sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Pauleta agraciado com Bola de Prata Especial


Fotos de Eduardo Resendes
Bola de Prata Especial projecta orgulho açoriano
Foi um Pauleta emocionado que recebeu das mãos de Carlos César a Bola de Prata Especial, troféu atribuído pelo jornal “A Bola”. O jogador não conseguiu disfarçar a emoção e comoveu-se na hora de agradecer a homenagem ao melhor marcador de sempre da Selecção Nacional de futebol.
Emocionado e com a voz embargada... foi assim que Pedro Pauleta agradeceu a todos os que sempre o apoiaram ao longo da sua rica e vasta carreira de jogador, após ter recebido, das mãos do presidente do Governo Regional dos Açores, o troféu Bola de Prata Especial, uma homenagem do jornal desportivo “A Bola”. Foi o momento mais alto e com maior carga emotiva da “Gala Pauleta”, ontem realizada no Centro Cultural e de Congressos - Teatro Micaelense, em que foi prestada a “homenagem que extrapola o orgulho açoriano”, como classificou o evento Carlos César. O presidente do Executivo regional, que patrocinou o evento organizado pelo jornal desportivo diário “A Bola”, fez questão de salientar ainda que “não há memória de ter havido alguém que tenha levado tão longe o nome dos Açores e o orgulho de ser açoriano”, rematando que “temos orgulho no nome que ele tem, um nome açoriano... Pedro Pauleta!”.
No palco do Teatro Micaelense estava projectada como pano de fundo, a capa do jornal “A Bola” do dia 13 de Outubro de 2005 com o título “Tu Mereces”. “Temos dos melhores entre os melhores e por vezes não nos damos conta”, começou por afirmar o director do jornal promotor da homenagem, justificando a festa com o facto de que “não queríamos que esta ingratidão também chegasse a ti. Tu mereces”, exclamou Vítor Serpa, antes de entregar a Carlos César o troféu de reconhecimento “por tudo aquilo que fez na Selecção, pelas alegrias dadas aos portugueses e açorianos em particular”, realçou o açoriano Emanuel Medeiros, director geral executivo da Associação das Ligas Europeias de Futebol Profissional.Num espectáculo com mais de duas horas de duração, a carreira e os títulos ( individuais e colectivos), conquistados pelo “Ciclone dos Açores” em quase duas décadas, evidenciaram a projecção mediática de Pauleta, com especial ênfase nos nove anos que vestiu a camisola das quinas. Momentos altos foram o Euro2004 e o Mundial2006, sob o comando do brasileiro Luiz Felipe Scolari que, de Londres, entrou em directo - via telefone - com o Teatro Micaelense, para recordar a importância de Pauleta no bom ambiente da Selecção, e que o açoriano “ajudou a criar”, disse o actual treinador dos ingleses do Chelsea, que nunca se esqueceu “dos queijos que levavas para os estágios”. Outros testemunhos, como os de Cristiano Ronaldo e Luís Figo, foram reproduzidos na sala, assim como o do actual director desportivo do Benfica, Rui Costa, que desabafou “a muita pena que sinto por nunca teres jogado num grande clube português”, despedindo-se com “a honra que foi para mim ter jogado atrás de um grande ponta-de-lança”. Amândio de Carvalho, vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol, revelou que aquele organismo nacional se prepara para organizar um grande evento de homenagem a Pauleta.
Arthur Melo (AO)

Sem comentários: