sábado, 25 de junho de 2011

Vilanovense desce mesmo ao regional
O Sport Clube Vilanovense parece estar mesmo de regresso aos regionais, embora dentro das quatro linhas tenha garantido a permanência no Campeonato Nacional da Terceira Divisão - Série Açores.
Segundo o comunicado oficial n.º 455 da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), datado de 20 de junho, o emblema do Ramo Grande é colocado no quarto lugar (primeiro de descida) do Grupo "B" da segunda fase da prova, com 35 pontos (10J5V2E3D, 20-14 em golos), acompanhando, assim, Capelense e Vitória do Pico no retorno às origens.
Neste contexto, o grande beneficiado é o Prainha, terceiro colocado, com 38 pontos, que, a par do Sporting Ideal e do União Micaelense, garante a almejada permanência.
Tendo por base o documento federativo, a classificação final é estabelecida de acordo com a decisão do processo n.º 24/CJ-10/11 do Conselho de Justiça (CJ) da FPF, a qual, na prática, retirou três (decisivos) pontos ao grémio alvi-negro.
Recorde-se, a propósito, que o Conselho de Disciplina (CD) da FPF puniu o Vilanovense com a pena de derrota por 3-0 no desafio com o Angrense, relativo à 10.ª jornada da primeira fase do Campeonato Nacional da Terceira Divisão - Série Açores, concretizado no dia cinco de dezembro de 2010, em virtude da utilização irregular dos atletas Zezinho e Djibril que, na ocasião, deveriam cumprir o segundo de dois jogos de suspensão.
Contudo, o Vilanovense entendeu, após consultar os serviços administrativos da Associação de Futebol de Angra do Heroísmo (AFAH), que o encontro da Taça Ilha Terceira, disputado antes, serviu para limpar os castigos e, como tal, os jogadores poderiam ser utilizados frente à equipa que acabaria por vencer a Série Açores.
É importante sublinhar que o presidente da AFAH, Nuno Duarte Maciel, desde a primeira hora que assumiu publicamente que o Vilanovense agiu de boa-fé, confirmando, inclusive, que o clube recebeu luz verde da associação para utilizar os atletas em causa frente ao Angrense, prélio que, como se sabe, os homens do concelho de Vitorino Nemésio ganharam por 2-1.
Nuno Maciel não hesitou mesmo em considerar que a razão assistia por completo ao Vilanovense, relembrando que este procedimento (utilização da Taça de Ilha para limpar cartões do nacional) era prática corrente na AFAH.
Quem teve interpretação diferente foi o Angrense que pediu esclarecimentos sobre o assunto à associação, o que acabou por despoletar todo este imbróglio.
Face à decisão do CD, o Vilanovense, com o apoio expresso da AFAH, recorreu, então, para o CJ.
COMPLEXO

vilanovense_____desce_____divisao1No entanto, o assunto em causa afigura-se deveras complexo, uma vez que a FPF arquivou os processos que envolveram os atletas Djibril, Zezinho e João Melo (este último envolvido mais tarde numa situação semelhante frente ao Capelense), ilibando os atletas de quaisquer responsabilidades.
Face a esta deliberação, parece estranho que o Vilanovense, ainda assim, tenha sido penalizado com a perda de pontos. Erros processuais, com origem na própria AFAH, podem ser a explicação para o sucedido.
Quem não se conforma com este cenário é o presidente do Vilanovense. Em declarações ao DI, reafirmou que "o clube tudo fará para repor a verdade desportiva", esperando que "todos os envolvidos neste processo assumam as suas responsabilidades".
Adelino Pinheiro deu igualmente como adquirido o recurso aos tribunais civis, "como forma de salvaguardar os legítimos interesses da instituição", aguardando uma decisão "o mais tardar no início da próxima semana".
DI apurou ainda que a estratégia do Vilanovense pode passar também pela impugnação do campeonato, com todas as consequências daí resultantes.
Fonte: Diário Insular

Sem comentários: