Santo.

Mais tarde foram distribuidas as rosquilhas á saida do parque da igreja a todas as pessoas que partiram de regresso a casa como é tradição no Pico.

Dianja cantora da ilha de São Jorge
No entanto no final da tarde aconteceu uma surpresa. Uma jovem artista de 18 anos ,natural da ilha de São Jorge, que tem o nome artistico ‘’Dianja, cantou e encantou os presentes com a sua voz cristalina e surpreendeu as pessoas, por ser desconhecida no Canadá.
Esta jovem de nome Antonete Nunes estava de passagem pelo Canadá e como nos informou que lançou o seu primeiro CD que vai recetemente sair no mercado para venda quando regressar aos Açores, que tem como título o nome artístico de ‘’Dianja’’, Cantora.
Parabéns á direção da Filarmónica Lira Bom Jesus de Oakville por manter esta tradição açoriana das ilhas do triângulo no Canadá!
*João G. Silva.

Carassauga' 2013: Arraial minhoto no C.C.P.Mississauga

Grupo vindo de Portugal ''Sons do Minho'', com Olga Oliveira


Pavilhão de Portugal apresentou ‘’Arraial à Portuguesa’’ no Carassauga
Mississauga acolheu entre 24 e 26 de maio, o Festival de Culturas ''Carassauga 2013''.
Este Festival de Culturas, na sua 28ª edição, contou este ano com 28 pavilhões que representaram 72 países, incluindo Portugal que, mais uma vez teve como sala de visitas as instalações do Centro Cultural Português (CCPM) naquela cidade.

Este é o segundo maior festival multicultural que se realiza no Canadá. Anualmente, os pavilhões com mostras de artesanato, danças, cantares, gastronomia e divulgações culturais, são visitados por milhares de pessoas de várias nacionalidades que, durante três dias, podem dar a volta ao mundo sem sair de Mississauga.

A participação portuguesa foi uma vez mais de grande qualidade, para isso contribuindo, os voluntários e patrocinadores que permitiram que o pavilhão, cuja responsável foi Olga Oliveira, fosse uma realidade.
Recorde-se que em edições anteriores, o pavilhão de Portugal já foi por diversas vezes premiado com o primeiro lugar.
A abertura oficial do certame aconteceu na sexta- feira, ao final da tarde, no CCPM, e teve a presença do Cônsul-geral de Portugal em Toronto, Júlio Vilela.
Depois de entoados os hinos de Portugal e Canadá, iniciou-se o Arraial à Portuguesa, com muita música e folclore minhoto.

Nesta noite, o pavilhão português recebeu ainda a presidenteda câmara de Mississauga, Hazel McCallion, e o ministro das Finanças do Ontário, Charles Sousa, e Bob Deleney, representante local.

Andrew Câmara e Nancy Vieira que apresentaram os artistas e ranchos folclóricos que atuaram ao longo do festival. Por lá passaram, os ranchos do CCPM (jovens e adultos), Casa dos Poveiros, Os Antigos do PCCV, Casa das Beiras, Oakville, Arsenal do Minho, Associação Migrante de Barcelos, Os Amigos do Minho, Associação Cultural do Minho, Ribatejano, Casa dos Açores de Toronto, Raízes do Minho, Oshawa-Northern of Portugal, o cantor Tony Câmara e, vindo de Portugal, o grupo Sons do Minho, com as suas concertinas e desgarradas.


A gastronomia portuguesa esteve em destaque, com o chef Martinho, de Castelo do Neiva, a mostrar a sua mestria na confeção de verdadeiras delícias do Minho.
Nos três dias, o pavilhão de Portugal acolheu uma impressionante multidão de visitantes, nomeadamente no sábado, que puderam apreciar, celebrar e, nalguns casos, lembrar, os costumes minhotos.
Uma palavra de apreço para a direção do CCPM, em especial para Gilberto Moniz e Tony de Sousa, respetivamente presidente e vice-presidente do CCPM, e para Olga Oliveira, pelotrabalho desenvolvido.
João G. Silva.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Final da Taça de Portugal: V. Guimarães vence Benfica e leva o troféu

Sport Lisboa e BenficaBenfica, 1 - V. Guimarães, 2 Vitória Sport Clube Guimarães
V. Guimarães prolonga triste sina encarnada
Por Bruno Miguel Dias e Inês Henriques
O Vitória de Guimarães conquistou a sua primeira Taça de Portugal ao bater o Benfica por 2-1, no Estádio Nacional.
O Vitória de Guimarães venceu esta tarde de domingo a Taça de Portugal ao bater o Benfica por 2-1, no Estádio Nacional, e depois de os encarnados terem passado grande parte do jogo em vantagem. Minhotos deram a cambalhota no marcador em apenas dois minutos.
Desde os primeiros minutos que o Benfica controlou o ritmo do encontro. As águias dominaram territorialmente, mas as oportunidades de perigo junto às balizas foram raras.
Nesse campo, estreou-se primeiro o Benfica, com Garay a ver Douglas evitar o primeiro depois de um cabeceamento exemplar.
Já ao minuto 30, o Vitória saiu para um contra-ataque em larga vantagem numérica, mas Addy não conseguiu transformar em golo o 5 para 2 dos vimaranenses. Na resposta, o Benfica respondeu com o golo: Gaitán, sem querer, viu a bola bater-lhe depois de um alívio de Kanu e esta encaminhou-se para o fundo das redes. Estava feito o 1-0.
Até final do primeiro tempo, Lima, na melhor jogada do encontro, foi quem dispôs da melhor ocasião para ampliar, mas a bola saiu por cima da trave de Douglas.
O segundo tempo começou no mesmo ritmo pausado com que acabou o primeiro tempo. O futebol de qualidade não esteve esta tarde no Jamor e por isso, pode dizer-se, o espetáculo foi fraco.
Sem grandes ocasiões, a emoção guardou-se toda para o final, em mais um golpe de teatro que os benfiquistas já tinham visto por duas vezes esta época, primeiro no Dragão, e depois na final da Liga Europa.
Aos 80’, Artur aliviou mal uma bola que parecia inofensiva e colocou-a nos pés de umjogador vimaranense. A bola chegou a Soudani e o avançado atirou para o empate no primeiro lance de perigo vimaranense na etapa complementar.
O maior drama encarnado estava guardado para dois minutos depois. Ricardo Pereira rematou de longe, a bola saiu enrolada, mas acabou mesmo por se anichar nas redes encarnadas. Até os jogadores do Vitória pareciam pasmados com a reviravolta que já ninguém esperava, depois de o Benfica ter controlado o encontro durante 80 minutos.
Embora com mais tempo para jogar do que noutros desaires decisivos desta temporada, o Benfica já não teve força para travar a euforia do Vitória e a Taça foi para Guimarães. Encarnados confirmaram como pesadelo uma época que podia ter sido de sonho: perderam o campeonato, a Liga Europa e agora a Taça de Portugal. 
por SportInforma

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Defesa da Autonomia e criticas à República marcam Dia da Região

Imposição de insígnias autonómicas no Dia dos Açores
O antigo Presidente do Governo dos Açores, Carlos César, foi a única individualidade hoje distinguida com a Insígnia Autonómica de Valor, a mais importante das insígnias honoríficas dos Açores. A imposição das insígnias autonómicas teve lugar esta segunda-feira na cidade da Horta, durante a sessão solene comemorativa do Dia da Região, organizada conjuntamente pelo Governo dos Açores e pela Assembleia Legislativa.
Carlos César acusa PR de "ignorância" por convocar Conselho de Estado para Dia dos Açores
O ex-presidente do Governo açoriano Carlos César acusou hoje o Presidente da República de "ignorância" por convocar o Conselho de Estado para o Dia dos Açores e lamentou que Cavaco Silva e o primeiro-ministro tenham esquecido a data.
Falando no final da sessão solene do Dia da Região Autónoma dos Açores, realizada na sede do Parlamento açoriano, na cidade da Horta, no Faial, o ex-presidente dos governos regionais socialistas dos Açores lamentou que as principais figuras do Estado não tenham, sequer, enviado mensagens aos órgãos próprios da Região a propósito desta data.
"O significado maior do facto do Presidente da República e, atente-se, também do primeiro-ministro, não terem enviado mensagens nestes dias, não é que sejam nossos inimigos, é de que nem sequer nos conhecem", lamentou Carlos César, em declarações aos jornalistas.
O ex-presidente do governo açoriano, que foi condecorado hoje com a "insígnia autonómica de valor", depois de ter completado quatro mandatos como líder do executivo regional, acusou também Cavaco Silva de revelar "ignorância", ao convocar o Conselho de Estado para o Dia dos Açores.
"A convocação do Conselho de Estado para hoje é a manifestação dessa ignorância, desse abandono secular, dessa desnecessidade que algumas instituições da administração central adotam", apontou Carlos César, para quem os mais altos responsáveis políticos do país parecem estar "divorciados do país real".
Além de Carlos César, foram também condecoradas, durante a cerimónia do Dia da Região, outras 36 individualidades e instituições por se terem destacado nos Açores ou na diáspora, nas áreas profissional, cívica, religiosa, cultural ou desportiva.
Por coincidir com o Dia da Região Autónoma dos Açores, o presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro, não estará hoje no Conselho de Estado convocado pelo Presidente da República para as 17h00.
Lusa

Dia dos Açores celebrado na cidade da Horta, Faial

Qualificação dos açorianos é "desafio absolutamente vital" afirma Vasco Cordeiro no Dia da Região
O presidente do Governo dos Açores considerou hoje que a autonomia não pode ser só "de conforto material", definindo a qualificação dos açorianos e a melhoria dos resultados na educação como "um desafio absolutamente vital".
"A autonomia de que usufruímos, se é certo que só pode ser considerada como válida se for uma autonomia de resultados para os açorianos e para as açorianas, não pode, também, correr o risco de ser reduzida a uma autonomia do conforto material", afirmou Vasco Cordeiro, que falava na sessão solene do Dia da Região Autónoma dos Açores, no parlamento regional, na Horta.
"À medida que a fase de infraestruturação física” se vai concluindo, “torna-se necessário também colocar no centro das nossas preocupações aquela que deve ser, já não apenas uma ação dirigida a garantir os benefícios materiais que o nosso modelo de governo proporcionou e proporciona, mas uma ação que concretize uma autonomia qualificadora da nossa sociedade, qualificadora do nosso povo e qualificadora da nossa democracia", acrescentou.
Para Vasco Cordeiro, "é nessa linha estratégica que perspetiva o futuro" dos Açores e da autonomia, defendendo, "cada vez mais, uma educação que garanta a cada açoriana e a cada açoriano as ferramentas para a sua realização pessoal, social e profissional".
"Este é um desafio a que a nossa autonomia ainda não respondeu cabalmente, sobretudo nas vertentes do sucesso escolar e do combate ao abandono escolar precoce. Mas este afigura-se como um desafio absolutamente vital para o sucesso, diria até, para a sobrevivência futura do nosso modelo de autogoverno", sublinhou, apelando ao "empenho e esforço de todos".
O presidente do executivo regional acrescentou "outra componente", também ela "essencial" para o futuro da região, e relacionada com a anterior: o "exercício ativo de uma cidadania exigente e esclarecida", considerando que cada vez menos a autonomia "depende apenas de formas institucionais de afirmação cívica e participação política" e mais da "convicção individual" dos seus "méritos".
"Hoje, no nosso dia, o que os Açores levam ao país, o que as naus que partem dos Açores, mais uma vez, levam a este país resgatado, são os valores da liberdade, da responsabilidade e da solidariedade intergeracional. (…) O mapa a que os Açores pertencem e em que os Açores querem continuar a figurar é o mapa das ideias, do diálogo, da prosperidade que valoriza as oportunidades individuais, sem deixar de integrar a solidariedade entre gerações, entre povos, entre regiões", afirmou.
Vasco Cordeiro considerou "desafiantes" os tempos atuais, sobretudo por causa de uma "Europa que parece ter perdido o rumo e que brinca, leviana e inconsciente, com fogos que, tão severamente, já a queimaram no passado", referindo "divisões" norte/sul ou centro/periferia ou o "discurso" que considera "um empecilho" o Estado Social.
Assim, disse, a região tem "dos maiores desafios" para vencer, para conseguir que a autonomia seja "um escudo protetor" em relação a estes "vendavais", fazendo uso, "até ao limite", de todas as “competências” e “recursos” disponíveis.
A este propósito, e dizendo que "a autonomia não legitima a inatividade", reiterou que o Governo Regional está empenhado, e deu "prioridade", ao combate ao desemprego, à reestruturação (com vista à sustentabilidade) do Serviço Regional de Saúde e à competitividade da economia.
O Dia da Região Autónoma dos Açores celebra-se sempre na segunda-feira do Espírito Santo, com uma sessão solene que vai percorrendo as ilhas. Por causa de ser o Dia da Região, Vasco Cordeiro não estará hoje no Conselho de Estado convocado pelo Presidente da República.
Lusa

domingo, 19 de maio de 2013

Festa do Divino Espírito Santo na diáspora:

Paróquia de Nossa Senhora de Fátima em Brampton - Mordomos José e Conceição Teves.
 Festa em honra do Divino Espírito Santo celebrada em Brampton e Oakville no Ontário
Em Brampton estas festividades estão para durar, os lusos-canadianos e seus descedentes aderim em força, e a juventude também participou nestas festas do Divino ESírito Santo.
Na sexta-feira no final da tarde, foram servidas muita comida no para todos os irmãos no salão e entregues as respetivas Pensões, que incluiu a carne, pão, massa e vinho.
No sábado, dia 18, depois da missa das 17h00 as pessoas desceram aoa salão onde foram oferecidas as tradicionais sopas do Divino Espírito Santo á moda de São Miguel a todas os presentes com cantorias.
No último domingo de Pentecostes, realizou-se a majestosa coroação até á igreja de Nossa Senhora de Fátima e houve missa em Solenidade do Divino Espírito Santo.
Pela tarde dentro no salão paroquial houve muita diversão, com grupos folcloricos, o Bailinho de Rabo de Peixe e concerto pela Lira Portuguesa de Brampton.
No final da noite foram tirados os nomes das pessoas das domingas anunciadas pelo pároco Andrzej Chilmon, como o novo mordomo para 2014.
Os Modormos deste este foram, o casal José e Conceição Teves, que no final da noite passaram o testemunho para os nossos mordomos eleitos para o ano de 2014, que saíu ao casal Luís e Alcida Pacheco, conhecidos propritários da firma ‘’Catita’s Catering’’.
OAKVILLE – Paróquia de S. José dos Portugueses
Paróquia de São José dos Portugueses em Oakville - Mordomos Carlos e Sandra da Silva
Domingo de Pentecostes celebrado em Oakville
Já na cidade de Oakville, na paróquia de São José dos Portuguese, foi celebrada durante a semana a novena do terço. Nos dias 17 e 18 foram a distribuidas das Pensões do Divino Espírito Santo e no domingo, 19, houve procissão até á igreja onde foi realizada a celebração da Eucarística solene e coroadas as os mordomos e as respetivas domingas.
De realçar durante a missa sete (7) crianças lerem em português os dons do Espirito Santo. No término da missa houva nova procissão para o salão par distribuição das tradicionais sopas do Divino Espírito Santo á moda de São Jorge.
Durante a terde ao ar livre nas trazeiras da igreja, houve actuação do Rancho Folclorico de Oakville, e vimos uma criança de 5 anos canadiana, de nome Lea West a dançar no grupo com o ensaiadoe e dançarino , Artur Mesquita. Seguiu-se o concerto pela Filarmónica Lira Bom Jesus de Oakville e atuação ds artistas Tony Siveira, Jessica Amaro e desgarradas ao desafio com dois micaelense destas lides, Vasco Aguiar (Bretanha) e Ildeberto Ferreira (Arrifes).
Pelas 17h30 realizou-se o tradicional cortejo das Rosquilhas até ao alto da Cruz, onde fooram benzidas os alçafates de rosquilhas pelo Pe. Fernando Pinto, e nomeados várias domingas porque mais uma vez não é ainda concehido o novo mordomo para 2014, apelando o padre Fermanado que o povo não deixem morrer esta linda tradição em Oakville.
Os mordomos deste ano foram o jovem casal, Carlos Manuel da Silva (natural de São Jorge) e esposa Sandra da Silva (natural da Venezuela, filha de pais madeirenses).
No final houve leilões, e procedeu-se á entrega e distribuição das roquilhas a todas as pessoas que foram deixando a festa a caminho de suas casas.
Reportagem e fotos de: João G. Silva


I Liga: FC Porto faz a festa do título em Paços de Ferreira

Futebol Clube Paços de FerreiraPaços de Ferreira, 0 - FC Porto, 2Futebol Clube do Porto
FC Porto é tricampeão
Por Evandro Delgado e Bruno Miguel Dias
Vítor Pereira consegue o bicampeonato ao comando dos azuis-e-brancos.
O FC Porto venceu o Paços de Ferreira por 2-0 e sagrou-se campeão português da Primeira Divisão. Os golos do encontro foram apontados por Lucho (g.p.) e Jackson Martinez.
Depois da vitória na jornada anterior diante do Benfica, que colocou os “dragões” na liderança da Primeira Liga, o FC Porto entrou na Mata Real dependo de si para vencer o 27.º título de campeão português.
Num estádio completamente lotado de adeptos portistas, que esgotaram os bilhetes em poucas horas após a vitória frente aos encarnados, os “dragões” sentiam-se em casa para levar de vencida os “castores”.
Com Defour no lugar do castigado e lesionado Fernando, a formação de Vítor Pereira sentia inúmeras dificuldades para penetrar na bem montada defensiva pacense. Apenas em remates de longa distância, os azuis-e-brancos tentavam visar a baliza de Cássio mas sem sucesso.
Seria preciso forçar o Paços a errar e foi o que aconteceu aos 23 minutos. James pressionou Luiz Carlos, que perdeu a bola para o colombiano se isolar. Em lance com Ricardo, James caiu dentro da área, com o árbitro Hugo Miguel a marcar grande penalidade e a expulsar o central do Paços. O lance foi muito contestado pela formação de Paulo Fonseca, alegando que, a haver falta, seria fora da área. Lucho não se importou com os protestos e fez o 1-0.
Em vantagem no marcador e em jogadores de campo, os “dragões” instalaram-se ainda mais no meio-campo contrário, obrigando o Paços de Ferreira a recuar para perto da sua área. Até ao intervalo, a segunda explosão de alegria veio com as novidades da Luz, onde o Benfica perdia com o Moreirense.
No início do segundo tempo, depois de Cássio negar o golo a Jackson com uma enorme defesa, o colombiano não falhou a segunda e fez o 2-0 aos 53 minutos, num remate muito forte com o pé esquerdo, depois de ganhar um ressalto na área pacense.
Apesar de estar a vencer por 2-0, Vítor Pereira ganhou uma contrariedade quando viu Danilo ser expulso por acumulação de amarelos.
Com dez para dez, o Paços foi à procura do golo que o pudesse relançar na partida mas sem sucesso. Cohene e Christian ainda tiveram duas oportunidades mas os seus remates sairam ao lado.
A partir do momento em que as duas equipas passaram a jogar com dez, o FC Porto encontrou mais espaço para fazer circulação de bola, mantendo o Paços na sua zona defensiva. E foi assim que Lucho quase fazia o 3-0, num remate a entrada da área que foi devolvido pelo poste direito de Cássio.
Enquanto a formação de Vítor Pereira controlava o encontro, os adeptos portistas iam fazendo a festa nas bancadas. Mesmo no final Jackson, isolado perante Cássio, poderia ter feito o 3-0 mas o seu “chapéu” embateu na barra.
O FC Porto conquistou assim o seu 27.º campeonato português, o 66º título em competições oficiais portugueses, o seu 73º título oficial no futebol. Foi o sexto “tri” na história dos “dragões”. Vítor Pereira, que poderá ter feito o seu último jogo, conquista assim o bicampeonato ao leme dos azuis-e-brancos. 
por SportInforma