domingo, 30 de novembro de 2008

Neve em Portugal: A tentação do manto branco


Neve pinta nove distritos portugueses
"Alerta amarelo" pouco ou nada quer dizer, além da normalidade invernal que vai chegando. Mas a palavra "alerta" assusta, o Norte do mapa português está muito amarelo e o mau tempo causa calafrios aos desprevenidos.
Mais ou menos de meio do país para cima só no distrito de Aveiro, à míngua de terras suficientemente elevadas, não havia alerta de neve. E o panorama de ontem, dado pelo Instituto de Meteorologia, permanece hoje intacto, prevendo-se que os céus pintem de branco fragmentos das circunscrições administrativas de Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Bragança, Porto, Viseu, Guarda, Coimbra e Castelo Branco. Houve ontem, nalguns locais, pessoas apanhadas desprevenidas e isoladas pelos nevões, mas as situações foram sendo resolvidas.

Aqui e ali, estradas foram sendo cortadas, devido à neve, sendo aconselhável, a quem hoje queira aventurar-se na estrada, a recolha de informações actualizadas. O IP4, no Marão, a A7, entre Vila Pouca de Aguiar e Ribeira de Pena, e todos os acessos à serra da Estrela são alguns entre muitos outros exemplos, alguns dos quais foram sendo resolvidos.
Os casos mais problemáticos foram aqueles em que pessoas ficaram retidas pela neve que ia caindo desde anteontem. Com máquinas de rasto foi possível abrir caminho ao autocarro de 30 professores matosinhenses bloqueado em S. Pedro do Sul (ver peça na página seguinte), mas o caso dos dois guardas do parque eólico da serra de Montemuro (distrito de Viseu) foi mais complicado. Os homens ("fisicamente bem", segundo fonte do Centro Distrital de Operações de Socorro de Viseu) pediram ajuda já perto da uma da tarde, alertando que tinham comida e aquecimento para 24 horas. A cargo dos bombeiros de Castro Daire, o resgate foi dificultado pelo excesso de neve, tendo sido necessário deslocar para o local dois motociclos dos bombeiros de Seia.

Houve povoações isoladas, como foi o caso de Castro Laboreiro (concelho de Melgaço), ou semi-isoladas, assim sucedeu com Tourém (Montalegre), onde apenas era possível aceder a partir de Espanha, atendendo a que a neve e o gelo tornaram intransitável o acesso por Pitões das Júnias. Quedas de árvores e de uma linha de alta tensão, a par de alguns acidentes rodoviários, foram outros problemas vividos na região.
Em regiões onde a neve não é assim tão habitual, a falta de meios ou de rotinas para lidar com os nevões dificultou as coisas, algo que não sucedeu, por exemplo. Nos distritos de Bragança e da Guarda.

No Nordeste transmontano, a aldeia de Montesinho, que havia estado isolada, voltou a estar acessível pela EN 103-7, depois de para aí ter sido deslocado um limpa-neves, e outras estradas, como a EN 206, que liga Bragança a Torre de Dona Chama (Mirandela), regressou também à normalidade. No caso da Guarda, excluindo as estradas que cruzam a serra da Estrela, o abrandamento da queda de neve, em relação à madrugada de sábado, e a resolução dos problemas pontuais que havia tornou o dia de ontem perfeitamente normal, excepção feita ao frio, a que as gentes estão bem habituadas.
O frio generalizado permanecerá, segundo o Instituto de Meteorologia, até quarta-feira. Porém, mesmo depois disso, espera-se que regresse a queda de neve acima dos 1300 metros de altitude, em especial na serra da Estrela. Além da neve, que justifica a prevenção nos nove distritos atrás referidos, a agitação marítima estende o alerta amarelo a toda a costa do continente.
* com GLÓRIA LOPES, LUÍS MARTINS,, PEDRO VILA-CHÃ E LUSA
PEDRO OLAVO SIMÕES *

Cristiano Ronaldo expulso no dérbi


Manchester, 30 Novembro – Apesar do United ter vencido o City por 1-0, no sempre interessante dérbi de Manchester, Cristiano Ronaldo teve uma tarde negra. Após uma fraca exibição, viu cartão amarelo por duas vezes e foi expulso.

sábado, 29 de novembro de 2008

Foi concerteza ''Arraial à Portuguesa''


Brampton, 22 de Novembro - A ''Hollywood Produtions'' de Eduardo Vieira trouxe até ao Canadá um grande espectáculo de música de nome ''Grande Arraial à Portuguesa'' que se realizou no passado sábado (22) no Powerade Center na cidade de Brampton, Ontário.
Foto de: Sónia Ribeiro.
Esta noite de variedades contou com a presença de Augusto Canário e seus amigos de concertinas e o famoso Quim Barreiros e sua banda, vindos directamente de Portugal. A surpresa anunciada da noite foi o jovem cantor Dário que também canta interpretações de Tony Carreia.
Foto: Sónia Ribeiro
Mas o homem «show» da noite que todos esperavam foi Quim Barreiros, que cantou e encantou a plateia com o bom humor e fez centenas de pessoas levantarem dos seus lugares para dançarem na pista de dança ao som da sua música.
Milhares de portugueses assistiram ao grande espectáculo e gostaram!
- Parte das fotos desta reportagem foi da cortesia de Sónia Ribeiro editora do ''PhotoNewsMagazine''. Agradecemos pela colaboração!

Festa sul-africana no Dubai


Dubai, 29 Novembro – A África do Sul foi a grande vencedora do Torneio do Dubai, 1.ª etapa do circuito mundial de sevens, após bater na grande final Inglaterra por 19-12. Mpho Mbiyozo, ao centro, não resistiu à excitação e quis ser figura.

"El Matador" abandona futebol


Montevideo, 18 Novembro (2007) – A imagem tem mais de um ano e foi tirada durante o embate entre Chile e Uruguai, de qualificação para o Mundial’2010. O chileno Marcelo Salas apontava um dos 37 golos que facturou ao serviço da selecção do seu país. Hoje confirmou o ponto final na carreira. O adeus de um dos grandes nomes do futebol mundial...

Rena norte-americana e voadora


Tóquio, 28 Novembro – Os norte-americanos Rena Inoue e John Baldwin estiveram em bom plano durante uma prova de patinagem artística no Japão.

15 horas para tirar uma foto


Valencia, 25 Novembro - Quatro jovens de Valencia passaram a noite à porta do hotel só para estarem alguns segundos com o craque.

Beckham na Broadway


Nova Iorque, 26 Novembro - David Beckham acompanhado por Tom Cruise à chegada à Broadway para assistir à peça "All My Sons," na qual participa Katie Holmes, mulher do actor. O elenco também conta com John Lithgow, Dianne Wiest e Patrick Wilson.

A outra cara de Eusébio


Varsóvia, 26 Novembro - Eusébio sorri na conferência de imprensa de apresentação de uma série de moedas dedicadas aos mais famosos futebolistas de sempre, na qual não podia faltar o Pantera Negra.

Nadal não podia faltar


Madrid, 26 Novembro - Jose Luis Zapatero com a réplica da Taça Davis ganha pela Espanha no domingo. Apesar de não se ter deslocado à Argentina, devido a lesão, Nadal foi homenageado junto com Feliciano Lopez, Fernando Verdasco e David Ferrer.

Veja quem chegou


Nova Iorque, 25 Novembro - Depois de ter brilhado segunda-feira na ante-estreia de "Cadillac Records", Beyonce, acompanhada por Jay-Z, assistiu ao jogo entre os Knicks e os Cavaliers. A sua beleza voltou a não passar despercebida.

E o prémio vai para...


Xangai, 25 Novembro - O médio internacional usbeque Server Djeparov, companheiro de Rivaldo no FC Bunyodkor, discursa após ter recebido o troféu de Melhor Futebolista Asiático de 2008.

Lothar Matthaeus bem acompanhado


Munique, 24 Novembro - O ex-jogador alemão Lothar Matthaeus deu nas vistas na cerimónia de entrega dos prémios Laureus media, ao fazer-se acompanhar pela namorada Liliana.

TAÇA UEFA: Olympiakos, 5 - Benfica, 1


Tragédia grega de encarnado e preto
Autêntica tragédia grega para o Benfica. Praticamente obrigado a ganhar ao Olympiakos para aspirar à passagem aos 16 avos-de-final da Taça UEFA, a equipa de Quique Flores acabou goleada em Atenas, por 1-5.

A goleada começou a desenhar-se logo na primeira jogada do encontro e o Benfica não mais se encontrou no jogo. Só por volta da meia hora, altura em que já tinha sofrido mais dois golos, deu «ar da sua graça», culminando com a redução da desvantagem, por intermédio de David Luiz. No entanto, o Olympiakos ainda marcou novamente antes do intervalo e fechou a «chapa 5» à entrada na segunda parte.Deixando Katsouranis no «banco», Quique Flores apostou no «músculo» de Binya no meio-campo, sendo ainda obrigado a lançar David Luiz para fazer dupla com Sidnei no eixo da defesa, reaparecendo Jorge Ribeiro sobre a esquerda. Mas o que quer que estivesse na cabeça do técnico do Benfica para este jogo, logo saiu furado ao primeiro minuto de jogo. Com o golo sofrido a «frio», o Benfica não chegou a entrar no jogo e o Olympiakos, seguro e empolgado por 33 mil fervorosos adeptos, soube ir sempre pela certa. O desacerto da defensiva do Benfica fez o resto...Ao cabo de três jogos – falta apenas receber o Metalist no Estádio da Luz -, os «encarnados» somam apenas um ponto no seu agrupamento. O Olympiakos, tal como o Metalist, tem agora três, enquanto o Galatasaray soma seis. E há ainda o Hertha Berlim, com dois. Um pé fora da competição já o Benfica tem...
Ficha do jogo: Estádio Karaiskakis, em Atenas.
Árbitro: Stephanne Falloy (França)
Olympiakos – Nikopolidis; Pantzos, Papadopoulos, Antzas e Domi; Galleti (Leto, 59 m), Dudu Cearense, Patsatzoglou e Djordjevic; Belluschi (Óscar, 76 m) e Diogo (Kovacevic, 69 m).
Suplentes não utilizados: Kovac, Zewlakow, Mendrinos e Galitsios.
Benfica - Quim; Maxi, David Luiz, Sidnei e Jorge Ribeiro; Ruben Amorim (Balboa, 59 m), Binya, Yebda (Carlos Martins, 76 m) e Reyes; Nuno Gomes (Urreta, 55 m) e Suazo.
Suplentes não utilizados: Moreira, Cardozo, Katsouranis e Miguel Vítor.
Disciplina: cartão amarelo a Binya (43 m).
Marcador: 1-0 por Galletti (1 m); 2-0 por Patsatzoglou (17 m); 3-0 por Diogo (23 m); 3-1 por David Luiz (32 m); 4-1 por Belluschi (43 m); 5-1 por Diogo (53 m).
Taça UEFA: Sp. Braga, 2 -Wolfsburgo, 3

Wolfsburgo derrota Sp. Braga no período de compensação
Lição para o Sp. Braga, na 3ª jornada da fase de grupos da Taça UEFA. A equipa portuguesa tudo fez por vencer o Wolfsburgo, talvez até demais para a sua própria experiência nestas andanças, e acabou por pagar um preço elevado para ambição desmedida. Esteve por duas vezes em vantagem no marcador mas perdeu, ao cair do pano (2-3). E, assim, tem de vencer o Herenveen, na Holanda, para seguir em frente.
Jorge Jesus defendia um registo europeu notável, com uma mancha reduzida à qualidade tremenda de Ronaldinho Gaúcho, capaz de contrariar todas as tendências de jogo e garantir um triunfo para o AC Milan numa corajosa exibição arsenalista em San Siro. As ambições não foram beliscada, a vitória frente ao Portsmouth dava garantias e o apuramento continuava perfeitamente ao alcance.
O Sp. Braga teve esta noite uma excelente oportunidade para assegurar a passagem aos 16 avos-de-final da Taça UEFA, mas faltou alguma experiência aos jogadores «arsenalistas» para conseguirem esse feito. A equipa portuguesa esteve por duas vezes na frente do marcador, mas quando faltavam oito minutos para terminar o jogo acabou por deitar tudo a perder. Primeiro Rodriguez fez uma grande penalidade e depois, no período de descontos, Misimovic voltou a marcar e colocou os alemães pela primeira vez na frente do marcador.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Pauleta: Confirmou final de carreira


Pauleta: o «ciclone» que bateu Eusébio
A carreira de Pedro Pauleta em revista, depois do adeus do jogador à Selecção, a seguir ao Mundial 2006. A 17 de Novembro de 2008, o avançado confirmou o final da carreira.
Pauleta despediu-se da Selecção Nacional, aos 33 anos, como o melhor marcador de todos os tempos, deixando o seu nome à frente do histórico Eusébio, com um total de 47 golos em 88 jogos, mas a última imagem que deixou, no Mundial-2006, é que foi um jogador que não soube aproveitar os grandes momentos.
O Euro-2004, por onde passou sem marcar um único golo, já lhe tinha deixado uma forte marca, mas tudo apontava que o «ciclone açoriano» a conseguisse diluir na Alemanha. Pauleta tinha acabado a temporada em bom plano, com onze golos apontados na qualificação e voltando a destacar-se, pela segunda vez, como o melhor marcador do campeonato francês, com 21 golos, além de ter sido eleito como o terceiro melhor jogador da liga gaulesa pela revista France Football.
Uma ideia reforçada com uma entrada no Campeonato do Mundo com o pé direito, marcando o primeiro golo, logo aos 4 minutos, no primeiro jogo frente a Angola (1-0). No entanto, o voo do açor, a sua imagem de marca na festa do golo, frente aos Palancas Negras foi mesmo o último. Depois disso desapareceu e, apesar de ter sido titular em mais cinco jogos, não voltou a deixar o seu rasto nos relvados, anunciado o «fim» como o momento mais triste da sua carreira.
Uma carreira com muitos marcos, apesar de nunca ter chegado a jogar na I Liga portuguesa, saltando do Micaelense para o Estoril e daí para o Belenenses, onde não chegou a jogar, voltando a voar para Espanha. No país vizinho consolidou o seu estatuto de goleador e de internacional, primeiro no Salamanca, ainda na II Divisão, e depois no D. Corunha, onde foi campeão. Mas foi em França onde conquistou mais títulos individuais, primeiro com a camisola do Bordéus e, depois, com a do Paris Saint-Germain.
Na Selecção Nacional estreou-se a 20 de Agosto de 1997, em Setúbal, frente à Arménia (3-1), num jogo de qualificação para o Mundial-98, substituindo Domingos para jogar os últimos treze minutos. Foi pela primeira vez titular na mesma campanha, a 11 de Outubro de 1997, em Lisboa, frente à Irlanda do Norte (1-0), mas só viria a consolidar esse estatuto depois do Euro-2000. Os primeiros golos chegaram depois disso, a 26 de Março de 1999, na goleada imposta ao Azerbaijão (7-0), com Pauleta a assinar dois golos.
A 12 de Outubro de 2005 fixou o seu nome a letras de ouro na história do futebol português ao ultrapassar a marca de 41 golos de Eusébio e passando a destacar-se como o melhor marcador de todos os tempos, sem ninguém no horizonte para lhe tirar o «título» nos próximos anos.
FICHA DE PAULETA
Nome completo: Pedro Carreiro Resendes «Pauleta».
Data de nascimento: 28 de Abril de 1973 (35 anos)
Naturalidade: Ponta Delgada (Açores)
Posição: avançado.
Número no Mundial-2006: 9.
Internacionalizações: 88 jogos/47 golos
Clubes: Micaelense (1994/95), Estoril (1995/96), Salamanca (1996/98), D. Corunha (1998/01), Bordéus (2001/03), Paris Saint-Germain (2003/06). Jogos nas Competições Europeias: 30 (seis na Liga dos Campeões e 24 na Taça UEFA).
Marcos na carreira de Pauleta:
- Melhor marcador da II Divisão espanhola (Salamanca, 96/97).
- Campeão de Espanha (D. Corunha, 99/00).
- Terceiro no Campeonato da Europa (Euro-2000).
- Supertaça espanhola (D. Corunha, 99/00).
- Segundo melhor do campeonato francês (00/01 e 02/03).
- Taça da Liga francesa (Bordéus, 01/02).
- Melhor marcador do campeonato francês (01/02 e 05/06).
- Melhor jogador do ano em França (01/02 e 02/03).
- Participação no Mundial-2002 (Coreia do Sul e Japão).
- Taça de França (03/04 e 05/06).
- Terceiro melhor marcador do campeonato francês (03/04 e 04/05).
- Vice-campeão europeu (Euro-2004).
- Ultrapassa a barreira dos 41 golos de Eusébio na selecção e passa a ser o maior marcador de todos os tempos.
- Quarto lugar no Mundial-2006.

Pauleta volta aos Açores


Pauleta oficializa final de carreira com emoção
“Concretizei o sonho
Ladeado pelo pai e com o apoio da família, Pedro Pauleta anunciou o adeus ao futebol. Com 324 golos marcados, 109 deles ao serviço do PSG e 47 na selecção portuguesa, o açoriano deixa um legado difícil de superar.

Pedro Pauleta confirmou esta quarta-feira que não voltará aos relvados, abandonando assim o futebol numa altura em que ainda se perspectivava a continuidade no activo por mais uma temporada. Porém, os contratos milionários não seduziram o jogador que optou por colocar um ponto final na carreira.Foi no seu complexo desportivo, na companhia do pai, esposa e filhos, que o melhor marcador da história da selecção portuguesa e do Paris Saint-Germain confirmou a saída de cena.“Após muitos meses de meditação decidi colocar um ponto final na minha carreira. Recebi incentivos para continuar mas achei ser a altura certa para deixar uma actividade que muito me valorizou. A partir de agora vou dedicar-me à família que foi muito sacrifica nos últimos treze anos. Mentalizei-me para este momento, doloroso, mas faço-o com o espírito de dever cumprido, nos clubes que joguei e na selecção”, disse.O atleta salientou ainda que deixa “boas recordações” no futebol pelo que considera-se “um homem feliz”, sublinhando ainda o facto de ter “concretizado um sonho de criança”. Na hora do adeus, uma mensagem final: “tudo ultrapassei com coragem, trabalho e sacrifício e é difícil pensar que jamais chutarei para os golos que tanto entusiasmaram os adeptos”.

Liga dos Campeões: Sporting, 2 - Barcelona, 5


SPORTING, 2 - BARCELONA, 5
Sporting sem raça goleado em Alvalade
O Sporting foi esta noite goleado em Alvalade pelo Barcelona, por 5-2. A equipa «leonina» fez um jogo para esquecer e sofreu um desaire por números que não aconteciam há 25 anos. No entanto, este resultado não afecta a presença na próxima fase da «Champions».

O Sporting fez uma exibição para esquecer principalmente na primeira parte, onde esteve apático, sem dinâmica e sem capacidade para pressionar. As várias ausências não justificam a clara diferença que existiu entre as duas equipas. Assim, o Barcelona aproveitou todas essas facilidades para marcar e logo aos 13 minutos inaugura o marcador. Messi passa Carriço e assiste Henry, que fez o desvio vitorioso.
Depois, aos 18 minutos, lance confuso na área do Sporting e Pique a fazer um desvio, que ainda embate em Polga e depois entra na baliza. Os jogadores do «Barça» tiram o «pé do acelerador» e até ao intervalo o resultado não sofre alterações. Na etapa complementar, logo aos 49 minutos, o Barcelona chega ao golo.
Daniel Alves aproveita a desatenção dos jogadores do Sporting, que esperavam que o árbitro apitasse na marcação do livre, só que o lateral brasileiro passa rapidamente para Messi e o argentino eleva a contagem.O Sporting, depois de uma primeira parte muito fraquinha, melhorou com a entrada de Derlei para o lugar do irreconhecível Romagnoli e também devido às saídas de Henry, Messi e Xavi, tendo aos 65 minutos chegado ao golo. Miguel Veloso apontou de forma superior um livre directo e reduziu. No minuto seguinte novo golo «leonino», Marquez perde a bola, Liedson arranca em velocidade para a baliza e não deixa escapar a hipótese.
Só que no minuto a seguir, o Barcelona ganha novamente vantagem, após o autogolo de Caneira, que ao tentar cortar a bola desvia para a própria baliza.
Este golo acaba com a possível recuperação do Sporting e para piorar aos 70 minutos Rui Patrício foi expulso, porque ao tentar cortar a bola fez falta na área sobre Bojan e recebeu ordem de expulsão. Na marcação da grande penalidade o jovem avançado estabeleceu o resultado final de 5-2.Até ao fim da partida o Sporting teve uma clara ocasião de golo através de Derlei, mas o «Barça» também podia ter ainda aumentado mais a diferença no marcador. Ficha de jogo:
Estádio José de Alvalade
Árbitro Matteo Simone (Itália)
Equipas:
Sporting - Rui Patrício; Caneira, Daniel Carriço, Polga e Grimi; Pereirinha, Miguel Veloso, Romagnoli (Derlei, 46m) e João Moutinho; Liedson (Postiga, 78m) e Yannick Djaló (Tiago, 72m).
Barcelona – Valdés; Daniel Alves, Rafael Marquez, Piqué e Cáceres; Xavi (Keita, 75m), Busquets e Hleb; Messi (Rodriguez, 56m), Gudjohnsen e Henry (Bojan, 46m).
Ao intervalo: 0-2
Marcadores: 0-2, Henry (13m); 0-2, Piqué (18m); 0-3 (49m); 1-3, Miguel Veloso (65m), 2-3, Liedson (66m); 2-4, autogolo de Caneira (67m); 2-5, (Bojan g.p., 73m)
Acção disciplinar: cartão amarelo a Busquets, Caneira, Marquez. Cartão vermelho a Rui Patrício.
Fonte: ABola

Liga dos Campeões: Fenerbahçe, 1 -F.C. Porto, 2


Fenerbahçe, 1 - F.C. Porto, 2
FC Porto nos oitavos de final
Pela terceira vez consecutiva o F.C. Porto está nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. A vitória desta noite por 1-2 em Istambul é indiscutível e confirma a forma ascendente dos tricampeões nacionais. Lisandro, especialmente inspirado, fez dois golos, Tomás Costa e Hulk falharam outros mais e o Fenerbahçe só num lance de sorte conseguiu bater Helton.
O F.C. Porto resistiu ao ataque inicial arrojado mas sôfrego do Fenerbahçe. Compreensivelmente, os turcos aproveitaram o ambiente de loucura no estádio, foram para cima da defesa azul e branca durante os primeiros 15 minutos, mas cedo se percebeu que a vontade não era devidamente acompanhada pela perícia. Principalmente na primeira fase de construção.
Nessa zona crucial do terreno, o Fenerbahçe começou a falhar muitos passes e o F.C. Porto, ainda a adaptar-se a um palco por muitos considerado inexpugnável, fez as primeiras ameaças. Primeiro timidamente, depois triunfante.
Lisandro não tem como hábito perdoar os falhanços alheios e aos 18 minutos aproveitou uma má abordagem do guarda-redes Volkan para inaugurar o marcador. Dez minutos depois, o mesmo filme: tempo de salto errado de Edu Dracena, após longo lançamento lateral de Fucile, e Lisandro a fazer o segundo do F.C. Porto na partida. Melhor era impossível.

domingo, 23 de novembro de 2008

Os Pinto da Costa a caminho da Turquia


Pedras Rubras, 23 Novembro - Filomena, Jorge Nuno e Joana de malas aviadas para a Turquia. O FC Porto defronta terça-feira o Fenerbahçe para a Liga dos Campeões.

Estava tudo a correr bem... mas tropeçaram


Moscovo, 23 Novembro – Os ucranianos Anna Zadorozhniuk e Sergei Verbillo brilham durante a participação no Grande Prémio de patinagem artística da cidade russa.
-Anna Zadorozhniuk e Sergei Verbillo estavam a ser destaque no Grande Prémio de patinagem artística, mas acabaram por vergar à pressão e cair

LIGA / SAGRES - Académica, 0 - Benfica, 2


Coimbra tem outro encanto para o Benfica
O Benfica voltou, este domingo, a vencer em Coimbra, onde há praticamente um ano tinha imposto a última derrota «caseira» da Académica. Rúben Amorim e Cardozo fizeram, desta feita, as honras do marcador.
Quique Flores, certamente também a pensar no jogo de quinta-feira com o Olympiakos, apresentou «onze» com muitas alterações em relação ao que era esperado (Katsouranis foi «baixa» de última hora, David Luiz apareceu a titular no lado esquerdo da defesa, Nuno Gomes e Cardozo constituíram a dupla de ataque), mas, mesmo assim, a equipa assumiu cedo o controlo do jogo. A Académica só a partir dos 15/20 minutos apareceu e ainda levou uma bola a embater na barra da baliza de Quim, mas não demorou a obter como resposta... o golo do Benfica. Com efeito, Nuno Gomes recebeu à entrada da área, fez compasso de espera para a entrada de Ruben Amorim, que não teve dificuldades em levar a melhor no frente-a-frente com o guarda-redes dos «estudantes». A Académica ainda tentou reagir e voltou a desperdiçar soberana oportunidade, com Lito a falhar o remate quando estava sozinho perante Quim. No entanto, o início da segunda parte viria a ser fatal para a equipa comandada por Domingos Paciência, uma vez que, logo na primeira iniciativa atacante do Benfica, Pavlovic rasteirou Reyes dentro da área, valendo a respectiva grande penalidade. Chamado a converter, Cardozo não desperdiçou e fez o quinto golo na presente época.Com dois golos de vantagem, o Benfica tranquilizou e só teve de gerir, ainda que o recém-entrado Suazo ainda poderia ter aumentado a conta, levando também a bola ao «ferro» da baliza da Académica.Os «encarnados», que assim retomaram a diferença de um ponto em relação ao líder Leixões, conseguem a quarta vitória consecutiva no Campeonato, numa cidade onde não perde vai para 35 anos. Já a Académica, além de ter perdido a longa invencibilidade diante do seu público, aumenta para seis o número de jogos consecutivos sem vencer.
Estádio Cidade de Coimbra.
Árbitro: Pedro Proença (AF Lisboa)
Académica – Peskovic; Pedrinho, Orlando, Luiz Nunes e Edson; Miguel Pedro, Pavlovic (Carlos Aguiar, 60 m) e Nuno Piloto; Lito (Éder, 60 m), Garcés e Sougou (Madej, 75 m).Suplentes não utilizados: Pedro Roma, Cléber, Cris e Tiero.
Benfica – Quim; Maxi Pereira, Luisão, Sidnei e David Luiz; Ruben Amorim (Jorge Ribeiro, 80 m), Binya, Yebda e Reyes (Balboa, 86 m); Nuno Gomes e Cardozo (Suazo, 61 m).
Suplentes não utilizados: Moreira, Miguel Vítor, Carlos Martins, e Aimar.
Disciplina: cartão amarelo a Pavlovic (46 m), Luiz Nunes (53 m), David Luiz (59 m), Nuno Piloto (64 m), Binya (67 m), Maxi (89 m).
Marcador: 0-1 por Ruben Amorim (30 m); Cardozo (47 m, gp).
Benfica é a única equipa das Ligas europeias sem derrotas
Com a derrota caseira do Villarreal, frente ao Valladolid (0-3), no sábado, o Benfica passou a ser a única equipa das principais ligas europeias que ainda não sofreu qualquer derrota. Um estatuto reforçado com a vitória sobre a Académica, este domingo.
O «submarino amarelo» era mesmo o último adversário do Benfica, na luta por, mas acabou por sofrer o primeiro desaire, e logo em casa. O PAOK, de Fernando Santos, abandonou esta «corrida» no fim-de-semana passado, ao sair derrotado na visita ao Olympiakos (2-0).
O lote de equipas sem derrotas chegou a incluir também o Valência e o Liverpool, há algumas semanas, mas entretanto foram surgindo derrotas de todas estas equipas, à excepção do Benfica, que este domingo visita a Académica. Com nove jornadas cumpridas, a equipa de Quique Flores tem seis vitórias e três empates.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

LIGA/SAGRES - Rio Ave, 1 - Leixões, 2


Leixões firme na liderança
O Leixões venceu o Rio Ave (2-1), em Vila do Conde, e manteve-se firme na liderança da Liga, agora com 22 pontos, mais quatro que o Benfica (2.º), que joga no domingo com a Académica. Cinco jogos fora, cinco vitórias dos leixonenses!

Sensacional a carreira do Leixões na Liga portuguesa. A equipa dirigida por José Mota ultrapassou hoje mais um obstáculo difícil, o Rio Ave, e somou a quinta vitória fora de portas, noutros tantos jogos. Manteve-se firme na liderança, agora a quatro pontos de distância do Benfica (segundo classificado), que joga no domingo com a Académica, em Coimbra.Não foi um grande espectáculo. Escassas oportunidades, jogo muito disputado na zona do meio campo, supremacia das defesas em relação aos ataques. Três golos resultantes de lances de bola parada: o Rio Ave adiantou-se no marcador aos 35 minutos, por Wesley, após livre marcado por Diogo Valente; Rogério Matias restabeleceu a igualdade aos 44 m, na transformação de livre; Bruno China fixou o resultado final aos 67 m, favorável ao Leixões, na sequência de canto batido por Hugo Morais.No cômputo geral, a toada foi de equilíbrio e a derrota é castigo pesado para o Rio Ave. Mas o Leixões foi mais eficaz e arrecadou os três pontos, para gáudio dos milhares de adeptos que viajaram até Vila do Conde. A carreira do Leixões está a dar nas vistas, também no estrangeiro. Hoje, foram vários os observadores que marcaram presença em Vila do Conde.
Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde
Árbitro: Lucílio Baptista (AF Setúbal)
RIO AVE – Paiva; Miguel Lopes, Gaspar, Bruno Mendes e Rogério Matias (Mateus, 74 m); Delson, André Vilas Boas (Semedo, 69 m) e Tarantini (Niquinha, 74 m); Ronaldo, Evandro e Chidi.
LEIXÕES – Beto; Vasco Fernandes, Joel, Elvis e Laranjeiro; Roberto Sousa, Bruno China e Hugo Morais; Braga (Chumbinho, 80 m), Wesley (Sandro, 87 m) e Diogo Valente (José Manuel, 57 m).
Ao intervalo: 1-1
Golos: 1-0, Wesley (35 m); 1-1, Rogério Matias (44 m); 1-2, Bruno China (67 m).
Resultado final: 1-2
Cartão amarelo a Miguel Lopes, André Vilas Boas, Laranjeiro, Elvis, Hugo Morais, Roberto Sousa, Bruno China, Ronaldo, Semedo e Mateus.
Cartão vermelho para Mateus.
Fonte: A Bola

Os Xutos & Pontapés 30 anos de carreira

Xutos celebram 30 anos com novo álbum

Os Xutos & Pontapés preparam-se para celebrar 30 anos de carreira com uma série de iniciativas que inclui um novo álbum e uma actuação no Pavilhão de Portugal, em Lisboa, disse o guitarrista Zé Pedro à agência Lusa.
A banda festejará trinta anos de rock n´roll a 13 de Janeiro no Pavilhão de Portugal, onde será apresentado o single do novo álbum, que deverá ser editado no primeiro trimestre de 2009. Os Xutos & Pontapés surgiram a 22 de Dezembro de 1978, com um primeiro ensaio no espaço Senófila, mas a estreia ao vivo ocorreu a 13 de Janeiro de 1979, na sala dos Alunos de Apolo, em Lisboa, onde tocaram apenas quatro músicas. O próximo ano adivinha-se intenso para os Xutos & Pontapés, com uma nova digressão e "muitos projectos que estão praticamente fechados", disse Zé Pedro, que confirmou a intenção do grupo de actuar num estádio de futebol. Sobre o novo álbum, sucessor de "Mundo ao contrário" que saiu em 2004, Zé Pedro disse que está a ser preparado "de forma descontraída e sem pressões". "Parecemos uns putos ao fim de trinta anos e estamos excitadíssimos, porque há muito tempo que não estávamos em estúdio", disse o guitarrista. Já foram fugazmente os Delirium Tremens e os Beijinhos e Parabéns, mas é como Xutos & Pontapés que têm resistido na música portuguesa ao longo de trinta anos, desde o começo punk-rock até ao rock n´roll que agrada a pais e filhos. Tim, Zé Pedro, João Cabeleira, Kalú e Gui são comendadores da Ordem do Mérito, a sua história já foi contada em fotobiografia, em disco, mas é sobretudo em palco que celebram a música. "Cerco" (1985), "Circo de Feras" (1987), "Gritos Mudos" (1990), "Dados Viciados" (1997), "XIII" (2001) e "Mundo ao contrário" (2004) são alguns dos álbuns que já gravaram.
Lusa/AOonline

Bola gigante em Londres


Londres, 21 Novembro – Uma bola de râguebi emoldura as margens do rio Tamisa. Será precisamente no interior desta enorme estrutura que na próxima semana se desenrolará o sorteio para o Mundial’2011.

Quem é a mais bela?


Johanesburgo, 20 Novembro - São todas belas e concorrem pelo título de miss Mundo mas foi a promoção da Taça das Confederações que as levou ao Estádio Ellis Park.

Os “puxa-saco” nas bancadas


Pittsburgh, 20 Novembro – Durante o excelente embate da NFL entre Bengals e Steelers os adeptos também foram figuras de destaque. Aqui fica o registo de uma bela adepta ladeada por dois... sacos tristes.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Festival de golos no Bezerrão


BRASIL HUMILHA PORTUGAL COM GOLEADA (6-2)
BRASIL, 6 - PORTUGAL, 2
A Selecção Nacional continua a somar desilusões, deixando o Bezerrão com uma goleada pouco usual. Danny (4') deu vantagem à equipa das quinas, mas a resposta canarinha foi implacável: Fabiano fez um "hat-trick" (9', 25' e 57'); Maicon (56'), Elano (65') e Adriano (90') completaram a festa brasileira.

Portugal sofre 6 golos 53 anos depois
DESASTRE IDÊNTICO ACONTECEU FRENTE À... SUÉCIA
A Selecção Nacional não encaixava 6 golos de nenhum adversário há mais de 53 anos. A última vez que aconteceram números desta dimensão foi precisamente no mesmo dia: 20 de Novembro de 1955, em Lisboa, frente à Suécia e, curiosamente, também precisamente pelo mesmo resultado (2-6).