quinta-feira, 27 de maio de 2010

Carlos César no Dia dos Açores na Ilha do Corvo


No Dia dos Açores, Carlos César diz que a origem e a tradição da autonomia constituem um sério aviso aos centralistas
Carlos César disse hoje que, no dia em que se celebra o Espírito Santo em todos os Açores – e, por isso há uma garantia de coesão e de harmonia – “o que mais releva é saber-se que todos nós, de diferentes origens e condições, convicções religiosas ou partidárias, queremos ser insuperáveis na salvaguarda desse poder de liberdade e de autodeterminação.”
Falando na Vila do Corvo, no decorrer da sessão solene comemorativa dos Dia dos Açores, o Presidente do Governo aludiu a obras de diversos autores e recordou “sentenciosos vaticínios sobre o Corvo como improbabilidade da geografia humana”, para traçar o perfil dos corvinos, em particular, e dos açorianos, em geral, como gente tenaz que sabe ter de trabalhar muito, já que “raramente, o que é trabalho de outros é fruto que nos seja oferecido.”
Citando a vontade expressa por Mouzinho da Silveira de ser sepultado no Corvo, excepto se o seu testamenteiro não quisesse “carregar com esta trabalheira”, Carlos César recordou que acabou por acontecer exactamente isso, concluindo que, “como no caso do testamenteiro de Mouzinho, muito poucos, de fora, se dão ao trabalho… Como tenho dito, contemos, pois, sobretudo, connosco.”
Isso não significa, como sublinhou, lutar pela “nossa ambição de voar por conta própria, como num sonho dourado, inteiro e limpo como no branco primordial e infinito no azul estendido onde prolongamos o nosso olhar”.
Para Carlos César, “aquiescemos que aqui é Portugal – lembramos mesmo, amiudadamente, aos continentalistas, que assim é – mas queremos mais: sempre muito mais do que temos tido e sido como europeus do Atlântico.”

Realçando o papel importante que desde sempre os Açores têm desempenhado no contexto nacional e nas relações transatlânticas, quer pela qualidade da sua gente, quer pela mais-valia da sua localização geográfica, o governante socorreu-se de uma afirmação de Teófilo Braga – um dos homenageados, a título póstumo, nesta sessão solene, que disse serem “um perigo as intervenções reformadoras sem conhecimento das origens venerandas, cuja tradição não deve ser apagada” – para lançar avisos a partir da mais pequena ilha do arquipélago.
“Nós, açorianos, temos uma tradição já multissecular: a da nossa Autonomia. A sua origem é veneranda, a sua tradição é um sério aviso aos centralistas. É isso que reafirmamos neste Dia dos Açores. Firmes, como nos é próprio!”
O governante, frisando serem necessárias uma cultura de solidariedade e uma política de autenticidade, não só em Portugal como por toda a parte, face às incertezas provocadas pelas dificuldades actuais, afirmou que a crise não é só portuguesa e muito menos açoriana.
“A crise atinge lugares onde vive gente do nosso sangue, em Fall River, onde o desemprego chega aos 16%, em New Bedford, onde beira os 14, em Providence e em S. José da Califórnia, onde fica bem acima dos 12%, em Toronto, onde já subiu para os 10%, o mesmo valor que atinge, neste momento, a taxa média de desemprego na União Europeia; ou em regiões ultraperiféricas europeias como a nossa, onde encontramos taxas de desemprego superiores a 20%, ou, ainda, como nas Canárias, nossa vizinha atlântica, em que os últimos dados confirmam que perto de 28% da população está desempregada, ou seja, quatro vezes mais do que nos Açores”, recordou.
Salientando que “resistimos melhor, porque tínhamos a nossa economia mais segura”, o Presidente do Governo deixou uma mensagem de incentivo, afirmando que “as famílias açorianas, os cidadãos, a juventude, os empresários e todas as instituições empreendedoras devem ter confiança no futuro: a narrativa da Autonomia demonstrou que somos capazes de suplantar as dificuldades, sejam elas as decorrentes das peculiaridades da Natureza, das contingências da História ou das falhas da economia.”
Carlos César manifestou-se convicto de que, havendo, como há, nos Açores a certeza do que tem de ser feito para superar as dificuldades impostas pela crise internacional, o caminho a seguir passa pela entreajuda.
“Ajudemo-nos, então, uns aos outros, um pouco mais, para vencer. Dirijo, assim, uma palavra de ânimo aos que atravessam dificuldades e um apelo à responsabilidade empreendedora dos que podem fazer mais pelos Açores. Mais do que nunca, o caminho está traçado pelo nosso Hino: “Para a frente! Lutar, batalhar!”.Tenho a certeza de que nunca há-de faltar uma razão para que não se pense e não se diga: Que bom é ser Açoriano!”, concluiu.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Oakville: Festa do Divino Espirito Santo


Festa do Divino Espírito Santo em Oakville
Na cidade de Oakville, a igreja de São José dos Portuguese esteve em festa em honra do Divino Espírito Santo, no domingo de Pentecostes.
Os festejos começaram na sextas-feira com Missa e distribuição das respectivas Penções a todos os irmãos presentes. No sábado depois da Missa houve jantar para todos os irmãos da mordemia e musica para dançar.
Os Mordomos foram o Carlos Estrela natural das Feteiras e Teresa Estrela natural do Rosário da Lagoa - S. Miguel. A Teresa Estrela é uma artista da comunidade portuguesa e também canta o fado, e foi ela que pintou os lindos quadros em paineis que estavam espostos na dispensa do Divino Espírito Santo e até mesmo á entrada do salão estava esposto um lindo painel que passou desprecebido pelaas pessoas.

No domingo, realizou-se a primeiro cortejo em direcção á igreja onde foi celebrada a Missa Solene de Pentecostes e coroadas a pessoas da irmandade. Depois do acto religioso houve novo cortejo em coroação até ao salão de festas, para serem servidas as tradicionais sopas à moda do Pico, a centenas de pessoas que encheram o salão. No final da tarde realizou-se a procissão das alçafates de rosquilhas, levadas por senhoras acompahadas por homens com o bordões nas mãos como é tradição na ilha do Pico, que servem depois para meter as argolas de rosquilhas que serão distribuidas no final da festa a todos os presentes, ofertadas em promessas feitas e de graças recebidas em louvor do Espírito Santo.

Como é tradicionalmente realizado o cortejo é feito todos os anos em redor da igreja com subida ao Alto da Cruz, onde serão todas os alçafates de rosquilhas benzidos com água benta pelo Pe. Fernando Pinto pároco da igreja de São José. Com um pequeno discurso e oração, o Pe. Fernando chamou duas crianças para tirarem os nomes depositados para escolheram as pessoas para novos testemunhos das sete domingas e o novo Mordomo para 2011, que saíu ao casal Norberto e Geraldina Tavares, por conincidência o irmão da mordoma Teresa Estrela, também são naturais da Lagoa - S. Miguel, Açores.
Depois deram continuação à procissão das rosquilhas até ao ponto de partida e foi tocado o hino do E. Santo na despedida.

Pela tarde dentro, ao ar livre numa tarde primaveril com temperatura quente de veráo, houve actuação do Grupo Folclórico de Oakville e concerto pela filarmónica Lira do Bom Jesus Milagroso. Não faltou os comes e bebes debaixo do alpendre, com favas guisadas, tremoços, malassadas e bifanas e a fresquinha de sempre. Arrematações e cremesse também fizeram parte da festa e a terminar houve musica para dançar pelo DJ ''Chikkos''.

Na saída do parque foram entregues as tradicionais rosquilhas ao povo já a caminho de suas casas.
Parabéns aos Mordomos Carlos e Teresa Estrela e a toda a irmandade pelo sucesso alcançado como também a todos os voluntários que ajudaram á concretização destas festas anuais. Bem Hajam!
- João G. Silva.

Brampton: Festa do Divino Espirito Santo


DOMINGO DE PENTECOSTES NAS PARÓQUIAS PORTUGUESAS
Festa do Divino Espírito Santo em Brampton
A igreja portuguesa de Nossa Senhora de Fátima na cidade de Brampton esteve em festa no passado fim-de-semana, com a realização dos festejos da Solenidade de Pentecostes em honra do Divino Espírito Santo, tradição secular que os nossos imigrantes açorianos trouxeram para terras do Canadá, e que ainda hoje se realizam em várias paróquias onde se encontra portugueses que prestam singela homenagem de fé e caridade á terceira pessoa de Santíssima Trindade. Na Região Autónoma dos Açores foi proclamado feriado regional, conhecido pela segunda-feira da Pombinha, também Dia dos Açores, que foi celebrado este ano na pequena ilha do Corvo, a mais ocidental ilha dos Açores, com a presença do presidente do governo Carlos César.

Em Brampton, os festejos começaram na sexta-feira, como missa e entrega das pensões todos os irmãos, e no salão foi oferecido comida para os irmãos e suas familias.
No sábado 23, foi a continuação da distribuição das Pensões, e durante a tarde foi oferecidas sopas para as pessoas idosas ou doentes para levar para suas casas. Ás 5 horas da tarde, realizou-se a Santa Missa e no final do acto religioso as pessoas foram convidadas para desceram ao salão paroquial para serem servidas as tradicionais sopas do Divino Espírito Santo. Com o salão cheio de irmãos e convidados, a irmandade com o grupo de senhoras e senhores realizou uma dança tradicional com música dos amigos de Rabo de Peixe em louvor do Espírito Santo, com alçafates com massa, pão e vinho, onde depois o Pe. Andrzej Chilmon deu inicio á benção aos alimentos e foi tocado o hino em louvor do Divino Espíritio Santo. O jantar incluiu, sopas, carne de vaca e galinha, chouriço, morcelas, batatas doces e brancas, cenouras, massa e vinho, tudo tradicionamente á moda da ilha de São Miguel. Seguiu-se as cantorias ao Espírito Santo, bazar e arrematações.

No domingo 24, saíu o cortejo da casa do casal Furtado em direção à igreja ao som da Banda Lira Portuguesa de Brampton, terminando com o hino e entrada na igreja para a realização da missa solene onde foram coroadas várias pessoas das sete domingas da irmandade.
Pela tarde dentro, aconteceu festa no salão paroquial, com actuação de grupos folclóricos e concerto pela Lira Portuguesa de Brampton e baile com o famoso conjunto músical ''Tabu'', a fechar a noite de festa. Não faltou as arrematações, bazar e comes e bebes ao longo da tarde.

No entanto os Mordomos foram, o casal José e Conceição Teves, que passaram o testemunho no final da festa onde foram sorteados os novos mordomos para o próximo ano de 2011, que saíu ao casal José Gualberto e Manuela Medeiros, micaelenses naturais de Rabo de Peixe e residentes em Mississauga.
Parabéns aos Mordomos, suas famílias e colaboradores que tornaram possivél mais um sucesso nestas tradicionais festas açorianas.
- João G. Silva.

Toronto: Benfica empata com Panathinaikos


Benfica encerra digressão norte-americana com empate a zero
O encontro particular entre o Panathinaikos e o Benfica, que assinalou o fim da digressão «encarnada» na América do Norte, acabou empatado a zero. O jogo esteve bastante quente. Nos descontos da primeira parte David Luiz foi expulso. Ao intervalo houve confrontos entre os jogadores, no BMO Field, em Toronto.
Numa partida entre dois campeões europeus (Benfica em Portugal e Panathinaikos na Grécia), ambas as formações não contaram com alguns dos seus principais elementos, ao serviço das suas selecções. Se os «encarnados» não contaram com Luisão, Ramires, Cardozo, Di María ou Coentrão, os gregos viram-se privados de Karagounis e Katsouranis (ex-Benfica), Seitaridis (ex-FC Porto), Gilberto Silva e Djibril Cissé.
As «águias» fizeram cedo a primeira substituição. Aos 16', Luís Filipe deu lugar a Saviola com Rúben Amorim a passar para a lateral-direita. Dez minutos volvidos e começava a desenhar-se o mau espectáculo que se viria a desenrolar ao intervalo. Airton desentendeu-se com um adversário, situação que se repetiu mais vezes. David Luiz viu o primeiro amarelo aos 29'.
A primeira grande oportunidade do Benfica chegou ao minuto 31 com um remate cruzado de Alan Kardec a passar perto da baliza de Karnezis. Foi nos últimos momentos da primeira parte que se iniciaram os confrontos. Mais uma «pega» entre Airton e um jogador do Panathinaikos com os centrais «encarnados» a envolverem-se. Amarelo para ambos e consequente vermelho para David Luiz.
Na segunda parte os animos acalmaram. Jorge Jesus fez mais alterações no início da etapa complementar. Saíram Kardec, Saviola e Menezes para as entradas de Weldon, Javi García e Nuno Gomes. Ainda assim o Benfica não conseguiu inaugurar o marcador e terminaram a digressão norte-americana com um empate nulo.
Equipas do Panathinaikos-Benfica
Benfica: Moreira; Luís Filipe, Fábio Faria, Sidnei e David Luiz; Airton, Ruben Amorim, César Peixoto e Felipe Menezes; Éder Luís e Kardec Suplentes: Júlio César, Javi García, Weldon, Nuno Gomes, Saviola, David Simão e Leandro Pimenta
Panathinaikos: Karnezis, Sarriegi, Rukavina, Kante e Mellisis; Leto, Bjarsmy, Dimoutsos e Marinos; Simão e Cleyton
Suplentes: Galinovic, Liolios, Boutzikos, Petroulos, Lagos, Fetsis e Stambolzigv

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Brampton: 20º Aniversário da Igreja de N.S. Fátima


IGREJA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA EM BRAMPTON
Celebração do 20º Aniversário da Igreja Portuguesa de N.S. Fátima

Fundada em 1990 pelo Rev. Padre Eduardo Manuel Pontes natural da Matriz da Ribeira Grande - S. Miguel - Açores, a igreja portuguesa de Nossa Senhora de Fátima na cidade de Brampton, esteve em festa na passada quinta-feira dia 13 de Maio, ao celebrar o 20º Aniversário de Dedicação á igreja e simultâniamente em honra da sua padroeira.
As cerimónias começaram no dia 12 com Missa e pregação pelo Rev. Pe. José Jacinto Farias, que veio de Lisboa - Portugal.

No dia do aniversário (13), a cerimónia começou ás sete horas da tarde com Missa Solene, celebrada pelo convidado Rev. Pe. José Jacinto Farias.
Com a igreja completamente cheia de paroquianos, Nossa Senhora de Fátima recebeu uma nova Côroa que veio de Fátima, e foi benzida e depositada na cabeça da Virgem Maria, que recebeu depois uma grande salva de palmas pelo acto tão simbólica que representa como Mãe da igreja e dos portugueses e igualmente padroeira da igreja ''Our Lady of Fatima''.

Devido ao mau tempo e chuva que se fazia sentir lá fora a procissão foi realizada dentro da igreja, levada aos ombros de vários homens vestidos com hopas azuis e brancas no andor enfeitado com lindas flores, oferta da Sra. Maria Bulhões, que precorerram em duas voltas a imagem em redor do templo, enquanto a Banda Lira Portuguesa de Brampton, no centro tocava o hino de N.S.Fátima.
Depois da cerimónias religigiosas o povo foi convidado a descer ao salão paroquial onde foi oferecido uma recepção com muita comida e doces, vinhos e refrescos e cafés, num convívio saudável a todas as pessoas presentes.

O pároco da igreja de N.S. Fátima, Rev. Andrzej Chilmon, agradeceu a presença e contribuição de todos que ajudaram nas celebrações deste vigéssimo aniversário de dedicação á igreja e padroeira Nossa Senhora de Fátima, e relembrou o fundador da igreja o dignissímo Rev. Eduardo Pontes.
No final deu-se ao corte do bonito e majestoso bolo de aniversário, que foi oferecido e confecionado e pela Sra. Maria Pereira e acompanhado por ua taça champanhe servido pelos membros da comissão da paróquia.

Não podiamos de finalizar esta reportagem sem esclarecer que o convidado vindo de Portugal, Rev. Pe. José Jacinto Ferreira de Farias é membro da congredação dos sacerdotes do Sagrado Coração de Maria em Fátima, e também o autor do livro que escreveu com o título, ''Um Fogo que Arde, Mas não Queima'', palavras da vidente irmã Lúcia em Fátima - Portugal.
Parabéns à comunidade portuguesa de Brampton e a todos os paroquianos e comissão como ao Pe. Andrzej Chilmon por mais um aniversário de dedicação à igreja de Nossa Senhora de Fátima.
Reportagem e fotos de: João G. Silva.

Dia das Mães celebrado no C.C.P.M

CENTRO CULTURAL PORTUGUÊS DE MISSISSAUGA
Celebrou o ''Dia da Mãe'' com um jantar de gala
Dos eventos levados a efeito ao longo do ano pelo já carismático Centro Cultural Português de Mississauga (CCPM), a noite de sábado não fugiu á regra com a comparência em cheio da comunidade portuguesa, que encheu por completo o salão nobre engalanado a preceito para celebrar um fim-de-semana especial em homenagem ao ''Dia da Mãe'', que aconteceu no último domingo.

Depois do requintado jantar, preparado e servido pela direcção e voluntários do clube de Mississauga, Gilberto Moniz, presidente do CCPM, estava bastante satisfeito com os lusos-canadianos que marcaram presença para homenagiar suas Mães o dia delas, que bem merecem, pelas razões que todos nós filhos reconhemos em agradecimento do amor, carinho e amizade que todas as mães representam e representaram ao longo das nossas vidas.
Foi uma noite especial para muitos casais que estiveram representados por três gerações de laços familiares.

O famoso conjunto ''Starligth'', abrinhantou o serão com um animado baile que foi muito participado, pois a pista de dança tornou-se pequena para tanta gente dançar ao som das canções desta banda musical que apresentou vários temas do seu novo CD '' Vamos a Elas''. O som esteve a cargo do TNT.
No intervalo, Gilberto Moniz voltou e apresentou-se com muitas surpresas em homenagem a muitas das mães presentes naquela noite festiva.
Chamou em primeiro lugar as mães mais idosas que estava no salão. As senhoras com mais idade que se encontravam presentes foram; Cecília Silva de 96 anos de idade natural de São Mateus do Pico e Maria Machado de 95 anos de idade.

Foi entregue á mãe mais velha um lindo ramo de flores pela gerente responsável no Canadá do Banco ''Stander Totta'' Gabriela Cavaco, e ás restantes um passaporte para o ''Carassauga 2010''.
Seguiu-se a mâe com mais filhos que se encontrava no salão, que foi a senhora Ana Laurêntina natural da Vila Nova - Ilha Terceira que teve oito filhos, e conta agora com 18 netos e 8 bisnetos, por conincidência tudo na casa do número oito. Também recebeu um ramo de flores.
Quanto á mãe mais nova foi Christina Teves de 24 anos, e por conseguinte também uma mãe solteira, que recebeu também um ramo de flores.

Mas a maior supressa estava para vir, quando o Gilberto anunciou quantas mães de três gerações estavam presentes, com mãe, filha e neta, para surpressa apreceram onze trios, e tiveram de oferta um o novo CD do ''Starligth'' acompanhado por 100 dólares, oferta da generosidade de Joe Duarte, que tinha programado duas ofertas monetárias e terminou em onze, foi obra de caridade!
A finalizar, Gilberto Moniz entregou um ramo de flores, para a sócia aniversariante da noite, Maria Borges que completou 81 primaveras. Parabéns!
O conjunto ''Starligth'' completou o serão com mais música para dançar, começando a segunda parte com a ''Canção da Família'', pedindo a todos que dessem as mãos em cada mesa para celerarem o dia das mães todos em família, um gesto bonito do Tony Melo, vocalista do onjunto musical, que animou a noite até final.
Por: João G. Silva

Toronto: Festa do Senhor Santo Cristo


FESTA DO SENHOR SANTO CRISTO DOS MILAGRES EM TORONTO
Igreja de Santa Maria celebra as festas do Sro. Santo Cristo há 44 anos

A próquia de Santa Maria na Bathurst e Adelaide streets em Toronto fez 44 anos que celebra as grandes festas em Honra do Senhor Santo Cristo dos Milagres.

Este ano apesar do frio e vento que se fez sentir no sábado da mudança e domingo foram milhares de pessoas que participaram na procissão com muitas peregrinos que aderiram ao pagamento das promessas, mas notou-se muito menos gente que nos anos anteriores.

A festa é celebrada no mesmo dia e com o programa similar ao de Ponta Delgada na ilha de São Miguel nos Açores, no sábado da mudança da imagem e domingo com a majestosa procissão.
Centenas de promessas seguiram o andor do Senhor Santo Cristo uns com círios, e desfilaram cinco bandas de música, crianças vestidas de anjos, com simbolos da crussificação de Cristo, e no final houve missa campal e arraial pelas filarmónicas.

Reportagem e fotos de: João G. Silva

domingo, 16 de maio de 2010

Final da Taça de Portugal: FC Porto vencedor


Desp. Chaves, 1 - FC Porto, 2
FC Porto vence Taça de Portugal
FC Porto e Desportivo de Chaves fizeram a festa no Jamor, com os dragões a vencerem por 2-1, sobretudo devido à exibição na primeira parte.

O FC Porto conquistou a 15.ª Taça de Portugal da sua história, com vitória sobre o Desp. Chaves mais suada do que poderia parecer antes do jogo e mesmo até aos 85 minutos.
Os transmontanos entraram com garra e Edu poderia ter marcado logo aos 9, com Edu a aproveitar erro de Helton mas a atirar ao poste. O FC Porto recompôs-se e Hulk começou a fazer das suas, com arrancadas diabólicas. Guarin marcou aos 13, aproveitando erro do guarda-redes flaviense e aí os dragões começaram a dominar o jogo por completo. Aos 23, Hulk ofereceu o segundo do FC Porto a Falcao e os dragões pareciam embalados.
No entanto, a segunda parte teve um ritmo bem mais baixo e seria apenas nos últimos cinco minutos que voltaria a haver emoção - Clemente aproveitou desentendinmento entre Rolando e Bruno Alves para reduzir e poderia mesmo ter empatado logo de seguida. Tempo ainda para uma expulsão para cada lado, Ricardo Rocha e Bruno Alves - e pouco depois Pedro Proença apitou para o final, com o Jamor a encher-se de azul.
Ficha técnica:
Estádio Nacional, no Jamor
Árbitro: Pedro Proença (AF Lisboa)
DESP. CHAVES: Rui Rego; Danilo, Lameirão, Ricardo Rocha e Eduardo; Siaka Bamba, Samson e Castanheira; Bruno Magalhães, Edu e Diop.
Suplentes: Daniel Casaleiro, Flávio Igor, Diego, Clemente, João Fernandes, Vítor Silva e Heslley.
Treinador: Manuel Tulipa.
FC PORTO: Helton; Miguel Lopes, Rolando, Bruno Alves e Álvaro Pereira; Fernando, Belluschi, Guarín e Raul Meireles; Hulk e Falcão.
Suplentes: Beto, Maicon, Addy, Valeri, Tomás Costa, Rodriguez e Farías.
Treinador: Jesualdo Ferreira.
Marcador: 0-1 por Guarin (13); 0-2 por Falcao (23); 1-2 por Clemente (85)

Liga Sagres: SL Benfica campeão Nacional


SL Benfica, 2 - Rio Ave, 1
Benfica vence campeonato, Cardozo é o melhor marcador da Liga Sagres
Na última jornada, o Benfica bateu o Rio Ave, por 2-1, e sagrou-se campeão nacional. Antes do início da partida, já os adeptos cantavam "campeões", na homenagem à equipa de futsal, campeã europeia da modalidade.
O Benfica chegou cedo à vantagem. Aos 3', já Cardozo marcava pelos «encarnados». A equipa, que já tinha entrado em força, carregou sobre a baliza do Rio Ave à procura do segundo tento, mas no final do primeiro tempo mantinha-se o 1-0 no marcador.
Na segunda parte, o Rio Ave ganhou capacidade para travar o ataque «encarnado». Ainda assim era o Benfica que mais oportunidades de golo criava. Contudo foi o Rio Ave a marcar e a empatar o jogo. Ricardo Chaves, aos 71', bate Quim com um bom cabeceamento. Cardozo ainda tinha fome de golo, precisava que mais um para se sagrar melhor marcador da Liga Sagres, e, aos 77', fez o 2-1.
No final do jogo o Benfica festejou os dois títulos: Campeão Nacional 2009/2010 e Cardozo como melhor marcador 2009/2010.
Ficha de Jogo
Liga Sagres: 30ª jornada
Estádio da Luz, Lisboa
Árbitro: Jorge Sousa (Porto)
Benfica - Quim, Rúben Amorim, Luisão, David Luiz, César Peixoto, Airton, Ramires, Carlos Martins, Pablo Aimar, Saviola, Óscar Cardozo.
Suplentes: Moreira, Maxi Pereira, Nuno Gomes, Felipe Menezes, Sídnei, Alan Kardec, Éder Luís.
Treinador: Jorge Jesus.
Rio Ave - Carlos, Zé Gomes, Gaspar, Vilas Boas, Sílvio, Tarantini, Wires, Ricardo Chaves, Bruno Gama, Bruno Moraes, Sidnei
Suplentes: Trigueira, Evandro, Wesllem, Chidi, Tiago Terroso, Adriano, Magno.
Treinador: Carlos Brito.
Golos: Cardozo (3', 77'), Ricardo Chaves (71').
Cardozo é o novo rei dos goleadores e já recebeu A BOLA de Prata
O benfiquista Óscar Cardozo é o vencedor do troféu A BOLA de prata, que premeia o melhor marcador do campeonato português.
O avançado paraguaio partiu para o jogo desta tarde a um golo de Radamel Falcao, do FC Porto, que liderava a tabela com 26 golos.
Logo aos 3 minutos, Cardozo abriu o activo e igualou o portista. Falcao, no entanto, continuava à frente por ter menos um jogo disputado que o benfiquista.
Cardozo continou a procurar o golo e conseguiu-o aos 78 minutos. O 26.º golo da temporada consagrou o Benfica e consagrou Cardozo.
O Benfica não tinha um melhor marcador da prova desde 1991, ano em que Rui Águas venceu.
Cardozo recebeu o troféu das mãos de Vítor Serpa, director do jornal A BOLA, depois do final da partida com o Rio Ave e momentos antes de a equipa receber a Taça relativa à conquista do campeonato.

sábado, 15 de maio de 2010

Procissão do Senhor Santo Cristo dos Milagres


Imagens da Procissão de Domingo do Senhor Santo Cristo dos Milagres em Ponta Delgada na ilha de São Miguel nos Açores.

Foto reportagem de: Mário Jorge Pereira (Ponta Delgada -S.Miguel - Açores).