segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Série Açores: Lusitânia bate Praiense e lidera isolado

CAMPEONATO DA 3ª. DIVISÃO – SÉRIE AÇORES:
Lusitânia reforça liderança
Vitória por 2-1 sobre o principal candidato, Praiense, deixa os leões de Angra mais sós na frente do campeonato. Sporting Ideal e Santiago tiraram a barriga de miséria com goleadas caseiras.
Prossegue a surpreendente carreira do Lusitânia no campeonato da III divisão, série Açores.
A equipa da rua da Sé reforçou a inesperada liderança com vitória caseira sobre o principal candidato à subida, Praiense, num jogo onde os leões até estiveram a perder – golo de Carlos Silveira, aos 56 minutos, de livre directo – mas souberam unir esforços na reacção e com golos de Heitor (69) e Marreta (72) seguraram o primeiro lugar que chegou a estar ameaçado.
O Lusitânia está agora mais só na frente, pois dilatou de um para quatro pontos a vantagem sobre o Praiense, o que permitiu ao Sporting Guadalupe reaproximar-se do colectivo da Praia da Vitória. Os gracioenses até poderiam ter regressado à segunda posição se tivessem conseguido segurar o 2-0 com que estiveram a vencer no terreno do União Micaelense mas acabaram por consentir empate a duas bolas com dois golos sofridos em dois minutos.
A jornada seis da série Açores ficou marcada pelas goleadas impostas pelo Santiago ao Fayal Sport e pelo Sporting Ideal ao Águia, ambas por 5-0. Nos pauenses esteve em destaque o jovem avançado de 18 anos, Filipe Andrade, que assinou um hat-trick e nos ribeiragrandenses a figura foi Nelson Faria que fez um poker (quatro golos) no primeiro triunfo da equipa da Ribeira Grande.
Fixo entre os quatro primeiros classificados permanece o Boavista que recebeu e derrotou o Prainha por 3-1, jogo que ficou praticamente decidido no espaço de dez minutos pois aos dois Joel colocou os axadrezados em vantagem e, aos doze, Diogo Ávila foi expulso deixando o Prainha em inferioridade numérica e em desvantagem no marcador.
Resultados da 6ª. Jornada:
Santiago, 5 - Fayal Sport, 0
Sporting Ideal, 5 - Águia CD, 0
Lusitânia, 2 - Sport Praiense, 1
U. Micaelense, 2 - Guadalupe, 2
Boavista SM., 3 - Prainha, 1
CLASSIFICAÇÃO:
L  Equipa               J V E D   GM-S    P
1º SC Lusitânia       6  5 1 0    11- 3    16
2º Sp. Praiense       6  4 0 2    16- 4    12
3º Sp. Guadalupe    6  3 2 1     9 - 6    11
4º Boavista S.M.     6  2 3 1     5 - 3      9
5º Santiago FC       6  2 2 2     9 - 8      8
6º Sporting  Ideal    6  1 4 1     9 - 9      7
7º Prainha FC         6  1 4 1     9 -10     7
8º Fayal Sport        6  1 2 3     4 -13      5
9º U. Micaelense    6  0 2 4     5 -10      2
10º Águia CD         6  0 2 4     2 -16      2
7ª. jornada (06-11-2011):
Águia CD - SC Lusitânia
Praiense - U. Micaelense
Guadalupe - Boavista S.M.
Santiago FC - Prainha FC
Fayal Sport - Sporting Ideal

Campeonato Nacional da 2.ª Divisão - Zona Centro:

CAMPEONATO DA II DIVISÃO - ZONA CENTRO:
Angrense foi a única equipa açoriana a vencer
Disputou-se a sétima jornada do campeonato da II divisão - Zona Centro, com o Angrense a ser a única equipa açoriana a conseguir a vitória nesta ronda e ultrapassar o Operário que perdeu em Amarante e subir ao quinto lugar na tabela classificativa.
O Angrense foi a única equipa dos Açores a saborear a vitória e também teve de recuperar de uma desvantagem inicial. Os pupilos de João Eduardo Alves bateram o Aliados de Lordelo por 3-1 e superaram o Operário na classificação, fabris que perderam em Amarante por 2-0. O FC Madalena não fez melhor e perdeu por 3-2 no terreno do Oliveira do Bairro.
Resultados da 7ª. jornada:
S. João Ver, 0 - Tondela, 2
Angrense, 3 - Aliados do Lordelo, 1
Anadia, 1 - Gondomar, 3
Padroense, 4 - Coimbrões, 2
Cinfães, 1 - Sporting de Espinho, 3
Amarante, 2 - Operário, 0
Oliveira do Bairro, 3 - Madalena, 2
Paredes, 0 - Boavista, 2
CLASSIFICAÇÃO:
L   Equipas        J V E D GM-S    P
1º. Sp. Espinho   7  6 1 0   13 - 3   19
2º. Tondela         7  6 0 1   14 - 6   16
3º. S. João Ver   7  5 1 1   11 - 8   16
4º. Boavista        7  4 2 1   10 - 3   14
5º. Angrense       7  3 2 2   14 -11  11
6º. Padroense     7  3 2 2   15 -13  11
7º. Gondomar     7  3 1 3    8 -10   10
8º. Anadia          7  3 1 3   12 -10  10
9º. Operário       7  3 1 3     5 - 8   10
10º. Amarante    7  2 2 3     9 - 8    8
11º. Cinfães       7   2 1 4   12-14    7
12º. Coimbrões  7  1 4 2     7 -11   7
13º. A. Lordelo   7  1 3 3   11 -13   6
14º. Madalena    7  1 1 5   10 -13   4
15º. Ol. Bairro    7  1 1 5    7 -13    4
16º. Paredes      7  0 1 6    3 -17    1
8ª. jornada - 6 Nov. 2011
Operário - Cinfães
Tondela - Paredes
Aliados Lordelo - S. João Ver
Gondomar - Angrense
Coimbrões - Anadia
Sp. Espinho - Padroense
Boavista - Oliv. Bairro
FC Madalena - Amarante

Liga Orangina: Santa Clara empata na Vila das Aves

LIGA ORANGINA 2011/2012:
Desp. das Aves, 2 - Santa Clara, 2
Emoção em resultado justo
O Desportivo das Aves e o Santa Clara empataram no domingo 2-2 na Vila das Aves, num emotivo jogo da 8.ª jornada da Liga Orangina, em que ambas sa equipas estiveram a ganhar.
A equipa da casa inaugurou o marcador na primeira parte, aos 17 minutos, por Nélson Pedroso, mas no segundo tempo o Santa Clara inverteu o resultado em apenas dois minutos, com golos de Pacheco (73, de grande penalidade) e de João Pedro (75, na própria baliza). Aos 86 minutos, novamente por Nélson Pedroso e outra vez na cobrança de um livre direto, os avenses empataram a partida, conferindo mais justiça ao resultado.
O Desportivo das Aves fez uma boa primeira parte e esteve muito perto de inaugurar o marcador logo aos seis minutos, mas Pires rematou contra Stefanovic, quando tinha tudo para marcar após centro de Nélson Pedroso da esquerda.
O golo chegou pouco depois (17 minutos) com o remate do defesa esquerdo do Aves a trair o guarda-redes adversário, depois de sobrevoar a área e não sofrer nenhum desvio de qualquer jogador.
O Desportivo das Aves, que alinhou com um onze exclusivamente português, tinha o ascendente na partida e, aos 27 minutos, Vasco Matos rematou para defesa segura de Stefanovic, enquanto o Santa Clara só por uma vez causou perigo na primeira parte, com um remate de longe de Lourenço que Marafona teve dificuldades para defender (37).
Na segunda parte, o técnico da formação açoriana, Bruno Moura, mexeu na sua equipa, alargando a frente de ataque, mas foi o Aves a criar primeiro perigo com um cabeceamento de Pires (59).
Contudo, aos 72 minutos, uma mão absurda de Romeu na grande área, após cruzamento de Alex da esquerda, permitiu ao Santa Clara empatar, pelo mesmo Alex, na conversão da respetiva grande penalidade. E dois minutos depois, consumou-se a reviravolta: João Pedro introduziu a bola na própria baliza após um remate de Pacheco, que emendou um falhanço inacreditável do seu colega Dincic a meio metro de uma baliza deserta.
Mais com o coração do que com a cabeça, o Aves reagiu e ainda conseguiu chegar ao empate, novamente por Nélson Pedroso, na cobrança perfeita de um livre direto (86).
Jogo disputado no Estádio do Clube Desportivo das Aves, em Vila das Aves.
Assistência: cerca de 600 espectadores.
Árbitro: Manuel Mota, de Braga.
Equipas:
Desportivo das Aves: Marafona, Geraldes, Tiago Valente, João Pedro, Nélson Pedroso, Tito, Romeu (Renato, 76), Pedro Cervantes (Amaury Bischoff, 68), Pedro Pereira, Vasco Matos (Fonseca, 77) e Pires. (Suplentes: Rui Faria, Rafael, Grosso, Renato, Quinaz, Amaury Bischoff e Fonseca).
CD Santa Clara: Stefanovic, Marcio Piccolo, Sandro, Edgar, Paulo Grilo, André Simões, Pacheco (Minhoca, 83), Lourenço, Moreira (Valdinho, 55), Alex e Sylvestre (Dincic, 65).
(Suplentes: Tiago Maia, Nélson, Minhoca, Valdinho, Djurdjevic, Dincic e Pipo).
Ao intervalo: 1-0.
Marcadores:
1-0, Nélson Pedroso, 17 minutos.
1-1, Alex, 73 (grande penalidade).
1-2, João Pedro, 75 (na própria baliza).
2-2, Nélson Pedroso, 86.
Ação disciplinar: cartão amarelo para Romeu (72), Nélson Pedroso (77), Pacheco (80), Valdinho (88 e 89), Fonseca (90) e André Simões (90+4). Cartão vermelho para Valdinho (89), por acumulação de amarelos.
Resultados e marcadores da 8ª jornada:
Sábado:
Freamunde-Leixões, 2-1
(Tarcísio, 29; Florent, 35) (Nuno Silva,54)
Domingo:
Atlético-Sp. Covilhã, 0-0
Oliveirense-Belenenses, 3-2
Desp. Aves-Santa Clara, 2-2
(Nélson Pedroso, 17 e 86) (Alex, 73, gp; João Pedro, 65, npb)
Penafiel-Moreirense, 1-0
(Manoel, 79)
Trofense-Naval, 1-2
(Feliz, 71) (Fabiano, 10; Ricardo Elche, 80)
U. Madeira-Estoril, 0-0
Portimonense-Arouca, 0-0
CLASSIFICAÇÃO:
 1º Atlético CP ......  17 Pts
 2º Penafiel ...........  15
 3º Freamunde ......  12  
 4º Santa Clara .....  12
 5º Moreirense ......  11
 6º Naval 1º Maio ... 11
 7º Oliveirense ....... 11
 8º Sp. Covilhã ...... 11
 9º Estoril-Praia ..... 10 
10º Belenenses ..... 10
11º Desp. Aves .....  10
12º Leixões ........... 10
13º Arouca ...........   9 
14º Trofense .........   8 
15º U. Madeira ......  8
16º Portimonense ..  7

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Apresentação do livro de Genuíno Madruga no Canadá

NOITE DE GALA AÇORIANA NO C.C.P.MISSISSAUGA
O lobo-do-mar, Genuíno Madruga apresenta ''O Mundo que eu vi''
O Centro Cultural Português de Mississauga, realizou nos dias 21 e 22 de Outubro uma Gala Açoriana, onde Genuíno Madruga foi presença de destaque a par de Sidónio Bettencourt (que também apresentou a sua obra, ''Já não vem ninguém'') do Rancho Folclórico do CCPM e do conjunto ''Starlight''.
O evento incluiu um jantar de homenagem ao velejador, após o qual Sidónio Bettencourt apresentou o livro propriamente dito.
Na entrada do salão de festas do CCPM, foram muitos os que aquiriram os livros á venda e solicitaram os respectivos autógrafos aos dois autores, Genuíno e Sidónio como também aproveitaram para uma secção de fotos.
Após o jantar, Sidónio Bettencourt apresentou o livro de Genuíno Madruga ''O Mundo que eu vi'', e leu um excerto.
Depois foi chamado Genuíno Madruga que apresentou e descreveu diversas fotografias dos locais de todo o mundo por onde passou. 
Adiantou que foi o nono velejador que deu a volta ao mundo por duas vezes no seu Hemingway, e o primeiro e único português que levou a bandeira dos Açores e de Portugal aos quatro cantos do Planeta.
Lembrou que as pessoas não devem disistir dos seus sonhos, ao mesmo tempo que deixava no écran a mensagem: ''Sonhem, definem objectivos, acreditem que são capazes, sacrifiquem-se, trabalhem muito e só assim serão capazes de concretizar aquilo com que sonharam''.
Genuíno Madruga foi distinguido recentemente pelo Presidente da Réplubilca de Portugal, Cavaco Silva, com a medalha como comendador da ''Ordem do Infante''.
Genuíno nasceu na freguesia de São João, no conselho das Lajes do Pico, e fixou residência há longos anos na vizinha ilha do Faial.
Sózinho, num pequeno barco à vela, percorreu todos os caminhos do mar para dar a volta ao mundo. Não satisfeito, voltou a fazê-lo uma segunda vez, procurando um percurso mais difícil, que apenas alguns bravos lobos-do-mar tentaram. Poucos personificarão tão bem o espírito aventureiro e a paixão pelo oceano. A sua última aventura, no entanto, não foi aos comandos do leme, mas sim da caneta. O pescador fez-se escritor para relatar as suas viagens, e pelo caminho deixou muito de si naquilo que escreveu. Genuíno Madruga viu o mundo de uma perspectiva única, e agora conta o que viu.
O Mundo que Eu Vi tem a chancela da Ver Açor, e foi apresentado ao público na passada sexta-feira, onde todos os velejadores se sentem em casa. O Peter Café Sport atingiu a sobrelotação, já que foram muitas as pessoas que não quiseram deixar de marcar presença neste lançamento, que teve até honras de banda filarmónica, com a Unânime Praiense, da freguesia do velejador.
Em conversa, Genuíno conta que “a ideia deste livro é antiga”, e os escritos que o povoam foram feitos em ocasiões diversas. “Determinadas partes foram escritas há algum tempo, algumas mesmo durante a viagem. Certas coisas foram até escritas à mão, em diferentes ocasiões”, explica. No entanto a maior parte da escrita foi feita após a segunda viagem de circum-navegação, terminada em 2009.
Pescador e aventureiro, para este lobo-do-mar foi bem mais fácil manobrar o Hemingway à volta do mundo completamente sozinho do que manobrar a caneta para contar o que viu nessas viagens: “Eu não sou escritor. A minha vida é outra… O meu relacionamento com as letras vem da leitura dos jornais, dos livros… Escrever é completamente diferente. Por isso tudo isto foi um pouco mais penoso para mim”, conta, confessando que, nesta viagem, contou com uma “tripulante” especial: “tive a preciosa ajuda da Beatriz, pois se não fosse ela ainda não tinha chegado ao fim”, diz, referindo-se à esposa. Confirma-se portanto que “atrás de um grande homem está sempre uma grande mulher?”, atirámos, à laia de provocação. A resposta do velejador foi pronta: “Atrás não. Sempre ao meu lado”.
Quanto ao resultado final, Genuíno garante que este livro é isso mesmo, genuíno. Escreveu-o com o coração, emocionou-se com as recordações e deixou grande parte de si nas páginas que foram surgindo. Assim, O Mundo que Eu Vi acaba por ser uma espécie de mistura entre um diário de bordo e uma auto-biografia, como reconhece o autor. “O livro tem muito de mim. Tem um pouco do meu passado, que se confunde com a vida dos pescadores de há algum tempo. E tem sobretudo relatos de acontecimentos, de pessoas que conheci, daquilo que vi pelo mundo. E fotografias, muitas fotografias que eu fui tirando”, diz.
Depois do seu regresso do continente americano, Genuíno Madruga irá lançar a sua obra na Praia da Vitória, no âmbito da iniciativa Outono Vivo, promovida por aquela autarquia terceirense.
- João G. Silva.

Lançamento do livro de Sidónio Bettencourt no Canadá

Sidónio Bettencourt apresenta o seu terceiro livro em Mississauga e Toronto
''Já não vem ninguém'' é uma narrativa poética das Lajes do Pico
O Centro Cultural Português de Mississauga (CCPM) recebeu na passada sexta-feira (21) um ilustre açoriano vindo diretamente do arquipélago.
Sidónio Bettencourt - o conhecido apresentador do programa televisivo ''Atlântida'' da RTP-Açores veio apresentar o seu terceiro livro. Depois de ''Deserto de Todas as Chuvas'' e da ''Balada das Baleias'', um álbum fotográfico para o qual realizou o texto, Sidónio Bettencourt regressou aos livros com ''Já não vem ninguém'', uma obra poesia, ou de narrativa poética, como ele próprio preferiu classificar.
A narrativa está ligada às vivências do autor com a infância e com o universo das Lajes do Pico. O título está relacionado com as pessoas que saem e não voltam, ficando a família repartida.
O livro já foi apresentado em vários sítios, mas o lançamento na sua terra natal teve um simbolismo muito forte para o autor pela ligação às Lajes e á Semana dos Baleeiros e a sua padroeira Nossa Senhora de Lourdes.
Sidónio Bettencourt é natural das Lajes do Pico, e residente à longos anos na ilha de S. Miguel, e veio até ao Canadá para lançar o seu novo livro nas comunidades imigrantes.
Numa noite conduzida por Ilda Januário, foram muitos os familiares, amigos e orgãos da comunicação social que quiseram assistir e apoiar o lançamento deste livro no Canadá, em que o autor, se fez  acompanhar pelo editor Fernando Ranha (propriétário do Ver-açor).
Na mesa de apresentação na cerimónia estiveram o José Mário Coelho, Ilda Januário, Gilberto Moniz, Sidónio Bettencourt (ao centro), Maria João D'Man e Fernando Ranha (editor).
A cerimónia começou com alucuções dos vários convidados que lerem trechos de passagem do livro ''Já Não Vem Ninguém''.
Seguirem-se os cumprimentos ao autor, com uma sessão de autógrafos do livro a todos aqueles que o aquiriram.
Estes livros têm sempre um significado muito especial, uma vez que são escritos de alma e coração pelos seus autores e deixam também a história da terra onde nasceram, tocando os antepassados que ficaram esquecidos no isolamento das suas ilhas.
Assim todos nós ficamos a saber mais um pouco da história de cada terra e do seu povo, ficando a conhecer a sabedoria e riqueza.
Depois dos livros autografados houve um beberete e foi tempo para o convívio entre todos os presentes.
Enviamos os nossos parabéns ao Sidónio Bettencourt que veio até ao Canadá, para apresentar mais uma obra prima da sua autoria, a qual vai certamente enriquecer a estante das casas dos imigrantes com mais um livro de boa leitura, cuja a história permite recordar as ilhas dos Açores, neste caso em particular, a vila Baleeira da ilha montanha.
No domingo, Sodónio Bettencourt apresenta o seu livro na Casa dos Açores do Ontário em Toronto.
- João G. Silva

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Artigo sobre o caldo verde - Surpreendente

O CALDO VERDE EVITA O CANCRO!
Por Manuel Luciano da Silva, Médico
Muita gente sabe que o caldo verde é uma sopa de couve portuguesa, tipicamente do norte de Portugal Continental, mas muito divulgada por todo o país.
Couve é o nome genérico que se usa para descrever uma grande família de hortaliça caracterizada por folhas largas, esverdeadas e muito ricas em nervuras, fibra e vitaminas. Existe uma variedade de couves: couve galega, couve lombarda, couve crespa, couve penca, couve tronchuda, couve bastarda, couve repolho, couve bróculo roxo, couve bróculo branco e até couve flor! Mas a couve preferida para se fazer o caldo verde, como deve ser, é a couve chamada galega, muito cultivada na Província do Minho em Portugal.
Na Nova Inglaterra os nossos emigrantes cultivam nos seus quintais a couve galega, depois de usar vários truques para passarem, contra a lei, na alfândega as sementes desta couve preferida. Na América há uma couve semelhante à galega que tem o nome de: "collards".
Devido às temperaturas negativas as couves galegas não se aguentam ao relento durante os meses de inverno e assim a nossa gente usa um tipo de couve crispada chamada "kale". Mas o caldo feito de "Kale" não é genuinamente caldo verde. Perde a sua característica, não pelo tipo diferente de couve, mas sim pelos ingredientes que as cozinheiras imigrantes lhe adicionam e que não devem fazer parte da receita do caldo verde.
Sucede que a composição da "kale soup" é muito complexa: além da couve ou "kale", leva carne de vaca, carne de porco, chouriço, ou linguiça, feijão, batata, cenoura, água, sal e mais não sei quê. Gostosa? Sim, senhor, mas é tão concentrada, é tão forte que até faz lembrar cimento armado ou entulho!...
Em contrapartida a receita do caldo verde é muito simples: água, sal, batata ralada, couves cortadas às tiras fininhas, azeite português e mais nada!
No entanto há muitas donas de casa que não sabem cozinhar o caldo verde como deve ser. Não fazem caldo verde para os seus familiares por que dá muita maçada a cortar as couves às tiras muito fininhas... Mas talvez a razão principal seja por as cozinheiras portuguesas na América pensarem que o caldo verde por ter tantas couves não tem nenhum valor nutritivo, não presta para nada! Como estais enganadas, minhas senhoras!
Se vos disser que de todos os cozinhados tipicamente portugueses o caldo verde é o melhor para a nossa saúde?! Que pensais se vos disser, como médico, que o caldo verde evita o cancro?! E se vos disser que o caldo verde evita os ataques do coração por reduzir no sangue o colesterol, pensais que é fantasia!? E se vos disser mais: que o caldo verde evita as pedras na vesícula e evita as hemorróidas?!
É caso para perguntardes: se isso é verdade, porque é que levou tanto tempo a descobrir que o caldo verde é tão milagroso?!
DOUTOR BURKITT
Na década de setenta o famoso médico inglês Burkitt chefiou um grupo de médicos da Grã Bretanha que foram para a África Central estudar as diferenças entre as doenças que existem na selva e na zona metropolitana de Londres.
Depois de estudos muito apurados o Dr. Burkitt veio a descobrir que existe no continente africano um tipo de cancro diferente que é causado por um vírus. Esta descoberta foi sensacional porque provou-se, pela primeira vez, que certos tipos de cancro podem ser causados por vírus. Em honra desta descoberta o mundo médico mundial passou a chamar a este tipo de cancro: Linfoma não-Hodgkin de Burkitt.
Revelo esta informação médica a respeito do Dr. Burkitt para os leitores melhor apreciarem o calibre das observações que a equipa do Dr. Burkitt veio a registar no que diz respeito às diferenças que existem entre a dieta dos nativos africanos e a dieta do povo londrino.
Primeiro os médicos ingleses verificaram que os nativos nunca tinham prisão de ventre, não contraiam cancro do recto, não tinham ataques do coração, não sofriam de hemorróidas, nem apendicite aguda!
Surpreendidos com estes factos os médicos britânicos constataram que os nativos africanos defecavam ou obravam, durante 24 horas, um volume, QUATRO VEZES maior do que qualquer cidadão inglês!
Admirados com este achado, os mesmos médicos prosseguindo com as suas pesquisas concluíram que a diferença dramática de saúde entre o povo inglês e os nativos em África se devia ao facto dos africanos comerem NOVENTA POR CENTO de ALIMENTOS RICOS em FIBRAS VEGETAIS, que não chegam a ser absorvidos no intestino e saem nas fezes praticamente intactos, aumentando assim o volume fecal, evitando portanto a prisão de ventre!
Nos últimos anos mais de mil especialistas em todo o mundo têm publicado artigos em jornais e revistas médicas sobre as observações da equipa médica do Dr. Burkitt, CONFIRMANDO que os alimentos melhores para a nossa saúde são aqueles que têm mais fibras vegetais não-reabsorvíveis e que nos obrigam a visitar mais vezes a retrete.... Eu tive oportunidade de ouvir uma conferência sobre este assunto pelo Dr. Burkitt, há vários anos, no Hospital de Roger Williams, em Providence, Rhode Island, na qual o famoso médico usou esta frase bombástica: "É MAIS IMPORTANTE SABERMOS O VOLUME DA MERDA DIÁRIA DUMA PESSOA DO QUE O VALOR DO SEU AÇÚCAR OU DO SEU COLESTEROL!"
BENEFÍCIOS DO CALDO VERDE
Para apreciarmos as maravilhosas qualidades do caldo verde temos que primeiro analisar o nosso aparelho digestivo. Qual é o comprimento do nosso tubo digestivo? Qual é a distância que vai da boca até ao ânus? Resposta: O comprimento do nosso tubo digestivo é quase SETE vezes a altura de cada pessoa! Deste modo se um homem tem de altura um metro e meio, o seu tubo digestivo possui DEZ METROS de comprimento! É igual à mangueira de regar o quintal!...
Agora compreendemos melhor porque é que a Natureza exige que a nossa alimentação contenha 90 por cento de alimentos com fibras vegetais que não sejam reabsorvidas. É preciso que a nossa alimentação contenha substâncias que não desapareçam, que não sejam reabsorvidas, no percurso do tubo digestivo, porque de contrário não chegará nada ao fim do canal que tem em média mais de dez metros de comprimento...
Analisemos agora o conteúdo do caldo verde:
COUVES - As couves são a parte mais importante do caldo verde porque são muito ricas em fibras não-reabsorvíveis. Além disso as couves são muito ricas em vitamina A e complexos B (tiamina, riboflavina e niacina). Possuem também cálcio, ferro, fósforo, potássio, mas têm poucas calorias.
AZEITE -- O azeite deve ser português porque é muito rico em ácidos não-saturados que fazem baixar o colesterol mau.
BATATA -- serve para amaciar, tornar mais homogéneo o sabor do caldo verde e o seu valor calórico não está fora de ordem.
ÁGUA QUENTE -- A água quente do caldo verde é muito importante, porque faz funcionar muito melhor os sucos digestivos e os fermentos ou enzimas do aparelho digestivo. A água quente faz descontrair os esfíncteres ou válvulas do aparelho digestivo, estimula a contracção normal da vesícula biliar e relaxa o estômago e os intestinos delgado e grosso, tornando a nossa digestão agradável e saudável.
SAL-- Não deve ser exagerado. Só o preciso!
CHOURIÇO -- O chouriço - para ser cortado às rodelas e pôr no caldo verde -- deve ser cozido à parte para se deitar fora a água porque esta contem os produtos cancerígenos do chouriço devido ao processo de ter sido defumado.
BROA -- A broa deve ser à moda portuguesa feita com o farelo e farinha de milho como se coze na nossa terra.
Quem comer uma malga de caldo verde todos os dias não tem prisão de ventre! Quem não tem prisão de ventre não tem hemorróidas! Por outro lado uma pessoa fazendo as suas necessidades diariamente, o fígado é obrigado a produzir mais bílis e a vesícula a expelir mais sais biliares para untar a tripa por dentro para que os alimentos deslizem melhor. Deste modo saindo mais bílis (rica em colesterol) para o exterior através das fezes, dá-se uma baixa de colesterol no sangue, diminuindo os riscos de ataques cardíacos e de pedras da vesícula (compostas por colesterol)! O caldo verde faz também com que a pessoa emagreça e se torne mais saudável e mais feliz.
CANCRO DO CÓLON
Tem-se verificado uma relação directa entre a prisão de ventre e o cancro do cólon ou do intestino grosso. Porquê? Porque quando há prisão de ventre as fezes ficam paradas no intestino grosso, ou cólon e assim os produtos tóxicos contidos nas FEZES RETIDAS bombardeiam as células da mucosa intestinal de tal maneira que com a REPETIÇÃO deste processo desencadeia-se o princípio do cancro do cólon ou do intestino grosso que é uma doença terrível!
Como contra prova dos estudos que a equipa do Dr. Burkitt observou em África, deram-se aos nativos africanos dietas iguais à que os ingleses e americanos usam com McDonalds, "ice cream" ou sorvetes, pizzas, lasanhas, batatas fritas, etc. Inverteu-se a dieta: em vez de 90 % de dieta com vegetais os nativos africanos passaram a ter uma dieta de SÓ DEZ por cento de vegetais. Resultados: Os nativos começaram a engordar, o colesterol começou a subir, passaram a ter prisão de ventre e a desenvolver hemorróidas como os ingleses e os americanos!
Parece incrível, mas é verdade! No fim do século XX são os povos primitivos a ensinar ao homem civilizado, ao homem dos produtos sintéticos e das pastilhas qual é a alimentação mais saudável!
Há mais de 40 anos visitei as Termas de Melgaço no Norte de Portugal. Estas termas são especialmente dedicadas a doentes diabéticos, cardíacos e renais. Observei então que fazia parte do tratamento obrigatório, a todas as refeições diárias, um grande prato de caldo verde. E todo o doente que quisesse comer fora das três refeições só podia comer mais outro prato de caldo verde! O certo é que todos os doentes melhoravam das suas enfermidades!
Ainda hoje em Coimbra quando os estudantes fazem uma farra ou há uma reunião de curso e se come e se bebe exageradamente... depois duma bela guitarrada, à meia noite, serve-se sempre um caldo verde -- bem quente -- para "limpar e acalmar as entranhas"... Quando tiver uma festa grande em sua casa faça o mesmo: ofereça aos seus convidados um caldo verde para despedida e para terem boa viajem!...
RECEITA DO CALDO VERDE À MODA DE VALENÇA DO MINHO
Dois litros de água; 4 colheres de sopa de azeite português; 750 gramas de batatas; 1 ou 2 couves galegas conforme o tamanho; sal; 1 chouriço (cozido à parte); broa.
TÉCNICA: Deita-se a água numa panela com o azeite e as batatas descascadas cortadas em 4 pedaços. Põe-se sal quanto baste e deixa-se ferver. Quando as batatas estiverem cozidas, tiram-se e passam-se por um passador. Voltam à panela para apurar. Entretanto cortam-se as couves em tiras o mais fino possível. Lavam-se e deitam-se na panela QUINZE minutos antes da sopa ser servida, deixando a panela fever DESTAPADA. Serve-se o caldo verde em tigelas de barro, com uma rodela de chouriço e um bocadinho de broa.
Como já se encontram à venda na Nova Inglaterra as deliciosas sardinhas portuguesas congeladas, pode ser que algum dia algum comerciante se lembre de fazer coisa semelhante e nos mande as couves galegas já cortadas às tirinhas em caixinhas congeladas, prontas a meter na panela, para saborearmos, mesmo durante o Inverno severo na América, o nosso genuíno caldo verde!
Caldo Verde
Sopas (...) - Caldos
Ingredientes:
2 l de água
450 gr de batata
500 gr de couve galega (cortada para caldo verde)
1 colher (de sopa) de sal grosso
2,5 dl de azeite.
Preparação:
Põem-se ao lume numa caçarola a água e o sal; Logo que comece a ferver, deitam-se as batatas descascadas e cortadas aos bocados. Estando cozidas esmagam-se voltando a colocá-las na água da cozedura, juntando as folhas de couve cortadas para caldo verde, depois de bem lavadas em duas ou três águas. Junte o azeite e deixe levantar fervura por dois ou três minutos com a caçarola destapada, para a couve ficar bem verde. Sirva em tigela juntando uma rodela de chouriço para dar gosto. Acompanhe com broa de milho ou pão de centeio.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Futebol nos Açores - Época 2011-2012:

Rabo de Peixe, 1 - Capelense, 3
Futebol Regional: ILHA DE SÃO MIGUEL
TAÇA DE HONRA DA A.F. PONTA DELGADA:
Capelense passa no limite
Vitória por 3-1 em Rabo de Peixe deu a segunda posição à formação de Capelas na série A da Taça de Honra. Miguel Ferreira ainda apanhou um susto com a derrota parcial ao intervalo.
O Capelense é o quarto e último apurado para as meias-finais da Taça de Honra da Associação de Futebol de Ponta Delgada mas a turma das Capelas teve de sofrer bastante para conseguir assegurar a derradeira vaga no comboio da qualificação.
Só a vitória interessava ao Capelense no confronto com o Rabo de Peixe, adversário a quem o empate era suficiente para segurar a segunda posição na série A. E o treinador dos forasteiros, Miguel Ferreira, até viu a vida andar para trás quando a meio da primeira parte os locais fizeram o 1-0.
O intervalo foi bom conselheiro para os visitantes que apresentaram outra atitude na segunda parte e com um bis de Tiago Oliveira e um golo de Mauro recuperaram da desvantagem e ultrapassaram o Rabo de Peixe na classificação, assegurando sobre a linha de meta o apuramento para as meias-finais.
No outro desafio da série A, o Santa Clara reforçou o primeiro lugar com vitória no terreno da União de Nordeste por 1-0, enquanto na série B, com os apurados conhecidos, faltava apenas saber quem passava em primeiro e segundo lugares. O Vale Formoso segurou a liderança com triunfo por 2-0 em São Roque, enquanto o Bota Fogo empatou (1-1) na recepção ao Mira Mar.
SÉRIE «A»:
Resultados da 6ª. jornada:
U. Nordeste, 0 - Santa Clara B, 1
Rabo de Peixe, 1 - Capelense, 3
CLASSIFICAÇÃO:
L   Equipa              J V E D  GM-S    P
1º. Santa Clara B     6 5 1  0   12 - 5   16
2º. Capelense SC    6 2 2  2   13 - 9     8
3º. Rabo de Peixe   6 1 3  2     9 - 9     6
4º. U. Nordeste       6 0 2  4     2 -11    2
SÉRIE «B»:
Resultados da 6ª. jornada:
Mira Mar SC, 1 - Bota Fogo, 1
São Roque, 0 -Vale Formoso, 2
CLASSIFICAÇÃO:
L   Equipas             J V E D  GM-S     P
1º. Vale Formoso    6 4 1  1    10 - 4    13
2º. Bota Fogo         6 3 2  1      9 - 7     11
3º. CD São Roque  6 2 0  4       6 - 8      6
4º. Mira Mar SC     6 1 1  4       7 -13     4
ILHA TERCEIRA: Torneio de Abertura da AFAH:
Barreiro venceu o torneio de abertura
O SC Barreiro ao vencer na Ribeirinha o Boavista por 2-1, conquistou o Torneio de Abertura da ilha Terceira. O Juventude Lajense tambem venceu fora na Vila Nova pelo mesmo resultado, mas ficou em segundo lugar a um ponto do vencedor. Fontinhas e Maritimos dividiram os pontos com um empate a duas bolas.
Resultados da 4ª. jornada:
Boavista CR, 1 – Barreiro, 2
GD Fontinhas, 2 – , Maritimos, 2
Vilanovense, 1 – JD Lajense, 2
CLASSIFICAÇÃO FINAL:
L   Equipas           J V E D   GM-S      P
1º. SC Barreiro ....  5 4 1  0    10 - 5    13
2º. Juv. Lajense .... 5 4 0  1      8 - 5    12
3º. Vilanovense .... 5 1 2  2      7 - 8      5
4º. Os Maritimos..  5 1 2  2       7 - 9     5
5º. GD Fontinhas.. 5 1 1  3      5 -  9     4
6º. Boavista CR ... 5 1 0  4      5 - 6      3
CAMPEONATO DA AFH - FAIAL/PICO:Salão, Flamengos e Vitória começam a vencer
Teve início o campeonato de futebol senior da A.F.Horta - Zona Faial/Pico, com a primeira jornada a conhecer três vencedores.
O Salão recebeu e goleou o CD Lajense por 4-0, enquanto que na Feteira a equipa local perdeu frente aos vizinhos do Flamengos. No Pico, o Vitória FC, vencedor do torneio de Abertura e candidato á conquista do campeonato, recebeu o Cedrense do Faial e venceu por 3-1.
GD Salão, Flamengos e Vitória do Pico entraram com o pé direito no campeonato 2011/2012.
Resultados da 1ª. jornada:
GD Salão, 4 - CD Lajense, 0
GD Feteira, 0 - Flamengos, 1
Vitória FC, 3 - CD Cedrense, 1
CLASSIFICAÇÃO:
L   Equipas           J V E D  GM-S   P
1º. GD Salão         1 1 0  0    4 - 0    3
2º. Vitória FC        1 1 0  0    3 - 1    3
3º. FC Flamengos  1 1 0  0    1 - 0    3
4º. GD Feteira       1 0 0  1    0 - 1    0
5º. GD Cedrense   1 0 0  1    1 - 3    0
6º. CD Lajense      1 0 0  1    0 - 4    0
Próxima jornada (2ª) 30-10-11:
CD Lajense - GD Feteira
GD Cedrense - GD Salão
Flamengos - Vitória FC
CAMPEONATO DA ILHA GRACIOSA:
Graciosa FC continua sem ganhar
Ainda não foi desta. O Graciosa FC voltou a escorregar esta tarde diante do rival SC Marítimo. As equipas não foram além de um empate a uma bola, no derby relativo à segunda ronda do campeonato. Os golos foram apontados na segunda parte por Flávio Picanço, para o Marítimo, e por Cláudio Serra, para o Graciosa, na transformação de uma grande penalidade.
Resultado da 2ª. jornada:
SC Marítimo, 1 - Graciosa FC, 1
Folgou: GD Luzense
CLASSIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS       J V E D   GM-S   P
1º GD Luzense    1 1 0  0    2 - 1    3
2º SC Marítimo    1 0 1  0    1 - 1    1
3º Graciosa FC    2 0 1  1    2 - 3    1
Próxima jornada (2ª) 30-10-11:
GD Luzense - SC Marítimo
Folga: Graciosa FC
TORNEIO DE ABERTURA DE SÃO JORGE:
Desportivo Velense e Marítimo líderam
Resultados da 1.ª Jornada:
FC Calheta, 1 - FC Urzelinense, 0
G.D. Velense, 1 - Marítimo Velense, 1
Resultados da 2.ª jornada:
Marítimo Velense, 3 - FC Calheta, 2
FC Urzelinense, 0 - G.D. Velense, 2
Resultados da 3.ª jornada:
G.D.Velense 2 - F.C.Calheta 0
Maritimo Velense 1 - FC Urzelinense 0
CLASSIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS         J V E D   GM-S    P
1º Desp. Velense   3 2 1  0    5 - 1     7
2º Maritimo Vel.     3 2 1  0    5 - 3     7
3º FC Calheta        3 1 0  2    3 - 5     3
4º Urzelinense       3 0 0  3    0 - 4     0

III Divisão - Série Açores: Lusitânia é o líder isolado

Sporting de Guadalupe, 0 - SC Lusitânia, 3
CAMPEONATO DA 3ª. DIVISÃO – SÉRIE AÇORES:
Lusitânia sai mais líder da Graciosa
Os leões de Angra do Heroísmo isolaram-se no primeiro lugar da série Açores de futebol após derrotarem o Sporting Guadalupe. Praiense goleou e agudizou a crise do Sporting Ideal. Santiago está na iminência de trocar de treinador.
O Lusitânia é o líder isolado do campeonato da III divisão, série Açores, disputada que está a quinta jornada. Os leões de Angra do Heroísmo foram à Graciosa dirimir argumentos com o Sporting Guadalupe, adversário com quem partilhavam a posição cimeira da tabela, e saíram da ilha branca isolados no primeiro lugar depois de uma vitória clara por 2-0.
A invencibilidade do Lusitânia associada à primeira derrota averbada pelo Sporting Guadalupe, permitiu ao Praiense ascender à segunda posição por troca com os gracioenses. A turma da Praia da Vitória recebeu e goleou o Sporting Ideal por 5-0, resultado que agudiza a crise de resultados do conjunto da Ribeira Grande que continua sem saber o que é vencer.
A jornada cinco também azedou o ambiente para os lados de Água de Pau pois o empate (0-0) consentido pelo Santiago frente ao Boavista provocou a indignação dos adeptos que insultaram o treinador, Luís Pires. Melhor estiveram o Prainha e o Fayal Sport que se estrearam a vencer com vitórias sobre o União Micaelense e o Águia por 3-2 e 2-0, respectivamente.
Resultados da 5ª. Jornada:
Santiago, 0 - Boavista SM, 0
Prainha, 3 - U. Micaelense, 2
Sp.Guadalupe, 0 - Lusitânia, 3
Praiense, 5 - Sporting Ideal, 0
Águia CD, 0 - Fayal Sport, 2
CLASSIFICAÇÃO:
L  Equipa              J V E D    GM-S     P
1º SC Lusitânia       5 4 1  0      9 - 2    13
2º Sport Praiense    5 4 0  1    15 - 2    12
3º Sp. Guadalupe    5 3 1  1     7 - 4     10
4º Prainha FC         5 1 4  0     8 - 7       7
5º Boavista S.M.     5 1 3  1     2 - 2       6
6º Santiago FC       5 1 2  2     4 - 5       5
7º Fayal Sport        5 1 2  2     4 - 8       5
8º Sporting  Ideal    5 0 4  1     4 - 9       4
9º Águia CD           5 0 2  3     2 -11      2
10º U. Micaelense  5 0 1  4     5 -11      1
6ª. jornada (30-10-2011):
Fayal Sport - Santiago FC
Sporting Ideal - Águia CD
SC Lusitânia - Sp. Praiense
U. Micaelense - Guadalupe
Boavista S.M. - Prainha FC

Campeonato da 2ª. Divisão - Zona Centro:

Operário, 1 - Oliveira do Bairro, 0
CAMPEONATO DA II DIVISÃO - ZONA CENTRO:
Operário vencem pela margem mínima e Angrense surpreende o líder.
Triunfo saboroso alcançou também o Angrense, fora de casa, o primeiro na condição de visitante, ao derrotar o até então líder da zona Centro da II divisão, Tondela, por 2-0. Os golos de Vitória e Vítor Miranda fizeram a diferença num encontro onde os encarnados da rua de São João mostraram muita personalidade.
O Operário também venceu, em casa, o Oliveira do Bairro, por 1-0, mas teve de suar mais e o golo que deu os três pontos só apareceu aos 73 minutos e de grande penalidade convertida por Cissé. Menos feliz foi o Madalena que averbou no Bessa derrota por 3-0 frente ao Boavista, resultado enganador pois os picarotos fizeram por merecer melhor.
Resultados da 6ª. jornada:
S. João Ver, 1 - Paredes, 0
Tondela, 0 - SC Angrense, 2
Aliados Lordelo, 1 - Anadia, 3
Gondomar, 0 - Padroense, 3
Coimbrões, 0 - Cinfães, 0
Sp. Espinho, 2 - Amarante, 0
Operário, 1 - Oliv. Bairro, 0
Boavista , 3 - FC Madalena, 0
CLASSIFICAÇÃO:
L  Equipas           J V E D   GM-S      P
1. Sp. Espinho      6  5 1  0    10- 2    16
2. S. João Ver       6  5 1  0    11- 6    16
3. Tondela            6  5 0  1     12- 6    15
4. Boavista           6  3 2  1      8 - 3    11
5. Anadia             6  3 1  2     11- 7    10
6. Operário          6  3 1  2      5 - 6    10
7. Angrense         6  2 2  2     11-10     8
8. Padroense       6  2 2  2     11-11     8
9. Cinfães            6  2 1  3     11-11     7
10. Coimbrões     6  1 4 1       5 - 7      7
11. Gondomar     6  2 1  3      5 - 9      7
12. A. Lordelo     6  1 3  2     10-10     6
13. Amarante      6  1 2  3      7 - 8      5
14. Madalena     6  1 1  4       8 -10     4
15. Ol. Bairro     6  0 1  5      4 -11      1
16. Paredes       6  0 1  5      3 -15      1
7ª. jornada - 23 Out. 2011
S. João Ver - Tondela
Angrense - Al. Lordelo
Anadia - Gondomar
Padroense - Coimbrões
Cinfães - Sp. Espinho
Amarante - Operário
Ol. Bairro - Madalena
Paredes - Boavista

Liga Orangina: Santa Clara vence a Oliveirense e sobe ao 4º lugar

LIGA ORANGINA 2011/2012:
Santa Clara, 2 - UD Oliveirense, 1
Insulares regressam aos triunfos
O Santa Clara regressou às vitórias na Liga Orangina, ao bater em casa a Oliveirense por 2-1, num jogo sofrido no Estádio de São Miguel, em Ponta Delgada.
O início do jogo foi equilibrado, mas ao minuto onze foi assinalada uma grande penalidade contra a Oliveirense, que ficou a jogar com menos um, após a expulsão de Bruno Vale por agressão a Ilic.
Na sequência da grande penalidade, Alex inaugurou o marcador com um remate forte de pé esquerdo e que deixou Bruno sem qualquer hipótese de defesa.
Aos 29 minutos, nova grande penalidade, desta feita contra o Santa Clara, com Ilic a receber ordem de expulsão por, dentro da área, ter "traçado" as pernas de Sassá, que seguia à sua frente.
A grande penalidade, marcada apenas dois minutos depois, foi convertida por Adriano, que enganou Stefanovic e restabeleceu a igualdade.
O golo do triunfo dos açorianos surgiu apenas aos 90 minutos, por Moreira, na sequência de um cruzamento de Alex da direita. Com esta vitória, o Santa Clara, que acabou com nove, passa a somar onze pontos, enquanto a Oliveirense se manteve com oito.
Ficha do jogo:
Jogo no Estádio de São Miguel, Ponta Delgada - Açores.
Árbitro: Carlos Xistra (Castelo Branco).
Santa Clara: Stefanovic, Piccolo (Dincic, 78), Sandro, Ilic, Paulo Grilo, Edgar, André Simões (Guilherme, 63), Pacheco, Platini, Alex e Sylvestre (Moreira, 64).
Oliveirense: Bruno Vale, Chico Silva, Diego, Banjai, Laranjeira, Rui Lima, Oliveira, Nuno Lopes, Sassá (Bargue, 81), Clemente (Bruno, 12) e Adriano (Guima, 71).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Piccolo (16), Platini (28 e 90+2), Sassá (68), Sandro (68), Nuno Lopes (75), Moreira (90+1), Pacheco (90+3). Cartão vermelho direto para Bruno Vale (11), Ilic (29). Cartão vermelho por acumulação para Platini (90+2).
Declarações:
Bruno Moura - Treinador do Santa Clara.
"Não foi um jogo de boa qualidade. Ainda assim, venceu a equipa que acreditou - e que acreditou sempre até ao fim".
Pedro Miguel - treinador da Oliveirense.
"O jogo estava equilibrado. Ninguém pensava ganhar, mas os jogos só terminam quando o árbitro apita para o final".

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Liga Europa: SC Braga deixa dois pontos na Eslovénia

NK Maribor Maribor, 1 - SC Braga, 1Sporting Braga
SC Braga empata e desce para terceiro
Sporting de Braga poderia ter feito mais, mas hoje não era dias de golos para a equipa de Leonardo Jardim.
O Sporting de Braga empatou esta quinta-feira no terreno dos eslovenos do Maribor, a um golo, em jogo da terceira jornada do Grupo H da Liga Europa.
Os bracarenses estiveram a perder, depois de um golo de Ibrahim, aos 14 minutos. Cruzamento da direita para a área dos minhotos, um defesa escorregou e falhou a interceção, com a bola a sobrar para o jogador do Maribor.
O golo do empate surgiu aos 44’, por Elderson, após um cruzamento de Hugo Viana.
Antes do golo do empate, o Lima teve duas boas ocasiões para marcar (22’ e 32’), mas o dia não era de golos para o brasileiro.
A fechar o jogo, o Sporting de Braga viu uma bola enviada à trave por Hugo Viana, que poderia dar a vitória.
No outro encontro do grupo, entre Brugge e Birmingham, um golo de Wood em tempo de descontos deu a vitória aos ingleses, que assim assumiram a liderança do grupo com seis pontos, os mesmos que os belgas.
Com estes resultados, o Sporting de Braga mantdesce para terceiro do Grupo H e fica com as contas mais complicadas para passar à próxima fase..
Classificação  - Grupo H:
L   Equipas           J    Pts.
1º. Birmingham .... 3        6
2º. Club Brugge ... 3        6
3º. SC Braga ....... 3        4
4º. Maribor .......... 3        1

Liga Europa - Grupo D: Sporting CP nos 16 avos-de-final


Sporting Clube de PortugalSporting CP -  Vaslui FC Vaslui
Leões tomam-lhe o gosto
Equipa de Domingos Paciência soma oitava vitória consecutiva. Triunfo sobre os romenos coloca os leões nos 16 avos de final da Liga Europa.
O Sporting venceu os romenos do Vaslui por 2-0, em jogo da terceira jornada da fase de grupos da Liga Europa. Evaldo e Matías Fernandez foram os autores dos golos leoninos na oitava vitória consecutiva da equipa de Domingos Paciência.
Sem grande surpresa, os leões dominaram a presa “romena” de princípio ao fim. A equipa do Vaslui foi a Alvalade determinada a adiar o golo leonino mesmo que isso implicasse recorrer à falta para travar o ímpeto ofensivo dos jogadores do Sporting.
Os romenos entraram no covil do leão muito cautelosos, sabendo das consequências caso dessem muito espaço aos jogadores mais criativos do Sporting. A muralha defensiva do Vaslui ia aguentando-se ao longo da primeira parte, muitas vezes recorrendo a faltas muito duras, e só caiu quando Wesley foi expulso aos 38’ minutos. O avançado brasileiro viu o cartão vermelho direto por agressão a João Pereira, depois de reclamar uma alegada falta cometida pelo lateral direito que o árbitro não marcou.
A jogar contra 10, o Sporting intensificou a pressão e foi com naturalidade que alcançou o golo. Numa jogada de insistência aos 43’ minutos, Matías assiste Evaldo para o primeiro golo. O lateral direito só teve de encostar a bola para a baliza após excelente trabalho do médio chileno.
O Sporting foi para intervalo a vencer por 1-0 depois de uma primeira parte onde os romenos contribuíram apenas para as estatísticas de faltas cometidas.
No segundo tempo, mais do mesmo. Um Sporting dominador e à procura de ampliar o resultado. Começou por Diego Capel, logo aos 48 minutos, a rematar cruzado para defesa do guarda-redes romeno. Seguiu-se Matías, aos 50 minutos, num livre a 25 metros da baliza. O resultado mantinha-se no 1-0 assim como o controlo das operações do Sporting. A equipa romena praticamente limitava-se a fechar os caminhos da sua baliza e não importunou uma única vez a baliza de Rui Patrício.
Aos 68’ minutos, Carrillo tentou a sua sorte a trinta metros da baliza, mas o remate saiu por cima da baliza. O segundo golo acabaria por surgir minutos depois, por intermédio de Matías Fernandez. Diego Capel, numa cavalgada no lado direito, assiste Carrilo, que tira um defesa romeno e assiste para o chileno, que perante o guarda-redes atira para o segundo dos leões.
Com o resultado em 2-0, perante uma equipa que praticamente não atacava, o Sporting só teve de gerir com tranquilidade a sua oitava vitória consecutiva. Schaars ainda rematou com estrondo ao poste, num remate de longe que levava o selo de golo, mas o resultado final ficou-se pelo 2-0.
Classificação - Grupo D:
L  Equipas       J         Pts
1º Sporting .....  3          9
2º Vaslui ........  3          2
3º Zürich ........  3          2
4º Lazio .........  3          2

Liga dos Campeões: FC Porto empata no Dragão


FC PortoFC Porto 1- APOEL 1APOEL FC
FC Porto não ata nem desata na 'Champions'
A equipa da cidade do Porto tem apenas quatro pontos nas três jornadas já disputadas da Liga dos Campeões, encontrando-se na terceira posição do grupo.
A equipa portista empatou, esta quarta-feira, a um golo com o APOEL no Estádio do Dragão, em jogo da terceira jornada do Grupo G da Liga dos Campeões. Hulk abriu o marcador aos 13 minutos mas Aílton fez o empate seis minutos depois.
O FC Porto entrou para este encontro com a derrota por 3-1 na Rússia, contra o Zenit de São Petersburgo no mês passado, na memória e com a necessidade de angariar mais três pontos para ficar mais folgado nas contas do Grupo G.
A verdade é que na primeira parte a formação orientada por Vítor Pereira demonstrou muitas debilidades, principalmente no setor defensivo e no meio-campo, com notas negativas para Otamendi, Rolando e Guarín.
Mesmo assim, os Dragões foram os primeiros a chegar ao golo no Estádio do Dragão, por intermédio de Hulk. Aos 13 minutos, o avançado brasileiro converteu com sucesso um livre direto, contando com a ajuda do guarda-redes cipriota, que não ficou muito bem na fotografia.
A alegria portista foi de pouca duração pois os cipriotas aproveitaram a tal debilidade portista para marcar. Fernando concedeu muito espaço ao APOEL e o brasileiro Aílton rematou rasteiro, fora da área, e a bola só parou ao tocar nas redes da baliza do capitão Helton.
Até ao intervalo, os cerca de 35 mil adeptos no estádio não viram mais golos mas fartaram-se de assobiar perante a falta de concentração dos jogadores azuis e brancos.
Na segunda parte, o FC Porto continuou o “ata e desata”, com a sucessiva perda de bolas e falta de atenção, que se viu na primeira parte, e nem as substituições (James por Varela e Fernando por Belluschi) deram sinais de melhoria no jogo dos azuis e brancos.
Nos últimos minutos de jogo, já em desespero, os jogadores do FC Porto "cheiraram" o segundo golo mas a defesa do APOEL estava em "estado de alerta". Valeu ainda uma grande defesa de Helton em cima do minuto 90, valendo a conquista de pelo menos um ponto.
Findadas três das seis jornadas da fase de grupos, o FC Porto soma quatro pontos e o adversário desta noite, o APOEL, tem cinco, continuando líder do Grupo G. O Shakhtar (dois pontos) e o Zenit (quatro) empataram, também esta noite, a dois golos, mantendo todos os mesmos lugares.
Na próxima jornada da Liga dos Campeões, a 1 de Novembro, os Dragões terão de enfrentar os cipriotas em Nicósia, sendo um dos jogos decisivos para a equipa de Vítor Pereira e companhia.
Classificação -  Grupo G: 
L   Equipas ...........  J   Pts
1º APOEL .............. 3     5
2º Zenit .................. 3     4
3º FC Porto ............ 3     4
4º Shakhtar Donetsk 3     2

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Publicidade em 1919: Campanha Antiálcool

FANTÁSTICO :
Em 1919, uma campanha a favor da proibição do álcool nos EUA mostrava a foto abaixo:
"LÁBIOS QUE TOCAM BEBIDA, NÃO TOCARÃO OS NOSSOS"
Olhando BEM para ELAS, responda com toda sinceridade:
VOCÊ ACHA QUE ALGUÉM PAROU DE BEBER?

Um pouco de Humor ... Rir faz bem!

Sexo em Portugal...

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Liga dos Campeões: Benfica vence na Suíça e é líder

SL BenficaBasileia, 0 - SL Benfica, 2FC Basel 1893
Benfica vence 'guerra de nervos' em Basileia
O Benfica venceu esta noite o Basileia, na Suíça, por 0-2, e deu um passo importante rumo aos oitavos de final da Champions. Bruno César e Cardozo deram a liderança do grupo C ao Benfica.
O Benfica deixa Basileia esta noite com uma posição privilegiada para alcançar os oitavos de final da Liga dos Campeões. A vitória por 0-2 frente aos helvéticos, fruto dos golos de Bruno César e Cardozo, dá a liderança do grupo C aos encarnados, que terão dois dos três jogos na Luz para resolver a qualificação.
Todavia, o embate com o Basileia esteve longe de ser fácil, como Jorge Jesus avisara na véspera. O treinador fez regressar as suas “estrelas”, mas surpreendeu com Rodrigo no onze.
A entrada na partida revelou-se difícil. Com grande intensidade inicial e empurrado pelos seus adeptos, o Basileia tentou empurrar o Benfica para a sua área e Shaqiri ameaçou com um livre logo aos 5’. Os encarnados tentavam segurar a posse de bola perante as transições rápidas dos campeões suíços, mas só com a inversão de papéis é que se chegou ao golo.
Bruno César, que já decidira o jogo na Roménia, assinou o 0-1 aos 20’, após uma boa jogada coletiva, numa fase em que a equipa de Jorge Jesus pouco tinha feito para marcar.
O Basileia tentou responder, mas sem sucesso até ao intervalo, graças também à atenção de Artur. No entanto, a atuação encarnada não satisfazia completamente Jorge Jesus, que não se cansou de dar indicações para o relvado.
No segundo tempo, o Benfica reapareceu mais sereno e seguro. A controlar melhor os espaços, os encarnados deixaram de correr tantos riscos, embora Artur ainda tenha sido preponderante uma vez mais. Por outro lado, o ataque mostrava pouca contundência para sentenciar o jogo. Ato contínuo, Jorge Jesus lançou Nolito e logo a seguir Cardozo.
Igual a si próprio, o paraguaio precisou de apenas cinco minutos para gritar golo. Na conversão de um livre direto, Cardozo atirou forte, rasteiro e colocado para o 0-2, aos 75', que resolveu as dúvidas sobre o resultado.
No entanto, o Benfica acabaria por perder Maxi Pereira por lesão e Emerson e Jorge Jesus, ambos por expulsão, num desafio que terminou com muitos nervos e protestos dos 35831 adeptos que encheram o St. Jakob-Park.
O Benfica lidera agora o grupo C com 7 pontos, mais dois do que o Manchester United e mais três do que o Basileia. O Otelul Galati é último classificado, sem qualquer ponto.
Classificação - Grupo C:
L  Equipas           J    Pts.
1º SL Benfica .....  3      7
2º Man. United ...  3      5
3º Basileia .........  3      4
4º Otelul Galati ...  3      0

Futebol nos Açores - Época 2011/2012

Santa Clara B, 2 - CD Rabo de Peixe, 1
Futebol Regional - ILHA DE SÃO MIGUEL:
TAÇA DE HONRA DA A.F. PONTA DELGADA:
Só resta uma vaga
Série B da Taça de Honra está fechada com apuramentos do Vale Formoso e Bota Fogo. São Roque, detentor do troféu, ficou pelo caminho. Na série A, Capelense e Rabo de Peixe vão discutir o lugar em aberto.
Quando ainda falta disputar uma jornada da fase regular da Taça de Honra só resta uma vaga em aberto no lote das equipas que vão disputar as meias-finais da prova. A ronda selou as contas na série B e confirmou o prematuro afastamento do detentor do troféu, o Desportivo de São Roque.
Os amarelos tinham na deslocação à Ponta Garça um teste onde não podiam chumbar mas a derrota por 2-1 no terreno do Bota Fogo deitou por terra as esperanças que o colectivo de Emanuel Ferreira ainda alimentava. Ao invés, o Bota Fogo confirmou a boa prova que está a realizar e alcançou a qualificação para as meias-finais.
Apurado também está o Vale Formoso que recebeu e derrotou o Mira Mar por 1-0. Os axadrezados sentiram mais dificuldades do que em relação à partida da primeira volta, mas não deixaram escapar os três pontos que os colocam na fase seguinte da competição. A última jornada vai definir quem passa em primeiro e segundo lugares.
Na condição de primeiro classificado passa o Santa Clara que na tarde deste domingo recebeu e derrotou o Desportivo de Rabo de Peixe por 2-1. Dois golos de Ivo deram novo triunfo aos encarnados, a única formação que ainda não conheceu o sabor da derrota. Resta, portanto, uma vaga para preencher e está reservada para o segundo colocado da série A. Na quarta-feira o Capelense empatou com a União de Nordeste a uma bola, mas tudo vai decidir-se na derradeira jornada.
SÉRIE «A»:
Resultados da 5ª. jornada:
Santa Clara B, 2 - Rabo Peixe, 1
Capelense, 1 - U. Nordeste, 1
CLASSIFICAÇÃO:
L   Equipa              J V  E D  GM-S     P

1º. Santa Clara B    5  4  1 0    11 - 5    13
2º. Rabo de Peixe   5  1  3 1      8 - 6     6
3º. Capelense SC   5  1  2 2     10 - 7     5
4º. U. Nordeste      5  0  2 3      2 -12     2
6ª. jornada (23-10-2011):
U. Nordeste - Santa Clara B
Rabo de Peixe - Capelense
SÉRIE «B»:
Resultados da 5ª. jornada:
Bota Fogo, 2 - São Roque, 1
Vale Formoso, 1 - Mira Mar, 0
CLASSIFICAÇÃO:
L   Equipas            J V E D  GM-S      P
1º. Vale Formoso    5  3 1 1    8 - 4     10
2º. Bota Fogo         5  3 1 1     8 - 6    10
3º. CD São Roque  5  2 0 3     6 - 6      6
4º. Mira Mar SC     5  1 0 4      6 -12     3
6ª. Jornada (23-10-2011):
Mira Mar SC - Bota Fogo
São Roque -Vale Formoso
ILHA TERCEIRA:
Torneio de Abertura da AFAH:
Barreiro comandaTorneio de Abertura
O SC Barreiro ao vencer o Fontinhas por 2-1 no Porto Judeu comanda isolado o Torneio de Abertura da AFAH, somando 10 pontos. No segundo lugar segue o Juventude Lajense com menos um ponto (9) que bateu em casa o Boavista CR por uma bola a zero. Os Maritimos e o Vilanovense ficaram-se pelo empate a duas bolas, e seguem no 3º e 4º lugares respectivamente.
Resultados da 4ª. jornada:
Barreiro, 2 – GD Fontinhas, 1
Marítimos, 2 – Vilanovense, 2
JD Lajense, 1 – Boavista CR, 0
CLASSIFICAÇÃO:
L   Equipas           J V E D   GM-S     P
1º. SC Barreiro .... 4  3 1 0     8 - 4     10
2º. Juv. Lajense ... 4  3 0 1     6 - 4       9
3º. Vilanovense .... 4  1 2 1     6 - 6       5
4º. Os Maritimos.. 4  1 1 2      5 - 7      4
5º. Boavista CR ... 4  1 0 3     4 - 4       3
6º. GD Fontinhas.. 4  1 0 3      3 - 7      3
Próxima Jornada (5.ª)23/10/11):
Boavista CR - SC Barreiro
GD Fontinhas - Maritimos
Vilanovense - JD Lajense
ILHAS DO FAIAL/PICO:
Torneio de Abertura da A.F. HORTA:
Vitória do Pico ganha o torneio de abertura
O Vitória Futebol Clube conquistou o primeiro troféu da época na tarde domingo, ao vencer na freguesia do Salão a equipa local por 2-1.
Jogou-se no passado fim-de-semana a última e decisiva jornada do Torneio de Abertura da Associação de Futebol da Horta, em seniores masculinos. As atenções estavam colocadas na Restinga, onde o Salão recebia o Vitória do Pico, num encontro cujo resultado ditaria o vencedor do primeiro troféu da temporada. Com apenas um ponto a menos que os picoenses, os salonenses sabiam que a vitória lhes garantiria o troféu e entraram bem no jogo. Ao intervalo, a equipa da casa ganhava por 1-0. No entanto, no regresso dos balneários, o Vitória virou o jogo e acabou por marcar por duas vezes, sagrando-se vencedor do torneio, com 12 pontos.
O Desportivo do Salão acabou por classificar-se em segundo lugar, com 8 pontos, apesar da derrota, já que nas Canadinhas o favorito Cedrense foi surpreendido pelo Feteira. Os jogadores da casa venceram a partida por 4-0, e negaram à turma dos Cedros o ponto que lhes daria vantagem sobre o Salão. Com 7 pontos, o Cedrense classifica-se em terceiro lugar.
No outro jogo da jornada, Flamengos e Lajense empataram no Pico sem golos. A equipa das Lajes garantiu o quarto lugar, com 6 pontos, enquanto Flamengos e Feteira, com 4 pontos, se classificaram nos últimos lugares.
No balanço deste torneio de abertura, nota positiva para a turma da Restinga, que confirma a boa forma no regresso ao escalão sénior, depois de seis anos de ausência. Já para o Futebol Clube dos Flamengos, o arranque da temporada não podia ter sido menos auspicioso. Recorde-se que na época passada os jogadores do Vale foram vice-campeões faialenses, e sagraram-se vencedores da Taça da AFH.
Campeonato de ilha arranca domingo
Na tarde do próximo domingo arranca o Campeonato da AFH. O Desportivo do Salão recebe o Desportivo Lajense na Restinga, e o FC Flamengos vai às Canadinhas defrontar o GD Feteira. O Vitória FC  recebe o GD Cedrense no Pico.
Resultados da 5ª. jornada:
GD Salão, 1 - Vitória FC, 2
CD Lajense, 0 - Flamengos, 0
GD Feteira, 4 - Cedrense, 0
CLASSIFICAÇÃO FINAL:
L   Equipas           J  V E D  GM-S     P
1º. Vitória FC        5  4  0 1    10 - 3   12
2º. GD Salão         5  2  2 1    11 - 7     8
3º. GD Cedrense   5  2  1 2     7 -10     7
4º. CD Lajense      5  1  3 1     3 - 4      6
5º. FC Flamengos  5  1  1 3     4 - 7      4
6º. GD Feteira       5  1  1 3     5 - 9      4
CAMPEONATO DA ILHA GRACIOSA:
Luzense vence Graciosa no início do campeonato
O Grupo Desportivo Luzense conseguiu os primeiros 3 pontos em disputa no Campeonato Ilha Graciosa 2011/2012.
Com a Série Açores em stand-by devido à realização da 3ª eliminatória da Taça de Portugal, que dá mais uma semana ao Guadalupe para preparar a recepção ao Lusitânia, o destaque desta semana vai para o arranque do campeonato local.
O Graciosa FC recebeu o GD Luzense e perdeu por duas bolas a uma. A equipa da casa ainda marcou primeiro por Márcio Teves, mas Filipe Picanço e Célio, este último de grande penalidade, operaram a vitória do Luzense.
O Marítimo folgou nesta ronda inaugural da prova que é disputada a seis voltas. O campeonato termina no dia 1 de Abril de 2012 com paragens em novembro e Janeiro para a Taça Ilha Graciosa.
Resultado da 1ª jornada:
Graciosa FC, 1 - GD Luzense, 2
Folgou: SC Maritimo.
CLASSIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS      J  V E D   GM-S     P
1º GD Luzense   1  1 0  0     2 - 1     3
2º Graciosa FC   1  0 0  1     1 - 2     0
3º SC Marítimo   0  0 0  0     0 - 0     0
TORNEIO DE ABERTURA DE SÃO JORGE:
GD Velense e Marítimo lideram
Resultados da 2.ª jornada:
F.C.Urzelinense 0 - G.D.Velense 2
Maritimo Velense 3 - F.C.Calheta 2
CLASSIFICAÇÃO:
L  EQUIPAS           J  V  E  D   GM- S    P
1º G.D. Velense      2  1  1   0      3 - 1     4
2º Marítimo Vel.      2  2  1   0      4 - 3     4
3º F.C. Calheta       2  1  0   1      3 - 3     3
4º FC Urzelinense   2  0  0   2      0 - 3     0