sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Futebol nos Açores - Competições Regionais

TAÇA DE HONRA DA A.F. PONTA DELGADA:
Ninguém fez o pleno
À da Taça de Honra já não há equipas só com vitórias. Os vencedores na ronda inaugural não conseguiram segunda jornada repetir o sucesso neste fim-de-semana.
Já não há equipas cem por cento vitoriosas nos dois grupos da Taça de Honra da Associação de Futebol de Ponta Delgada. Os desafios da segunda jornada reforçaram a tendência para o equilíbrio pois os líderes das série A e B cederam pontos nesta ronda.
O Santa Clara tinha surpreendido ao derrotar o Capelense mas na primeira deslocação não conseguiu melhor que um empate a dois golos no terreno do Desportivo de Rabo de Peixe e novamente com um bis de Basílio, avançado que já leva quatro golos na competição.
Apesar do empate os encarnados permanecem na liderança, agora seguidos de perto pelo Capelense que foi a Nordeste golear a União local por 5-1. Xexé também bisou, Quental, Mauro e o regressado ao futebol Ruben Leite deram corpo à goleada fora de portas.
Na série B a jornada dois foi nefasta para o Desportivo de São Roque que três dias depois de saborear a Supertaça Norberto Pacheco consentiu o primeiro desaire na época, em casa, perante um teoricamente acessível Bota Fogo. A derrota por 0-2 faz baixar os amarelos para a segunda posição em igualdade pontual com o colectivo da Ponta Garça.
Quem tirou partido deste resultado foi o Vale Formoso que foi ao municipal da Povoação derrotar o vizinho e rival Mira Mar por 4-2 no derby do concelho. Moskito marcou dois, Zidane a Mafu assinaram os restantes golos num triunfo claro que associado ao empate na primeira jornada coloca os axadrezados no topo da tabela classificativa.
SÉRIE «A»:
Resultados da 1ª. jornada:
Rabo de Peixe, 0 - U. Nordeste, 0
Santa Clara B, 2 - Capelense, 1
Resultados da 2ª jornada:
Rabo Peixe, 2 - Santa Clara B, 2
União Nordeste, 1 - Capelense, 5
CLASSIFICAÇÃO:
P    Equipa             J  V E D   GM-S    P
1º. Santa Clara B    2  1  1  0      4 - 3    4
2º. Capelense SC    2  1 0  1      6 - 3     3
3º. Rabo de Peixe   2  0  2  0      2 - 2    2
4º. U. Nordeste      2   0  1  1      1 - 5    1
3ª. Jornada (02-10-2011):
Santa Clara - U. Nordeste
Capelense - Rabo de Peixe
SÉRIE «B»:
Resultados da 1ª. jornada:
Bota Fogo, 1 - Vale Formoso, 1
CD São Roque, 3 - Mira Mar, 0
Resultados da 2ª jornada:
Mira Mar, 2 - Vale Formoso, 4
São Roque, 0 - Bota Fogo, 2
CLASSIFICAÇÃO:
P   Equipas             J  V  E D   GM-S    P
1º. Vale Formoso     2  1  1  0      5 - 3     4
2º. Bota Fogo          2  1  1  0      3 - 1     4
3º. CD São Roque   2  1  0  1      3 - 2     3
4º. Mira Mar SC      2  0  0  2      2 - 7     0
3ª. Jornada (02-10-2011):
Bota Fogo - Mira Mar SC
Vale Formoso - São Roque
TORNEIO DE ABERTURA DA AFAH:
Barreiro, Lajense e Vilanovense entram a vencer
Resultados da 1ª. jornada:
Marítimos 0 - SC Barreiro 1
JD Lajense 1 - Fontinhas 0
Vilanovense 1 - Boavista 0
CLASSIFICAÇÃO:
P   Equipas               J   V  E  D  GM-S   P
1º. SC Barreiro ....    1   1   0   0     1 - 0    3
2º. Juv. Lajense ....    1  1   0   0     1 - 0    3
3º. Vilanovense ....    1   1   0   0      1 - 0   3
4º. GD Fontinhas..    1   0   0   1      0 - 1   0
5º. Boavista CR ...    1   0   0   1      0 - 1   0
6º. Os Maritimos..    1   0   0   1       0 - 1   0
TORNEIO DE ABERTURA DA A.F. HORTA:
Salão, Cedrense e Lajense na liderança
Jogou-se no passado fim-de-semana a segunda jornada do Torneio de Abertura da Associação de Futebol da Horta. O destaque foi para a vitória folgada do Grupo Desportivo do Salão sobre o Feteira, por 3-0.
No Pico o Desportivo Lajense recebeu e venceu o Vitória Futebol Clube por 1-0, e no Faial o FC Flamengos foi surpreendido em casa pelo GD Cedrense, que venceu no Vale com um golo sem resposta.
Neste momento o Cedrense partilha a liderança da tabela com o Lajense e com o GD Salão, cujo regresso ao escalão de seniores, após 6 anos de ausência, não podia estar a correr melhor.
Seguem-se o Vitória do Pico, com 3 pontos, e o Desportivo da Feteira, com 1. No fundo da tabela, contrariando as expectativas, está o FC Flamengos, com um arranque de época nada auspicioso.
No próximo domingo, os jogadores do Vale vão tentar somar os primeiros pontos na competição, numa deslocação às Canadinhas, onde defrontam os residentes do Feteira. Nos outros jogos da terceira jornada, o Cedrense recebe o Vitória do Pico, e os líderes Salão e Lajense defrontam-se nas Lajes do Pico.
Resultados da 1ª. jornada:
GD Feteira, 0 - CD Lajense, 0
Vitória FC, 3 - FC Flamengos, 0
GD Cedrense, 3 - GD Salão, 3
Resultados da 2ª. jornada:
Flamengos, 0 - Cedrense, 1
CD Lajense, 1 - Vitoria FC, 0
GD Salão, 3 - GD Feteira, 0
CLASSIFICAÇÃO:
P   Equipas           J  V E D   GM-S   P
1º. GD Salão         2  1  1  0     6 - 3    4
2º. GD Cedrense   2  1  1  0     4 - 3    4
3º. CD Lajense      2  1  1  0    1 - 0     4
4º. Vitória FC        2  1  0  1    3 - 1     3
5º. GD Feteira       2  0  1  1    0 - 3     1
6º. FC Flamengos  2  0  0  2    0 - 4     0
3ª. Jornada (02-10-2011):
GD Cedrense - Vitória FC
CD Lajense - GD Salão
GD Feteira - Flamengos

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

III Divisão - Série Açores: Lusitânia e Guadalupe comandam

Lusitânia, 2 - União Micaelense, 0
CAMPEONATO DA 3ª. DIVISÃO – SÉRIE AÇORES:
Lusitânia e Sporting Guadalupe continuam líderes na série Açores
Quanto ao campeonato da III divisão, série Açores, os leões continuam a mandar.
O Lusitânia segurou a liderança ao bater, em casa, o União Micaelense por 2-0 e o Sporting Guadalupe permanece de braço dado com os terceirenses após aplicar o mesmo resultado ao Águia Desportivo, nos Arrifes.
No jogo de maior cartaz, o Sport Praiense recebeu e superou o Santiago de Água de Pau por 2-1, refazendo-se do desaire na ronda inaugural.
Os outros dois encontros terminados empatados: 1-1 no Fayal Sport-Prainha e 0-0 no Sporting Ideal-Boavista São Mateus.
Resultados da 1ª. Jornada:
Lusitânia 2 - U. Micaelense 0
Sp. Ideal 0 - Boavista S.M. 0
Fayal Sport 1- Prainha FC 1
Águia CD 0 - Sp. Guadalupe 2
SC Praiense 2 -Santiago FC 1
CLASSIFICAÇÃO:
Pos. Equipa         J V E D GM-S P
1º Lusitânia           2 2  0 0   4 - 1   6
2º Guadalupe        2 2  0 0   3 - 0   6
3º Praiense           2 1  0 1   2 - 2   3
4º Fayal Sport      2 0  2 0   2 - 2   2
5º Boavista S.M.  2 0  2 0   1 - 1   2
6º Prainha FC      2  0  2 0  2 - 2   2
7º Sp. Ideal          2 0  2 0   1 - 1   2
8º U. Micaelense  2 0  1 1   1 - 3   1
9º Águia CD        2 0  1 1   1 - 3   1
10º Santiago FC  2 0  0 2   2 - 4   0
3ª. jornada (2011-10-02):
Prainha FC - Sp. Ideal
Guadalupe - Fayal Sport
SC Praiense - Águia CD
Boavista S.M. - SC Lusitânia
Santiago FC - U. Micaelense

II Divisao - Zona Centro: Operario vence em Paredes

CAMPEONATO DA II DIVISÃO - ZONA CENTRO:
Operário deu a volta ao resultado em três minutos à custa dos suplentes
Quem saboreou a vitória, mas no campeonato da II divisão, foi o Operário da Lagoa.
Os fabris somaram o primeiro triunfo ao derrotarem o Paredes por 2-1 com golos de Nuno Oliveira e Amaral aos 82 e 85 minutos, respectivamente. Os suplentes saíram do banco para operar a reviravolta no marcador.
Derrotados foram o Angrense e o FC Madalena. Os encarnados de Angra do Heroísmo averbaram mais um desaire fora de casa, este no terreno do Anadia, enquanto os picarotos baquearam no seu reduto frente ao Sp. Espinho com um golo apontado de grande penalidade a três minutos do final.
Resultados da 3ª. jornada:
Anadia 2 - SC Angrense 0
Padroense 1- S. João Ver 2
Cinfães 1 - Tondela 2
Amarante FC 2 - A. Lordelo 2
Oliv. Bairro 0 - Gondomar 2
Boavista 0 - Coimbrões 0
Paredes 1 - Operário 2
FC Madalena 0 - Sp. Espinho 1 
CLASSIFICAÇÃO:
Pos. Equipa      J V E D GM-S    P
1. S. João Ver    3 3 0 0    6 - 3     9
2. Tondela          3 3 0 0    5 - 2     9
3. Anadia           3 2 1 0    7 - 2     7
4. Sp. Espinho    3 2 1 0    3 - 1    7
5. Gondomar      2 2 0 0    4 - 1    6
6. Operário        3 1  1 1    2 - 2    6
7. Cinfães          3 1 0 2     7 - 7    3
8. A. Lordelo      3 0 3 0    4 - 4    3
9. Boavista        2  0 2 0    1 - 1    2
10. Coimbrões   2  0 2 0    1 - 1    2
11. Padroense   3  0 2 1    4 - 5    2
12. Amarante    3  0 1 2    2 - 4    1
13. Ol. Bairro    3  0 1 2    2 - 5    1
14. Angrense    3  0 1 2    3 - 7    1
15. Paredes      3  0 1 2    2 - 6    1
16. Madalena    2  0 0 2    1 - 3    0
4ª. jornada (2011-02-10)
Angrense - Paredes
S. João Ver - Anadia
Tondela - Padroense
Aliados Lordelo - Cinfães
Gondomar - Amarante FC
Coimbrões - Oliv. Bairro

Sp. Espinho - Boavista
Operário - FC Madalena

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Liga Orangina: Santa Clara obteve primeira vitória em casa


LIGA ORANGINA 2011/2012:
Santa Clara, 2 -Portimonense, 1
Primeiro triunfo caseiro dos açorianos
O Santa Clara obteve este domingo a primeira vitória em casa, ao derrotar o Portimonense, por 2-1, num jogo da quinta jornada da Liga Orangina, em que a equipa local esteve melhor nos primeiros 45 minutos.
O Santa Clara entrou em campo com uma postura mais agressiva do que o adversário, último classificado, e logo no primeiro minuto fez a primeira ameaça com Sylvestre a isolar-se na área pela direita e a "oferecer" a Lourenço, cujo remate foi desviado para canto.
Sete minutos depois, o mesmo Sylvestre, servido por André Simões, desviou de calcanhar, mas a bola saiu ao lado do poste esquerdo do guardião forasteiro.
Aos 28 minutos, surgiu finalmente o golo do Santa Clara, através de Sylvestre que, depois de alguma confusão, com o despique entre Alex e os centrais do Portimonense, ganhou a bola na direita e atirou para o fundo da baliza adversária.
Aos 42 minutos, Ben Traoré, pela esquerda, tentou restabelecer a igualdade, mas o remate fortíssimo fez a bola sair ao lado.
A um minuto do final da primeira parte, o Santa Clara aumentou a vantagem, por Pipo, a dar o melhor seguimento a um passe de Paulo Grilo.
Passavam poucos minutos da segunda parte, quando um livre mal ensaiado do Santa Clara junto à área do Portimonense resultou numa transição rápida que só não deu golo porque André Simões, já na área "encarnada", chegou à bola antes de Ben Traoré.
Depois de mais uma insistência, com Rafa a rematar fraco para as mãos do guardião do Santa Clara, o Portimonense chegou ao golo aos 56 minutos, através de Ben Traoré, o homem mais forte do conjunto algarvio, que atirou forte e rasteiro não dando qualquer hipótese de defesa a Stefanovic.
Numa altura em que o Santa Clara demonstrava dificuldade de se aproximar da baliza do adversário, valeu uma excelente defesa de Stefanovic, aos 78 minutos, a negar a Simi o golo do empate e a garantir o triunfo aos açorianos.
Jogo no Estádio de São Miguel
Árbitro: Bruno Esteves (Setúbal)
Santa Clara: Stefanovic, Guilherme, Márcio Piccolo, Edgar, Ilic, André Simões (Minhoca, 74’), Alex (Fernando Vieira, 45+1’), Lourenço, Paulo Grilo, Sylvestre e Pipo (Platini, 60’)
Portimonense: Jules Goda, Ricardo Pessoa, Ruben Fernandes, Ricardo Nunes, Semedo (Wakaso, 45’), Fabrício (Vinicius Paqueta, 83’), Jonas, Eliézio, Tristan (Simi, 45’), Ben Traoré e Rafa
Marcadores: 1-0, Sylvestre, 28’; 2-0, Pipo, 44’; 2-1, Ben Traoré, 56’
Ação disciplinar: Cartão amarelo para André Simões (50’), Fabrício (59’), Rafa (64’), Wakaso (72’), Edgar (74’), Eliézio (79’) e Ricardo Pessoa (87’)
Assistência: Cerca de 200 espectadores

Angariação de fundos para o Luso-Canadian Charity

PORTUGUESE CULTURAL CENTRE OF MISSISSAUGA
Arraial à portuguesa na festa de angariação de fundos a favor da Luso-Canadian Charity do Ontário
-- Por: João G. Silva.
Numa organização da direcção do Centro Cultural Português de Mississauga (CCPM) realizou-se no  sábado dia 24, no salão de festas do St. John's Hall na cidade de Mississauga, uma noite de Arraial à Portuguesa que serviu de angariação de fundos monetários a reverter a favor do Luso-Canadian Charity.
Esta insttituição possui já dois  centros de apoio a deficientes luso-canadianos, em Toronto e em Hamilton, os quais têm como directores, Jack Prazeres e o Joe Botelho, respectivamente.
Os fundos angariados destinam-se a apoiar a Luso Canadian Charity, no desenvolvimento de futuros projectos  e de outros em curso. Dadas as características, são necessários milhares de dólares para o seu desenvolvimento e implatação, por forma a apoiar mais e melhor os deficientes da nossa comunidade.
O presidente do CCPM, Gilberto Moniz, e a sua direcção, deram as mãos e organizaram esta iniciativa  que juntou mais de quatro centenas de pessoas.  Mas, muitas mais poderiam ter comparecido para contribuir para esta nobre e justa causa.Após o jantar, a noite foi de entertenimento para todos os gostos, incluindo os Ranchos Folclóricos, artistas comunitários até às cantigas ao desafio à moda do Minho ao som da concertina, como é tradição no norte de Portugal.
A música popular portuguesa foi a primeira  a ouvir-se nesta noite, com a presença do Duo Rotação vindo de New Jersey. Pacheco e Miguel intregam o Duo Rotação há 22 anos e a sua música é contagiante de caractrísticas bem populares.

No seu último CD, que tem como título, ''Portugal a Jogar'', incluiram o Hino Nacional Portugûes.Chantel Carneiro, Brian Vasconcelos e Tania Barbosa, representaram os jovens artistas luso-canadianos.
Os Ranchos Folclóricos do Portuguese Cultural Centre de Mississauga e da Associação Cultural do Minho de Toronto também contribuiram com as suas danças, que foram muito aplaudidas.
Esta noite de Arraial à Portuguesa contou também com um grupo de três artistas vindos de Portugal continental, mais concretamente da região do Minho, com as famosas cantigas ao desafio: Valter São Martinho, na concertina, e o cantadores Carminda e Sergaceira. Os três fizeram numa desgarrada minhota, na primeira e segunda parte do espectáculo.
O apresentador de serviço foi, Paulo Pereira, membro da RF da Associação Cultural Minho de Toronto, que colaborou na organização deste evento
Esta  foi uma noite bem divertida, e para isto contribuiram os artistas, que foram muito apreciados pelas gentes com origem no norte de Portugal e que marcaram presença em Mississauga.
No final, o presidente do CCPM, subiu ao palco na companhia de Jack Prazeres e  de Joe Botelho para agradecer aos presentes o contributo dado. Gilberto Moniz prometeu que para o próximo ano de 2012, este festa voltará a ser realizada no CCPM, no final de Setembro, com um novo elenco artistico diferente e com o objectivo de sala cheia.

Banda do Sagrado Coração de Jesus de Toronto - Canadá

BANDA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS DE TORONTO
Marcelo Neves brilha na festa de Angariação de fundos para a escola de música da banda filarmónica de Toronto
- Por: João G. Silva.
A Banda Filarmónica do Sagrado Coração de Jesus da paróquia de Santa Helena de Toronto organizou no último sábado (dia 24) no salão da St. Mary's Ukrainian Catholic Church Hall em Mississauga, um jantar-onvívio cujos fundos angariados naquela noite reverterão a favor da Escola de Música da banda luso-canadiana.
Entrou o Outono, e como é óbvio nestes serões nocturnos de fim-de-semana em várias cidades no Ontário, muitas organizações, clubes e associações, estão de portas abertas para receberem os seus eventos e festas dos luso-canadianas. Em troca, os participantes aproveitam para passar uma noite divertida e ao mesmo tempo que contribuem com a ajuda monetária para manter vivas estas nossas instituições - um sinal de que sabemos partilhar e ajudar  uma causa justa.
Foi esta a  Foi intenção dos membros da direcção da Banda do Coração de Jesus, ao realizar este jantar de angariação de fundos no intuito de apoiar os mais jovens a manter uma escola de música na qual possam aprender a tocar vários instrumentos - uma escola está aberta gratuitamente a todas as crianças que tiveram interressadas a aprender o dom das sete-notas.
A noite começou com um jantar confecionado pela firma do ''Catita's Catering'' de Brampton, findo o qual, a presidente da banda, Helena Cardoso, chamou ao palco vários elementos que fazem parte da direcção da filarmónica. Agradeceu a todos os presentes a sua comparência, opois desta forma  contribuiram para ajudar a escola de musica. Os jovens poderão beneficiar com a respectiva aprendizassem a tocar musica. Foram muitos os patricionadores, os quais,  como lembrou  Helena  Cardoso, garantem verbas para que a instituição funcione.
A presidente da Casa dos Açores do Ontário, Lucília Simas, e o deputado federal Andrew Cash, também fizeram uma alocução, na qual manifestaram apoio e elogiaram o projecto desenvolvido pela  banda.
Em seguida, Helena Cardoso, apresentou o cantor brasileiro, Marcelo Neves, muito querido da comunidade luso-canadiana, que rubricou um excelente espectáculo de música para dançar, o qual terminou com a ovação dos seus admiradores.
A direcção da Banda do Sagrado Coração de Jesus é constituida por:
Presidente: Helena Cardoso.
Vice-presidente: José Aguiar
Tesoureira e relações públicas: Susie Costa
Secretário executiva: Nellie Correia
Directores: Celina Bettencourt, Joanathon Flor, António Ramalho e Carla Oliveira.
Maestro: João Soares. 
Contra Mestre: Alberto Moniz

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Sorteio da Taça da Liga: Santa Clara recebe U. Leiria

SORTEIO DA 2ª FASE DA TAÇA DA LIGA
União Leiria no caminho no caminho do Santa Clara
Sorteio da segunda fase da Taça da Liga colocou a União de Leiria no caminho do Santa Clara. Presidente espera ambição no seio do plantel para chegar pela primeira vez à terceira fase da competição.
O Santa Clara vai defrontar a União de Leiria na segunda fase da Taça da Liga, uma eliminatória a duas mãos que apura os vencedores para o terceiro momento da competição onde já entram os grandes do futebol português. O sorteio realizado ao final da manhã desta quarta-feira, dia 21, não foi de todo negativo tendo em conta as pretensões dos encarnados de Ponta Delgada.
As duas partidas da eliminatória estão agendadas para 26 de Outubro e 9 de Novembro mas tratando-se de jogos à quarta-feira é de comum interesse alterar as datas para fins-de-semana de vazio competitivo, ou seja, naqueles em que jogue a selecção de Portugal. Por isso, as datas previamente estabelecidas não serão as efectivas para a realização dos encontros. Certo é que o Santa Clara joga a primeira mão em casa.
Numa reacção ao sorteio, o presidente do Santa Clara, Mário Batista, vincou a intenção de superar a eliminatória e chegar à fase que atribuiu prémios monetários mais significativos. «Espero que os nossos atletas encarem os dois jogos com muita ambição e consigamos chegar pela primeira vez à terceira fase da Taça da Liga», disse.
Calendário dos restantes jogos:
Penafiel - Académica
Naval - V. Setúbal
Santa Clara - UD Leiria
Belenenses - Gil Vicente
Moreirense - Beira Mar
Portimonense - Feirense
Estoril Praia - Olhanense
U. Madeira - Marítimo

Desportivo de São Roque conquistou três troféus

Clube Desportivo de São Roque
Dez meses de ouro
Entre Novembro de 2010 e Setembro de 2011 o Desportivo de São Roque conquistou três troféus no futebol sénior. Só não alcançou o título de campeão de São Miguel. Será o próximo a concretizar?
O regresso do Desportivo de São Roque ao futebol sénior na ilha de São Miguel tem sido pautado por conquistas que reflectem a qualidade do trabalho desenvolvido nos escalões de formação. Em menos de um ano a equipa conquistou três troféus e dá mostras de poder incomodar os favoritos na discussão pelo título micaelense.
A surpresa, ou o início da afirmação, começou em Novembro passado com a conquista da Taça de Honra e saiu reforçada com a vitória na Taça de São Miguel. Somente o campeonato escapou às conquistas dos amarelos que, na passada quarta-feira, ergueram a Supertaça Norberto Pacheco.
Três troféus em dez meses que orgulham o presidente, Paulo Rego, mas não constituem surpresa. «As vitórias não são surpresa porque o trabalho realizado pelo Emanuel Ferreira é um trabalho consistente e pode até ser considerado de excelência para o futebol de âmbito regional», referiu.
Paulo Rego presidente do CDSR
Não é com sobranceria que Paulo Rego o afirma, fá-lo apenas baseando-se nos factos. «Tem sido muito positivo ver os resultados do trabalho desenvolvido, principalmente porque o clube esteve para não manter o escalão sénior aberto devido a questões orçamentais. Fizemos um esforço enorme para manter a equipa no activo e é com satisfação que vemos os sinais positivos do esforço desenvolvido».
Depois de três taças, falta ao São Roque o título de campeão. Há quem o coloque entre os favoritos mas Paulo Rego afirma o contrário. «As pessoas olham para nós com essa perspectiva mas não pensamos na subida. O nosso objectivo passa, essencialmente, por fazermos uma época idêntica à anterior e, se possível, terminar entre os três primeiros da classificação», apontou.
E recordou: «Esta é a nossa segunda temporada no futebol sénior e a prioridade é atingir a estabilidade financeira. Esperamos que os resultados alcançados ajudem a chamar novos investidores porque, convém não esquecer, os nossos atletas estão cá por amor à camisola, ao contrário de outros clubes que pagam valores acima daquilo que é possível num campeonato de São Miguel».

Supertaça Norberto Pacheco AFPD: São Roque vence troféu

Águia Desportivo, 1 - CD São Roque, 2
Super São Roque sempre a somar
São Roque foi aos Arrifes derrotar o Águia por 2-1 na segunda mão da final da Supertça Norberto Pacheco, conquistando assim o primeiro troféu da temporada. Final teve nove golos!
O Desportivo de São Roque juntou mais um troféu ao seu espólio de conquistas ao vencer a Supertaça Norberto Pacheco, em seniores. Depois do empate em casa a três golos, frente ao Águia, no desafio da primeira mão, os amarelos foram aos Arrifes triunfar por 2-1, resultado que coroa o melhor aproveitamento ofensivo dos forasteiros.
A equipa de Emanuel Ferreira entrou de peito aberto no encontro e logo aos dois minutos Joãozinho tirou um bom remate para uma defesa não menos vistosa de do guarda-redes Nelson. Na resposta, o Águia também esteve perto de marcar mas Balaia atrapalhou-se ao tentar dominar a bola vinda de um cruzamento de Tiago Pimentel.
Apostadas em marcar, ambas as formações preocupavam-se apenas em praticar futebol, salpicando o desafio de quando em vez com boas jogadas de recorte técnico, passando praticamente despercebido o facto do jogo ser dirigido por um árbitro ad-hoc, no caso concreto José Gaipo, da Ribeira Grande.
Árbitro que, diga-se, realizou um desempenho imaculado e até recebeu aplausos dos adeptos que podem ser entendidos como um sinal de apoio aos clubes e à Associação de Futebol de Ponta Delgada no braço-de-ferro com os árbitros que permanecem em greve.
De volta à partida, o Águia foi o primeiro a marcar, aos 37 minutos, num livre directo superiormente cobrado por Fábio, sem hipóteses de defesa para Imerson. Um minuto depois o São Roque chegou ao empate, também de bola parada: livre da direita e Morais, mais alto que os centrais, a desviar de cabeça para o 1-1 com que se atingiu o intervalo, não sem antes o guarda-redes visitante se redimir dos erros de há uma semana ao negar a Balaia a hipótese de recolocar os visitados na frente.
Estava garantida a incerteza quanto ao vencedor para os segundos 45 minutos mas o golo de Joãozinho, aos 58 minutos, que só teve de encostar após combinação entre Leandro e Jorge Cabral – sublinhe-se aqui o facto de Jorge Cabral ter tudo para ser ele a marcar mas preferiu não ser egoísta e oferecer a bola ao colega que estava melhor posicionado – praticamente decidiu a final pois a reacção do Águia pecou por não colocar profundidade no ataque, não levando perigo ao reduto defensivo contrário apesar da maior insistência no ataque.
De resto, pertenceram aos forasteiros as melhores oportunidades para sentenciar o resultado, a mais flagrante saída do pé direito de Emanuel que num remate à entrada da área levou a bola a sair ligeiramente ao lado do poste da baliza defendida por Nelson. Contudo, a diferença de dois golos seria desfecho demasiado pesado para uma final aberta, com nove golos em dois jogos e emoção até ao fim!
SZ

FUTEBOL: 3ª. Divisão – 17ª Edição da Série Açores

Santiago, 1 - Lusitânia, 2
CAMPEONATO DA 3ª. DIVISÃO – SÉRIE AÇORES:
Favoritos perderam na primeira jornada
A primeira jornada de mais uma edição do campeonato da III divisão, série Açores, foi sublime em surpresas. As duas equipas tidas como favoritas à discussão do primeiro lugar perderam. O Sport Praiense baqueou frente ao estreante Sporting Guadalupe ao perder por 1-0 na Graciosa, com um golo de Júlio Fernandes obtido de grande penalidade, e o Santiago foi derrotado no seu reduto em Água de Pau pelo Lusitânia (2-1).
Nos outros três encontros – Prainha FC-Águia dos Arrifes, União Micaelense-Sporting Ideal e Boavista S. Mateus-Fayal Sport – só deu empates a uma bola.
Resultados da 1ª. Jornada:
Sp. Guadalupe, 1- Praiense, 0
Santiago, 1- SC Lusitânia, 2
Prainha FC 1- Águia CD 1
U. Micaelense, 1- Sp. Ideal, 1
Boavista SM, 1- Fayal Sport, 1
CLASSIFICAÇÃO:
P   Clubes             J  V  E  D   GM-S   P
1º SC Lusitânia      1  1  4   0      2 - 1    3
2º Sp. Guadalupe   1  1  0   0      1 - 0    3
3º Boavista S.M.    1  0  1   0      1 - 1    1
4º Fayal Sport        1  0  1   0      1 - 1    1

5º U.Micaelense     1  0  1   0      1 - 1    1
6º Prainha FC        1  0  1   0      1 - 1    1
7º Águia CD          1  0  1   0      1 - 1    1
8º Sporting Ideal    1  0  1   0      1 - 1    1
9º Santiago FC      1  0  0   1      1 - 2    0
10º SC Praiense    1  0  0   1      0 - 1    0
Próxima Jornada (2ª, 2011-09-25)
SC Lusitânia - U. Micaelense
Sp. Ideal - Boavista S. Mateus
Fayal Sport - Prainha FC
Águia CD - Sp. Guadalupe

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Futebol nos Açores: Pontapé de saída em S. Miguel e Faial/Pico

Santa Clara B, 2 - Capelense, 1
TAÇA DE HONRA DA A.F. PONTA DELGADA:
Santa Clara já é líder
Equipa amadora dos encarnados de Ponta Delgada recebeu e derrotou o Capelense por 2-1. Bis de Basílio fez toda a diferença. Empates em Rabo de Peixe e Ponta Garça.
O Santa Clara já lidera a série A da Taça de Honra da Associação de Futebol de Ponta Delgada. Na primeira jornada da prova a recém-formada equipa amadora dos encarnados recebeu e derrotou o Capelense por 2-1, com os dois golos de Basílio a fazerem a diferença no encontro.
O veterano avançado marcou na primeira parte e no final da segunda, quase em cima do apito final do árbitro ad-hoc, David Bernardo, outro veterano que assumiu a orientação da partida na ausência de árbitros oficiais devido a greve. Xexé, de penalidade, ainda restabeleceu a igualdade no início da etapa complementar mas o golo foi insuficiente para a turma das Capelas pontuar.
No outro desafio da série A, Desportivo de Rabo de Peixe e União de Nordeste empataram a zero. Não houve golos e também não houve equipa de arbitragem oficial, cabendo a orientação do encontro a João Branco, elemento escolhido na bancada pelos responsáveis de ambos os emblemas.
Quanto à série B, a jornada abriu na noite de sábado com um empate a uma bola entre Bota Fogo e Vale Formoso, resultado amargo para os axadrezados que estiveram a vencer com um golo de Moskito mas acabaram por consentir o empate. O líder é o Desportivo de São Roque que recebeu e derrotou o Mira Mar por 1-0.
SÉRIE A:
Resultados da 1ª. jornada:
Rabo de Peixe, 0 - U. Nordeste, 0
Santa Clara B, 2 - Capelense, 1
CLASSIFICAÇÃO:
P Equipa               J  V  E  D  GM-S   P
1º. Santa Clara B   1  1   0   0    2 - 1    3
2º. Rabo de Peixe  1  0   1   0    0 - 0    1
3º. U. Nordeste      1  0   0   0    0 - 0    1
4º. Capelense SC  1  0   0   1    1 - 2    0
2ª. Jornada (24-09-2011):
Rabo de Peixe - Santa Clara B
Uniao de Nordeste - Capelense
SÉRIE B:
Resultados da 1ª. jornada:
Bota Fogo, 1 - Vale Formoso, 1
CD São Roque, 1 - Mira Mar, 0
CLASSIFICAÇÃO:
P Equipas              J  V  E D GM-S   P
1º. CD São Roque  1  1  0  0    1 - 0    3
2º. Bota Fogo         1  0  1  0    1 - 1    1
3º. Vale Formoso   1  0  1  0    1 - 1    1
4º. Mira Mar SC     1  0  0  1    0 - 1    0
2ª. Jornada (25-09-2011):
Mira Mara - Vale Formoso
São Roque - Bota Fogo
TORNEIO DE ABERTURA DA A.F. HORTA:
Vitória do Pico primeiro líder
Começou as provas oficiais da Associação de Futebol da Horta, o GD Feteira recebeu nas Canadinhas o Desportivo Lajense do Pico e manteve-se o nulo de 0-0 até ao final, num jogo pobre. Outro empate, mas este a 3-3, no dérbi do Norte, onde o GD Salão esteve a vencer por 0-2 mas acabou por consentir o empate nos últimos minutos com um lance confuso na área.
Já em São Roque do Pico, o Vitória recebeu e venceu por 3-0 o futebol clube dos Flamengos. Este é um resultado que poderá exprimir o valor da equipa do Pico e da aposta feita na subida à série Açores por parte da direcção do clube da Vila de São Roque.
Resultados da 1ª. jornada:
GD Feteira, 0 - CD Lajense, 0
Vitória FC, 3 - FC Flamengos, 0
GD Cedrense, 3 - GD Salão, 3
CLASSIFICAÇÃO:
P Equipas             J  V  E  D  GM-S   P
1º. Vitória FC        1  1  0   0     3 - 0    3
2º. GD Cedrense   1  0  1   0     3 - 3    1
3º. GD Salão         1  0  1   0     3 - 3    1
4º. CD Lajense      1  0  1   0     0 - 0    1
5º. GD Feteira       1  0  1   0     0 - 0    1
6º. FC Flamengos  1  0  0   1     0 - 3    0
2ª. Jornada (25-09-2011):
Flamengos - Cedrense
CD Lajense - Vitoria FC
GD Salão - GD Feteira
Supertaça Norberto Pacheco da AFPD:
São Roque, 3 - Águia CD, 3
Águia pouco saboreou o frango
Seis golos à mesa no primeiro prato da Supertaça Norberto Pacheco. São Roque e Águia empataram a três mas os arrifenses tiveram frango na ementa e não o saborearam devidamente.
A primeira mão da final da Supertaça Norberto Pacheco abriu o apetite para o decisivo jogo da próxima semana pois na primeira ementa foram servidos seis golos e um espectáculo que deixou água na boca a quem o assistiu. Desportivo de São Roque e Águia jogaram para vencer mas acabaram por se contentar com um empate (3-3) que não sacia a vontade de nenhuma das equipas.
Até que à beira do intervalo a cordialidade da bola cá, bola lá, foi desfeita num contra-ataque rápido que permitiu a Joãozinho isolar Morais para este fazer o 1-0 (40 minutos). Responderam de imediato os forasteiros com o empate através de um cruzamento de Cordeiro e uma falha dos centrais da casa que Gervásio agradeceu para imitar Morais.
O melhor estava, contudo, reservado para a segunda parte. As equipas perderam o respeito, no bom sentido, claro, e fizeram pela vida na busca do melhor prato. Joãozinho, num erro defensivo semelhante àquele que deu a igualdade ao Águia, recolocou os amarelos em vantagem aos 69 minutos.
Os locais pareciam saciados mas o frango de Imerson – imperdoável o deslize ao tentar segurar a bola e deixá-la escapar-se por entre as pernas sabendo que era livre indirecto – soube que nem ginjas ao Águia que, aos 83 minutos, operou nova cambalhota no resultado com Gervásio a desviar na recarga de um primeiro cabeceamento de Fábio ao poste.
O Águia, de barriga cheia e a saborear as ofertas, tinha a vitória na mão mas no quinto (!) de quatro minutos de compensação Morais fuzilou no interior da área e com um bis a imitar Gervásio minimizou os efeitos de uma possível indigestão colectiva. Completamente desnecessário o desligar das luzes nem um minuto depois do final da festa, quando muitos espectadores ainda se deslocavam para o exterior do recinto, muitos deles acompanhados por filhos de tenra idade.

CAMPEONATO DA II DIVISÃO / ZONA CENTRO:

Campeonato da II Divisão / Zona Centro:
Angrense empatou em casa e conquista primeiro ponto na prova
Empate (1-1) conseguiu também o SC Angrense no primeiro jogo disputado em casa no campeonato da II divisão. Os encarnados de Angra do Heroísmo estiveram a perder frente ao Padroense mas o golo de Luís Vieira ditou a divisão dos pontos.
Menos feliz foi o Operário da Lagoa que perdeu por 1-0 no terreno do Sporting de Espinho.
O encontro entre os Coimbroes e o FC Madalena foi adiado para o dia 5 de Outubro.
ANGRENSE, 1 – PADROENSE, 1
Angrense empata em Angra
O primeiro tempo o equilíbrio foi nota dominante com o Angrense mais atacante e o Padroense a defender bem.
Na segunda parte, quando o Angrense estava mais perto da baliza de Marco apareceu Bruninho num remate certeiro inaugurar o marcador.
As coisas complicaram-se para o Angrense que ficou reduzido a dez elementos por expulsão de Vitória, com o Padroense a subir.
A entrada de Luis Vieira veio repor justiça no resultado que num livre fez o empate.
Até final, o Angrense fez tudo para chegar a vitória.
Municipal de Angra do Heroísmo.
ARBITRO : Tiago Canário (Beja)
ANGRENSE – Délcio: Gonçalo (cap/ (Pedrinho, 78), Fábio Flor, Ruben Azevedo, Eugénio, Ruizinho (Magina, 68), Graxinha, Vitória, Márcio, Bruno Melo (Luis Vieira, 74) e
Ruben Rodrigues.
Treinador: João Eduardo Alves
PADROENSE – Marco, Towel, Sérgio, Armando (cap), Miguel (Vitor Lobo, 87), Daniel, Mariano, Nuno Pinho (Seidi, 69), Bruninho, Biscoitos e Mário Costa (Penantes, 60)
Treinador : Augusto Mata
INTERVALO – 0 - 0
DISCIPLINA – Cartão amarelo para Sérgio (32), Eugénio (38), Ruben Azevedo (50), Bruninho (65), Seidi (72), Mariano (81) e Luis Vieira(89). Cartão vermelho para Vitória (65).
MARCADORES – Bruninho (61) e Luis Vieira (82).
RESULTADOS DA 2ªJORNADA
Angrense 1- Padroense 1
Anadia 3- Paredes 0
S. João Ver 3- Cinfães 2
Tondela 1- Amarante FC 0
Aliados Lordelo 1- Oliv. Bairro 0
Sp. Espinho 1- Operário 0
Gondomar 28/09 Boavista
Coimbrões 05/10 Madalena
CLASSIFICAÇÃO
Pos. Equipa        P J V E D GM-S
1. S. João Ver     6  2 2 0 0   4 - 2
2. Tondela           6  2 2 0 0   3 - 1
3. Anadia            4  2 1 1 0   5 - 2
4. Sp. Espinho    4  2 1 1 0   2 - 1
5. Cinfães           3  2 1 0 1   6 - 5
6. Gondomar      3  1 1 0 0   2 - 1
7. Padroense      2  2 0 2 0   3 - 3
8. A. Lordelo     1  1 0 1 0   1 - 1
9. Coimbrões     1  1 0 1 0   0 - 0
10. Oliv. Bairro  1  2 0 1 1   2 - 3
11. Operário      1  2 0 1 1   0 - 1
12. Angrense     1  2 0 1 1   3 - 5
13. Paredes       1  2 0 1 1   1 - 4
14. Boavista      1  1 0 1 0   1 - 0
15. Madalena    0  1 0 0 1   1 - 2
16. Amarante    0  2 0 0 2   0 - 2
PRÓXIMA JORNADA (3ª, 2011-09-25)
Anadia 25/09 Angrense
Padroense 25/09 S. João Ver
Cinfães 25/09 Tondela
Amarante FC 25/09 Aliados Lordelo
Oliv. Bairro 25/09 Gondomar
Boavista 25/09 Coimbrões
Madalena 25/09 Sp. Espinho
Paredes 25/09 Operário

Liga Orangina 2011/2012: Santa Clara empata em Penafiel

AÇORIANOS ACABARAM COM SETE
LIGA ORANGINA 2011/2012:
Penafiel, 1 - Santa Clara, 1
Vendaval de expulsões
O Penafiel e o Santa Clara empataram 1-1, num encontro da quarta jornada da Liga Orangina marcado pelos cinco vermelhos mostrados pelo árbitro aveirense Rui Patrício, quatro deles aos açorianos.
Os açorianos terminaram com apenas sete unidades, contra 10 do adversário, mas o equilíbrio esteve presente e, numa altura em que ainda tinham oito, até poderiam ter ganho, se Edgar não tivesse desperdiçado uma grande penalidade.
Foi o Penafiel quem primeiro encontrou o caminho do golo, por intermédio de Allyson, que surpreendeu o guarda-redes com um grande pontapé de fora da área.
Aos 33', e após uma falta sobre Coronas, Nélson, Sandro e o próprio Coronas entram em confronto verbal mais duro, que terminou com palavras dirigidas também ao árbitro. Os três jogadores foram expulsos com cartões vermelhos diretos, ficando os anfitriões com 10 e os forasteiros reduzidos a nove.
Mesmo a jogar com menos um jogador, o Santa Clara não baixou os braços e, a cinco minutos do intervalo, Sylvestre surpreende Vítor Golas e empatou a partida.
O Penafiel reentrou com vontade de aproveitar a vantagem numérica e ao longo do segundo tempo deu muito trabalho ao guardião Stefanovic, mas a finalização acabou por deitar por terra as ambições penafidelenses.
O Santa Clara, por seu lado, lutou contra a maré e, até ao final do encontro, viu ainda mais dois dos seus jogadores serem expulsos (Moreira, aos 85', e Valdinho, aos 90').
Mesmo assim, e a jogar ainda com oito, foi assinalado uma grande penalidade a favor da equipa dos Açores, mas Vandinho desperdiçou a hipótese de o Santa Clara sair de Penafiel com uma surpreendente vitória.
Jogo no Estádio Municipal 25 de Abril, em Penafiel
Árbitro: Rui Patrício (Aveiro)
Penafiel: Vítor Golas, Elízio, Allyson, Paulo Oliveira, Dias (Aldair, 75'), Jesus (Diogo Viana, 50'), Rafa, Rúben, Coronas, Baptiste (Guedes, 55') e Manoel.
Suplentes: Tiago, Valdemar, Guedes, Mota, Luís Carlos, Diogo Viana e Aldair
Santa Clara: Stefanovic, Nélson, Ilic, Sandro, Márcio Piccolo, Paulo Grilo, Edgar, André Simões (Valdinho, 77'), Alex, Moreira e Sylvestre (Guilherme, 52').
Suplentes: Tiago Maia, Guilherme, Minhoca, Platini, Valdinho, Pipo e Fernando Vieira.
Marcadores: 1-0, Allyson (16'), 1-1, Sylvestre (40').
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Jesus (37'), Guilherme (75'), Moreira (79' e 85'), Rafa (83'), Aldair (84') e Ruben (90'). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Moreira (85'). Cartão vermelho direto para Nélson (33'), Sandro (33'), Coronas (33') e Valdinho (90')
Assistência: Cerca de 1.500 espetadores

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Portuguese Canadian Integration Movement of Mississauga

Portuguese Canadian Integration Movement
BBQ anual da Primeira Irmandade do Divino Espírito Santo de Mississauga
O Portuguese Canadian Integration Movement (PCIM) - 1ª. Irmandade do Divino Espírito Santo de Mississauga, realizou no sábado, dia 17, o seu BBQ anual no pátio da Igreja de São José dos Portugueses na cidade de Oakville.
Mais de duas centenas de pessoas compareceram neste piquenique que tem como prepósito juntar todos os membros desta organização, suas famílias e algums amigos. Uma iniciativa anual de agradecimento mútuo pelo trabalho desenvolvido e pelo sucesso alcanlado ao longo do ano, depois da realização das grandes festas em louvor do Divino Espírito Santo, cujos mordomos foram, este ano, o casal Tony e Zélia Raposo.

O presidente do PCIM, Dinarte Teves teve o cuidado de também convidar alguns amigos empresários da comunidade, os quais, de uma maneira ou outra têm contribuído para apoiar esta organização nos eventos que realizam com o objectivo de angariarem fundos para a grande festa do Divino Espírito Santo que tem lugarr todos os anos no mês de Junho.
Entre os convidados tivemos o prazer de falar com, Eduardo (Ed) Viana, natural do Porto Formoso, S. Miguel - Açores, que foi o primeiro português no Canadá, que foi eleito na cidade de Oakville para Trustee, vareador e conselheiro escolar na Halton Catholic District School Board em 1977.
Também ficámos a conhecer o Ricardo Lima, proprietário da Ganadaria ''Lima'' que fica situado a norte de Brampton no auto estrada 10, em Caledon. José da Costa vendedor de propriedades da firma, RoyalLePage, José Amorim e o DJ Tony Silveira Band que estiveram presentes neste convívio anual.
Enquanto os senhores cozinhavam os assados, as senhoras preparavam as mesas para a refeição.
 
A ementa foi variada e farta, não faltaram as boas sardinhas assadas e os frangos, bifanas, carne assada, arroz de marisco, batata cozida com casca com pimenta à moda de São Miguel e salada.
Os bolos e a doçaria bem à portuguesa, juntamente com um bom vinho, cervejas e sumos para os jovens, também integravam a ementa do dia.Apesar do dia estar um pouco fesco, o tempo colaborou, com o céu a permanecer azul e o sol a aquecer todos os presentes, enquanto saboreavam a apetitosa ementa.
No final da tarde foi tirada a fotografia de praxe dos membros da comissão de festas do PCIM para o album de recordações.
A próxima festa desta organização será no dia 12 de Novembro, com o Baile de São Martinho no salão de St. John's Hall no 2185 Stavebank Road, em Mississauga, onde será apresentado o novo mordomo, António e Maria Santos, para o ano 2012.
O jornal Nove Ilhas fica agradecido pelo convite.
Bem Hajam!

domingo, 18 de setembro de 2011

Quatro dias a festejar o Senhor Santo Cristo dos Milagres


Pároquia de Nossa Senhora de Fátima em Brampton
Grande manifestação de fé ao Senhor Santo Cristo dos Milagres
A comunidade luso-canadiana na cidade de Brampton esteve em festa nos dias 9,10,11 e 12 de Setembro, para celebrar pelo quinto ano consecutivo a festa em honra do Senhor Santo Cristo dos Milagres, ua festa que tem crescido em peregrinos e devotos do ''Ecce Homo'', que manifestam a sua devoção e fé no Cristo crucificado, vindo para isso de várias partes do Ontário, do Quebec e dos Estados Unidos.
A Igreja de Nossa Senhora de Fátima esteve no centro das atenções no fim-de-semana e tornou-se pequena para receber as centenas de pessoas que aderiram às cerimónias religiosas, que tiveram como pregador especial, o convidado Monsehor Agostinho Tavares. O reitor do Santuário do Senhor Santo Cristo, em Ponta Delgada, S. Miguel, deslocou-se pela terceira vez para presidir a esta grandiosa manifestação de fé que os açorianos, em especial os micaelenses, depositam nesta imagem veneranda do Senhor Santo Cristo dos Milagres há alguns séculos, e que os imigrantes trouxeram no baú da sua esperança e fé no ''Ecce Homo''.
Este ano a comissão de festas do Senhor Santo Cristo, liderado por Guido Pacheco, começou bem cedo a preparar esta grande festa, tendo engalanando a preceito a fachada da igreja e recinto de diversões ao longo das semanas que antecederam este evento, com o trabalho de muitos voluntários que ofereceram o seu tempo para o sucesso da iniciativa, o que veio a acontecer, contando ainda com a preciosa colaboração  da mãe natureza.
Esta festa de origem micaelense, tem lugar todos os anos cinco semanas depois da Páscoa, na cidade de Ponta Delgada, no convento da Esperança no campo de São Francisco.
Aquelas que são as maiores  festas religiosas dos Açores, tiveram início há mais de quatro séculos, pela mão da Madre Teresa da Anunciada, que trouxe esta linda imagem da Caloura para Ponta Delgada, onde mais tarde se veio a realizar a primeira procissão em homegem ao Senhor Santo Cristo dos Milagres, a qual prossegue até aos nossos dias, tal é a devoção depositada no culto do filho de Deus, que ao longo dos anos tem feito muitos milagres entre os cristãos que nele acreditam e depositam totalmente a sua fé.
Este ano, em Brampton , o programa foi mais uma vez intenso tanto na vertente religiosa, com a novena ao Senhor Santo Cristo ao longo de nove dias, como na profana; vamos por partes.
Na sexta-feira (9), pelas 19h00 foi celebrada a missa de cura e benção especial para os doentes da comunidade, pelo Monsenhor Agostinho Tavares, com a igreja repleta de fiés e doentes para receberam a graça de Cristo.
Depois das cerimónias, que se prolongou por duas horas na presença de aproximadamente mil pessoas, que encheram a igreja até à saída. Seguiu-se a abertura da iluminação e do bar, petiscos e música a cargo do DJ Elite Soundstations.
No sábado (10), realizou-se pelas 16h00 a procissão da Mudança da Imagem no parque à volta da igreja que foi acompanhada por duas filarmónicas, Banda do Senhor Santo Cristo de Toronto e Lira Portuguesa de Brampton. O cortejo foi seguido por centenas de promessas com muitos devotos a tranportarem círios para oferecer ao Senhor pelo pedido ou agradecimento por promessa alcançada. Depois da recolha da imagem ao som do hino do Senhor Santo Cristo seguiu-se a celebração da missa que teve pregação de Monsenhor Agostinho.
Depois começaram os festejos profanos, no parque de diversões com milhares de pessoas a assistirem ao programa recreativo. O conhecido apresentador da rádio CHIN, António César, anunciou o programa nas duas noites.
Após a missa começou o arraial com um concerto pela Banda do Santo Cristo de Toronto, seguindo-se a actuação dos artistas: Mário Marinho, as irmãs Lucy & Bela o Rancho Folclórico do Clube Português de Mississauga e, a finalizar a noite, o conjunto ''Starligth'' de Tony Melo. O som esteve a cargo de Tony Silva do ''TNT produtions''. Não faltaram os comes e bebes como é apanágio nestas festas luso canadianas, com bar, bons petiscos, e barracas com artigos diversos para venda e exposição, bazar e as famosas malassadas - era grande a fila de pessoas que ansiavam por provar uma boa malassada acabada de fazer, ainda quentinha. As cozinheiras não tinham mãos a medir para servir esta especialidade de doçaria açoriana.
O domingo (11), o principal dia das festividades começou com a missa Solene, mais uma vez com pregação a cargo do Monsenhor Agostinho Tavares. A igreja estava a abarrotar de gente.

Terminada a celebração, teve início pelas 15h00  a majestosa procissão que precorreu várias ruas da cidade de Brampton, com a presença do bispo John Boissonneau e vários padres de outras comunidades da diocesse de Toronto. A procissão começou com a entrada do guião, depois os homens das opas e senhores, os anjos, grupos de oração da paróquia, os dois grupos folclóricos - Casa da Madeira de Toronto e o de Brampton - romeiros, Irmandade do Divino Espírito Santo, o lindo andor do Senhor Santo Cristo -levado por oitenta (80) homens da Irmandade, incluindo alguns vindos de Hamilton que ofereceram uma relíquia das portas da cidade de Ponta Delgada. Pela primeira vez seguiram o andor foi seguido por um  grupo de 48 senhoras da Irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres.
Depois vinham os milhares de devotos para pagaram as suas promessas o Senhor Santo Cristo dos Milagres.
O acompanhamento musical foi garantido por quatro filarmónicas, Banda do Senhor Santo Cristo, Lira Bom Jesus de Oakville, Lira de Nossa Senhora de Fátima e a Lira Portuguesa de Brampton.
Milhares de pessoas testemunharam a passagem a majestsa procissão pelas ruas da área. Na opinião de  alguns, foi a maior procissão que se realizou em Brampton, tendo aumentado de ano para ano tanto é a fé e a vontade de a mafistar em torno do ''Hecce Homo''.
A concluir, houve uma breve alocução do Bispo John e do Monsenhor Agostinho Tavares, o qual fez com que todos cantassem em agradecimento ao Senhor pelo bom tempo que se fez, pelo pároco da paróquia, Andrzej Chilmon, e o presidente da Irmandade Guido Pacheco, encerrando com um viva ao Senhor Santo Cristo dos Milagres.
Ao longo da tarde, houve arraial pela Banda Lira de Brampton, actuaram os Ranchos Folclóricos da Casa da Madeira e de Brampton, o Grupo da Amizade, com as tradicionais cantigas regionais, e os artistas Helena Abrantes e filha Sandra e  Henrik Cipriano fechou a noite artística.
Na segunda-feira (12), pelas 18h00, decorreu o cortejo de oferendas em redor da igreja, seguido pela missa de Acção de Graças. Após o acto religioso foi tempo dos leilões no salão da paróquia e de um concerto pela banda local, segundo o programa.
Damos os parabéns a toda a organização da Irmandade do Senhor Santo Cristo e a todos os voluntários e trabalhadores que ergueram este projecto, pelo sucesso alcançado.
Bem hajam e que o Senhor Santo Cristo vos pague pela vossa dedição e amor a esta festa em homenagem ao filho de Deus.
- João G. Silva

sábado, 17 de setembro de 2011

TAÇA DE PORTUGAL - 2ª ELIMINATÓRIA:

Sporting Ideal ainda marcou dois golos mas não conseguiu chegar ao empate
Equipas açorianas ficaram todas pelo caminho
A segunda eliminatória da Taça de Portugal confirmou a tendência da primeira, ou seja, as equipas dos Açores que ainda estavam em prova foram todas eliminadas. Operário e Angrense resistiram até às penalidades.
Já não há equipas dos Açores na Taça de Portugal. As quatro que se apresentaram na segunda eliminatória foram eliminadas, confirmando-se assim o cenário pouco animador verificado na ronda inaugural da competição quando dez formações insulares foram afastadas.
O Santa Clara foi a primeira a conhecer o destino ao perder por 2-1 no terreno do Tirsense, adversário que disputa a II divisão nacional. Os encarnados de Ponta Delgada estiveram a perder até ao início da segunda parte quando Sylvestre restabeleceu o empate mas perto do final uma penalidade permitiu aos locais marcar o golo da vitória e eliminar a turma de Ponta Delgada.
Isento na primeira eliminatória, o Angrense ainda chegou a sonhar com os três golos apontados por Ruben Rodrigues no empate a três golos no terreno do Merelinense, recuperando de duas desvantagens no marcador, a primeira de 2-0 quando faltavam pouco mais de vinte minutos para o final do encontro. Porém, no desempate através da marcação de grandes penalidades o conjunto de Braga foi mais feliz.
Também nas penalidades caiu o Operário que ao cabo de duras horas de jogo empatou a uma bola no recinto do 1.º de Dezembro. Os fabris criaram as melhores oportunidades de golo mas continuam a não ter quem faça golos. Na lotaria das penalidades perderam por 5-4 com Carlos Mota a não concretizar a sua oportunidade.
Na Ribeira Grande, o Sporting Ideal deu quinze minutos de avanço ao Joane pois ao fim de um quarto-de-hora os forasteiros já venciam por 0-3. Nelson Faria bisou e reduziu a desvantagem mas na pressão em busca do empate faltou tranquilidade aos ribeiragrandenses que podem queixar-se de dois golos anulados por pretensos fora-de-jogo.
Resultados da 2ª Eliminatória da taça de Portugal:
JOGOS COM CLUBES DOS AÇORES
Tirsense 2 - Santa Clara 1
Merelinense 3 - Angrense 3 (4-2)g.p.
1º Dezembro 1 - Operário 1 (5-4)g.p.
Sporting Ideal 2 - GD Joane 3

Taça de Portugal: Santa Clara foi eliminado em Santo Tirso

Tirsense, 2 - Santa Clara, 1
Falhas num filme já visto
Santa Clara ofereceu dois golos de bandeja ao adversário e ainda foi penalizado pela dualidade de critérios do árbitro. Encarnados eliminados à primeira.
O Santa Clara está fora da Taça de Portugal! A eliminação aconteceu logo na primeira eliminatória em que os encarnados de Ponta Delgada participaram ao perderem por 2-1 no terreno do Tirsense. O resultado é o reflexo de duas falhas que o adversário soube aproveitar.
Os primeiros vinte minutos tiveram pouco para contar e numa altura em que os encarnados já tentavam exercer maior supremacia um erro de Lourenço permitiu a Tiago André aparecer na cara de Stefanovic e rematar sem dificuldades para o 1-0. Estavam decorridos 32 minutos e o guarda-redes sérvio ainda não tinha sido incomodado.
A equipa açoriana reagiu de pronto com um remate de Valdinho que saiu rente ao poste. A sorte que faltou no ataque sobrou na defesa quando Correia, isolado, quase em cima do intervalo, acertou na trave da baliza encarnada. O 1-0 no final dos primeiros 45 minutos deixava tudo em aberto para a etapa complementar.
Depois do descanso viu-se mais Santa Clara e o empate, aos 49 minutos, assinado por Sylvestre após falha do guarda-redes Pedro Albergaria, fazia prever o intensificar da pressão rumo à vitória mas a expulsão de Lourenço – o árbitro entendeu que a falta cometida sobre um adversário era merecedora de cartão vermelho – deixou a equipa a jogar com dez a partir do minuto 51.
Em inferioridade numérica os insulares nunca deixaram de tentar chegar ao golo mas quem marcou foi o Tirsense numa penalidade por mão de Platini. A infracção é indesmentível mas o que o árbitro não viu foi o puxão ao cabo-verdiano que o impossibilitou de abordar o lance com maior equilíbrio. Lio aproveitou o castigo máximo para carimbar o apuramento do Tirsense, ficando-se o Santa Clara com mais um amargo de boca por influência de terceiros.
No estádio Abel Alves de Figueiredo, em Santo Tirso, o Santa Clara alinhou com: Stefanovic; Piccolo, Ilic, Edgar e Nelson; André Simões, Grilo (Djurdjevic) e Lourenço; Moreira, Sylvestre (Dincic) e Valdinho (Platini).

sábado, 10 de setembro de 2011

Festa do Senhor Santo Cristo em Brampton, Canadá

Festa do Senhor Santo Cristo dos Milagres
Procissão - Mudança da Imagem e missa solene pelo Monsenhor Agostinho Tavares vindo de S. Miguel, Açores