quarta-feira, 11 de março de 2009

Liga dos Campeões: FC Porto, 0 - Atl. Madrid, 0


FC PORTO, 0 - ATLÉTICO DE MADRID, 0
FC Porto nos "quartos" após empate com Atlético Madrid
O FC Porto apurou-se hoje novamente para os quartos-de-final da Liga dos Campeões em futebol, após empate sofrido 0-0 no Dragão frente ao Atlético Madrid, numa segunda mão dos oitavos-de-final escaldante e imprevisível.
Depois de ter empatado 2-2 em Madrid, o FC Porto partiu em vantagem para o jogo decisivo e, sobretudo graças a uma segunda parte de grande concentração, atingiu com mérito os "quartos", fase que não conseguia desde 2003/04, época do segundo título europeu. O treinador Jesualdo Ferreira, que tinha falhado nas duas épocas anteriores o patamar das oito melhores equipas da Europa -- caiu então aos "pés" de Chelsea e Schalke 04 -- chega também, pela primeira vez na sua carreira aos quartos-de-final da prova "milionária". Com o feito, o FC Porto arrecada perto de 3,5 milhões de euros e mantém Portugal na luta pela presença na final de Roma, já que o Sporting foi eliminado pelo Bayern Munique, com um estrondoso 12-1, na totalidade dos dois jogos. Apesar de não ter feito nenhum golo, o FC Porto foi superior na segunda parte (uma bola na barra e outra no poste, entre outros lances), acabando, no entanto, por sofrer alguns calafrios na etapa final do jogo. O mesmo tinha acontecido no primeiro tempo. Sem Fucile, ainda lesionado, Jesualdo Ferreira regressou ao "onze" que tinha alcançado o empate em Madrid, com Helton, na baliza, uma defesa com Sapunaru, Bruno Alves, Rolando e Cissokho, ficando o meio-campo entregue a Fernando, Raul Meireles e Lucho Gonzalez Cristian Rodriguez, Lisandro Lopez e Hulk encarregaram-se, inicialmente, das manobras mais ofensivas do tricampeão português.
Na segunda parte, os "azuis-e-brancos" começaram destemidos como no primeiro tempo, com Raul Meireles e Lisandro, aos 53 e 56 minutos, respectivamente, a darem os primeiros avisos. Diego Forlan foi então chamado pelo treinador Abel Resino (saiu Maxi Rodriguez) e, aos 59 minutos, os jogadores portistas reclamaram grande penalidade, por alegada mão na bola de um adversário. Um canto de Simão, aos 66 minutos, levou Aguero a cabecear ao lado e, aos 72, um livre de Raul Meireles, com toda a intenção, apesar de demasiado descaído para o lado direito do ataque, ia traindo Leo Franco. Rolando, de cabeça, obrigou o guarda-redes madrileno a grande defesa, aos 73 minutos, e, no instante seguinte, Abel Resino chamou Maniche -- grande ovação do público portista -- para o lugar de Raul Garcia. Pouco depois, aos 77 minutos, foi Lucho a obrigar Leo Franco a nova grande defesa, após um remate fortíssimo de fora da área e, no minuto seguinte, Hulk enviou à barra... na transformação de um pontapé de canto. Muito melhor agora, o FC Porto esteve a um milímetro de marcar, aos 81 minutos, não fosse Lisandro ter chegado ligeiramente atrasado a uma assistência perfeita de Hulk, jogador que, logo de seguida, "driblou" o guarda-redes e, já com pouca posição para golo, atirou ao poste.

Sem comentários: