sábado, 29 de novembro de 2008

TAÇA UEFA: Olympiakos, 5 - Benfica, 1


Tragédia grega de encarnado e preto
Autêntica tragédia grega para o Benfica. Praticamente obrigado a ganhar ao Olympiakos para aspirar à passagem aos 16 avos-de-final da Taça UEFA, a equipa de Quique Flores acabou goleada em Atenas, por 1-5.

A goleada começou a desenhar-se logo na primeira jogada do encontro e o Benfica não mais se encontrou no jogo. Só por volta da meia hora, altura em que já tinha sofrido mais dois golos, deu «ar da sua graça», culminando com a redução da desvantagem, por intermédio de David Luiz. No entanto, o Olympiakos ainda marcou novamente antes do intervalo e fechou a «chapa 5» à entrada na segunda parte.Deixando Katsouranis no «banco», Quique Flores apostou no «músculo» de Binya no meio-campo, sendo ainda obrigado a lançar David Luiz para fazer dupla com Sidnei no eixo da defesa, reaparecendo Jorge Ribeiro sobre a esquerda. Mas o que quer que estivesse na cabeça do técnico do Benfica para este jogo, logo saiu furado ao primeiro minuto de jogo. Com o golo sofrido a «frio», o Benfica não chegou a entrar no jogo e o Olympiakos, seguro e empolgado por 33 mil fervorosos adeptos, soube ir sempre pela certa. O desacerto da defensiva do Benfica fez o resto...Ao cabo de três jogos – falta apenas receber o Metalist no Estádio da Luz -, os «encarnados» somam apenas um ponto no seu agrupamento. O Olympiakos, tal como o Metalist, tem agora três, enquanto o Galatasaray soma seis. E há ainda o Hertha Berlim, com dois. Um pé fora da competição já o Benfica tem...
Ficha do jogo: Estádio Karaiskakis, em Atenas.
Árbitro: Stephanne Falloy (França)
Olympiakos – Nikopolidis; Pantzos, Papadopoulos, Antzas e Domi; Galleti (Leto, 59 m), Dudu Cearense, Patsatzoglou e Djordjevic; Belluschi (Óscar, 76 m) e Diogo (Kovacevic, 69 m).
Suplentes não utilizados: Kovac, Zewlakow, Mendrinos e Galitsios.
Benfica - Quim; Maxi, David Luiz, Sidnei e Jorge Ribeiro; Ruben Amorim (Balboa, 59 m), Binya, Yebda (Carlos Martins, 76 m) e Reyes; Nuno Gomes (Urreta, 55 m) e Suazo.
Suplentes não utilizados: Moreira, Cardozo, Katsouranis e Miguel Vítor.
Disciplina: cartão amarelo a Binya (43 m).
Marcador: 1-0 por Galletti (1 m); 2-0 por Patsatzoglou (17 m); 3-0 por Diogo (23 m); 3-1 por David Luiz (32 m); 4-1 por Belluschi (43 m); 5-1 por Diogo (53 m).
Taça UEFA: Sp. Braga, 2 -Wolfsburgo, 3

Wolfsburgo derrota Sp. Braga no período de compensação
Lição para o Sp. Braga, na 3ª jornada da fase de grupos da Taça UEFA. A equipa portuguesa tudo fez por vencer o Wolfsburgo, talvez até demais para a sua própria experiência nestas andanças, e acabou por pagar um preço elevado para ambição desmedida. Esteve por duas vezes em vantagem no marcador mas perdeu, ao cair do pano (2-3). E, assim, tem de vencer o Herenveen, na Holanda, para seguir em frente.
Jorge Jesus defendia um registo europeu notável, com uma mancha reduzida à qualidade tremenda de Ronaldinho Gaúcho, capaz de contrariar todas as tendências de jogo e garantir um triunfo para o AC Milan numa corajosa exibição arsenalista em San Siro. As ambições não foram beliscada, a vitória frente ao Portsmouth dava garantias e o apuramento continuava perfeitamente ao alcance.
O Sp. Braga teve esta noite uma excelente oportunidade para assegurar a passagem aos 16 avos-de-final da Taça UEFA, mas faltou alguma experiência aos jogadores «arsenalistas» para conseguirem esse feito. A equipa portuguesa esteve por duas vezes na frente do marcador, mas quando faltavam oito minutos para terminar o jogo acabou por deitar tudo a perder. Primeiro Rodriguez fez uma grande penalidade e depois, no período de descontos, Misimovic voltou a marcar e colocou os alemães pela primeira vez na frente do marcador.

Sem comentários: