quinta-feira, 25 de maio de 2017

SATA alertou hoje os passageiros para o pré-aviso de greve

SATA alerta passageiros para pré-aviso de greve a 1 e 2 de junho
A transportadora aérea açoriana SATA alertou hoje os passageiros para o pré-aviso de greve, a 01 e 02 de junho, e informou da possibilidade de alteração da viagem ou do reembolso da mesma    
"Na sequência do pré-aviso de greve, efetuado pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, para os dias 1 e 2 de junho, dos tripulantes de cabine da Azores Airlines e SATA Air Açores, o grupo SATA informa que todos os passageiros com voos nestas datas poderão alterar a sua viagem ou pedir o reembolso do seu bilhete, sem custos adicionais, junto dos canais de venda habituais”, refere a empresa numa mensagem enviada aos passageiros.
Na mesma mensagem, a transportadora aérea dá conta dos voos incluídos nos serviços mínimos para aquelas datas.
No caso da SATA Internacional, que assegura as ligações aéreas de e para fora do arquipélago, estão garantidos os voos com origem em Lisboa e destino em Santa Maria e Horta, e o respetivo regresso à capital, a 01 de junho. No dia seguinte, estão contempladas nos serviços mínimos as ligações Lisboa-Horta e Horta-Lisboa.
Já na SATA Air Açores, responsável pelos voos inter-ilhas, nos dois dias de paralisação estão garantidos voos nas nove ilhas do arquipélago.
Fonte da SATA aconselhou os passareiros “a verificarem se os seus voos estão ou não assegurados nos serviços mínimos e caso não estejam podem passar o voo para outro dia, antes ou depois do período de greve”.
“Além disso, permitimos o reembolso da passagem, caso não a queiram fazer”, acrescentou a mesma fonte, realçando que “poderá haver voos que se realizem embora não estejam incluídos nos serviços mínimos”.
A 21 de abril, o sindicato, que já tinha marcado greve para 01 e 02 de maio, que cumpriu, estendeu a paralisação para 01 e 02 de junho.
Na quinta-feira da semana passada, o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil anunciou anunciou que iria manter o pré-aviso de greve de junho, uma vez que as negociações desse dia com a administração da SATA foram "inconclusivas".
Tripulantes de cabine da Azores Airlines e da SATA Air Açores paralisaram durante os dias 01 e 02 de maio, tendo a greve deixado em terra mais de 1.300 passageiros, com o sindicato a afirmar que se registou uma adesão de 100%, número diferente do avançado pelo grupo SATA (66,9%).
Lusa/AO/MN

Presidente da delegação da CDRPE, Younous Omarjee disse:

Geografia é o "principal trunfo" dos Açores
O presidente da delegação da Comissão de Desenvolvimento Regional do Parlamento Europeu considerou hoje que a geografia é o "principal trunfo" dos Açores, destacando as potencialidades da região na economia marítima e na investigação científica.    
"É verdade que a geografia é vista como uma desvantagem. Ela é uma desvantagem para as regiões ultraperiféricas, que estão longe do continente europeu, mas nos Açores a geografia é, também, uma vantagem extraordinária. É o principal trunfo dos Açores”, salientou Younous Omarjee no final de uma visita de três dias aos Açores.
Younous Omarjee destacou a potencial do Porto da Praia da Vitória, na ilha Terceira, onde a delegação de vários eurodeputados esteve na quarta-feira.
“O crescimento da economia marítima mostra a importância que a insularidade pode ter. Vimos também a posição geoestratégica extraordinária e o posicionamento comercial extraordinário dos Açores”, declarou.
Por outro lado, o presidente da delegação realçou, ainda, o potencial de investigação científica do arquipélago, pela sua natureza e biodiversidade e por ser uma região vulcânica, sugerindo a criação de um programa europeu de investigação sobre vulcanologia e sismologia, que envolvesse, além dos Açores, Madeira, Canárias, Guadalupe, Maiote e Reunião.
O responsável admitiu, no entanto, que os Açores têm vários problemas, reconhecendo o impacto do fim das quotas leiteiras.
“A nossa comissão tem trabalhado de perto com a Comissão da Agricultura na discussão de um novo quadro de intervenção neste contexto, mas não devo falar de coisas pelas quais não tenho responsabilidade”, adiantou.
Younous Omarjee reiterou a importância de se manter na União Europeia uma política regional, que promova a coesão e a redução das disparidades entre regiões, independentemente da criação de outros instrumentos financeiros, como o Plano Juncker.
“Queremos que as subvenções se mantenham, porque são essas subvenções que permitem a realização dos fundamentos da política regional, nomeadamente a solidariedade, e que permitem compensar as dificuldades das regiões que, por serem ultraperiféricas, são menos atrativas que as metrópoles no coração do continente europeu”, frisou.
Também a eurodeputada açoriana Sofia Ribeiro defendeu que os novos instrumentos financeiros sejam complementares, mas não devem substituir as políticas de coesão.
“Os níveis de afastamento, os níveis de insularidade, a dificuldade acrescida de investimento, os constrangimentos de transporte não permitem o acesso aos mesmos níveis de competitividade que tem uma região central europeia”, observou.
Por sua vez, a deputada Liliana Rodrigues, da Madeira, realçou a boa execução de fundos comunitários nos Açores, destacando a sua importância nos últimos anos.
“Sem a Política de Coesão [a principal política de investimento da União Europeia], a crise que nos assolou entre 2008 e 2014, mas que ainda se sente, teria sido acentuada em mais 50%”, acrescentou.
Lusa/AO/MN

Plano Especial de Revitalização (PER) do CDSC

PER do Santa Clara aprovado por maioria dos credores
O segundo Plano Especial de Revitalização (PER) do Santa Clara, da II Liga de futebol, foi aprovado por maioria dos credores, sendo que se prevê o pagamento de um total de 8,3 milhões de euros até 2040.    
Segundo fonte próxima do clube, o PER foi aprovado com votos favoráveis de "99,9% dos credores", num prazo estipulado pelo administrador judicial provisório para "apreciação e votação" que terminou às 00:00 horas de quarta-feira.
O novo PER do Clube Desportivo Santa Clara, a que a agência Lusa teve acesso, prevê o pagamento entre os 12 e os 20 anos, consoante os credores, sendo que "os credores públicos" serão os primeiros a receber.
Assim, a entidade tributária receberá cerca de 1,1 milhão de euros e o fundo de acidentes de trabalho cerca de 300 mil euros até 2029. Os ex-trabalhadores também são dos primeiros a receber, num prazo de 12 anos e meio, num total de cerca de 135 mil euros de dívida.
O prazo estende-se até 2039 para o maior credor do Santa Clara, o Santander Totta, a quem o clube pediu uma carência de dois anos para começar a amortizar duas dívidas, uma de cerca de três milhões de euros, que foi transmitida à SAD 'encarnada', e outra de 1,3 milhões de euros. A soma dos dois montantes perfaz mais de 50% do total do passivo do clube, avaliado em 8,3 milhões de euros.
O clube açoriano vai levar até 2040 para pagar aos "fornecedores correntes, de materiais e serviços", que têm a haver quase 500 mil euros, e aos "créditos subordinados", onde se incluí a SAD 'encarnada' e Mário Batista, ex-presidente do clube e da SAD do Santa Clara.
Para pagamento de créditos subordinados, o clube pediu "a carência de capital durante três anos" e o "perdão de 50% de capital mais juros vencidos e vincendos" de uma dívida de cerca de 2,1 milhões de euros.
Este é já o segundo PER do Santa Clara, depois do primeiro, pedido em 2014, ter entrado em incumprimento passados poucos meses. O clube justifica este novo PER com a "necessidade de reequilibrar económica e financeira o universo do Santa Clara".
No documento lê-se ainda que um dos objetivos também é "a satisfação dos credores, deixando-os numa situação bem mais vantajosa do que ficariam num cenário de liquidação e encerramento do clube".
O PER precisa agora de ser homologado pelo Tribunal de Ponta Delgada para poder entrar em vigor a partir de julho deste ano.
Lusa/AO/MN

II Liga: Santa Clara contrata terceiro reforço

Santa Clara contrata guarda-redes Marco Pereira, ex-Freamunde
O Santa Clara confirmou hoje à agência Lusa que acertou a contratação do guarda-redes Marco Pereira, ex-Freamunde, para a próxima época ao serviço da equipa da II Liga de futebol.    
Marco Pereira, de 30 anos, que esteve nas últimas três épocas ao serviço do Freamunde, equipa que desceu esta temporada ao Campeonato de Portugal, junta-se agora a Serginho e Rodolfo como mais uma opção para a baliza do Santa Clara.
O guarda-redes, natural de Castelo de Paiva, chegou a ser orientado pelo técnico da formação açoriana, Carlos Pinto, na época 2015/2016, quando o treinador passou pela equipa de Freamunde.
Para além do Freamunde, o guardião cumpriu duas épocas ao serviço do Feirense e seis pelo Trofense, equipas também da II Liga.
O Santa Clara contrata assim o terceiro reforço para a próxima época, depois de Minhoca (ex-Paços de Ferreira) e de Dani Coelho (ex-Vizela).
A formação açoriana assegurou ainda as renovações do guarda-redes Serginho e dos jogadores Pacheco, Accioly, Saldanha, Igor, Pineda, Diogo Santos e Igor Rocha.
Lusa/AO/MN

'Os desafios dos jovens agricultores e o futuro da Política Agrícola Comum (PAC) pós 2020'

João Ponte reafirma importância da manutenção e reforço financeiro do POSEI
O Secretário Regional da Agricultura e Florestas reafirmou hoje, na Lagoa, que é fundamental para as Regiões Ultraperiféricas, como os Açores, a manutenção e o reforço do regime POSEI, enquanto instrumento financeiro de apoio direto ao agricultor.
João Ponte, que falava no fórum 'Os desafios dos jovens agricultores e o futuro da Política Agrícola Comum (PAC) pós 2020', salientou que devem ser aperfeiçoadas as medidas específicas no domínio agrícola, tendo em conta as caraterísticas e os condicionalismos próprios de cada uma das regiões.
Na sua intervenção neste evento organizado pela Associação de Jovens Agricultores Micaelenses, o governante destacou que importa também reforçar o envelope financeiro do POSEI e flexibilizar as suas alterações para uma melhor adaptação às mudanças do setor.
Competitividade, ambiente, clima, nutrição e bem estar animal, sem esquecer o rendimento e a cadeia alimentar, são eixos estratégicos para a PAC pós 2020, frisou João Ponte.
Para o titular da pasta da Agricultura, são necessários apoios à inovação, investigação e transferência de conhecimentos para aumentar a atratividade e promover o rejuvenescimento do setor.
Por outro lado, alegou que importa implementar medidas de valorização da produção de bens de valor acrescentado gerados no setor, nomeadamente ao nível do ambiente, clima, alimentação saudável, bem-estar animal e proteção da biodiversidade.
João Ponte salientou ainda a importância do contributo da União Europeia para a regulação de boas práticas, impedindo práticas desleais de comércio entre empresas da cadeia alimentar.
O Secretário Regional afirmou que a relação entre os diversos intervenientes na cadeia alimentar deve ser equilibrada e o valor acrescentado distribuído equitativamente entre todos eles.
“Os agricultores são os que correm a maior parte dos riscos da cadeia alimentar. As relações contratuais devem ser mais justas e transparentes. É fundamental o apoio à organização da produção e a alguns regimes específicos, nomeadamente para o leite, vinho, frutas e hortícolas”, frisou João Ponte.
GaCS/RM/MN

Partilha de médicos especialistas entre as Regiões Autónomas

Deslocação de médicos especialistas entre Açores e Madeira será fomentada, garante Rui Luís
O Secretário Regional da Saúde afirmou hoje, em Angra do Heroísmo, que a partilha de médicos especialistas entre as duas Regiões Autónomas será reforçada no próximo ano.
“O compromisso que nós temos é de, até ao final deste ano, estabelecer um plano das necessidades que existem em cada uma das regiões e, a partir de 2018, implementar a troca de especialistas para a realização de consultas”, afirmou Rui Luís, em declarações à margem de uma visita ao Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira, em que esteve acompanhado pelo Secretário Regional da Saúde do Governo da Madeira.
“A vinda de cardiologistas pediatras do Serviço Regional da Madeira aos Açores, nos últimos meses, é o início desta parceria. Queremos estender esta experiência a outras especialidades, seja através do intercâmbio de especialistas, seja através da deslocação de doentes”, salientou o titular da pasta da Saúde.
Rui Luís manifestou ainda satisfação com a possibilidade de virem a ser aprofundados os acordos estabelecidos entre hospitais ao nível da formação e investigação.
“Será um desafio para os próximos tempos definirmos as possibilidades de intercâmbio entre duas regiões que pensam da mesma forma em relação a esta matéria“, salientou.
Nesta visita ao Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira, que resulta de uma parceria público-privada, o Secretário Regional da Saúde da Madeira, teve oportunidade de se inteirar da forma de gestão e funcionamento desta unidade hospitalar.
GaCS/MS/MN

XVI Gala do Desporto Açoriano na ilha do Faial

Faial recebe seis troféus na XVI Gala do Desporto Açoriano
A ilha do Faial foi contemplada com seis distinções no âmbito da XVI Gala do Desporto Açoriano, cuja cerimónia de entrega de troféus decorreu hoje, na Escola Secundária Manuel de Arriaga, na Horta.
Na categoria "Resultados e Classificações Nacionais e Participações Internacionais - Desportos Individuais", vertente Desporto Adaptado, foi galardoado, na Vela, Rui Filipe Dowling (1.º classificado no Campeonato Nacional da Classe Access 2.3, no escalão de Seniores Masculinos), atleta do Clube Naval da Horta.
Também na Vela, mas na categoria "Seleções Nacionais", a distinção coube a Rui Filipe Silveir, atleta do Club Naval da Horta, que representou a Seleção Nacional de Vela nos Campeonatos da Classe Laser Men Kieler Woche, em Espanha, Men Delta Loyd Regatta Medemblik, na Holanda, Men Troféu SAR Princesa Sofia, em Palma de Maiorca, Men Laser & Laser European Championship RCN, nas Canárias e Men Sailing World Cup, em Miami, no escalão de Seniores Masculinos.
Hélio Simas Duarte (20 anos como árbitro de Futebol), José Germano Pinho (30 anos como massagista de Futebol em vários clubes), Francisco Gonçalves (25 anos como dirigente da Associação Regional de Vela dos Açores) e Vítor Medeiros (25 anos como dirigente da Associação Regional de Vela dos Açores) foram os agraciados na categoria "Personalidades".
A cerimónia de entrega de troféus da XVI Gala do Desporto Açoriano no Faial contou com exibições musicais e de ballet do Conservatório Regional da Horta.
GaCS/DRD/MN