sábado, 27 de novembro de 2010

LIGA ZON-SAGRES: Sporting CP, 1 - FC Porto, 1


Clássico "rasgadinho"
Sporting e FC Porto empatam
O líder FC Porto esteve a perder e jogou em inferioridade numérica mais de 20 minutos, mas conseguiu empatar com o Sporting (1-1), em Alvalade, e segurar a invencibilidade na Liga portuguesa de futebol.
O chileno Jaime Valdés, aos 37 minutos, adiantou os "leões", mas, aos 57, o colombiano Radamel Falcao, servido pelo brasileiro Hulk, restabeleceu a igualdade, que se prolongou até final.
O empate acaba por ser bem mais positivo para o FC Porto, que jogou em inferioridade numérica desde os 68 minutos, quando o central brasileiro Maicon viu o vermelho directo, após derrubar Liedson, o último homem dos "leões".
A formação portista, que também não teve André Villas-Boas no banco até final (expulso aos 74 minutos, por protestos), cedeu apenas o segundo empate, depois de igual resultado no reduto do Vitória de Guimarães.
Apesar da igualdade, o FC Porto reforçou provisoriamente a liderança, contando mais 11 pontos do que o Benfica, que joga domingo em Aveiro, face ao Beira-Mar, e o Vitória de Guimarães, hoje derrotado por 2-0 pelo Marítimo.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Mário Batista eleito presidente do Santa Clara


- Mário Batista novo presidente do CD Santa Clara.
Mário Batista eleito com 259 votos a favor
Mário Batista foi eleito na noite de sexta-feira presidente do Clube Desportivo Santa Clara para os próximos três anos.
No acto eleitoral, que contou com apenas uma única lista, votaram 127 sócios, recolhendo 259 votos a favor, 24 em branco e quatro nulos.
Também ontem, os novos órgãos sociais do clube tomaram posse. Recorde-se que na direcção, o presidente Mário Batista conta com André Cabral como seu adjunto e com José Dias, Cláudio Torres e Domingos Viveiros, todos vice-presidentes.
A Assembleia Geral será liderada novamente por Carlos Martins e o Conselho Fiscal é comandado por Manuel Branco.
Mário Batista manifestou a sua satisfação “em representar os santaclarenses nos próximos três anos, e tudo farei para que possamos atingir os nossos objectivos”.

Informação Desportiva dos Açores


CAMPEONATO DE SÃO MIGUEL:
Águia dos Arrifes goleou Bota Fogo (6-1)
Resultados da 1ª. jornada:
U. Nordeste, 3 - Rabo Peixe, 4
Bota Fogo, 1 - Águia Desp., 6
Vale Formoso, 1 - São Roque, 0
Vitória CPP, 3 - Mira Mar, 1
CLASSIFICAÇÃO:
L EQUIPA ...... J V E D GM-S P
1º Águia CD ......1 1 0 0 6 - 1 3
2º Vitória CPP.. 1 1 0 0 3 - 1 3
3º Rabo Peixe ..1 1 0 0 4 - 3 3
4º Vale Formoso.. 1 1 0 0 1 - 0 3
5º U. Nordeste... 1 0 0 1 3 - 4 0
6º São Roque... 1 0 0 1 0 -1 0
7º Mira Mar ...1 0 0 1 1 - 3 0
8º Bota Fogo.... 1 0 0 1 1 - 6 0
2ª. Jornada - 28/11/2010:
Rabo de Peixe - Vitória CPP
Águia Desp. - U. Nordeste
GD São Roque - Bota Fogo
Mira Mar - Vale Formoso
TAÇA ILHA TERCEIRA - 1ª ELIMINATÓRIA:
Ramo (bem) Grande
Vilanovense afasta Lusitania da Taça.
As três equipas do Ramo Grande (Vilanovense, Lajense e Fontinhas) garantiram o apuramento para as meias-finais da Taça Ilha Terceira, o mesmo acontecendo com o atual detentor do troféu - o Angrense. O Vilanovense afastou o Lusitânia no desempate por pontapés da marca de grande-penalidade (5-4) (2-2 após prolongamento). O GD Fontinhas eliminou (2-0) o Boavista e o Lajense (2-1) o Marítimos. O Angrense goleou (6-0) o Barreiro.
RESULTADOS:
Vilanovense, 2 - Lusitânia, 2 (5-4 gp)
SC Barreiro, 0 - Angrense, 6
Fontinhas, 2 - Boavista CR, 0
Marítimos, 1 - Juv. Lajense, 2 (ap)
-Transitam para as meias-finais os quatro vencedores.
CAMPEONATO DA GRACIOSA:
Guadalupe e Marítimo venceram
No futebol, o Campeonato Ilha Graciosa continua este fim-de-semana na sétima jornada.
Sábado o Marítimo venceu o Graciosa por 4-1, em jogo que decorreu no Estádio Municipal.
No Domingo jogaram Guadalupe e Luzense, no Sintético de Guadalupe.
Aos 8 minutos de jogo o Luzense estava a ganhar com auto-golo de José Picanço de Guadalupe. A equipa verde e branca repôs a igualdade mais tarde porNéné, estavam decorridos 28 minutos. No final da primeira parte, dois golos da equipa da casa que ia assim para intervalo a vencer 3-1.
No segundo tempo, Isidro Lima marcou aos 16 minutos, fazendo o segundo golo para o Luzense, mas minutos depois Néné fez o resultado final de 4-2, com vitória do Guadalupe.
Resultados da 7ª. jornada:
Sp. Guadalupe, 4 - Luzense, 2
Maritimo, 4 - Graciosa FC, 1
CLASSIFICAÇÃO:
L EQUIPAS ........J V E D GM-S P
1º Sp. Guadalupe... 7 5 2 0 16 - 8 17
2º SC Marítimo .....7 3 2 2 13 -10 11
3º GD Luzense ......7 2 1 4 13 -15 7
4º Graciosa FC ......7 0 3 4 5 -13 3
8ª. jornada - 27/28-11-2010:
GD Luzense - Maritimo
Graciosa FC - Guadalupe
CAMPEONATO DE SÃO JORGE:
Marítimo e Calheta empataram
Resultados da 2ª. jornada:
Maritimo Vel., 3 - FC Calheta, 3
Desp. Velense, 6 - Urzelinense, 1
CLASSIFICAÇÃO:
L EQUIPAS .......J V E D GM-S P
1º Maritimo Vel. ..2 1 1 0 6 - 4 4
2º FC Calheta ......2 1 1 0 4 - 3 4
3º Desp. Velense ...2 1 0 1 6 - 2 3
4º Urzelinense .....2 0 0 2 2 - 9 0
3ª. Jornada - 28-11-2010:
Maritimo Vel. - CD Velense
FC Calheta - FC Urzelinense
CAMPEONATO (AFH) - FAIAL/PICO:
FC Flamengos iguala Fayal Sport
No passado fim-de-semana o Futebol Clube dos Flamengos foi às Canadinhas vencer o Feteira por 1-2. Os três pontos permitiram aos jogadores do Vale igualar na classificação o líder Fayal, que folgou nesta jornada do Campeonato da Associação de Futebol da Horta.
No outro jogo da jornada, o Cedrense recebeu o Lajense, e venceu os picoenses por 2-1.

Este domingo, o Flamengos recebe ao Cedrense, enquanto que o Feteira vai à Alagoa defrontar o Fayal Sport. Folga o Desportivo Lajense.
Resultados da 6ª. jornada:
Cedrense, 2 - CD Lajense, 1
GD Feteira, 1 - Flamengos, 2
Folgou: Fayal Sport.
CLASSIFICAÇÃO:
L EQUIPAS ........J V E D GM-S P
1º Fayal Sport .......4 3 1 0 6 - 2 10
2º Flamengos .......5 3 1 1 10 - 6 10
3º Cedrense ........5 2 1 2 6 - 7 7
4º GD Feteira ......5 1 0 4 4 - 9 3
5º CD Lajense ......5 0 3 2 6 - 8 3
7ª. Jornada - 28-11-2010:
Flamengos - GD Cedrense
Fayal Sport - GD Feteira
Folga: Desp. Lajense.
Hóquei em Patins - Liga Europeia:
Candelária derrota Club Pati Vic
Açorianos vencem na Liga Europeia
O Candelária estreou-se na Liga Europeia com uma vitória, por 6-4, em casa, diante dos espanhóis do Vic. A equipa treinada por Carlos Dantas dominou a partida e esteve, inclusivamente, a vencer por 6-2.
O Candelária derrotou, este sábado, os espanhóis do Club Pati Vic, por 6-4, na primeira jornada do Grupo C da Liga Europeia de Hóquei em Patins.
Martin Montivero (3), Tiago Resende, Sérgio Silva e Mauro Fernandez apontaram os seis golos da vitória do Candelária frente ao Club Pati Vic, que reduziu por Borja Lopez, Sergi Pla (2) e Miquel Masoltver.
Esta vitória é um excelente resultado para a equipa açoriana, isto levando em conta que o adversário é o vice-campeão europeu.
Na próxima jornada, a realizar dia 18 de dezembro, os açorianos visitam o Noia, em Espanha.
1ª JORNADA-RESULTADOS:
GRUPO A
Bassano-Geneve (7-0)
Reus Deportiu-Coinasa Liceo (6-3)
Classificação:
1º Bassamo 3 pontos
2º Reus Deportiu 3 pontos
3º Coninasa Liceo 0 pontos
4º Geneve 0 pontos
GRUPO B
Saint Omer-Barcelona (0-5)
Follonica-Blanes (2-2)
Classificação:
1º Barcelona 3 pontos
2º Follonica 1 ponto
3º Blanes 1 ponto
4º Saint Omer 0 pontos
GRUPO C
Viareggio-Noia Freixenet (5-2)
Candelaria SC - Pati Vic, (6-4)
Classificação:
1º Viareggio 3 pontos
Candelária 3 pontos
3º Pati Vic 0 pontos
4º Noia Freixenet 0 pontos
GRUPO D
FC Porto-Cronenberg (11-1)
Coutras-Valdagno (5-7)
Classificação:
FC Porto 3 pontos
2º Valdagno 3 pontos
3º Coutras 0 pontos
4º Cronenberg 0 pontos

Santa Clara Açores Futebol SAD registado em Lisboa


Foto: Acácio Mateus - Mário Batista é o presidente da SAD será eleito presidente da Direcção
Santa Clara formaliza constituição da sociedade anónima desportiva
É o primeiro clube dos Açores a avançar para uma sociedade anónima. Santa Clara Açores, Futebol SAD é a denominação oficial. Clube detém 40% do capital.
Santa Clara Açores Futebol SAD Santa Clara é o primeiro clube dos Açores a criar uma sociedade anónima desportiva. Escritura juntou administradores e accionistas na capital portuguesa.
Os administradores do Santa Clara Açores, Futebol SAD, rubricaram na tarde da quinta-feira, dia 25 de Novembro, a escritura que dá vida à sociedade anónima desportiva que a partir desta data passa a gerir o futebol profissional do Santa Clara.
A oficialização de constituição da sociedade anónima, a primeira do género em clubes dos Açores, permite ao nosso clube dar mais um passo em frente na sua gestão e projecção futura, pois abre as portas a novos investimentos e os sócios estão convidados a aderir ao projecto.
O Santa Clara fica detentor de 40% dos 500 mil euros de capital investido, estando os outros 60% na posse dos accionistas Mário Batista, Miguel Simas, José Jacinto Dias e Carlos Sebastião. Estes subscreveram metade do valor e dispõem de dois anos para subscrever a outra metade.
A presidir ao Conselho de Administração da SAD está Mário Batista, candidato único à presidência da Direcção do clube. André Cabral e Domingos Viveiros são os outros dois administradores nomeados. Costa Martins e Alfredo Azevedo presidem à Assembleia Geral.
A constituição do Santa Clara Açores, Futebol SAD, é a concretização de mais um importante passo na dinamização desejada, cumprindo-se mais uma etapa no caminho a percorrer rumo à tranquilidade pretendida.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

36ª Aniversário do C.C. Português de Mississauga


CENTRO CULTURAL PORTUGUÊS DE MISSISSAUGA
Monsenhor Eduardo Resendes homenageado no 36º aniversário do CCPM
O Centro Cultural Português de Mississauga (CCPM) celebrou no sábado (21), o 36º aniversário, com um jantar de gala no salão nobre, situado na Queen St. North em Streetsville - Mississauga.
Esta celebração também serviu e alavanca à direcção do CCPM para prestar uma singela e justa homenagem ao sócio número três desta instituição, um açoriano conhecido de todos, que já se encontra reformado: Monsenhor Eduardo Resendes, natural do Faial da Terra, conselho da Povoação - ilha de São Miguel, fundador das igrejas de São Salvador do Mundo e de Cristo Rei, na cidade de Mississauga.
Com o salão cheio de sócios e amigos, o jantar de gala começou com uma oração, pelo Pe. Fernando Pinto, da paróquia de São José em Oakville, seguindo-se o esmerado serviço de mesa pelos empregados do Restaurante ''Casa Abril'' de Toronto.
Depois do jantar, o jovem Andrew Câmara, apresentou os vários convidados.
O presidente do CCPM, Gilberto Moniz, agradeceu a presença de todos nesta noite de aniversário do Centro Cultural, e enalteceu de elogios o trabalho desenvolvido por toda a direcção e pelo sucesso alcançado ao longo dos anos, anunciando os nomes dos responsáveis pelas várias funções no Centro, desde o folclore ao desporto, passando pela cultura. Foram entregues lembranças a todos os membros e voluntários desta instituição.
O vice-presidente António de Sousa, recebeu uma distinção pela dedicação e o bom trabalho em prol do CCPM. Gilberto Moniz, disse que, ''este não é mais o pequeno clube da antiga Dundas, mas sim, um centro com grandes responsabilidades em que toda a direcção trabalha cinco dias por semana, para manter esta casa em actividade, graças ao trabalho de todos e a muitos voluntários que apoiam o nosso Centro, sem eles isto não seria possivél de aguentar. Podemos dizer que temos o melhor clube e direcção do Ontário, e a prova aqui está, com a casa cheia. Houvesse mais lugares para agregar muito mais amigos. A todos o meu muito obrigado, pelo apoio''.
O pesidente do Conselho Fiscal, Armindo Silva, leu uma pequena história do CCPM, e introduziu a homenagem ao Monsenhor Eduardo Resendes, que recebeu uma estátua com um Leão, das mãos de Gilberto Moniz.
O Monsenhor agradeceu o reconhecimento e até falou com grande sentido de humor do seu Sporting, clube do coração. Lembrou a comunidade de Mississauga, que serviu ao longo dos quase 40 anos, desde que emigrou em 1974. Começou por dirigir a comunidade religiosa na pároquia do Salvador do Mundo e terminou na paróquia de Cristo, de que foi fundador.
Eduardo Resendes referiu: ''Também pretenço às familías da nossa comunidade portuguesa de Mississauga, servindo nos bons e maus momentos das vossas vidas, entrando em vossas casas. Muito obrigado pelo vosso reconhecimento!''.

A presidente da Câmara de Mississauga, Hazel McCallian, teceu grandes elogios ao CCPM, repetindo várias vezes no seu discurso, que, ''A comunidade portuguesa de Mississauga deve estar verdadeiramente orgulhosa, pelo Centro Cultural que dispõe nesta nossa cidade, o melhor e mais amplo e luxuoso salão, que hoje, não só serve a comunidade portuguesa, mas também outras comunidades que arrendam estas intalações para várias celebrações. Além disso, têm a melhor e mais moderna igreja (Cristo Rei), mesmo no coração da cidade, pelo que devem estar muito felizes pelas vossas raízes e por aquilo que conseguiram concretizar na nossa cidade. Parabéns a todos. A união faz a força e a comunidade portuguesa dá provas disso, e deve estar orgulhosa. São 36 anos de sucesso, no Canadá, que esta instituição provou com esforço, amor e dedicação, a muitas outras comunidades''.
O ministro Peter Fonseca, esteve também presente, bem como Bob Lenay, representate do governo em Mississauga, e Manuel Sousa, em representação do Cônsul Geral de Portugal em Toronto, que leu a mensagem na qual congratulava o CCPM e o Monsenhor Resendes. Estiveram ainda presentes dois grandes amigos e colegas de Eduardo Resendes, o Pe. Janeiro e Fernando Pinto.

O majestoso Bolo de Aniversário foi cortado, pela presidente da Câmara de Mississauga, Hazel McCallian e pelo Monsenhor Resendes, na companhia de Gilberto Moniz e sua esposa, de Armindo Silva e de Bob Lenay.
No final das cerimónias, teve início do serão dançante, com música abrilhantada pelo conjunto ''Mexe Mexe''. Os convivas ocuparem e encheram rápidamentea pista de dança.
Foi mais uma noite memoravél para a comunidade portuguesa de Mississauga.
Por parte do ''O Milhafre-Notícias'' endereçamos os parabéns ao CCPM pelo 36º Aniversário. Que venham muitos mais anos de sucesso. Bem Hajam!
- João G. Silva.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

''Arraial de São Martinho'' no CCPM - Canadá


CENTRO CULTURAL PORTUGUÊS DE MISSISSAUGA

''Augusto Canário e Amigos'' e Dulce Guimarães animaram o Arraial de São Martinho no CCPM
O empresário luso-Canadiano, Eduardo Vieira, do ''Hollowood Sports & Entertiment'', trouxe mais uma vez ao Canadá, um elenco de artistas vindos de Portugal, para apresentar no Canadá, vários espectáculos a realizar neste país.
Com o tema ''Arraial à Portuguesa'', estes artistas actuaram em vários clubes e associações portuguesas no sul do Ontário, e trouxeram muita alegria e animação ás festas da comunidade luso-canadiana.
A primeira actuação, teve lugar no Centro Cultural Português de Mississauga, com o ''Arraial de São Martinho'', onde houve jantar, vinho e castanhas, e para animar a festa, cantaram Dulce Guimarães e ''Augusto Canário e Amigos'', fechando o serão o conjunto ''Além Mar'' , com música para dançar.

Texto: João G. Silva -Fotos de Alberto Nogueira.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Carlos César convidado a visitar Casa Branca

Obama convida Carlos César a visitar a Casa Branca
Carlos César foi convidado pelo Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a visitar a Casa Branca numa próxima deslocação àquele país. O convite foi endereçado ao Presidente do Governo Regional dos Açores no âmbito de um encontro informal realizado após a conferência de imprensa conjunta do Presidente Obama e do Primeiro-Ministro, José Sócrates, que se seguiu à reunião alargada, em S. Bento, das delegações portuguesa e americana.
Barack Obama e Carlos César falaram sobre a importância estratégica da Base das Lajes, tendo o Presidente norte-americano destacado a numerosa comunidade açoriana residente no seu país e o papel relevante que os açorianos têm desempenhado na sua história, citando especificamente o caso do Havai, estado de onde é natural e em cuja colonização os açorianos foram pioneiros. Do “staff” que acompanhou o Presidente dos EUA no encontro faziam parte o Assessor Político David Simas e o Fotógrafo Oficial Pete Souza, ambos de ascendência açoriana.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Lajes do Pico, Açores: Aniversário da Adiaspora.com


A Vila Baleeira recebe Comemorações do 9º aniversário do portal Adiaspora.com
Nos dias 23 e 24 de Outubro último, com o intuito de celebrar nove anos de actividade na senda da divulgação e promoção da cultura lusa, o projecto virtual luso-canadiano, Adiaspora.com, levou a efeito, nas Lajes do Pico, Açores, um seminário subordinado ao tema “Confluências da Alma Lusa” .
NOÇÃO DO TEMPO
Foi o título escolhido por mim, para introdução desta palestra, no 9º. Aniversário do portal ''Adiaspora.com'' - Manuel Martins.
Lajes do Pico, a ''Vila mais antiga que até algum tempo atrás, era conhecida por ''Vila Cultura''.
Hoje, ''Vila Baleeira'', turísticamente falando!

No despertar das brumas, aqui a venho encontrar, jovem, esbelta e mais linda, de quando por aqui, eu andei.
- Sou parte desse tempo, desse passado, quando esta vila vivia a euforia da caça à baleia. Conheci muitos desses baleeiros, acompanhei as suas vivências e, embrenhei-me nas suas histórias.
- Tenho conhecimento que está colocado lá fora no Caneiro um monumento com alguns nomes. Os nomes que eu vou citar aqui, são os que eu conheci de perto, que poderam não estar lá resgistados.
Por exemplo:
O oficial mestre, João Abrão, Francisco Pé-leve, Domingos Inteiro, Manuel da Emília, João Luís, Manuel Silveira Carvão, José Alves, António Ritinha, António Vieira, Manuel José Machado, José Pereira Bagaço, Albertino José Machado, João Bagaço, Francisco Bruques, Tiauguinha Francisco Machado ´´Barbeiro´´, Manuel Moniz Barreto, Manuel Caiador, João Monteiro, Marino Machado, Manuel Macêdo Portugal, José Severa, Francisco Bento, Velmano Carvão, Manuel Palim, Manuel Belém, Francisco Adelino e Manuel Ávila Zézinho.
Mas há muitos outros que balearam antes e depois destes que menciono, que contribuiram com o seu suor e o seu sangue, para o nome histórico que esta vila hoje, ostenta.
‘’Confluências da Alma Lusa’’, foi o título escolhido por o director de Adiaspora.com para celebrar nove anos de divulgação da lusitanidade no mundo da diaspora. Hoje, estamos aqui nesta avoenga ‘’Vila Baleeira’’, a celebrar mais um aniversário, o nono desta jornada.
Minhas senhoras e meus senhores!
- Antes de me alongar quero comprimentar todos os presentes e agradecer ao sr. José Ilídio Ferreira dignissimo presidente de Adiaspora.com, por ter-me convidado a participar nesta data efeméride.
- Vou falar-vos das recordações que guardo, quando a caça da baleia estava no seu auge, porque andei por aqui nesses tempos quando era menino e moço.
Guardo ainda o cheiro do azeite (óleo), quando derretiam o toucinho daqueles monstros marinhos, lá fora no Caneiro, assim como os odores dos resídios que o sol lentamente ia deteoriando. Tudo isto antes da (SIBIL), a fábrica de aproveitamento dos derivados da baleia se instalar ali para os lados da Ribeira do Meio, no portinho. Este cheiro de que vos falo, continua ainda impregnado na minha memória.
Nasci ali ao lado na freguesia de São João, onde de lá parti á mais de 4 décadas. A freguesia com o santo do mesmo nome, ainda lá continua entre os cabeços da minha infância.
As vivências de agora são diferentes das do meu tempo. Com a transformação da freguesia a arquiologia foi desaparecendo o mesmo está acontecendo, ao burgo desta vila. Só quem está ausente como eu, que não acompanhou o progresso, é que vê, a diferença.
Por exemplo, o lugar do Caneiro onde arrastavam as baleias para a rampa para serem esquartejadas, está tudo limpo e arrumado, na orla baixa junto ao mar de onde as tempestades assoladas por vento sul, convidavam o mar a galgar a terra, está agora protegida com um molhe de defesa. Os baixios da zona da carreira que dificultavam a entrada das embarcações em dias de mau tempo, foram em parte iliminados. Cá dentro na lagoa nasceu uma marina que veio embelezar aquele espaço de águas tranquilas, acontecendo o mesmo às casas dos botes que depois de restauradas instalaram um ‘’Museu’’ dedicado a estes heróis do mar de que vos falo, os ‘’Baleeiros’’.
As ruas estão revestidas com asfalto e ladeadas de lojas com um comércio moderno, até o castelo, ou forte de Santa Catarina, lá fora à entrada da vila, também foi recuperado.

- Os lajenses estão de parabéns!...
Estou á quase 50 anos ausente destas paragens. Esta palestra é um despertar no tempo, o meu português é fraco, a 4ª classe de há 70 anos. Aliás, afastado da língua materna, numa terra estrangeira há tantos anos, tive de lutar comigo próprio, para a não esquecer o que ninguém avaliaria quanto custa a não ser, que tenha passado por o mesmo. Neste mar aberto sobrevivi lendo tudo o que era válido e foi escrevendo ao ritimo do meu sentir.
- Não tive a sorte desta nova geração, mormente os que nasceram depois de 1974. A revolução dos cravos de 25 de Abril, deu a todos os portugueses a oportunidade de estudarem, mesmo os sem recursos. No meu tempo poucas pessoas iam estudar, os recursos da terra mal chegavam para o sustento das familias, para alguns eram bastante escassos, porque sem possuiram terras de cultivo não podiam obter forma de subsistência para ganharam o seu pão, iam trabalhando dia a dia para os propriétarios mais abastados de sol a sol e sem requesitos. Muito embora eu tivesse vontade para os estudos os meus pais não me puderam dar, fiquei agarrado a quanto esta terra me podia oferecer, tal como a outros da minha geração.
Os caminhos desta ilha, vão todos dar ao mar, estrada aberta que os baleeiros nela se aventuraram e lá iam mar fora caçar esses monstros marinhos, a baleia. Para outros era a tentação da aventura, e partiram para longe à procura de uma melhor forma de substência. Uns voltaram, mas outros, por lá ficaram perdidos para sempre na distância.
- Eu escolhi essa aventura, não sabendo o que me esperava para além do horizonte. Parti levando o coração cheio de saudades da terra, onde pela força imperiosa do destino, tive que deixar mulher e filho. Aconteceu numa manhã do mês de Março do ano de 1966, uma arragem fresca soprava direito do sopé da ‘’montanha’’ para a baía desta vila. O paquête ‘’Lima’’ da Empresa Insulana de Navegação tinha deitado âncora ali em frente à Ribeira do Meio a uma milha da costa, aproximadamente. Acciono os retroactivos da memória e recordo que tinha pouco mais ou menos 5 anos, quando o vi pela primeira vez. Este barco fazia parte de mim, agora, está prestes a terminar as suas viagens entre ilhas.
O povo tinha apelidado as suas chegadas de dia de ‘’São Vapôr’’. Juntava-se muita gente, uns para despachar mercadorias, outros para vêr quem chegava e quem partia.
Naquele tempo, a chegada deste vapôr era um dia de festa. Encontravam-se amigos que se espalhavam por toda a vila, mormente pelos estabelicimentos do sr. Edmundo Ávila e do sr. José Rocha, o mais próximo da casa dos botes, e por isso o mais acessivél para os que não queriam afastar-se muito da área dos embarques e de desembarques. Notava que o botequim do sr. José Rocha era o lugar escolhido para quem vinha das freguesias para comer um pedaço de pão com queijo de São Jorge, ou uma lata de sardinhas, ou um outro petisco de ocasião fisgado por algum baleeiro amigo na baixa-mar. Outros, preferiam o Café do sr. Edmundo Ávila onde o cheiro intenso do café puro atraía as pessoas mais intelectuais e com gostos definidos. Dizia-se que o Café do sr. Edmundo Ávila era o mais frequentado por a burguesia desta vila, ainda outros ficavam a olhar o vapôr e as lanchas ‘’Lourdes’’ e ‘’Herminia’’ num vai-vém constante rebocando batelões atrelados levando e trazendo passageiros e mercadorias.
Terminado o serviço de bordo, o vapôr apitou produzindo um som estrepitoso de um dó menor prolongado. Era o som de todos os navios daquele tempo, ainda movidos a carvão, a chamar os passageiros para o embarque.

- Tinha chegado a minha hora.
Depois do embarque, o vapor ‘’Lima’’ fez-se ao largo, saudando com outros apitos convencionais, esta ilha, que ele vinha servindo há muitos anos. Velhinho, mas orgulhoso da missão cumprida, lá prosseguio viagem, atarracado de peso e adornado para bombordo com sua marcha rouçeira, pouco a pouco, foi-se distânciando desta ilha montanha o ‘’Pico’’ dos Açores.
Escalou a ilha Terceira, cidade de Angra e chegou ao amanhacer a Ponta Delgada, ilha de São Miguel.
Um carro de aluguer me transportou a uma pastagem de gado bovino, que era conhecido no tempo de (aéro-vacas), o único aeroporto da ilha de São Miguel.
Como os tempos mudaram! Recordar é viver! Já nos diziam os nossos antepassados...
- Vou continuar relatando esta enovidavél história.
Uma pequena avionete de 6 passageiros nos esperava. Era dos primeiros pintos da Sata de hoje. Não havia torre de control, um saco comprido afunilado, indicava a posição do vento e com o motor em marcha sobre um terreno virgem não terraplanado como um gafanhoto aos saltos, levantamos vôo e pouco tempo depois aterrava-mos em Santa Maria, ao tempo julgo aeroporto internacional.
Foi daqui que um avião da (Canadian Pacific) acionado por 4 hélices me levou até ao Canadá ‘’aeroporto internacional de Toronto’’.
O meu primeiro contacto com o solo canadiano, foi o frio de uma primavera sem flores, mais arrepiante do que eu estava habituado aqui na ilha.
Algum tempo depois da minha chegada notei que não me identificava com os usos e costumes da minha nova terra adoptiva. Precissava encontrar um meio de me ligar á pequena comunidade portuguesa daquele tempo, mormente os imigrantes oriundos da ilha do Pico, Faial, Flores e Corvo, eram estas ilhas que formavam no tempo o ‘’distrito da Horta’’. – Não foi fácil mas a minha persistência me levou a um encontro dum ex-tipografo do antigo (jornal o Telégrafo da Horta) que me comunicou que o padre Cunha da igreja de Sta. Maria da cidade de Toronto queria organizar os distritos de Portugal continental e ilhas num desfile de carros alegóricos para comemorar o dia de Camões. Aliás o governo de Salazar tinha proibido tais manifestações em Portugal.
– Eu ofereci-me e com o meu amigo Manuel Rebelo o ex-tipografo de que vos falei apresentei os carros alegóricos referentes ao distrito da Horta de Junho de 1966 a Junho de 1970. Por vária razões de interferência da PIDE e da segurança do padre Cunha, termina-mos estes desfiles de carros alegóricos em 1970.
Os 4 anos que andei envolvido com os carros alegóricos, conheci quase todos os meus conterrâneos portugueses oriundos das ilhas dos Açores, mormente os do meu distrito que afinal era os que eu queria agrupar para criar um clube social e, assim aconteceu a 1 de Fevereiro de 1971. Fundei o clube Amor da Pátria com 179 sócios todos eles filhos do então distrito da Horta.
Em 1972 ajudei a fundar o ‘’Portuguese Canadian Integration Movement’’ e a 1ª Irmandade independente do Divino Espírito Santo de Mississauga, para poder integrar na sociedade canadiana os novos imigrantes e prestar-lhe ajuda, quer no campo de empregos, saúde, assuntos familiares e de imigração etc, etc.
Envolvi-me em outras associações e ainda continuo, como no Sport Clube Lusitânia e Associação Cultural 25 de Abril. Todas estas organizações estão sedeadas na cidade de Toronto e Mississauga no Canadá.
Resumindo:
Este convívio de hoje é o quinhão de um imigrante que se abriu para os seus conterrâneos, relatando as suas recordações de um tempo longínquo sem preocupações de escola literária, mas por amor á terra onde nasceu divulgou a nossa cultura, os nossos costumes e tradições em terras do Norte da América sem ajuda de governos.
‘’Confluências da Alma Lusa’’ é o envolvimento que nós imigrantes temos dado a conhecer a outros povos. Os nossos costumes, as nossas tradições e a nossa cultura.
Como estou prestes a terminar e o assunto desta palestra era as baleias, os baleeiros e, esta vila que ostenta o nome de todos eles.
- Há apenas uma memória magoada que guardo das minhas façanhas dos homens que balearam aqui neste porto. Esta memória está relacionada com o acidente da fatídica manhã do dia 15 de Agosto de 1948, quando os botes desta vila precediam á caça da baleia no alto-mar.
Tinha chegado á poucos dias do serviço militar e, estava nas Lajes para tratar de assuntos no Registo Civil lá em cima no convento, quando me encontrei com o carismático ‘’Tibita’’ que vinha da vigia e me contou que o bote do mestre Manuel Moniz Barreto, tinha perdido o trancador Francisco Burques, borda fora, entrelaçado na linha da baleia, mas que o corpo já tinha sido recuperado porque a baleia tinha sido retrancada pelo bote do mestre esperiente ‘’Nossa Senhora de Fátima’’ e os seus marinheiros, sr. Albertino José Machado e seu irmão, Marino, ao recolherem as linhas depois da baleia morta encontrando o corpo do malogrado entrelaçado nelas.
O sr. Albertino com 87 anos e seu irmão Marino José Machado com 83 estão ainda vivos e residem na cidade de Toronto no Canadá.
Em homenagem a todos estes homens do mar, que com o seu suor, o seu sangue e alguns com as suas vidas, deram o seu nome que ficou p´rá história, como cartaz turistico desta ‘’Vila’’...
Vou declamar 8 poemas do saudoso escritor e poeta ‘’ Dias de Melo’’ do seu primeiro livro,
’Toadas do Mar e da Terra’’, (Canção Baleeira).
Baleia! Baleia á vista!
Baleia! Ouvimos gritar.
É na baía da vila,
longe no prego do mar!
Quando o foguete estraleja,
lá em riba, na vigia,
nos olhos dos Baleeiros
há chamas de valentia.

- Ó mulher! Dá-me a comida!
Vá, que a lancha já começa
a roncar! Dá-me esse pão,
mulher! Depressa! depressa!

E o Baleiro caminha:
parece um louco, um leão,
a quem tivessem quebrado
os ferros duma prisão.

Vamos também ver partir,
os botes para a baleia.
Hoje cessam os trabalhos
do povo da minha aldeia.

Todos somos baleeiros:
tanto os que vão balear,
como os que ficam, em terra,
de olhos pregados no mar.

E os Baleeiros lá vão...
- Botes de velas erguidas.
Aves de sonho e aventura,
por sobre as ondas perdidas.

- Lá vão!... lá vão... no horizonte!...
Ai! Quantos! Quantos largaram
do porto... Quantos! E nunca
mais... ai! Nunca mais!... voltaram.
Por: Manuel Martins.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Campeonatos: II e III divisões / Sul - Série Açores


CAMPEONATO DA 2ª. DIVISÃO - ZONA SUL:
FARENSE, 2 - OPERÁRIO, 2
Marcar e não segurar
O Operário esteve por duas vezes na frente do marcador mas em nenhuma delas conseguiu segurar os três pontos. Futebol praticado pelos fabris merecia melhor resultado.
O Operário somou um ponto na deslocação a Faro para defrontar o Farense em partida da oitava jornada do campeonato da II divisão, zona Sul, mas o empate a dois golos sabe a pouco tendo em conta o futebol praticado e o facto da formação orientada por Francisco Agatão ter estado por duas vezes na frente do marcador.
Os fabris entraram praticamente a vencer pois logo no primeiro minuto, e na sequência de um livre, Evandro apareceu na área a cabecear para o 1-0. Os festejos duraram pouco porque aos seis minutos Zambujo restabeleceu a igualdade.
A turma de Lagoa não baixou os braços e a na resposta ao golo sofrido criou oportunidades para voltar a colocar-se na frente mas o intervalo chegou sem que o marcador sofresse mais alterações. Mexidas só mesmo depois do descanso, e na recta final do desafio, aos 79 minutos, quando Fabrício, lançado em profundidade, isolou-se e bateu Serrão.
A vitória parecia garantida mas a quatro minutos do final da contenda o Farense conseguiu restabelecer nova igualdade, com Kev a marcar e a retirar dois merecidos pontos ao pecúlio fabril.
FC MADALENA, 1 - CASA PIA, 0
Madalena soma mais três pontos em casa

A equipa do Madalena voltou a não ceder pontos no seu reduto e venceu a jovem equipa do Casa Pia por uma bola a zero num tento que só se concretizou de grande penalidade intermédio de Rui Rainho.
Na primeira parte as equipas encaixaram-se tacticamente num jogo bem disputado e centrado no meio campo não havendo lances evidentes de golo para ambas as partes.
Na segunda parte esperava-se um jogo mais aberto, mas inicialmento não foi o que aconteceu tendo sido mesmo a equipa forasteira a controlar os minutos iniciais. O golo dos picarotos surgio após assinalada uma grande penalidade de Pedro Augusto que meteu a mão na bola e Rainho não desperdiçou.
Se até ao momento o jogo estava complicado para os pupilos de Vitor Moia mais ficou quando Beto aos 70m é expulso por agressão a um adversário, apartir dai os continentais deram tudo por tudo mas a equipa da casa sobe segurar bem a vantagem e a conquista dos três pontos.
Resultados da 8ª jornada:
At. Reguengos, 1 - Praiense, 0
Louletano, 2 - AD Mafra, 0
Madalena, 1 - Casa Pia, 0
Real, 0 - Atlético CP, 1
Juv. Évora, 1 - Carregado, 0
Oriental, 1 - Pinhalnovense, 1
Torreense, 1 - Lagoa, 0
Farense, 2 - Operário, 2
CLASSIFICAÇÃO:
Pos. Equipa ........ J V E D GM-S P
1. Atlético CP ..... 8 6 2 0 14 - 5 20
2. Juv. Évora ..... 8 5 2 1 10 - 4 17
3. Operário ....... 8 4 3 1 14 - 9 15
4. Torreense ....... 8 4 3 1 8 - 6 15
5. Louletano ...... 8 3 4 1 10 - 6 13
6. FC Madalena .... 8 4 0 4 7 - 5 12
7. AD Mafra ....... 8 3 3 2 11-12 12
8. Carregado ...... 8 3 1 4 10 -10 10
9. Pinhalnovense.... 8 2 4 2 7 -10 10
10. Oriental Lisboa . 8 2 4 2 6 - 7 10
11. At. Reguengos .. 8 3 0 5 7 -11 9
12. Real Massamá .. 8 2 2 4 8 - 9 8
13. Casa Pia ........ 8 2 2 4 8 -10 8
14. Farense .......... 8 1 5 2 5 - 8 8
15. Lagoa ............ 8 1 1 6 1 - 6 4
16. Sp. Praiense ..... 8 0 2 6 5 -13 2
Próxima Jornada (9ª) 2010-11-28:
At. Reguengos - Louletano
AD Mafra - FC Madalena
Casa Pia - Real Massamá
Atlético - Juventude Évora
Carregado - Oriental
Pinhalnovense - Torreense
Lagoa - SC Farense
Sp. Praiense . Operário
3ª. DIVISÃO - SÉRIE AÇORES:
Tudo igual na frente

Resultados da 8ª. jornada:
Sp. Ideal, 3 - Vilanovense, 0
Capelense, 1 - Prainha FC, 0
Angrense, 1 - Santiago FC, 1
U. Micaelense, 0 - Lusitânia, 0
Vitória FC, 0 - Boavista SM, 1
CLASSIFICAÇÃO:
L Equipa ......... J V E D GM-S P
1º SC Angrense .. 8 5 2 1 19 - 8 17
2º SC Lusitânia ... 8 3 4 1 13 - 6 13
3º Santiago FC .... 8 3 4 1 10 - 8 13
4º U. Micaelense .. 8 3 3 2 9 -19 12
5º Prainha FC ...... 8 3 2 3 6 - 6 11
7º Boavista S.M.... 8 2 4 2 7 - 9 10
9º Sporting Ideal . 8 2 3 3 13 -12 9
8º Capelense ....... 8 2 3 2 10 -10 9
6º Vilanovense ..... 8 2 2 4 5 -12 8
10º Vitória Pico .... 8 0 3 5 2 -12 3
9ª. Jornada - 28/11/2010:
Vilanovense - Capelense
Prainha FC - Angrense
Santiago - U. Micaelense
Lusitânia - Vitória do Pico
Boavista S.M. - Sp. Ideal
3ª. DIVISÃO - SÉRIE MADEIRA:
Cruzado Canicense lidera isolado
Resultados
da 8ª. jornada:
Portosantense, 3 - Bom Sucesso, 1
Juventude Gaula, 2 - Canicense, 4
Santana, 2 - Câmara de Lobos, 1
1.º de Maio, 0 - Ribeira Brava, 2
Os Xavelhas, 0 - Machico, 8
Santacruzense, 2 - Estrela Calheta, 1
CLASSIFICAÇÃO: 1º Cruzado Canicense, 20 pontos; 2º Ribeira Brava, 18; 3º Estrela da Calheta; 4º Machico, 14; 5º 1º de Maio, 12; 6º Santana, 11; 7º Juventude de Gaula; 8º Santacruzense, 10; 9º Portossantense; 10º Câmara de Lobos, 9; 11º Xavelhas, 4; 12º Bom Sucesso, 2 pontos.

Selecções: Portugal goleou campeões do mundo


PORTUGAL, 4 - ESPANHA, 0
Portugal de sonho goleia Espanha
Portugal venceu esta quarta-feira a Espanha, por 4-0, em jogo particular que serviu de promoção a candidatura ibérica aos Campeonatos do Mundo de 2018 e de 2020, mas inseriu-se também no Centenário da República portuguesa.
Portugal goleou a Espanha por 4-0 e vingou assim a derrota sofrida no Campeonato do Mundo 2010. A formação das quinas foi superior durante todo o encontro, disputado no Estádio da Luz, e acabou por vencer de forma expressiva a Campeã do Mundo e da Europa. Hélder Postiga, por duas vezes, Carlos Martins e Hugo Almeida fizeram os tentos da formação das quinas.
Hoje a noite foi de Portugal. Numa partida muito bem disputada no Estádio da Luz, os pupilos de Paulo Bento fizeram tudo bem e triunfaram com toda a justiça sobre a formação orientada por Vicente del Bosuqe.
Esta foi a maior vitória de sempre de Portugal frente à Espanha. E se o resultado foi de 4-0, podia ter sido mais, não tivesse sido anulado (erradamente) o golo, e que golo, a Cristiano Ronaldo aos 37 minutos de jogo. Piqué e Casillas também contribuiram para o resultado "pouco avolumado" face às oportunidades de golo criadas.
Carlos Martins abriu o marcador à beira do intervalo e deu o mote para a goleada que viria a surgir no segundo tempo. Mas antes disso, Cristiano Ronaldo já tinha colocado a bola para lá da linha de golo, numa jogada digna de "melhor do Mundo". E Piqué já tinha tirado o golo a Carlos Martins em cima da linha de golo. Aliás, tal como Casillas.
No primeiro tempo, Eduardo quase não teve trabalho. Houve dois remates muito perigosos, por Iniesta, aos 11 minutos, e Silva, aos 31.
Após o intervalo, Hélder Postiga dilata a vantagem para Portugal logo aos 49 minutos, num golo de calcanhar, depois de um passe fabuloso de Nani a desmarcar João Moutinho, que acabou por fazer o cruzamento. O mesmo Hélder Postiga viria a marcar aos 68 minutos, altura em que se começaram a ouvir "Olés" do público português nas bancadas.
Hugo Almeida, que entrou aos 76 minutos, ainda teve tempo de deixar a sua marca no encontro, com um golo à ponta de lança, depois de grande passe de Danny.
Depois da derrota no Mundial da África do Sul, Portugal teve esta noite oportunidade de se vingar de "nuestros hermanos". A selecção das quinas está de parabéns.

Ficha de Jogo
FIFA: Particular de Selecções
Estádio da Luz, Lisboa
Árbitro: Anthony Gautier (França)
Portugal - Eduardo; João Pereira, Ricardo Carvalho, Bruno Alves e Bosingwa; Raul Meireles, João Moutinho e Carlos Martins; Cristiano Ronaldo, Hélder Postiga e Nani.
Suplentes: Rui Patrício, Pepe, Miguel Veloso, Danny, Paulo Machado, Manuel Fernandes e Hugo Almeida.
Seleccionador: Paulo Bento.
Espanha - Casillas; Sergio Ramos, Piqué, Puyol e Capdevila; Busquets, Xabi Alonso e Xavi; Silva, Villa e Iniesta.
Suplentes: Reina, Victor Valdés, Raúl Albiol, Marchena, Fernando Torres, Fábregas, Arbeloa, Pedro, Llorente, Javi Martinez e Cazorla.
Seleccionador: Vicente Del Bosque.
Golos: Carlos Martins (44'), Sergio Ramos (p.b., 48'), Hélder Postiga (68'), Hugo Almeida (92').

Cristiano Ronaldo - «Até um cego vê que era golo!»

O capitão da selecção portuguesa, Cristiano Ronaldo, depois da soberba exibição frente à Espanha e de ter apontado um memorável golo (anulado) mostrou-se constrangido com essa situação.
«Não sei e é coincidência ou não, mas os meus melhores golos na carreira têm sido na selecção e anulados. Lembro-me de um jogo no Estádio do Bessa onde marquei um de bicicleta e anularam-no. A bola tinha entrado meio metro na baliza. Não entendo porquê. Esta noite não há palavras. Até um cego vê que era golo!», disse Cristiano Ronaldo, enaltecendo a atitude do grupo.
«A equipa está de parabéns! Mostramos que temos uma boa equipa. Não há milagres, trata-se, simplesmente, de coisas simples, processos simples, com que os jogadores se sentem bem. Há que dar mérito ao treinador Paulo Bento e aos jogadores», reiterou o capitão.
Sobre o derby espanhol, dentro de semana e meia entre Real Madrid e Barcelona, Cristiano Ronaldo afirma que o jogo desta noite nada terá a ver.
«Não vai haver problema nenhum. Este foi um jogo amigável. Ambas as equipas queriam ganhar. Amanhã não vão esquecer este jogo, o que não vai ser fácil, afinal fizemos quatro golos à Espanha», rematou.
As constantes críticas a José Mourinho mereceram também um comentário taxativo: «Toda a gente tem inveja do Mourinho, é normal, ele é o melhor, têm de dizer coisas estúpidas»

Informação Desportiva dos Açores


Grupo Desportivo de São Roque 2010-11:
FUTEBOL REGIONAL - ILHA DE SÃO MIGUEL:
FINAL da TAÇA de HONRA da AFPD:
GD São Roque, 3 - Rabo de Peixe, 2
São Roque conquistou a taça de Honra
A equipa senior do Grupo Desportivo de São Roque, conquistou a Taça Honra após ter vencido o Clube Desportivo Rabo Peixe por 3-2, no Complexo Desportivo do campo de jogos das Furnas, com golos da equipa vencedora a serem apontados por Hugo Rego, 37, 112 e Ananas aos 109 minutos.
Num jogo bastante emotivo e movimentado, com boas oportunidades de golos para ambas as equipas, os ''amarelos'' de São Roque foram os justos vencedores, fruto da boa organização, entrega e espirito de sacrificio de todos os atletas, perante um forte adversário que valorizou a nossa primeira conquista. O forte apoio dos adeptos do GD São Roque foram fundamentais para esta conquista.
TAÇA ANIVERSÁRIO DA AFPD - FINAL:
Águia conquista a taça aniversário
A equipa do Águia Clube Desportivo dos Arrifes, venceu a final da Taça Aniversário da AFPD, ao golear o Bota Fogo por 4 -1.
Resultado da Final:
Águia CD , 4 - Bota Fogo, 1
CAMPEONATO DA TERCEIRA:
Juv. Lajense bate Boavista e isola-se
Resultados da 5ª. jornada:
Juv. Lajense, 2 - Boavista CR, 1
GD Fontinhas, 1 - SC Barreiro, 1
Folgou: Os Marítimos.
CLASSIFICAÇÃO:
L EQUIPAS ..... J V E D GM-S P
1º Juv. Lajense ...4 3 1 0 5 - 2 10
2º Boavista CR ...4 2 1 1 7 - 4 7
3º Os Maritimos .....4 1 3 0 5 - 4 6
4º SC Barreiro ......4 0 2 2 3 - 6 2
5º GD Fontinhas.... 4 0 1 3 4 - 8 1
6ª. Jornada - 28-11-2010:
Maritimos - Boavista CR
Juv. Lajense - SC Barreiro
Folga: GD Fontinhas.
CAMPEONATO DA GRACIOSA:
Sp. Guadalupe aumenta vantagem
Resultados da 6ª. jornada:
GD Luzense, 3 -Graciosa FC, 0
Guadalupe 2 - SC Marítimo, 1
CLASSIFICAÇÃO:
L EQUIPAS ...... J V E D GM-S P
1º Sp. Guadalupe.. 6 4 2 0 12 - 6 14
2º SC Marítimo... 6 2 2 2 9 - 9 8
3º GD Luzense.... 6 2 1 3 11 -11 7
4º Graciosa FC ...6 0 3 3 4 - 9 3
7ª. jornada - 21-11-2010:
Sp. Guadalupe - Luzense
Maritimo - Graciosa FC
CAMPEONATO DE SÃO JORGE:
Marítimo Velense e Calheta venceram

Resultads da 1ª. jornada:
Urzelinense, 1 - Maritimo, 3
Calheta, 1 - Desp. Velense, 0
CLASSIFICAÇÃO:
L EQUIPAS ...... J V E D GM-S P
1º Maritimo Vel. ..1 1 0 0 3 - 1 3
2º FC Calheta .....1 1 0 0 1 - 0 3
3º Desp. Velense ..1 0 0 1 0 - 1 0
4º Urzelinense .....1 0 0 1 1 - 3 0
CAMPEONATO (AFH) - FAIAL/PICO:
Fayal Sport isolou-se
Resultados da 5ª. jornada:
GD Feteira, 2 - Desp. Lajense, 1
Fayal Sport, 1 - FC Flamengos, 0
Folgou: CD Cedrense.
CLASSIFICAÇÃO:
L EQUIPAS ...... J V E D GM-S P
2º Fayal Sport ...4 3 1 0 6 - 2 10
1º Flamengos ....4 2 1 1 8 - 5 7
4º Cedrense ......4 1 1 2 4 - 6 4
3º CD Lajense ...4 0 3 1 5 - 6 3
5º GD Feteira ....4 1 0 3 3 - 7 3
6ª. Jornada - 21-11-2010:
Cedrense - Desp. Lajense
GD Feteira - FC Flamengos
Folga: Fayal Sport.

domingo, 14 de novembro de 2010

Liga Orangina: Santa Clara vence Gil Vicente


LIGA ORANGINA - 2010/2011:
SANTA CLARA, 3 - GIL VICENTE, 1
Santa Clara quebra invencibilidade do Gil Vicente
O Santa Clara quebrou este sábado a invencibilidade do Gil Vicente na época 2010/2011, derrotando a equipa de Barcelos por 3-1, em jogo da 8.ª jornada da Liga Orangina.
AÇORIANOS CONTINUAM SEM PERDER EM CASA
Os encarnados de Ponta Delgada, ainda sem perder em casa, inauguraram o marcador aos 46 minutos, pouco antes do líder do campeonato ter ficado reduzido a 10 jogadores, devido à expulsão de Cláudio, punido por ter agarrado Monteiro isolado.
A vitória do Santa Clara, assegurada apenas na 2.ª parte, foi garantida por 2 golos de Moreira e 1 de Monteiro.
Com uma ofensiva bem organizada, a equipa de Barcelos criou melhores oportunidades de golo na primeira parte do encontro, caracterizada por um jogo dividido e disputado em todo o campo.
Rodrigo Galo atirou à trave da baliza de Ney aos 28 minutos, proporcionando uma defesa difícil ao guarda-redes encarnado pouco depois.
A melhor oportunidade do Santa Clara antes do intervalo ocorreu aos 24 minutos, quando Monteiro obrigou Murta a uma defesa em esforço.
No regresso dos balneários, Monteiro inaugurou o marcador, atirando em arco fora da área, com o guarda-redes do Gil Vicente ainda a tocar na bola.
Com a equipa de Barcelos reduzida a 10 jogadores, o Santa Clara aumentou a pressão ofensiva, tendo Monteiro atirado à trave da baliza de Murta aos 57 minutos.
O segundo golo encarnado foi apontado por Moreira, que se isolou, batendo Murta com facilidade, aos 72 minutos.
Na sequência de um canto, o Gil Vicente reduziu para 2-1, por intermédio de Daniel, mas, na resposta, Moreira voltou a marcar, aproveitando um cruzamento na área de Platini.
Estádio de São Miguel: Ponta Delgada, Açores.
Árbitro: Hugo Miguel (Lisboa).
Santa Clara: Ney, Diogo Silva, Monteiro, Moreira, Vítor Alves, Fajardo (Platini, 72'), Renato (Tengarrinha, 82'), Ilic, Nélson, Alex (Pacheco, 45') e Gabi.
Gil Vicente: Murta, Rodrigo Galo, Sandro, Daniel, André Cunha, Cláudio, Luís Carlos (Hugo Vieira, 67'), Luís Manuel (João Vilela, 60'), Júnior Caiçara, Richard (Carlitos, 76') e Ramazotti.
Acção disciplinar: Cartão amarelo para Monteiro (26'), André Cunha (32'), Daniel (66'), Ramazotti (72') e Nélson (90'). Vermelho direto para Cláudio (58')

sábado, 13 de novembro de 2010


CAMPEONATO DA 2ª. DIVISÃO - ZONA SUL:
OPERÁRIO, 1 - TORREENSE, 2
Operário sofre primeira derrota em casa
Primeira derrota do Operário nasceu de lances de bola parada. Reacção à desvantagem resultou no empate mas ficou por assinalar a expulsão de Marçal no lance da penalidade.
O Operário consentiu a primeira derrota no campeonato da II divisão ao perder, em casa, frente ao candidato Torreense, por 1-2, adversário que mostrou na Lagoa a forma cínica como encara os jogos, procurando acima de tudo tirar partido dos erros contrários.
As duas equipas entraram em campo a respeitarem-se mutuamente mas com o Operário a procurar assumir as rédeas do encontro. A formação de Francisco Agatão tentava colocar a bola sobre o relvado e procurava sair a jogar mas passes mal direccionados e recepções menos conseguidas iam adiando o assumir do encontro.
Espreitando o contra-ataque, o Torreense era uma equipa matreira como ficou vincado no remate de Chico, na zona da meia-lua, que levou a bola a embater no poste direito da baliza defendida por Armindo. Na resposta, os locais soltaram-se e Jorginho foi à linha cruzar mas Fabrício chegou ligeiramente atrasado para a emenda final.
Sem receio de recorrer à falta sempre que necessário, a turma de Paulo Torres travava as linhas de construção ofensiva fabris e colocou-se em vantagem num lance de bola parada. Livre em zona frontal e o defesa-esquerdo Marçal a rematar colocado e rasteiro para o 0-1.
Faltavam três minutos para o intervalo e só depois do descanso é que os fabris responderam à desvantagem, restabelecendo a igualdade através de uma penalidade convertida por Fabrício que castigou derrube de Marçal sobre o mesmo Fabrício. Não fosse o equívoco do árbitro que admoestou David em vez do infractor e o Torreense ficaria a jogar com menos uma unidade pois seria o segundo amarelo para Marçal.
Com o restabelecer da igualdade o Operário cresceu e poderia ter conseguido a reviravolta num rápido contra-ataque conduzido por Ruben Rodrigues que cruzou para Fabrício rematar em zona frontal mas cima da baliza defendida por Tiago.
Perto do final do encontro e novamente de bola parada, Tozé tirou partido de um livre para desviar a bola para o 1-2 final. O resultado é sinónimo da eficácia que os continentais revelaram mas o empate assentaria melhor àquilo que as duas equipas produziram, principalmente ao Operário que teve sempre mais iniciativa.
ATLÉTICO CP, 1 - FC MADALENA, 0
Madalena mantém malapata nos jogos fora

Numa tarde com tempo típico de Outono o líder invicto Atlético recebeu o Futebol Clube da Madalena no velhinho e mítico estádio da Tapadinha no bairro de Alcântara em Lisboa.
Apesar de se apresentar como líder invicto, a equipa da casa mostrou sempre muito respeito e até algum receio do seu opositor, facto bem patente na forma como, mormente na segunda parte tentou guardar a bola e gerir o tempo, por forma a tentar não proporcionar qualquer iniciativa de jogo aos picarotos.
A verdade é que a equipa de Vitor Móia foi, no cômputo geral, melhor que o seu adversário desde o apito inicial mas faltava-lhe, principalmente na primeira parte, mais objectividade na direcção da baliza contrária.
Um pouco contra a corrente do jogo, aos 17min de jogo, aproveitando uma falha de Samiro a equipa da casa acabou por inaugurar o marcador, por intermédio de Ailton, na primeira vez que rematou à baliza de Igor, facto que viria a revelar-se decisivo para o desfecho do jogo.
Se já na primeira parte a equipa picarota era melhor, após o intervalo, com as alterações feitas o técnico do Madalena mostrou que queria de facto levar pelo menos um ponto do campo do líder. A verdade é que os picarotos tiveram, principalmente na segunda metade, oportunidades para chegar à igualdade e, aparentemente, se tal tem acontecido cedo o desfecho poderia ter sido bem diferente.
A equipa do Madalena está, de facto, num claro ascendente de forma e de entrosamento e fica a sensação que um resultado positivo fora de portas atirará a equipa para outros patamares neste campeonato…
Resultados da 7ª jornada:
Mafra, 2 - At. Reguengos, 1
Casa Pia, 1 - Louletano, 1
Atlético, 1 - FC Madalena, 0
Carregado, 3 - Real Massamá, 0
Pinhalnovense, 1 - Juv. Évora, 1
Lagoa, 1 - Oriental, 0
Operário, 1 - Torreense, 2
Sp. Praiense, 0 - Farense, 0
CLASSIFICAÇÃO:
Pos. Equipa ..... J V E D GM-S P
1. Atlético CP .....7 5 2 0 13 - 5 17
2. Operário .......7 4 2 1 12 - 7 14
3. Juv. Évora .....7 4 2 1 9 - 4 14
4. AD Mafra .....7 3 3 1 11-10 12
5. Torreense .....7 3 3 1 7 - 6 12
6. Louletano...... 7 2 4 1 8 - 6 10
7. Carregado .....7 3 1 3 10 - 9 10
8. FC Madalena ....7 3 0 4 6 - 5 9
9. Pinhalnovense ...7 2 3 2 6 - 9 9
10. Oriental .........7 2 3 2 5 - 6 9
11. Real Massamá .....7 2 2 3 8 - 8 8
12. Casa Pia .......7 2 2 3 8 - 9 8
13. Farense...... 7 1 4 2 3 - 6 7
14. At. Reguengos ....7 2 0 5 6 -11 6
15. Lagoa .........7 1 1 5 1 - 5 4
16. Sp. Praiense...... 7 0 2 5 5 -12 2
Próxima Jornada (8ª) 2010-11-14:
At. Reguengos - Sp. Praiense
Louletano - AD Mafra
FC Madalena - Casa Pia
Real Massamá - Atlético CP
Juventude Évora - Carregado
Oriental - Pinhalnovense
Torreense - Lagoa
Farense - Operário

Liga Orangina: Santa Clara empata na Póvoa


LIGA ORANGINA - 2010/2011:
VARZIM, 0 - SANTA CLARA, 0
Santa Clara empata e deixa 2 pontos na Póvoa
Varzim e Santa Clara empataram este domingo a zero, em encontro da 7.ª jornada da Liga Orangina, marcado pelas dificuldades de finalização de ambas as equipas. Com este resultado os locais, que continuam sem vencer esta época, permanecem em último com 5 pontos, enquanto o Santa Clara passou a contar 8.
A primeira parte até foi disputada a um ritmo interessante, com as duas equipas empenhadas em chegar às áreas contrárias, fazendo uso da velocidade dos seus executantes.
Os açorianos conseguiram um ligeiro ascendente com Fajardo e, sobretudo, Moreira em destaque, com este último a protagonizar os três remates mais perigosos da equipa insular.
Do outro lado, o Varzim tentava explorar o contra-ataque, aproveitando-se das investidas de Salvador e Rafael para romper a defensa contrária.
Ainda assim, no capítulo do remate, estiveram piores os poveiros, que recolheram ao intervalo sem qualquer lance digno de registo, nuns primeiros 45' pautados pelo acerto das duas defensivas.
No segundo tempo, o futebol produzido baixou de qualidade, precipitando um jogo disputado com muita vontade, mas sem grande qualidade técnica.
A finalização continuou a ser o "calcanhar de Aquiles" dos dois conjuntos, mas esteve mais perto o Santa Clara de desfazer a igualdade, quando já depois do minuto 90, Platini e Gabi atiraram à barra.
O empate acaba, no entanto, por ser o resultado justo, penalizando as dificuldades ofensivas de Varzim e Santa Clara.
Árbitro: Carlos Xista (Castelo Branco).
Varzim: Ricardo, Caetano, Pedro Santos, Neto, Hugo Costa, Tito, Tiago Terroso, Rúben Saldanha (Tito Silva, 63'), Salvador, Rafael e Tiago Carneiro (Dédé, 65').
Santa Clara: Ney, Vítor Alves, Ilic, Diogo Silva, Neslon, Jeferson, Gabi, Fajardo (Pacheco, 70'), Monteiro (Amindo Balde, 82'), Alex (Platini, 61') e Moreira.
Ação disciplinar: cartão amarelo para Tito (13'), Caetano (26'), Rafael (35'), Alex (48'), Hugo Costa (58'), Ilic (60'), Jeferson (87') e Pedro Santos (89').
Assistência: Cerca de 1500 espectadores.

sábado, 6 de novembro de 2010

Alexandria Mills eleita Miss Mundo 2010

Dizem que é a mulher mais bonita do Mundo...
Hainan, 30 de outubro - A norte-americana Alexandria Mills foi coroada Miss Mundo numa cerimónia que decorreu na noite de sábado em Hainan, na China. A jovem, de 18 anos, foi escolhida entre 115 mulheres dos quatro cantos do Planeta.
Yara Santiago vence concurso de fato-de-banho
É um biquini pequenino...
Hainan, 30 de outubro: ... mas não é às bolinhas amarelas. Yara Santiago, miss Porto Rico, venceu a competição de fato-de-banho na eleição de Miss Mundo de 2010, sábado, na China. Embora em primeiro plano se veja Yara já com um vestido de gala, o "cenário" revela uma pequena parte da razão da porto-riquenha ter vencido o concurso de fatos-de-banho...

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Informação Desportiva dos Açores


Capelense vence Lusitânia por 3 -0.
3ª. DIVISÃO NACIONAL - SÉRIE AÇORES:
Três primeiros classificados perderam na sexta jornada
Angrense, Lusitânia e Santiago, os três primeiros classificados à entrada para a sexta jornada da Série Açores, perderam.
Significa, pois, que não há equipas invencíveis no campeonato, sendo que o Capelense e o Boavista venceram pela primeira vez.
Se o Angrense e o Lusitânia perderam mas mantiveram a primeira e segunda posição, respectivamente, já o Santiago perdeu também a posição, que agora está na posse do União Micaelense.
O líder foi surpreendido em casa pelo Boavista, isto depois de ter estado a vencer por duas bolas a zero.
Resultados da 6ª. jornada:
Prainha, 1 - Sporting Ideal, 1
Vilanovense, 2 - Santiago, 0
Capelense, 3 - Lusitânia, 0
Angrense, 2 - Boavista SM, 3
U. Micaelense, 2 - Vitória, 0
CLASSIFICAÇÃO:
L Equipa ............ J V E D GM-S P

1º SC Angrense .... 6 5 0 1 18 - 7 15
2º SC Lusitânia .... 6 3 2 1 13 - 6 11
3º U. Micaelense .... 6 3 1 2 8 - 9 10
4º Santiago FC ....... 6 2 3 1 7 - 6 9
5º Prainha FC ......... 6 2 2 2 5 - 5 8
6º Vilanovense ....... 6 2 2 2 5 - 8 8
7º Capelense ......... 6 1 3 2 9 -10 6
8º Boavista S.M. ..... 6 1 3 2 5 - 8 6
9º Sporting Ideal .... 6 0 3 3 5 -10 3
10º Vitória Pico ...... 6 0 3 3 2 - 8 3
7ª. Jornada - 07/11/2010:
Prainha FC - SC Vilanovense
Santiago - Capelense
Lusitânia - Angrense
Boavista S.M.- U. Micaelense
Sp. Ideal - Vitória do Pico
FUTEBOL REGIONAL:
ILHA DE SÃO MIGUEL:
Taça de Honra AFPD - Meia-Final:
Desp. Rabo de Peixe leva vantagem
Resultados da 1ª. mão:
São Roque, 1 - Vitória CPP, 1
Mira Mar , 0 - Rabo de Peixe, 1
TAÇA ANIVERSÁRIO DA AFPD - MEIA-FINAL:
U. Nordeste e Vale Formoso venceram
Resultados da 1ª. mão:

U. Nordeste, 2 - Bota Fogo, 0
Vale Formoso, 1 - Águia CD, 0
CAMPEONATO DA TERCEIRA 2010/2011:
Juventude Lajense continua isolado
Resultados da 3ª. jornada:
Fontinhas, 2 - Os Maritimos, 3
Barreiro, 0 - Boavista Rib., 2
Folgou: Juventude Lajense.
CLASSIFICAÇÃO:
L EQUIPAS ....... J V E D GM-S P
1º Juv. Lajense .... 2 2 0 0 3 - 1 6
2º Os Maritimos .... 3 1 2 0 6 - 5 5
3º Boavista CR ...... 2 1 1 0 3 - 1 4
4º SC Barreiro ...... 3 0 1 2 2 - 5 1
5º GD Fontinhas .... 2 0 0 2 3 - 5 0
4ª. Jornada - 07-11-2010:
Os Maritimos - Juv. Lajense
Boavista Rib. - GD Fontinhas
Folga: SC Barreiro.
CAMPEONATO DA GRACIOSA 2010/11:
Sp. Guadalupe aumenta vantagem
Resultados da 4. jornada:
Graciosa FC, 1 - Maritimo, 1
Luzense, 1 - Sp. Guadalupe, 2
CLASSIFICAÇÃO:
L EQUIPAS ......... J V E D GM-S P
1º Sp. Guadalupe .. 4 3 1 0 9 - 5 10
2º SC Marítimo ...... 4 2 1 1 7 - 6 7
3º GD Luzense ...... 4 1 0 3 7 -10 3
4º Graciosa FC ..... 4 0 2 2 3 - 5 2
5ª. jornada - 07-11-2010:
SC Maritimo - GD Luzense
Guadalupe - Graciosa FC
ILHA DE SÃO JORGE :
TORNEIO DE
ABERTURA:
Desportivo Velense isolado

Resultados da 4ª. jornada:
Marítimo, 2 - Urzelinense, 0
Desp. Velense, 2 - Calheta, 1
Resultados da 5ª. jornada:
Calheta, 0 - Maritimo, 2
Urzelinense, 0 - Desp. Velense, 4
CLASSIFICAÇÃO:
L EQUIPAS ........ J V E D GM-S P

1º Desp. Velense ... 5 5 0 0 13 - 1 15
2º Maritimo Vel. .... 5 3 1 1 7 - 5 10
3º FC Calheta ......... 5 1 0 4 6 - 7 3
4º Urzelinense ....... 5 0 1 4 2 -16 1
CAMPEONATO (AFH) - FAIAL/PICO:
FC Flamengos empatou e lidera

Resultados da 3ª. jornada:
Fayal Sport, 3 - Cedrense, 1
Flamengos, 2 - CD Lajense, 2
Folga: GD Feteira.
CLASSIFICAÇÃO:
L EQUIPAS ...... J V E D GM-S P
1º Flamengos ..... 3 2 1 0 8 - 4 7
2º Fayal Sport .... 2 2 0 0 4 - 1 6
3º CD Lajense .... 2 0 2 0 3 - 3 2
4º Cedrense ....... 3 0 1 2 3 - 6 1
5º GD Feteira ..... 2 0 0 2 1 - 5 0
4ª. Jornada - 07-11-2010:
GD Cedrense - GD Feteira
Desp. Lajense - Fayal Sport
Folga: FC Flamengos.